Ir para o conteúdo.

Início » Hardware e Acessórios » Como funciona o laboratório da Qualcomm no Brasil

laboratorio qualcomm09

Quando pensamos em um laboratório, imediatamente nos vem à cabeça um lugar trancado a sete chaves, onde pessoas com óculos de proteção, jalecos e béqueres fumegantes passam o dia. Imagine qual foi minha surpresa ao ser convidada para conhecer o laboratório da Qualcomm no Brasil e encontrar uma sala pequena com duas bancadas e pessoas “normais” trabalhando nela.

Essa sala fica em um dos vários andares que a Qualcomm ocupa em um prédio na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, em São Paulo. É nele que fica o escritório da empresa, que administra as operações no resto da América do Sul, tanto no suporte aos parceiros e aos consumidores quanto no marketing.

A Qualcomm ajuda, por exemplo, no treinamento de pessoal para os parceiros locais – CCE, Philco, Positivo, entre outras. Também auxilia os mundiais – Samsung, LG, Nokia, etc. – na adequação ao mercado sul-americano e suas demandas.

Conhecida pelos processadores de smartphones e tablets, a Qualcomm atua também em software: a empresa tem uma equipe que dá todo o apoio para desenvolvedores de aplicativos brasileiros criarem apps que farão parte do dia a dia do consumidor final.

Essa é uma das funções do laboratório. Por exemplo, é possível testar os aplicativos em relação ao consumo de energia; se é muito alto, é preciso estudar uma maneira de diminuir isso. Afinal, se um aplicativo detona a bateria do seu celular, você dificilmente ficará com ele instalado e a empresa perde um cliente.

Ligada a um smartphone de referência da Qualcomm, a máquina abaixo permite iniciar o aparelho como se a bateria estivesse conectada e monitora o uso ao longo do tempo em um gráfico que é relativamente fácil de entender. Pelo menos, com alguém explicando. Na imagem, a oscilação mostra como oscila o gasto de energia quando o smartphone está sendo ligado.

laboratorio qualcomm01

Também foram demonstrados alguns dos aplicativos criados com o SDK Vuforia, plataforma de desenvolvimento de apps com realidade aumentada da Qualcomm. Como essa foi a parte mais “palpável” da visita – no laboratório, os engenheiros explicaram de uma maneira simplificada como as coisas funcionam, mas vimos poucas em ação – , foi provavelmente a mais impressionante.

Desde aplicativos que criam jogos em qualquer superfície a capas de revista animadas, o que chamou a atenção aqui foi a precisão nos detalhes, já que a realidade aumentada em si está entre nós há algum tempo. A visão em 360 graus de um carro, com mudanças na iluminação e demonstração da aerodinâmica de acordo com cada velocidade, é muito bem feita.

Voltando ao laboratório, cerca de 12 profissionais trabalham na área de suporte. Nada é fabricado ali. Aliás, nada é fabricado pela Qualcomm; a empresa trabalha no desenvolvimento das tecnologias, mas terceiriza essa etapa para outras fabricantes.

No laboratório de São Paulo, a maioria dos equipamentos funciona na simulação de redes telefônicas; são callboxes. Uma situação de uso que foi exemplificada é no caso de operadoras que experienciem problemas na rede; a Qualcomm tem condições de simular uma no laboratório, um ambiente controlado, e ajudar na investigação.

Outro aparelho que chamou atenção é o que mede a temperatura dos gadgets. Nem tanto pelo uso, mas por vê-lo em ação: na tela de exibição, tudo fica roxo. O celular utilizado para demonstrar fica delimitado pela cor laranja e a localização do processador, que é mais quente, amarelo. E a imagem mostrada muda instantaneamente de acordo com a temperatura do alvo.

laboratorio qualcomm02

laboratorio qualcomm03

Há cerca de um ano em funcionamento, o laboratório da Qualcomm já está pequeno para a sala; a empresa deve ir, em breve, para outro prédio, onde poderá ampliar sua área.

10 Comentários (Deixe o seu!)

  • RamonGonz
    582c

    Muito interessante!!

  • Eu acho a Qualcomm a pior tecnologia do mercado…
    todas as vezes que eu usei algo com a tecnologia Qualcomm tive problemas serios, atualmente tenho um samsung s duos com essa tecnologia e de 3 3m 3 meses eu tenho que trocar a placa principal porque da PT.

    • Bruno Maeda

      Se eu tivesse que trocar a placa do meu celular de três em três meses eu teria trocado de celular. Por que raios não muda em vez de ficar fazendo isso?

    • Por qeu o maldito ainda está na garantia! :(

    • Francisco Bruno Sousa Barroso
      3c

      Sidney Ganho mas ja foi 3 vezes na técnica? A samsung não tende a dar defeitos em produtos!

    • Roberto Ramos

      Pior tecnologia do mercado? Se pergunte então quem que inventou duas versões do CDMA, e quem fornece circuitos integrados a quase todos os eletrônicos que você usa… Cara, sobre esse seu celular aí, não sei se sabes, mas pode pedir o dinheiro de volta.

    • Sidney Ganho E na atual situação já que tentaram consertar 3 vezes e não resolveu, se não me engano são obrigados a te dar outro aparelho.

    • Sydney Ganho acho que vc é que não teve sorte com seu aparelho, tenho um tb e nunca tive problemas

  • Leandro Nascimento
    74c

    Daora!!!

  • Aproveitando , os processadores snapdragon fazem a diferença ou é só marketing ?

Deixar comentário:

Leia | Política de Comentários.