Início » Negócios » De compulsões para enganações coletivas

De compulsões para enganações coletivas

Por
3 anos atrás

Compras coletivas. Já abordei esse assunto espinhoso aqui no Tecnoblog, sob o título “compulsões coletivas”, mostrando que tais serviços nos fazem comprar coisas desnecessárias por impulso.

Quem dera o problema fosse apenas esse. As pessoas estão se conscientizando que tais sites apelam para coisas muito piores: descontos maquiados, restrições (às vezes absurdas) de datas e horários no uso dos cupons, deliberada má qualidade do serviço apenas para clientes desses sites.

Os protestos estão ganhando corpo. Pouco antes de eu publicar este post, recebi um email com um link para um vídeo bem engraçado a respeito:


(Vídeo do YouTube)

Sim, spam e pegadinhas nas promoções já viraram lugar-comum. Contudo, o buraco é mais embaixo. Se vocês gostam de sites de compras coletivas e acham que basta ficar esperto com o regulamento e as letras miúdas, saibam que há irregularidades bem mais sérias.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) fez um levantamento entre os quatro maiores sites de compras coletivas e constatou além de preços maquiados, a venda de dados dos usuários e o desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor. Isso realmente é grave.

Venda de dados

Também já expliquei aqui no Tecnoblog como descobrir se as empresas onde você abre cadastro vendem ou não seus dados pessoais. É uma dica bem simples, o alias de email — que já me permitiu desmascarar dúzias delas, inclusive associações e entidades de classe teoricamente acima de quaisquer suspeitas.

Meu irmão, que é advogado e de postura bastante radical no que concerne à onda do momento, simplesmente boicota todos os sites do gênero. Até me mandou um email bastante raivoso, com um link para uma matéria da Gazeta do Povo, dizendo:

“Eu já falava que essas chongas de sites são tudo golpe. Vejam o primeiro item: TODOS OS SITES VENDEM INFORMAÇÕES / DADOS PESSOAIS! Todos, sem exceção! A-C-O-R-D-E quem ainda acredita nesses sites de compras coletivas! Quem quiser arriscar, feel free.”

Consumidor lesado

Para piorar, os sites contrariam nominalmente o artigo 18 do Código de Defesa do Consumidor, isentando-se de qualquer responsabilidade na mediação das transações entre consumidores e comerciantes. Para isso, colocaram cláusulas contratuais atribuindo a obrigação de reparar eventuais prejuízos apenas aos seus parceiros. O consumidor fica de mãos atadas: se for lesado de alguma maneira, o problema é só dele!

Quando confrontados a respeito das cláusulas ilegais, os sites dão de ombro. Dizem que as regras estão bastante claras em suas páginas.

Alguns bobamente dirão: “Tá certo! É só ler as regras do site, ora bolas!”

NÃO. As tais “regras” são ILEGAIS.

Eu já não era mais cliente de compras coletivas. Depois dessa, não só isso: desaconselho veementemente filiar-se a sites que querem lesar o consumidor de propósito.

Como diz o meu irmão: quem quiser arriscar, feel free… Bastante coerente com a citação que ele usa para assinar todos seus emails: “I don’t jump on the bandwagon, I drive the **cker.

  • http://www.gustavobresolin.com.br bresol

    Está tudo escrito lá, é só ler, o povo tem mania de comprar por impulso e dai quando ve que fez merda reclama do serviço.

    O problema são as pessoas que compram, não o serviço.

    • http://twitter.com/AndresBRx @AndresBRx

      Caro bresol, o problema citado pela Bia Kunze, é exatamente sobre as regras. Elas são ilegais!

      Parabéns pelo post Bia!

    • http://twitter.com/#!/pedro_casttro Pedro

      Colocar diversas restrições nos contratos não isenta a empresa prestadora de serviço de suas obrigações, ainda mais quando as restrições vão contra a lei.

      Por exemplo: é o mesmo que eu falar que vou dar o tiro na sua cabeça. Meu prévio aviso não me isenta de ser julgado por homicídio.

    • http://melhoresimoveis.net Rodrigo Fante

      Tá difícil ler o texto todo né!

      As regras são ILEGAIS, ponto.

    • http://www.viamais.net/blog Petter

      Não existe regra que ultrapasse a lei, em sites de compras coletivas tem empresas aos montes vendendo e não entregando e quando o cliente reclama a empresa de compra coletiva diz um sonoro VIRE-SE.
      Isso é realmente um absurdo, já pensou você comprar, pagar e ser roubado?

