Ir para o conteúdo.

Início » Lei e Ordem Nacional » Buscapé compra briga com o Google no Ministério da Justiça

O Grupo Buscapé entrou nessa semana com uma representação contra o Google junto ao Ministério da Justiça. A companhia, especializada em ferramentas de comparação de preços na web e e-commerce, acusa o gigante de Mountain View de favorecer páginas próprias em buscas relacionadas a produtos.

Nesse ano o Google estreou no país com certa discrição a ferramenta de Shopping. Com ela, o internauta fica sabendo os preços de um determinado produto em diversas lojas, podendo decidir em qual delas vai comprar. O Google Shopping ainda traz resumos do que o produto faz, tornando a vida do consumidor muito mais fácil.

Busca por "lavadora brastemp" no Google Shopping

Qualquer internauta mais vivido sabe que é o tipo de ferramenta que o Buscapé desenvolve faz muito tempo. Além do site Buscapé, o grupo detém o BondFaro e outras ferramentas similares. São líderes de mercado, concentrando 31% do tráfego de acessos de acordo com dados levantados pela comScore e divulgados pelo jornal O Estado de S. Paulo.

O VP de Comparison Shopping do Buscapé, Rodrigo Borer, me explicou que a empresa vem observando o avanço do Google como companhia que oferece conteúdo em vez de direcionar o usuário para páginas do tipo. Ao tomar tal atitude, o Google se utiliza da posição dominante no mercado de busca (ainda mais em termos de Brasil, onde detém mais de 90% de market share) para privilegiar os próprios produtos e serviços.

Na representação apresentada à Secretaria de Direito Econômico (SDE), o Buscapé reclama de dois pontos em especial: a posição elevada de páginas do Google Shopping em resultados de busca para produtos e a forma como esses resultados, gerados pelo Google, são apresentados. Borer afirma que, depois de um extenso levantamento, o Buscapé chegou à conclusão de que o rankeamento das páginas do Shopping não é justa. Em diversas pesquisas, a ferramenta do Google falha em trazer informações mínimas que o consumidor tem o direito de saber antes de efetuar sua compra.

Por exemplo, o Google Shopping não oferece avaliação para as lojas que apresentam suas ofertas. A quantidade de avaliações de usuários também é pequena, enquanto concorrentes têm um banco de dados amplo de reviews de internautas. O Buscapé afirma ainda que o Google Shopping nem sempre informa o valor mais baixo disponível no mercado para um item pesquisado. O VP do Buscapé aponta também para a falta de ficha técnica completa e de um número maior de lojas parceiras do Shopping para exibição de ofertas. Por esses motivos, a ferramenta do Google seria inferior a concorrentes estabelecidos no mercado, de acordo com Borer.

Busca por "mp4 player

O Buscapé também reclama da forma como o Google Shopping se apresenta para o internauta. Na busca por “mp4 player” feita por mim, repare que o resultado do Buscapé aparece numa posição superior à do Google Shopping. Entretanto, o site do Google apresenta imagem do produto pesquisado. Segundo Borer, a presença da imagem naturalmente atrai mais cliques dos usuários, fazendo com que a ferramenta do Google novamente esteja numa posição privilegiada frente aos rivais.

“Somados os instrumentos de posição privilegiada e exibição diferenciada de ofertas, para nós demonstra claramente o uso de artifício para promover uma ferramenta interna e cercear a concorrência”, diz Borer.

Questionado se houve alguma tentativa de diálogo com o Google Brasil antes de iniciar o litígio jurídico, o VP de Comparison Shopping afirma que o Buscapé preferiu recorrer diretamente à Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça. “Várias empresas passaram por isso no mundo, com o mesmo tipo de favorecimento para produtos do Google. Em nenhum caso houve possibilidade de negociar previamente com o Google.” Borer completa dizendo que o assunto não deve ser resolvido no âmbito privado porque o Buscapé poderia se beneficiar, mas outros concorrentes continuariam sofrendo concorrência desleal do gigante da web.

Mesma lavadora no site Buscapé: preço mais em conta

Em última hipótese, o Buscapé pede que o algoritmo do Google para indexação e rankeamento de páginas seja aberto, de modo que empresas concorrentes possam se adequar ao que o buscador requer para posicionar um resultado em suas buscas. No entanto, Borer salienta que o pedido do Grupo Buscapé é simples: isonomia no tratamento que o buscador confere a todas as páginas e empresas de internet, sem beneficiar seus próprios produtos – ainda mais quando são falhos frente ao que a concorrência oferece, de acordo com o executivo.

Casos como esse não são raros. O chamado “Googlepólio” vem sendo questionado em diversas instâncias e em diversos países. Nos Estados Unidos, o chairman da empresa, Eric Schmidt, teve que se apresentar ao Senado americano para prestar esclarecimentos. Por diversas vezes o governo americano sinalizou, por meio de suas agências, que observa as condutas do buscador na internet.

O Buscapé sabia que o Google Shopping iria estrear no Brasil. Borer diz que o Buscapé se preparou para a chegada de mais um concorrente, mas que só isso não basta porque não há formas de driblar o privilégio que, de acordo com ele, o Google confere a suas propriedades na rede. O executivo cita o YouTube, que também aparece acima de outros resultados nas buscas no Google. Com isso, empresas como a brasileira Videolog sofrem para aparecer e receber cliques naquela que é a porta de entrada de muitos usuários para a internet.

“Achamos muito curioso que o Google Panda e o Google Shopping tenham chegado no mesmo ano”, diz Borer. A atualização no algoritmo, segundo o executivo, prioriza páginas com conteúdo de qualidade, embora não esteja claro o que o Google considera como qualidade. Não por acaso, o Google investe em conteúdo próprio, a fim de se sobressair na atualização que ele mesmo lança para o algoritmo de busca.

A representação que o Buscapé protocolou junto à SDE está sob sigilo a pedido da própria empresa, visto que certas informações em seu levantamento não devem vir a público – como a queda na receita do Buscapé após a chegada do Google Shopping, fato que Borer confirmou sem citar números, mas diz que resultou em “queda significativa”. Atendendo a uma requisição da SDE, o Buscapé também protocolou uma representação pública, a qual a empresa por enquanto não divulga porque deverá ser publicada pela própria secretaria.

Procurado por mim, o Google Brasil informou que não recebeu qualquer notificação sobre o assunto e que, portanto, não tem o que comentar. O representante do Google que me respondeu sugeriu entrar nessa página para saber sobre o funcionamento do Google Shopping, sem confirmar nem negar se o Google por padrão dá tratamento especial ao Google Shopping em resultados de busca.

