Ir para o conteúdo.

Início » Open Source » Debian abandona GNOME e adota Xfce como ambiente padrão

O Debian, uma das distribuições Linux mais tradicionais, decidiu abandonar o GNOME para dar lugar ao Xfce como ambiente gráfico padrão. Oficialmente, o motivo para a alteração foi uma questão de espaço: a opção pelo Xfce garante que um desktop com interface gráfica caiba no primeiro CD da distribuição.

Colocar um sistema operacional inteiro num CD de apenas 700 MB hoje em dia é um desafio e tanto. Alguns projetos já estão gerando imagens que só podem ser gravadas em DVDs ou pendrives. Mas o espaço não é o único motivo para a mudança: o desenvolvedor do Debian, Joey Hess, comentou que “pode haver outras razões para preferir o Xfce como padrão”, mas não deu mais detalhes.

Xfce será instalado por padrão no Debian 7.0 Wheezy

Não é novidade que o GNOME 3 está desagradando muita gente, especialmente os usuários mais conservadores. Linus Torvalds, criador do kernel do Linux, chamou a nova versão do GNOME de “bagunça” e passou a usar o Xfce. “Eu quero de volta minhas interfaces com algum sentido. Eu ainda preciso conhecer alguém que goste dessa nada sagrada bagunça que é o GNOME 3″, disse Torvalds em agosto de 2011.

O Xfce será adotado como padrão na próxima versão do Debian, a 7.0 Wheezy. Como de costume, ainda será possível escolher outro ambiente gráfico utilizando ISOs alternativas. Se você quiser ter todos os pacotes do Wheezy localmente, pode se preparar para baixar 73 CDs ou 11 DVDs.

Com informações: Neowin, Phoronix.

50 Comentários (Deixe o seu!)

  • YanGM
    1c

    Joga tudo em um Blu-Ray e acaba logo com isso.

    • Povo reclamando de espaço e eu aqui indignado por que a iso do Arch Linux foi de 200mb pra 400mb

  • O xfce4 vem agrandando muito os usuários do Gnome 2, é leve e versátil, já mexi bastante nele com meu Archzinho, e ele é bem legal mesmo de mexer, normalmente o padrão que vem é muito feio, mas mexer um pouco já melhora tudo…

    Acho que não é só questão de espaço, deixar o Gnome 3 de lado tem a ver com os desenvolvedores do mesmo, correm boatos de que o Gnome 3 está sendo largado pela sua equipe e que em breve “acabará”, de qualquer forma, eu nunca fui da época de transição, já fui pro mundo Linux com o Gnome 3 já lançado e odiado, mas cheguei a usar o 2 quando usei o Elementary Jupiter, baseado no Ubuntu 10.04, e o Gnome 2 é realmente melhor que o 3, já tentei usar o Fedora com o Gnome por padrão, já tentei no Ubuntu, no Arch (que mal pegou) e é horrível e confuso, enche o saco.

    O Debian está bem melhor com o xfce4, isso podem ter certeza

    • Rezembrim
      46c

      O elementary Jupiter é baseado no Maverick (10.10), não no Lucid (10.04).

      E todo esse ódio pelo gnome 3 é desnecessário: basta querer se adaptar. Uso tanto gnome 2 quanto gnome 3 sem nenhum problema. Ok, não vou negar que ter funções básicas (leia-se trocar de temas e ter um botão de desligar visível no sistema) por meio de extensões é um saco, mas tirando isso o gnome 3 é muito bom sim. E leve também, diga-se de passagem (uso ele num netbook atom).

      • Mah mistake, 10.10.