  • http://twitter.com/#!/pedro_casttro Pedro

    Assino embaixo!

  • http://www.nabaladadomariobros.com/ @CapJSheridan

    Estava reparando nisso esses dias. É uma pena, porque a ideia em si é boa, criar promoções, incentivar as pessoas a conhecer coisas novas, mas a falta de qualidade e responsabilidade no serviço matou rapidamente o conceito.

    • Aramati_

      Sim. Não entendo porque as regras são ilegais.

      Nem o Peixe escapou dessas?
      A maioria eu entendo, ja vi umas barbaridades, mas o Peixe foi um que parecia prestar :/

      • http://twitter.com/leozacche @leozacche

        Não entende? Vou explicar: É ilegal porque contraria uma lei.

        Ainda não deu?
        Há um conjunto de leis que regula as relações de consumo, ou seja, entre nós, consumidores e fornecedores (se serviços ou de ofertas, de informações). Essas leis proibem que quem me ofereceu o serviço (no caso, o site) se isente de responsabilidade. Se o site pratica isso, é ilegal.

        Mesmo dentro da sua casa, você ainda tem que obedecer às leis deste país, não pode fabricar as suas próprias.

    • Kowalski

      Sou desconfiado dessas promoções na Internet. Jamais comprei por esses sites…

  • http://blog.danilowm.com/ Danilo Iannone

    Tomem cuidado, comprei um relogio e até hoje não recebi, a culpa não é do ClickOn onde eu comprei o cupom e sim do Apetrexo que não tem porte e nem estrutura para atender aos pedidos, segue um link com inúmeras reclamações:

    https://www.facebook.com/event.php?eid=128742470561416

    • Anderson S. Lima

      Muito legal usar a área de eventos do Facebook pra fazer uma reclamação ^^.

  • http://twitter.com/diegomfelipe @diegomfelipe

    O vídeo estava show até descobrir que era um viral de outro site de compra coletiva.
    #fail

    • Maicon

      Diego, se você acessar o site ou fanpage da empresa citada no vídeo ( http://www.plingo.com.br) , verá que eles não são compras coletivas porque eles são contra o setor. O vídeo está bombando nas redes sociais.

  • http://7megas.wordpress.com/ 7megas

    Sempre achei esse lance de compra coletiva a maior furada…

  • http://twitter.com/Anjinha_Carol @Anjinha_Carol

    O que tenho reparado tbm é o falso desconto… Eles elevam o preço original e colocam o desconto para achar que vc tá fazendo um ótimo negocio, o que na verdade nem é promoção mas o preço original da coisa… =/ Eu sou consumidora de compras coletivas mas apenas qdo a empresa 3ª é de confiança, o site da compra é conhecido e eu sei que o preço ali mostrado vale a pena mesmo…

    • keeg

      Tenho o mesmo pensamento. Mas sobre a venda dos dados, acho que não há quem escape.

    • http://www.viamais.net/blog Petter

      Já notei um caso de uma empresa que vende computadores e telefones, que anunciou um kit de desktop + roteador que era mais caro se eu comprasse diretamente pela loja, tirando o fato de que pelo site de compra coletiva a entrega iria demorar 40 dias e direto com a loja apenas 10 dias.
      Coisa estranha.

  • Pierre

    Usei site de compras coletivas apenas uma vez.
    Comprei um apartamento, dando apenas 150 reais de entrada \o/
    E pelo menos pra isso não tive nenhum tipo de problema.

  • Felipe

    Ok, não generalizem.

    Trabalhei por um ano em um desses sites. Entrei quase na fundação. E tenho certeza que os dados pessoais dos clientes de onde trabalhei não eram vendidos/cedidos/compartilhados. Pelos deuses, eu era responsável por eles. Quando muito, compartilhávamos características gerais da base (X % de mulheres, Y% de homens, Z% compraram 3 vezes…), mas nunca dados da PESSOA, a não ser nos raríssimos casos de a justiça pedir (acusações de fraudes e tudo o mais).

    Desculpe, mas dizer ‘“Eu já falava que essas chongas de sites são tudo golpe. Vejam o primeiro item: TODOS OS SITES VENDEM INFORMAÇÕES / DADOS PESSOAIS! ‘ é um generalismo burro. Na própria Gazeta do Povo está escrito “O Idec encontrou uma série de irregularidades nos sites de compras coletivas; veja algumas delas:”, o que não diz que todos os sites tem esses problemas: jogada jornalística.