Atualização às 17h31 – O título do artigo mencionava erroneamente o Ministério Público. A representação do Buscapé foi apresentada ao Ministério da Justiça.

125 Comentários (Deixe o seu!)

  • Julio Cesar Sá 
    7c

    Tenho medo do Google….:p

  • E o “don’t be evil” fica cada vez mais para tras.

  • RKNeto
    338c

    Isso pra mim parece birra do buscapé.

    • Na verdade, não se você levar em conta o end-user.

      Meus pais, por exemplo, quando querem pesquisar preços na internet, eles simplesmente procuram o nome do produto no google e clicam no link do buscapé, não por gostarem do buscapé, e sim por estar ali. Numa dessas o google joga o resultado dos outros buscadores de ofertas pro fim da página ou para outras páginas e end-users como meus pais não vão sair procurando o buscapé: eles vão no primeiro que aparecer.

      Sou um grande fã do Google e, de fato, concordo que isso vai facilitar a vida de muita gente, mas é prejudicial ao livre comércio, uma vez que por mais que o buscapé ou outro se esforce pra ser melhor, ele nunca vai ter a integração com o buscador que o Google tem.

      • O Google é a porta de entrada da internet para muita gente. O Buscapé não quer perder sua posição de destaque nos resultados de busca justamente por isso. E eles acreditam ter argumentos bastante consistentes e provas de que o Google Shopping não oferece uma experiência de comparação de preços melhor que a deles e a de outros concorrentes.

        • fabiano ☺
          189c

          Então por que esquentar a cabeça homem?

          • Yangm
            1c

            Então por que esquentar a cabeça, homem?

          • Turdin
            3346c

            Pois em geral as pessoas chegam neles através do google

        • Então o Google não deve privilegiar seus serviços? Ta achando ruim, tire seu anúncio do Google. Coloca lá no Bing. Buscapé ta querendo(pelo menos na minha visão) algo sem sentido algum.

          • @leozacche
            412c

            Não é bem assim. O Google não precisaria dar tratamento igual aos concorrentes de outro serviço seu *SE* não concentrasse a maioria esmagadora do mercado de pesquisas. Mas como concentra, privilegiar um serviço seu (bom ou ruim) em detrimento dos concorrentes é sim uma prática comercial abusiva previsa (não lembro se pelo CADE ou pela SDE, fico devendo a fonte, ok?), e o Buscapé tem o direito de pleitear.

            Sem contar que eles ensaiaram um discurso bonitão, dizendo que não querem nem mesmo que o próprio Buscape seja privilegiado, apenas tratamento igual à todos os concorrentes.

            • Guilherme macedo
              876c

              Então quando eu pesquisar por Samsung Galaxy S2 e aparecer o 1º link o site das Americanas é porque o Google manipulou? O PontoFrio vai poder processar o Google por dar mais relevância as Americanas? Desse jeito é melhor fechar o Google.

            • Vitor
              362c

              Guilherme Macedo, acho que você não entendeu. O Google não pode privilegiar um produto próprio, e a Americanas, não foi privilegiada, ela recebe mais visitas, por isto está na frente. É igual a Microsoft: você acha que o Internet Explorer foi o navegador mais utilizado porque? Por ser o melhor é que não foi! A Microsoft simplesmente enfiava o seu próprio navegador no Windows e as pessoas não se importavam em mudar.

    • Concordo…. mimimi!
      E quando o buscapé da destaque para o Ponto Frio (exemplo) na lista de resultados pq eles tão pagando? Pow… o google tá certo!

      Buscapé, faça um buscador e coloque seus resultados lá em cima!

  • Manhê, olha ele :(

    hahahaha!

    • Luiz

      hahahahahahahahahahahahhaa

    • fabiano ☺
      189c

      kkkkkkkkkkk entrou no perfil do Buscapé!

  • Vinicius Kinas
    1099c

    Levando o lema “Don’t be evil” ao pé da letra, só que ao contrário. :P

  • Rodrigo Soncin
    423c

    GOOGLE!!! Você não dominará o mundo sem resistência!!!
    E se você estiver lendo isso… (complete com o clichê de sempre…).

    • @mos_axz
      1069c

      Se eu estiver lendo isso eu tranformo energia eletrica em calor? #tundunts

  • Não querendo defender o Google, mas, como empresa, eles fazem o que quiserem, inclusive colocar o serviço deles no topo da busca, não? É igual o Facebook reclamar que tem o +me como primeiro item da barra do Google.
    Eu hein.
    Pra mim é birra.

    • Claudio H.
      541c

      Concordo plenamente, até onde eu sei o Google não assinou nenhum termo garantindo a integridade dos resultados das buscas feitas com a ferramenta deles, ninguem é obrigado a usar o buscador Google, existem diversos outros no mercado, usa quem quer.

      E o algoritimo de busca é deles, se eles quiserem fazer a rebecca black aparecer dançando na tela quando se faz uma pesquisa por “Bing” eles podem, o site é deles quem não gostar que mude a URL do navegador.

    • Empresa não é um ser supremo. Ela não pode fazer o que quiser. Empresa tem sua função social, ou seja, tem que respeitar os princípios da sociedade e a legislação, que restringe pra proteger o interesse coletivo. E é de interesse coletivo que não haja abuso de poder de mercado. Google usando sua posição pra fazer o que está fazendo fomenta o desequilíbrio que afeta a todos.

      • JX91

        Quem quer usa quem não quer não usa, internet é livre, é o Google está fazendo o que acha ser o melhor, por que ele é obrigado a ajudar os adversários?, quem não quer usar vai lá usar Bing e Yahoo! como buscador e pra compras vai no BondFaro e UolShopping, já que são bons não é? Aqui tem cada empresa chorona, quebra os direitos do consumidor é quando outra empresa vem pra disputar usa o discurso de que a outra que não pensa no consumidor, ah vá pra …..!

        • A legislação restritiva é justamente pra tonar a internet livre, pra manutenção da livre escolha e pra benefício do mercado e do consumidor. Uma empresa tem sua função social e por isso não pode fazer o que bem entenda, até, em casos estremos, é obrigada sim a ajudar os concorrentes. Entenda tua isso num contexto, onde o interesse coletivo é o objetivo primário, não o privado.
          Se uma empresa líder usa seu poder de mercado pra dominar outro mercado há um desequilíbrio que pode prejudicar o interesse coletivo, o mercado, a livre escolha. É por isso que se está discutindo na justiça as possibilidades.