        Não é ódio, é simplesmente tentar usar e não ser nada bom, não é questão de se acostumar, o Windows 8 tá aí, totalmente diferente, mas o Metro é agradável, o Gnome 3 não chega a ser algo que te dê o prazer de tentar, simplesmente pra mim anti-produtivo

        • Rezembrim
          46c

          Eu já acho que o Unity seja anti-produtivo. Certo, eles estão fazendo de tudo pra melhorar e tornar ele mais apelativo pro usuário, mas não consigo entender a lógica em um dock que não serve pra minimizar as janelas!! Eu também achei ele bem estranho no começo, e voltei várias vezes pra o Gnome2, mas dá pra ser bem produtivo com o Gnome3 sim. Não pense que tô querendo convencer ninguém não, sei que cada um tem sua opinião. Mas como usuário, vou defender o Gnome3 porque sei que (pelo menos pra mim) ele é bom.

          • Eu uso o Unity em conjunto com o Docky, então pra mim não é problema, acho o Unity mais produtivo que o Gnome 3

    • Bruno Cabral
      1c

      Sou KDE-user e KDE-Fã de carteirinha!!! Quando veio o KDE 4.0, tentei usa-lo,
      porém travava direto, embora fosse muito leve(consumia 98MB de RAM se otimizado). Depois
      finalmente migrei com o KDE 4.2 sendo lançado. Fora o 4.0, o 4.1, o 4.2 e o 4.5, gostei de toas versões

      • Victor

        O KDE é bom, sem as (in)utilidades como o nepomuk.

        • Bruno Cabral
          1c

          O Nepomik, o Strig, e uma série de coisas são facilmente desativados.
          Bom, o Nepomuk nem tanto para aqueles mais leigos. mais é só mudar o arquivo
          $home/.config/akonadi/akonadiserverrc e trocar o true na linha do startserver por false

          • Daniel Dias
            57c

            Vlw

      • Eu sou APAIXONADO pelo KDE, usei todas as versões, hoje uso Win 7, mas ainda sinto falta de tanta coisa nele que no windows apanho as vezes.

      • Bruno Cabral
        1c

        Pra mim as melhores versões foram: KDE 3.2.x(meu primeiro, por nostalgia, ganha o 1º lugar), KDE 3.5.4/3.5.9(meu segundo), KDE 4.8, KDE 4.4, KDE 4.9 KDE, KDE 4.6 e KDE 3.

  • Dav1d
    55c

    GNOME perdeu o rumo, as maiores distribuições estão abandonando o barco, sem o Ubuntu e agora o Debian não vejo muito futuro para o projeto.

  • Mimimimimi

    • Daniel Dias
      57c

      Daniel Dias like this.

  • Victor

    Espero que o GNOME não morra. Sem estar no Debian e no Ubuntu, ele vai perder bastante usuários. É uma pena, pois mesmo a ultima versão dele ser um lixo, ele ainda tem futuro. Vou com o KDE no Debian, mas vou instalar o XFCE só para ver se é bom.

    • Bruno Cabral
      1c

      O KDE é ótimo. E nesta ultima versão, ele está bem fácil de deixar do jeito que o usuário quer,
      porém com passos mais simples. :)

    • Rennan Alves
      425c

      Relaxe, por causa das constantes reclamações o time de desenvolvedores decidiram criar um Gnome OS, para mostrar como o Gnome 3 pode ser versátil e usável.

  • bawlaw
    1013c

    O Gnome escolheu ser Simplista demais. a cada dia eles tiram mais e mais ferramentas do sistema para encaixa-lo no touch..

  • Tiago Gabriel
    451c

    O xfce é muito bacana, leve e bastante funcional.

  • Ramon Melo
    2410c

    E pensar que, há alguns anos atrás, o GNOME era o favorito de 2 a cada 3 usuários Linux desktop. Hoje em dia, as pessoas têm preferido até o Windows ao GNOME 3.

    • Daniel Dias
      57c

      “preferido o windows ao GNOME 3″ ai vc pegou pesado cara ¬¬

  • Muito bom mas eu gosto do Gnome 3

  • Dennis

    Acho ridícula essa obsessão em manter o limite de 700MB, o foco deveria ser oferecer a solução mais completa possível para o usuário, mas claro, sem lotar a distro de programas inúteis ou duplicados.