    Há problemas? Há, com certeza, e com todo mundo. Mas nem todo mundo tem os mesmos problemas, e nem todo mundo responde a eles do mesmo jeito.

    • http://twitter.com/leozacche @leozacche

      Pois eu tenho como provar que Groupon, Groupalia e Peixe Urbano compram e vendem dados de usuários — porque aconteceu comigo.

      Não sei onde você trabalhou, tomara que não seja em um desses. Por que se foi, ou você mente, ou levou bola nas costas.

      • Felipe

        Não, não foi em nenhum desses :)
        E, no meu caso, se dados foram vendidos, foi pelas minhas costas, o que tornaria um caso de sacanagem de uma pessoa, e e não posição da empresa (sim, ainda seria sacanagem, ainda seria culpa da empresa, mas seria outro tipo de crime)

      • http://www.garotasemfio.com.br/ Bia Kunze

        “TODOS” vendem, no artigo da Gazeta do Povo linkado no post, se refere aos 4 maiores sites do gênero no país, que foram avaliados pelo Idec.

  • Rodrigo

    O problema é que as pessoas perderam o senso crítico, e são movidas pela propaganda, direta ou indireta. Sites de compras coletivas viraram matéria de capa nas principais revistas (não só de tecnologia), e isso autorizou todos os ingênuos a achar que realmente podiam comprar um Home-Theater de última geração por apenas R$ 300,00, ou um carro pela metade do preço, como já me deparei. Mesmo que o home-theater não tivesse nem a especificação do fabricante, em uma loja desconhecida, e que a oferta do carro fosse apenas de UMA unidade, obviamente vendida alguns segundos após ir ao ar.
    A justiça tenta proteger. Mas o consumidor tem que deixar de ser burro também. Não é porque uma revista de tecnologia de grande circulação (que tem a maioria das matérias pagas) disse que vale a pena, que nós vamos fechar os olhos e clicar no carrinho de compras. Vamos analisar antes de comprar.

    • http://twitter.com/leozacche @leozacche

      O consumidor bem que pode ser menos ingênuo sim. Mas o fato de ser não dá o direito às empresas de violarem leis. E, na minha opinião, ESTE SIM, é o problema.

  • ricardo

    Essas “modinhas” que surgem de tempos em tempos têm características próprias. Em um primeiro momento ocorre uma enxurrada de adesões e as pessoas acham que aquilo é a maior maravilha do mundo. Depois, rapidamente todos descobrem que na verdade a coisa não era tão boa quanto parecia, e ocorre uma debandada de usuários. E então a moda acaba e dá lugar à próxima “maravilha” inventada por outro espertalhão. Resumindo, o que cresce muito rápido também cai muito rápido. Isso se encaixa a uma gama enorme de coisas, desde grupos de pagode até compras coletivas.

  • http://www.ricardodentista.com.br Ricardo FP

    Minha experiência com esse tipo de site:
    - Porção e chope em um restaurante de Ribeirão Preto: Fui descaradamente deixado de lado.
    - Lavada no carro: Mal feita.

    Outra experiência que gostaria de relatar foi algo que aconteceu com um amigo, comprou viagem pra França, chegou lá não tinha transfer, não tinha hotel, teve que pagar tudo na hora, à vista.

    • http://twitter.com/nandobang @nandobang

      Me aconteceu algo parecido em Gramado / RS. Comprei um cupom para uma casa de massas. Os garçons e o próprio gerente nos olhavam como se estivessemos pedindo esmola.

    • http://www.algodificil.com Loko

      Certa vez comprei uma pizza de uma pizzaria delivery que eu já era cliente, a decepção foi grande, pois eu já conhecia o produto e quando fui lá e comprei utilizando o cupom vi que a pizza era só massa, sem nada de recheio.
      Daí vender pela metade do preço fica fácil.

      • http://www.garotasemfio.com.br/ Bia Kunze

        Tá de sacanagem… que horror!

  • http://twitter.com/AntonioVeras @AntonioVeras

    Eu sempre aprendo com o erro dos outros. Por isso nunca cai numa dessas.

    Mas a dica da @Anjinha_Carol é muito boa.