          • Ivanildo Terceiro

            Deixa eu ver se eu entendi. Você quer OBRIGAR uma empresa a fazer algo, em nome da liberdade ?

            Não está óbvio que a Buscapé está com um choro de perdedor, e quer impedir a livre concorrência no seu setor ?

            Ora a Google não obriga ninguém a usar os seus serviços, se a população os usa é porque os acha melhor.

            • Igor

              O Guilherme Macedo explicou e REexpicou, mas tem gente que parece fazer “vistas grossas” para entender. Releia o que o Guilherme disse pra ver se dessa vez vocês entendem:

              “Empresa não é um ser supremo. Ela não pode fazer o que quiser. Empresa tem sua função social, ou seja, tem que respeitar os princípios da sociedade e a legislação, que restringe pra proteger o interesse coletivo…”

              JX91 disse: “Quem quer usa quem não quer não usa, internet é livre, é o Google está fazendo o que acha ser o melhor, por que ele é obrigado a ajudar os adversários?”

              Ele não é obrigado a ajudar os adversários, mas também não pode favorecer a si mesmo em detrimento dos demais (concorrência desleal), principalmente quando detém cerca de 90% do mercado de buscas no Brasil. E o que ele faz é exatamente isso quando coloca imagens apenas em seus resultados, etc..

              Pessoas que não entendem nada da legislação sobre o assunto postando comentários de verdadeiros “leigos”. Todos tem o direito de comentar, mas quando não se sabe (quase) nada a respeito acho melhor não perder tempo com comentários que acabam levando outros leitores – que não entendem (quase) nada do assunto – a pensarem erroneamente igual.

              Ninguém é obrigado a usar o Google e para usá-lo deve-se concordar com os seus Termos de uso. Da mesma forma o Google não é obrigado a prestar seus serviços no Brasil, e pra fazê-lo deve concordar/respeitar as Leis brasileiras, que, obviamente, são superiores aos Termos de uso do Google e qualquer outra empresa.

    • Edison
      20c

      Se algum dia eu criar um buscador e ele se tornar o maior buscador da Web e ficar famoso eu não poderia utilizar como bem entender? Entendo que algumas partes da reclamação até faz sentido… outras não.

      • Denis
        841c

        Ué, mais se a Microsoft coloca o Internet Explorer no Windows todos ficam de mimimi, ué o produto não é dela ? Ela não pode fazer o que bem entender ? Vocês comprar o Windows pq vcs quererem. A mais meu PC veio com Windows… Vai na loja e peça se dinheiro de volta e remova o Windows do seu pc, a mais precisa ser um gênio pra saber disso, mesma coisa do Google, ninguém quer saber se é Buscapé ou o diabo, eles querem achar o produto e comprar sem +.

    • Na verdade não, uma empresa dominante em um setor não pode usar essa dominância para crescer em outro setor, quer dizer, até pode, mas existe um certo controle nisso, é como o caso da Microsoft ter que dar opção ao usuários ao instalar o Windows na Europa, ela é líder em S.O. e acharam que estava se aproveitando disso para dominar outro mercado e pediram para mudar, mas como era a Microsoft, aí era malvada, agora com o Google, é normal, empresa tem direito a isso.

    • Tudo bem. É porque não é a sua empresa que está sofrendo concorrência desleal. O Google tá forçando muito a barra com esse Shopping que é muito inferior ao Buscapé, Bondfaro e Cia. em qualidade.

      É o mesmo caso da Microsoft lançar o sistema dela com Internet Explorer. E os outros usuários que não sabem nem o que é navegador? Quando eles vão se dar conta que tem um Firefox ou um Chrome da vida? Na Europa, isso deu problema, mas no Brasil não porque não são produtos brasileiros. Que eles resolvam os problemas deles na lei dos países deles.

      Neste caso, trata-se de uma empresa nacional de grande porte sendo lesada por uma estrangeira. Isso sim é grave.

      • Se a porcaria do Shopping é inferior ao Buscapé, então, porque M&%$#*@ o Buscapé ta com medo. Ninguém é obrigado a usar o Google e nem a clickar em nenhum dos resultados que ele apresenta. usa o Shopping quem quer.

        • @leozacche
          412c

          Porque, apesar de ser pior (palavras do Buscapé, não minhas!) o GShopping aparece em mais destaque, e isso vai fazer com que mais usuários cliquem nele, e não no Buscapé.

          Sim repeti o que tá no artigo, mas vc perguntou… ;-)

          • Guilherme macedo
            876c

            Eu não sei você, mas se um serviço é ruim eu não uso ele. Pode ser do papa, se for ruim eu num to nem ai. Por isso volto a perguntar. Se a porcaria do Shopping é inferior ao Buscapé, então, porque M&%$#*@ o Buscapé ta com medo? Se o Shopping for ruim, pra mim ele pode aparecer dourado na página inicial do Google e nem por isso eu vou usar ele.

            • Aham. Todo usuário, toda a sociedade vai lá ver qual é o melhor serviço. Ainda mais sendo de comparação de preços. Quando a pessoa clica, ela fica com uma lista de lojas vendendo o produto e esquece que tem outras ferramentas para procurar. Às vezes nem sabe mesmo.

            • Guilherme macedo
              876c

              @LBKatan
              Se a sociedade for burra eu não tenho que ser…

      • Ramon Melo
        2410c

        Na única vez que eu precisei do Google Shopping, ele me ofereceu resultados superiores ao do Buscapé e do Bondfaro.

        Não custa lembrar que o Google Shopping não retorna resultados de qualquer loja online, ao contrário do Buscapé, que permite que qualquer golpista faça um cadastro por lá. Assim é fácil oferecer preços mais baixos mesmo, colocando importadores ilegais e estelionatários no meio das pesquisas.

        • Acho que é pra isso que serve rank e etc.

          • Ramon Melo
            2410c

            Jura? E o Submarino e a Casa&Vídeo, que não estão cadastrados no e-bit? Vou simplesmente excluí-los da lista, mesmo que eles ofereçam o menor preço?

  • Buscapé com medo do gigante? Cada um trabalha como pode, agora o Buscapé querer o google faça como ela queiram é fogo.