    Na minha opinião a verdadeira razão da mudança foi o Gnome 3, que vem desagradando muitos usuários de Linux. Recentemente os desenvolvedores do projeto anunciaram que pretendem lançar seu próprio OS, e que planejam criar uma experiência mais unificada (algo como a Microsoft fez com o Windows 8). Particularmente considero terrível essa ideia de unificação de plataformas, um desktop necessita de muito mais recursos do que um tablet ou smartphone, capar o sistema para manter tudo igual é uma involução.

    Os desenvolvedores do Gnome não ouvem a opinião de seus usuários, e isso acabou por gerar problemas em diversas distribuições baseadas no Gnome, como o Ubuntu e o Linux Mint. Recentemente os desenvolvedores do Gnome retiraram diversos recursos importantes do Nautilus, com a justificativa da tal unificação de plataformas, o que desagradou imensamente a comunidade. Os desenvolvedores do Linux Mint já anunciaram que estão trabalhando em um fork batizado de Nemo, e a Canonical está em vias de seguir o mesmo rumo.

    Tais atitudes dos desenvolvedores do Gnome me levaram a migrar para o KDE, que respeita usuários avançados e permite uma enorme capacidade de personalização, além de possuir uma suíte de aplicativos bastante completa e recheada de recursos. Atualmente estou utilizando o Kubuntu 12.04, e sinceramente, o sistema roda de maneira consideravelmente mais leve e fluída que o Unity ou Gnome, além disso atende melhor minhas necessidades.

    • Eu acho que será só a versão padrão, se eu não me engano, eles deixavam a parte a versão com o xfce4 e agora vão fazer o contrário, o que eu acho melhor.

      E, realmente, o Gnome 3 não agrada muita gente, inclusive eu, não acho certo o rumo que eles tomaram, e cheguei a ler artigos falando da falta de vontade dos desenvolvedores de se manter no desktop.

      • Dennis

        Nós falamos sobre coisas diferentes, pelo que eu entendi você quis dizer interfaces gráficas diferentes em uma mesma mídia, eu estava falando sobre a suíte de aplicativos de uma interface gráfica (KDE/Gnome). Tanto o Ubuntu quanto o Kubuntu não dispõe da suíte completa de aplicativos de suas respectivas interfaces.

        No Kubuntu eu resolvi isso com o comando:

        sudo apt-get install kde-full

        Dessa forma obtive a suíte completa do KDE.

        • Eu quis falar sobre mídias com interfaces gráficas mesmo, mas eu sei dessa dependência de uma suite de aplicativos, no meu Arch eu odeio instalar coisas do Gnome por causa disso, instala um monte de coisa pra rodar

          • Dennis

            Também não gosto de instalar aplicações GTK sobre o KDE, mas tem algumas poucas que não consigo evitar, como o Firefox, Thunderbird e Gimp, de resto são todas QT.

            Uma coisa curiosa é que aplicações GTK rodam bem sobre o KDE, porém aplicações QT rodam mal sobre o GTK. O K3B demorava bastante pra carregar no Ubuntu, no Kubuntu não demora mais que 1 segundo.

            • Meu maior problema com aplicações QT é que o Arch utiliza o GTK 2, então o tema fica totalmente distoante do resto do sistema

            • ops, o xfce4*

  • Leandro de souza

    XFCE é muito rapido…qem usa sabe como ée…eu gosto do gnome 2…um fork legal é o MATE que diz que está sensacional…

  • @trovalds
    684c

    Provável causa para a troca (além das já ditas):
    - o GNOME 2 é legacy, não receberá mais novidades e modificações importantes, apenas correções de bugs e coisa do tipo;
    - o GNOME 3 apesar de já ter chegado à versão 3.4, ainda é extremamente instável. Com o padrão de estabilidade extremo que o DEBIAN exige, dificilmente o GNOME vai estar suficientemente estável para estar na versão 7;
    - O XFCE evoluiu bastante, a despeito de KDE e GNOME sem abandonar as “raízes”, para a felicidade dos saudosistas de plantão;
    - E como já dito em outros comentários: leve é rápido, mesmo em máquinas antigas.