  • http://twitter.com/advogato @advogato

    Esse texto até estava indo muito bem, sendo bem argumentado e bem redigido, mas quando chegou nessa parte: “Meu irmão, que é advogado”, parei de ler, e vim aqui para comentar: por favor, não faça mais este tipo de “consideração”; por acaso isto acrescenta algo? Se seu irmão fosse lixeiro (trabalho igualmente digno) isso daria mais valor ao seu texto? Então, por que, seu irmão, que é advogado, daria? Luiz Paretto morreu por esta causa e vc não aprendeu? Abraços.

    • ricardo

      Só para dar mais uma alfinetada: em geral, a opinião de um advogado não deve ser levada em conta, uma vez que este foi treinado para se vender. O mesmo advogado pode estar ao lado do site de compras coletivas ou ao lado do consumidor, depende de quem o contratou.

      Por isso, apesar de eu concordar com as ideias do texto, foi realmente desnecessária essa citação do advogado.

      • Kowalski

        Deve ser porquê a Bia quer mostrar que é da classe média alta de Curitiba… ;)

      • Rodrigo

        Realmente, fez parecer que, fora os advogados, ninguém mais é digno de emitir uma opinião fundamentada… :-)

      • http://www.garotasemfio.com.br/ Bia Kunze

        …ou porque ele está a par de ações no juizado especial de clientes lesados por esses sites, inclusive por causa da venda de dados pessoas para terceiros. Não pararam pra pensar nisso?

  • RClemente

    Acredito que alguns dos maiores players desse mercado não tenham necessidade de vender os dados de seus usuários. Além do faturamento altíssimo, isso seria alimentar a concorrência, caso a venda fosse para outros negócios do mesmo nicho.
    Agora, tem muito sitezim de compra coletiva chinfrim, que só de olhar o alerta “bom senso” já dispara.
    Algumas pessoas ainda não tem muita noção e não levam certos aspectos da web muito a sério. Isso é fato e um perigo pra elas mesmas.

  • http://twitter.com/rogerio0991 @rogerio0991

    Vc é de curitiba, Bia?

    • Kowalski

      Sim, ela é. Também é usuária de MacBook, iPhone e vive em bairro da elite curitibana. ;)

      • http://www.garotasemfio.com.br/ Bia Kunze

        Não, não moro. E o que tem a ver com compras coletivas?

  • http://www.melhortvlcd.com.br Marcelo

    Isso é pro povo deixar de ser bobo e querer levar vantagem em tudo!

  • http://www.matsubainfo.com MaTSuBa

    Saber ler as regras da compra, e entender bem oque ta querendo dizer lá… É igual já falaram… Têm que saber ver os preços… Sempre marco algum produto em meus favoritos… e o preço… apareceu em algum site de Compras Coletivas, eu compro.. Mas muita das vezes o preço fica pareado… =)

  • Vinicius

    Artigo criticando compras coletivas e com link para o viral do Pliggo?
    Ai tem……

    • http://about.me/thassius Thássius Veloso

      Não, não tem.

      • Kowalski

        Nosso poeta tecnológico Thas foi curto e grosso nessa… :D :P

    • Paulo Bala

      Realmente, não tem, velhinho…. Pensa por uns dois segundos antes de postar bobagens…

  • SANDRA

    vejam o absurdo
    Com aproximadamente 5 anos de experiência em importação de produtos eletrônicos, nos do Compra Moderna, lançamos em parceria com o ClickOn a oferta de um Tablet PC de 10 polegadas, antes do lançamento da oferta foi feita a negociação dos produtos com uma fábrica chinesa através de uma trade.
    Durante o processo de fabricação dos produtos houve constantes atrasos no prazo para entrega por parte da fábrica, ao término da fabricação os produtos foram dividos em lotes e enviados para o Brasil, e apenas alguns lotes desembarcaram aqui no país. Fizemos o rastreamento dos demais e localizamos os lotes presos na alfândega norte americana, a empresa responsável pelo transporte a UPS informou que não sabia o motivo da apreensão, entramos em contato com fiscais aduaneiros daquele país, e nos foi informado que alguns componentes seriam falsificados e que a mercadoria ficaria presa até a conclusão do processo judicial. Entremos em contato com o fabricante e informamos o ocorrido e descobrimos a verdadeira índole daqueles, que em busca de aumentarem seus lucros colocaram componentes falsificados em alguns produtos, os lotes que chegaram que eram com poucas quantidades estavam todos perfeitamente como o negociado, com todas as certificações verdadeiras e componentes corretos sem nenhuma falsificação.
    No momento estamos tomando todas as medidas judiciais cabíveis tanto para a liberação dos lotes que foram apreendidos, como também processo contra a fábrica.