  • Marcelo
    148c

    Concordo que o monopólio do Google está cada vez mais visível em relação ao rankeamento e resultados de pesquisa, a parte que o Borer fala sobre os resultados do YouTube,”O executivo cita o YouTube, que também aparece acima de outros resultados nas buscas no Google”, me atrai bastente atenção, e na realidade é isso mesmo que ocorre quando vc busca algum video no google, dificilmente um link para o youtube não estará no topo da busca, o mesmo serve para o Bing da microsoft em relação aos seus produtos estarem no topo quando algum termo relacionado é pesquisado, se o nome disto não é monopólio, por favor atualizem o dicionario.

    • Jonathas

      Aí é que está. Até que ponto é favorecimento e até que ponto é acerto de busca (o que o usuário quer).

      Será que quando procuro por videos, não é natural que o maior site de streaming de videos do mundo apareça nos primeiros lugares?

      Se você for pensar na forma de construção do algoritmo, é até mais lógico você dar um “boost” no resultado do Youtube porque provavelmente ele vai ser mais relevante.

      • @leozacche
        412c

        O argumento do Buscapé vai exatamente nesse ponto:
        - O Buscapé tem mais conteúdo;
        - O Buscapé tem mais opiniões de usuários;
        - O Buscapé tem muito mais tempo, mais histórico, é muito mais comentado na internet inteira;

        Não há como defender que o conteúdo do GShopping seja (hoje) mais relevante para o usuário. Por isso, não deveria aparecer na frente, nem em mais destaque (fotos, por exemplo).

        • Jonathas

          Mas o Google Shopping é um serviço diferente da busca? Se eu coloco no Google 2 + 2 ele vai me responder que é quatro (resultado da minha busca). Se eu coloco sin(x) ele vai me apresentar um gráfico. Se eu pergunto o tempo em brasília, ele me dá o tempo. Se eu pergunto o preço de um produto, ele me dá o preço do produto. Ele não está apresentando o resultado da busca que eu queria?

          A grande questão é que o Buscapé é busca de nicho, enquanto que o Google tem uma busca generalista. Se o buscapé é melhor (e eu acho que é), os usuários vão continuar usando-o. Só não vejo porque “favorecer” uma busca de nicho – em última análise um concorrente meu – no meu produto.

          Pegue o exemplo da procura por “mp4 player” exemplificada no artigo. O Resultado do Buscapé está lá, na medida que seu conteúdo é relevante. O google colocou um destaque para um resultado de um produto seu – que também é relevante, diga-se. Assim como acontece com o adwords, que coloca um quadro com destaque no primeiro resultado. Não enxergo, com os dados disponibilizados, nenhuma conduta desleal do Google no caso concreto.

          é óbvio e ululante que a entrada de um outro player nesse mercado VAI afetar o Buscapé. Se o cara tinha 95% do mercado e entra um concorrente de peso, ele vai passar a ter 50 ou 60…

          O que não dá é querer manter o monopólio da busca de nicho dele…

          Veja por exemplo a NET, que oferta tv por assinatura. É errado ela colocar propaganda dos serviços de banda larga e telefone dela durante a programação?

    • Se você não concorda com os resultados da sua pesquisa, então usa o Yahoo. Pera ai né. O Google agora tem que botar os resultados do Shopping no fim da página só porque o Buscapé acha injusto. Pera ai.

      • Denis
        841c

        Ninguém está dizendo isso, estamos dizendo que o Google não pode manipular os resultados pra ele. É a mesma coisa da Microsoft permitir você usar o Internet Explorer, você até poderia instalar outros navegadores, porém você teria que ser um expert. Isso não é manipulação ?

        • Guilherme macedo
          876c

          Mas para você usar o Buscapé em vez do Shopping, você não precisa invadir os servidores do Google. Basta rola a página e pronto. Essa comparação que você fez não é convincente.

          • Você invade os servidores da Microsoft pra instalar o Firefox ou o Chrome? hahahaha Noob. Eu faço isso sem invadir servidor nenhum. =D

            • Guilherme macedo
              876c

              Eu estou falando justamente isso… Por isso acho que essa apelação do Buscapé é desespero.

  • BMonteiro

    Bom, achei meio estranho essa acusação. O Google, querendo ou não, manda nas buscas, se eles quiserem só mostrar resultados deles, é opção deles. Afinal, pagamos algo pelas buscas?

    Se isso vai desvalorizar as páginas do Buscapé, eles que corram atrás do prejuizo e se virem para trazer algo mais interessante do que as facilidades que os serviços Google trazem, vence quem for o melhor. Quem disse que o Google é perfeito? Veja o caso dos inumeros projetos deles que hoje em dia foram esquecidos.

    • @leozacche
      412c

      O Google não cobra a pesquisa de quem faz a pesquisa… mas alguém paga essa conta. E o Google não é ONG, filantropia, empresa sem fins lucrativos. Por mais que o serviço não te custe nada (mas custa algo a outra pessoa), ainda é um serviço. E está sujeito a regras. E nesse caso, o Google não pode mandar e desmandar.

  • Marlon Tolksdorf

    Com um nome assim, por mim pode falir. Nunca clico em links do buscapé só por causa desse nome tosco. “BUSCAPÉ”. Ah vá!!!

    • jaisoncarvalho

      Bonito é Google, uma grafia errada de Googol

  • eles perderam visitantes/page views… mas não foi para o Shopping UOL?

  • Marcelo
    148c

    @IvanBretas, o +You na barra do Google não tem relação ao que um usuário ira buscar e resultar em uma pesquisa, e sobre “eles fazem o que quiserem” se tratando de uma empresa Global, a mesma tem que respeitar e dar espaço aos concorrentes, se fosse pensar deste modo teríamos mais de um canal da Globo na TV , só pq ela quis.

    • Não é bem assim, seu exemplo foi meio falho. Só existe 1 canal da globo na TV aberta porque há um espectro de frequência disponível pra emissoras de televisão, e ela só possui um, porque aí sim seria desleal dar mais de um a uma emissora, em detrimento de outras. A Internet, no entanto, é um lugar livre de restrições desse tipo.

      • @leozacche
        412c

        Só um pequeno ajuste, se me permite:

        A Globo até poderia ter mais um canal — alguns canais a cabo fazem isso. Só dependeria do Ministério das Comunicações autorizar, o que não é fácil, mas não é nenhum absurdo.

        A Globo não faz isso, mas não é porque seria desleal. Não faz porque ela iria competir com ela mesma e assim abre espaço para a concorrência. Só por isso.