  • Bom uso o KDE e não me arrependo… Tentei usar outros, como o Unity, o cinnamom do Linuxmint, mas sicneramente falta algo pra deixar eles mais usáveis e dinamicos..
    E eu gosto muito dos icones do meu Desktop sempre alinhados mesmo quando eu removo alguma coisa de lá… O KDE reorganiza automaticamente os ícones… o Gnome/unity não fazem isso.. :|

  • YanGM
    1c

    Gnome 3 deveria ser chamado de Garrogância 3, os caras não ouvem o feedback dos usuários, fazem o que querem e só.

    • Dennis

      Exato. Vão totalmente contra a ideia do Linux.

    • walescko

      Gnome 3… usei, gostei, mas deixei de usar, estou com o Mint, rodando o MATE.
      No Gnome 3, achei muito rígido a personalização, que no Gnome 2 era muito bom de fazer.
      Vamos ver essa mudança do Debian para o Xfce de perto.

  • Pra início de conversa, dizer que o Projeto Debian está abandonando o GNOME é uma irresponsabilidade tremenda. Todo o desenvolvimento continua com todo empenho e seriedade de sempre. Apesar da opção em oferecer o GNOME no primeiro CD isso nunca foi um indicativo de que esse era o desktop environment default. O default de instalação do Debian é e sempre foi através do netinstall que trás apenas um ambiente básico e, a partir de então, deixar para o usuária a opção por seu desktop preferido através de tasksel. Logo, é o usuário quem difine o que deseja. A maioria escolhe o GNOME por popularidade, mas todos os outros estão disponíveis. Até mesmo se for instalar pelo DVD 1, vocè pode escolher por, no mínimo, quatro desktops diferentes. Tudo bem que se o usuário seguir com a instalação através do DVD 1 sem fazer escolha alguma ele acabará no ambiente GNOME, mas por pura convenção decidida pela própria comunidade.
    Mas considero a escolha acertada e sei que isso influenciará bastante para uma popularização ainda maior do XFCE. Eu mesmo tenho preferência pelo mesmo ao GNOME 3. Mas o desenvolvimento desse prosseguirá no mesmo padrão do demais.

    • Daniel Dias
      57c

      Concordo com cada palavra…
      Esse IceWeasel é bom msm?(mudando de assunto)

  • Eu gosto do Gnome 3. O que fode é a interface Unity. Por isso eu instalei a Cinnamon no meu computador de escritório (sim, lá é Linux).

    É como o Windows 8, achei ele rápido, leve,esperto, mas… Nada me faz engolir um menu iniciar ocupando a tela inteira!

  • Tarcísio de Oliveira Moura Júnior
    11c

    Falando sério… Quem ainda usa CD para alguma coisa???!!!

    • Eu :D

    • Tiago Gabriel
      451c

      Eu.

    • ricardo
      464c

      Cara, eu uso pra caramba. Principalmente porque computadores mais antigos não suportam boot via usb.

    • YanGM
      1c

      Eu uso… como porta-copos.

      • Daniel Dias
        57c

        LOL

  • Unity FTW.

  • Realmente é uma grande surpresa. Mas com certeza o Gnome 3 tem deixado muito à desejar.
    E agora com a saída do Debian, o Gnome vai pro saco.

    Eu que nunca gostei do KDE, estou surpreso com isso. Vamos ver se o Unity compensa. Estou me acostumando à ele no Ubuntu.

  • Marcel F
    16c

    Já uso, há algum tempo, o Archlinux com XFCE.

    Primeiro abandonei o KDE, depois abandonei o Gnome. O Unity eu nunca engoli – sempre me deu problemas quando usava Ubuntu.

  • Gustavo Reis
    7c

    Eu realmente senti muita saudade do Gnome 2, e não aceitei o novo Gnome 3, mas decidi e estou acostumado com o Gnome 3 e aceitei.

Deixar comentário:

Leia | Política de Comentários.