    Informamos aos clientes que não receberam o código para rastreio de seu produto, que entre em contato com o ClickOn pelo sac@clickon.com.br para ressarcimento do valor pago através de estorno no cartão de crédito ou em forma de crédito para futuras compras no clickon. No contato com o clickon, através do seu e-mail cadastrado para esta oferta, informe sua opção de cancelamento, seu nome e código de cupom.
    A equipe do Compra Moderna senti muitíssimo por todo o transtorno gerado por essa serie de atraso e tablets não entregues.
    Equipe Compra Moderna
    MINHA RESPOSTA
    a compra moderna
    infelizmente, essa informação não procede, mais uma vez ressalto que esta empresa não denota nada mais além do quer ser uma embusteria, pois qdo que algum fiscal alfandegário abre qualquer que seja o produto, assim, diante do texto enviado-me não justifica, pois qdo qualquer produto exceto a abertura da caixa, ou seja comno foi descrito que houve encontro de produtos falsificados, nãoooooooooooo, procede, pois qdo abre-se perde-se a garantia, isso não passa de mais uma balela, entretanto ressalto que bravatas, são de propriedade da compra moderna.
    tenho contatos no local citado
    quero receber de volta qual o numero de guarda de todos os lotes apreemdidos, e SIC, abertos, isso segundo a lei americana é improdutivo, ilegal, e nada covém com a lei aduaneira.
    portanto quero saber e é meu direito saber sim qual o numero do processo, de todos os equipamentos apreendidos.
    para ressaltar quero deixar bem claro que qualquer equipamento seja de qual marca for não veem discriminado em nota fiscal quais ou qual marca”s” dos componentes internos devem ter.
    isso não passa de uma informação para leigos pou puro idiotas.
    sou letrada, e tenho noção do que digo.portanto não adianta enrolar-me mais uma vez.ressalto novamente enqto eu não ver o site fora do ar, não irei sossegar.diante disso, relembro-s que todas as medidas cabíveis, sejam judiciais, morais e financeiras ja estão em andamento
    portanto o “s) srs deverão vender inclusive as cuecas para poderem pagar todas as custas judiciais qdo esta terminar, não interessa o tempo que levar, mas com correção juros de mora , monetários correrão, quem sabe assim vc antes de uma propaganda enganosa pensarão 10 vezes antes de faze-lo.prestem bem a a atenção em minha solicitação, seria muito melhor que me fosse passado o referido número.
    http://www.reclameaqui.com.br/1952101/compra-moderna/tablet-preso-em-alfandega-americana-por-pecas-falcificadas-s/

    • leo

      Olha Sandra, numa boa… Até acho que você tem razão na sua reclamação, mas tá brabo entender o que você tá falando!

      Cuspir palavras difíceis (“embusteria”, “bravata”) não é suficiente para te caracterizar como “letrada”. E eu nem tô falando dos erros de gramática ou ortografia (“comno”, “apreemdidos”, “enviado-me”, “veem”), todos perdoáveis. O que pega mesmo é que quase todas as suas frases não fazem sentido ou parecem não estar terminadas.

  • http://mestredossites.com.br/2011/11/seo-7-erros-que-voce-nao-deve-cometer-em-seu-site/ Almy
    • http://www.garotasemfio.com.br/ Bia Kunze

      Afundando??? Mas eles estão faturando horrores!

  • http://www.x4ids.com.br Daniel

    Nunca usei compra coletiva. Obrigado pela matéria, muito esclarecedora.

  • Victor

    Acho que um dos casos mais emblemáticos dos problemas com compras coletivas é o caso do Caldeirão de Ofertas. Mais de 4000 pessoas compraram Xbox com Kinect e ainda não receberam seus produtos. Já adiaram por algumas vezes a entregam e os consumidores sõ informados da mudança quando chega perto de vencer este prazo.
    Abr

  • http://twitter.com/eduardoportas @eduardoportas

    Tenho uma opinião bem definida em relação ao assunto. Bons produtos/serviços custam dinheiro. Comprar em sites de compras coletivas achando que vai ter a mesma qualidade é que nem comprar no Mercado Livre um produto que custa um terço do valor habitual…

  • Della Motta

    Lá fora, estão falando que o Groupon será a nova Enron:
    http://moneymorning.com/2012/04/10/is-groupon-nasdaq-grpn-the-next-enron/

Tecnocast

|

Faça seu login no Tecnoblog

Crie a sua conta

Esqueci minha senha