        • Na verdade, a legislação brasileira proíbe que uma emissora tenha outra geradora na mesma cidade (por exemplo, a Globo ter o canal 4 e o canal 6 no Rio de Janeiro). Já no México, isso é permitido, onde a Televisa tem 4 canais diferentes.

    • Na verdade a transmissão digital brasileira previa mais de um canal, só que as emissoras não aderiram.

      • na verdade, previa (e prevê, para os canais públicos e dos Três Poderes) subcanais digitais (o canal de sempre no canal principal, outros serviços nos subcanais).

        nos EUA, muitas emissoras usam subcanais para exibir programação complementar (por exemplo, informações do tempo e do trânsito, redes digitais com programação mais antiga, de nicho) ou suplementares (como a programação de uma outra rede de TV em mercados menores – por exemplo, a programação da CW em regiões onde ela estava disponível apenas via cabo).

    • Seu exemplo foi falho porque você não vê comercial do na Globo dizendo para assistirem o SBT. A mesma coisa é o Google. Porque ele daria preferência ao Buscapé em vez do Shopping?

  • Govoni

    Meio complicado isso, eu entendo perfeitamente a reclamação do Buscapé, porém de outro lado, a Google se está onde está é por mérito e o buscador da mesma não é uma ferramenta obrigatória a ninguém, usa-se quem quiser. Acho que nada mais normal, querer que seu produto apareça com privilégios em relação aos demais, uma vez que o buscador é da Google.

    Se formos refletir a respeito, quem se aproveita da ferramenta é o Buscapé que recebe visitas através do buscador do Google. E se ela quer aparecer no topo, faça como todos os outros. #adsense

    Um exemplo, se o Google resolver acabar com o buscador. A Buscapé iria reclamar com a Google porque perdeu visitantes?

    • @mos_axz
      1069c

      Levantou uma questão interessante: Quem paga pela propaganda está lesando seus concorrentes? De certa forma sim, mas é isso que é a ideia da concorrência: Tentar se dar bem em cima dos outros.

  • @mos_axz
    1069c

    É um assunto meio dificil. Por um lado é óbvio que o google dá prioridade aos seus serviços, mas por outro lado, Ele está usando dos meios que tem para aumentar a visualização de seus produtos. Não consigo formar uma opinião de quem está correto e quem está errado.

  • Smess
    177c

    Acesso mais Zura para buscar produtos.

  • Leandro Camilo

    Cara, duvido que esse cara do Buscapé não dá preferencia a oferecer um produto/serviço a um cliente dele que seja dele ou que dê mais lucro a ele. Qualquer empresa vai fazer isso. O Google é um serviço, você tem opção de usá-lo ou não. Além disso se você desenvolve um produto ou serviço, você faz da forma que for mais lucrativo, afinal qual o objetivo principal de uma empresa? Ou o Google é uma organização sem fins lucrativos?

    • Eu perguntei ao Rodrigo Borer se não seria normal, já que eu lanço uma ferramenta, considerá-la superior às demais e imediatamente já posicioná-la bem em meus canais de divulgação. O VP respondeu que sim, é mais do que normal. O problema, de acordo com ele, é que o Google Shopping não é a melhor ferramenta de comparação de preços existente no mercado. Caso fosse, não haveria em figurar entre os primeiros resultados. Ele afirma que o Buscapé fez um extenso levantamento, entregue ao Ministério da Justiça, mostrando ponto por ponto onde estão as falhas do Google Shopping que não permitem que a ferramenta seja considerada a melhor do mercado.

      • Modern Warfare

        Então eu, que trabalho com sites e tal, quando vejo algum site com conteúdo pior que o meu na frente, posso entrar na Justiça porque o Google não está cumprindo os deveres do Panda?
        Ah gente, para. O algoritmo erra também, não é um site perfeito e democrático.
        Eu acho que isso aí foi uma medida de urgência que o Buscapé precisou tomar vendo tantos acessos caírem.

        Aliás, Buscapé este que está acusando o Google, mas não tem um passado muito belo, né? Vocês podem ter esquecido, mas até pouco tempo o programa de afiliados do Buscapé (antes de ser Lomadee) pagava R$0,25 por click (se fosse ao site do anunciante após a comparação) por meio de links. Links estes que fizeram o Buscapé suuuuubir nas buscas com um link building massacrante. O problema dessa história? Atrasos no pagamento, corrupção dos resultados (mais acessos e menos ganhos) e muita gente era banida 3 dias antes do pagamento.

        • Apenas para esclarecer: estou relatando o caso somente. Eu mesmo não tenho opinião formada sobre o assunto.

        • jaisoncarvalho

          Haha, pra defender o google vale até dizer que o algoritimo de busca é falho ? :)

          • Guilherme macedo
            876c

            E existe algorítimo perfeito?

  • Marcelo
    148c

    @ClaudioH <- , olha como ele pensa Arnaldo! , pode isso ?

  • Qual seria o problema (legal) se o google resolvesse banir o buscapé e outros concorrentes, em detrimento do sucesso do seu novo produto? Existe agora a obrigação de um site possuir links para outros sites? O Google é uma empresa privada, não um Estado financiado por impostos.

    • E empresas privadas são regidas por uma regulamentação e leis, não podem fazer o que bem entendem, uma empresa dominante está sempre sob vigilância do estado para que não abuse da posição de dominância em um setor para crescer em outros e engolir o mercado.

      • fabiano ☺
        189c

        Dessa eu não sabia. Onde diz isso? #amelhorcoisaquelihoje kkkkkkkk

        • Nas leis que você provavelmente não leu e por isso nunca denuncia nada, assim fica com a impressão de que não existem.

          • fabiano ☺
            189c

            Veja no rodapé dos resultados: http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=Notebook+magazine+luiza&oq=Notebook+magazine+luiza&aq=f&aqi=g3&aql=&gs_sm=e&gs_upl=6091l7712l0l7853l14l11l0l7l7l1l296l738l2.0.2l4l0

            O Google está procurando adequar os resultados das empresas parceiras… como ocorre com a Amazon. Não é algo que vá prejudicar os consumidores, muito menos as empresas que prestam serviços semelhantes. Quem não tem potencial, busca refúgio nestas acusações sem cabimento algum.

            Veja os serviços americano price grabber; nextag: não tem este privilégio, e nem por isso foi na porta do Google causar essa choradeira ridícula. Mas, em fim, brasileiro é brasileiro.

            • Não tem potencial? me desculpe mas o sistema do buscapé é muito melhor que o do Google, pode perder no longo prazo? talvez, mas hoje não tem comparação.

              E me desculpe, buscar os direitos em casos de perda de dinheiro não é exclusividade de brasileiro, pelo contrário, somos é demais acomodados, se fossemos mais ativos as coisas aqui seriam melhores.

              Mas aqui até quem reclama seus direito vira alvo e se torna chato. É, esse é o Brasil.

            • @Rodrigo Fante
              Novamente eu pergunto. Se o serviço do Google é ruim, qual o medo? É a mesma coisa que o Facebook processar o Google por quando alguém procurar “Rede Social” aparecer o Google+. Se o Buscapé ta com medo é porque o serviço dela não é melhor que o do Google. Alguém ai viu a Apple processando a Microsoft porque ela lançou o Zune? Ela processaria, apenas se o Zune fosse superior ao iPod. Vamos parar para pensar um pouco minha gente…

            • @guyilherme, nós sabemos que nem sempre o melhor serviço é o mais utilizado na internet, o Google+ por exemplo, hoje é muito mais amigável e oferece melhores ferramentas que o Facebook, ainda sim não pegou até agora, eu e poucos usamos, redes social é algo que prende o usuário e não é simples migrar para outra, temos amigos, familiares e conhecidos instalados na anterior.

              Já na área de busca de produtos é diferente, eu conheço o buscapé e nem procuro no Google, mas quem não conhece confia(maioria dos usuários) no Google para lhe apresentar uma resposta confiável, se ele manipular isso vai estar manipulando as pessoas ao seu favor.

              O principio do sucesso do Google é justamente esse de confiarmos no que ele apresenta como a melhor opção encontrada, algo que difere dos exemplos dados por aqui, afinal, se eu tenho um supermercado como dito em algum comentário aqui, vendo pizzas sadia, decido fazer as minhas, e as coloco na frente elas ganham destaque, mas quem entra no mercado não é como quem entra no Google que olha 2,3 resultados e vai embora, quem entra no mercado anda o mercado todo, pesquisa preços, olhas as marcas confia e normalmente ignora a pizza da frente e vai na que conhece, pois não está buscando um resultado, está comprando o que já conhece.

            • Guilherme macedo
              876c

              @Rodrigo
              Mas ai já é uma questão que varia de usuário pra usuário. Tem gente que chega no mercado e compra o que tá na frente, e tem gente que pesquisa até não aguentar mais pra poder comprar. A mesma coisa é na parte de buscas. Meu pai com 60 anos (E uns 2 anos de experiência com PC) pesquisa preços de um monte de coisa na net e vasculha as páginas dos resultados do Google até ter certeza do melhor preço, como também tem gente que mal olha a 2ª página.
              Na minha visão o Google não só pode, como deve privilegiar os serviços dela, que na maioria das vezes, são melhores do que os concorrentes. Eu só quero entender o que faz o Buscapé merecer aparecer na frente do Shopping. Porque ai quando eu pesquisar por Samsung Galaxy S2 e aparecer o 1º link o site das Americanas é porque o Google manipulou? O PontoFrio vai poder processar o Google por dar mais relevância as Americanas?

            • Me desculpe, mas no mercado pode até existir alguém que pegue o primeiro produto na frente em um momento de pressa, mas não é comum.

              O comum são 2 perfis de consumidores:

              1. que pesquisa o preço e compra o mais barato, esse não pega o da frente.
              2. que não se importa com preço, paga um pouco mais para levar a marca que gosta.

              Nunca vi ninguém comprar o produto pois estava na porta do mercado, acho a comparação falha nesse sentido.

            • Guilherme macedo
              876c

              @Rodrigo Fante
              Mas se a pessoa estiver sem passiência, ou tempo ela compra onde 1º encontrar.
              Eu só quero entender o que faz o Buscapé merecer aparecer na frente do Shopping SEMPRE. Porque ai quando eu pesquisar por Samsung Galaxy S2 e aparecer o 1º link o site das Americanas é porque o Google manipulou? O PontoFrio vai poder processar o Google por dar mais relevância as Americanas?

            • Agora você já está mudando novamente o rumo da conversa.

              Ninguém disse que ele tem que ficar na frente sempre, na verdade ninguém disse que ele tem que ficar na frente, pessoalmente não acho que deveria ficar nunca.

              Porém, entre ele e o Google Shopping ele é superior, esse é o ponto da discussão.

            • Guilherme macedo
              876c

              Então eu é que não sei o que o Buscapé quer. Pra mim ele queria que os resultados dele ficassem na frente do Google Shopping. Então de acordo com a sua visão o que o Buscapé quer é um certificado de que ele é melhor? Me diga ai qual o objetivo do Buscapé, porque agora eu que não sei mais nada.

            • Me parece bem claro no texto:

              “…companhia, especializada em ferramentas de comparação de preços na web e e-commerce, acusa o gigante de Mountain View de favorecer páginas próprias em buscas relacionadas a produtos.”

            • Guilherme macedo
              876c

              E em um site de buscas, favorecer não seria deixar os resultados do Shopping na frente? 1º você diz que não “Ninguém disse que ele tem que ficar na frente…” e depois fala que é isso que o buscapé quer. Se decide ai mano.

            • Vou tentar ser claro:

              A reclamação do Buscapé é bem clara, ele não pede para ser o primeiro, mas sim reclama do produto do Google, neste caso Google Shopping, estar na frente sendo ele uma ferramenta inferior.

              É simples assim.

              Eles argumentam no documento tecnicamente dos motivos da ferramenta deles ser melhor(de fato é) e portanto mais relevante ao Google Shopping, ou seja, por critérios do próprio Google(pelo menos os critérios oficiais) o mais relevante deveria ficar na frente, não seria o Google Shopping neste caso.

              Neste caso reclamam dos motivos da Google ao deixar algo que é reconhecidamente inferior ao produto deles na frente do resultado de buscas, a reclamação segue dizendo que poderia ser uma manipulação dos resultados da busca para favorecer o produto da casa.

    • O problema é a concorrência desleal, proibida pela legislação brasileira. Concorrer é saudável e faz bem ao desenvolvimento do mercado econômico, porém utilizar de uma posição predominante para mitigar concorrentes é ato predatório. Pelo que entendi o Buscape nao quer que o Google Shopping deixe de existir, mas que atue de forma transparente.

  • Marcelo
    148c

    O problema é que querendo ou não o Google detém quase todo o mercado, o mesmo acaba impondo padrões a sociedade e aos anunciantes, sem que os mesmos tenha alternativas possíveis criando uma particularidade econômica, Para o cidadão comum torna-se de difícil percepção,

  • O buscador do Google e o Shopping sao ferramentas separadas. Quando coloca os resultados do seu produto acima de outros mais completos, o Google abusa do poder e prejudica os usuarios.

    É como o Windows e o Internet Explorer. Quem diz que “qual o problema se o Google sumir com o Buscape das buscas?” será que pensa o mesmo em relaçao a possibilidade da MS proibir a instalaçao do Firefox?

  • Geovanni Alvares

    Como o próprio texto diz, isso não é só no Brasil. É em todo mundo. Concordo plenamente com o amigo ali de cima (Vinicius Kinas) “Levando o lema ‘Don’t be evil’ ao pé da letra, só que ao contrário”.

  • Eu concordo com o Buscapé nessa. Embora sejam hipócritas e não reclamavam quando o monopólio abusivo era o deles, ainda sim é errado o Google usar desse poder que tem nas buscas para enfiar goela abaixo os demais serviços de conteúdo deles.

    • O problema não é se gigante, é vender uma coisa e entregar outra. Ele vende que a busca é intocável, que quem ordena é o algoritmo. A partir do momento que começaram a meter a mão nisso por interesses comerciais, quem garante que já não faziam antes?

      • Concordo plenamente, não estou do lado do Google nessa, acho que é errado o que fizeram, até porque concordo com o texto, a ferramenta do Buscapé é muito melhor que a do Google, não tem motivo para estar atrás nas buscas.

      • Então o protesto é pra colocar um asterisco no fim da descrição do algoritmo do tipo
        * Pode ser assim ou não, depende do que a gente quiser, mas não estou nem aí, porque você não paga pra fazer buscas, não é mesmo?

        Ou o problema está relacionado a leis anti-monopólio? (Não vi essa abordagem na notícia) Eu duvido muito que alguém consiga mover uma palha se baseando em legislação comercial anti-monopólio aqui no Brasil pra esse tipo de coisa.

        • Você não paga, mas gera uma renda bilionária indiretamente.

        • E não é a mesma coisa?

          É o site mais acessado do mundo, a porta de entrada da internet para MUITA gente. Muitas empresas dependem do Google para viver. Muitas empresas ficam gigantescas por causa do Google e podem sumir do dia para a noite se ele banir dos resultados.

          Sites de conteúdo americanos mandaram vários funcionários embora depois que foram atingidos pelo Panda. Estamos falando de vidas, famílias que ficaram sem dinheiro no fim do mês.

          Grandes poderes, grandes responsabilidades. Se o Google vai usar seu poder nas buscas para se beneficiar acima de tudo (independente da qualidade do produto), então que deixe isso explícito. Assim os usuários migram para outros sistemas e todas as empresas ganham.

          • Perfeito, o grande trunfo do Google é a suposta confiabilidade de que o representado apresentado é o melhor possível sem manipulações, se ocorrerem alterações que não apresentam o usuário o melhor resultado de forma proposital, porque usar esta ferramenta?

          • Thiago, nós estamos falando de mercado. Isso é capitalismo, estado democrático de Direito. Impera a autonomia privada até que o Estado intervenha com uma lei que previamente estabeleça o contrário. Essa atitude do Buscapé em “buscar o Ministro da Justiça” é com que intenção?

            Que competência o Ministério da Justiça tem pra regular a internet? Afinal, se há crime você deve denunciar para a polícia cometente (civil ou federal) ou ao Ministério Público (Promotor ou Procurador), não é isso mesmo? Em alguns casos muito específicos certas ações precisam ser aprovadas por conselhos específicos (como foi o caso da aquisição que ia formar Nestlè+Garoto).

            Tudo bem que o google é imenso, mas onde é que está escrito que ele tem a obrigação de manter essas empresas que você diz no topo da lista de buscas dele? Onde está a autonomia privada aí? A disputa por mercado é isso aí, o sucesso de uma empresa vai exigir, muitas vezes, a aniquilação total de outra empresa. Onde está escrito que o Google precisa manter no topo o melhor dentre vários serviços, e não o serviço que pagar mais para ele? Ou melhor, por que não botar ele no topo?

            Vamos supor que sou dono de um super mercado e tenho 100 filiais. Eu vendo pizza perdigão, aí eu resolvo fazer minha própria pizza porque eu tenho o material praticamente de graça. Eu vou colocar a minha pizza na frente, na prateleira, e mais, só vou manter a perdigão no estoque enquanto isso for interessante para mim. E nem por isso a Perdigão vai choramingar pro Ministério da Justiça.

            Eu concordo com você que a dimensão de poder que o Google projeta num futuro não muito distante é perigosa, mas isso aí é outro assunto, e não vai ser com mimimi de gente que está perdendo dinheiro que isso vai parar de acontecer. É necessária uma legislação específica pra regular esse novo mundo.

            • “É necessária uma legislação específica pra regular esse novo mundo.”

              Acho que aí você falou tudo.

              O exemplo das pizzas foi muito interessante. Acho que o caso do Google é um pouco (muito) maior, mas tem um certo sentido.

              Só esclarecendo, em nenhum momento afirmei isso “onde é que está escrito que ele tem a obrigação de manter essas empresas que você diz no topo da lista de buscas dele”. Ele não tem obrigação de manter ninguém no topo ou lá embaixo.

              Acho que ele tem a obrigação (com os usuários) de seguir as regras que criou. Regras que vendem o produto para o usuário (neste caso, a que diz que os resultados de busca não são influenciados por eles).

            • O principio do sucesso do Google é justamente esse de confiarmos no que ele apresenta como a melhor opção encontrada, algo que difere dos exemplos dados por aqui, afinal, se eu tenho um supermercado como dito em algum comentário aqui, vendo pizzas sadia, decido fazer as minhas, e as coloco na frente elas ganham destaque, mas quem entra no mercado não é como quem entra no Google que olha 2,3 resultados e vai embora, quem entra no mercado anda o mercado todo, pesquisa preços, olhas as marcas confia e normalmente ignora a pizza da frente e vai na que conhece, pois não está buscando um resultado, está comprando o que já conhece.

      • Então vamos todos para o Yahoo. Ninguém obriga ninguém a usar o Google como motor de busca.

    • jaisoncarvalho

      A Grande questão é que a sociedade não pode esperar que as empresas se auto-regulem, todas as empresas sem excessão tem o interesse de extrapolarem os limites legais, porque obviamente, isto em muitos casos resulta em maior lucro.
      Cabe ao estado fiscalizar e até, diante de reclamações das concorrentes executar ações que restrinjam o poder quando a linha legal é ultrapassada.

      Sem contar que esse argumento da hipocrisia é meio um ad hominem aplicado à empresas (não que o ad hominem seja absolutamente ruim, mas na maioria dos casos é).

      Esse lance todo levanta outra discussão, cabe ao Google “rankear” melhor links pagos ?

  • Pra mim, é o mesmo que dizer que o Google privilegia o AdWords e AdSense nas buscas… O BuscaPé não poderia esperar outra coisa google, e se deram mal nisso…

  • fabiano ☺
    189c

    E dai? O Google está dentro do seu direito de priorizar os resultados de seus produtos, como faz com o Google+ em comparação com outras redes sociais. De quem é o serviço afinal?

    Aliás, sua busca por “mp4 player” colocou o Buscapé acima dos resultados do Google shopping, não está bom? Pra mim isso é medo do Buscapé perder terreno no Brasil para este serviço do Google, inclusive a empresa não deve estar nem ai pra isso.

    Quem conhece o Sitelinks do Google, sabe que ele destaca os links mais revelantes dos sites de acordo com as visitas e pagerank. Ou seja, se assim for, blogueiros e sites iniciantes devem entrar na justiça para também destacar esses links. Não há argumentos para o caso! Perda de tempo.

    • Assim como a Microsoft estaria no direito de por exemplo dificultar instalação de outros navegadores no seu sistema operacional?

      • fabiano ☺
        189c

        Hey, os resultados do Buscapé estão bem colocados no Google (não há dificuldade nisso), não tem o que chorar… isso não é uma tentativa de antitruste.

        A Microsoft levou um processo da UE durante quase 10 anos por causa do IE, imagina o Google (além disso, este provavelmente não seria o único).

  • É só o começo, depois de processos e bom senso ela fará um serviço de busca de melhores preço melhor. Enquanto isso Buscapé > Google Shopping, FÁCIL.

  • Buscapé não tem moral pra nada mesmo…

    Vc mal abre o site, já tem pop under de site duvidoso

    No próprio site, que era pra ser de comparação de preço, já tem propaganda direta de sites e ou produtos (com preço acima da media), site duvidoso como empresa “recomendada”, e dependendo do destaque comprado, aparece no topo da listagem da pesquisa, mesmo sendo site ruim.

    E claro, qd vc procura as empresas, não aparece mais a nota que o publico deu pra mesma…
    Se querem reclamar ou fazer mimimi a toa, que façam um site de comparação de preço digno !

  • vinnicius
    124c

    Essa choradeira toda do BuscaPé é porque eles sabem que o site é ruim, cheio de propagandas e não é confiável. Se todos os sites de comparação de preços fossem comprar a briga com o Google…

    BuscaPé não confia no seu próprio taco, sabe que o Google Shopping é mais limpo, direto ao ponto e mesmo com alguns bugs possui uma navegação bem melhor que a do BuscaPé.

    Mimimi sem motivo, só pra ganhar algum destaque. Ridículo.

  • Vinicius Kinas
    1099c

    Enquanto na minha utopia de livre mercado o Google é completamente livre para fazer isso – privilegiar seus resultados sempre que desejasse – isso vai contra o lema da empresa, e é uma afronta à declaração deles de que o serviço de busca é imparcial (se fosse nos patrocinados como o Gmail na pesquisa por ‘email’, tudo bem, mas é no resultado ‘real’ da pesquisa).

    Mas, no mundo regulamentado que vivemos hoje, uma empresa com domínio tão grande no setor de pesquisas na internet – setor que eles mesmos inovaram – não pode se dar ao luxo de fazer o que bem entender com esse sistema, afinal, o serviço já foi incorporado pela sociedade, e agora, como parte dela, precisa obedecer leis e costumes.

    • Alexandre

      Até concordo com isso, pois é melhor para todos nós uma concorrência mais justa.

      Só não acho que o pessoal do buscapé seja tão santo assim, pois eles sempre fizeram a maior festa no site deles e até colocando outros sites abrindo junto com as pesquisas.

      Anúncio é o que nunca faltou no site do buscapé, principalmente tentando confundir as pesquisas normais.

      A última empresa que tem moral pra reclamar desse tipo de coisa é o Buscapé…

  • Yangm
    1c

    Um buscador querendo mandar em outro buscador?
    Pode isso, Arnaldo?

  • Outro Leitor
    86c

    mimimi…. o do Google tá melhor… mimimi…. o do Google funciona… mimimi… nós ferramos o nosso… mimimi… vamos processar o Google por ser competentes… mimimi…

  • Juan Ruas

    Como assim? o Buscapé está brigando por um produto do Google???

    Se eu vendo Roupa, é claro que na minha loja as minhas roupas estariam em melhor destaque!

    Cada uma viu!

  • TatoGomes
    447c

    Pra mim é simples: O site de busca é do Google, o site de comparação de preços é do Google. Porque eles mostrariam o resultado do “concorrente” primeiro?

    O Google é a porta de entrada de muitos na internet? Méritos dele, oras.

  • Alexandre

    Mas quando a gente fazia qualquer pesquisa no buscapé aparecia uma outra tela em paralelo do quebarato ou algo parecido. Eu não queria o site QueBarato, queria buscapé. Vou abrir processo contra eles também por isso?

    E os anúncios que aparecem no meio das pesquisas feitas no Buscapé? Pesquise lá cafeteira e eles colocam na terceira linha anúncios de ar-condicionado de uma determinada empresa. Quem vende cafeteira não deveria reclamar também?

    O Buscapé sempre fez o maior carnaval no site deles e agora estão reclamando porque o modelo de negócio deles não evoluiu nada e tá ficando pra trás?

    E esse negócio de abrir o algoritmo de busca do Google? Esse Rodrigo Borer é um fanfarrão mesmo…

  • Alex

    Então se a gente pesquisar no Google “Piloto de Fórmula 1″ tem que aparecer o site do Schumacher em primeiro lugar? O Schumacher deve processar o Google?

    Eu também tenho um site há mais de 10 anos sobre um assunto em especial e possui muitos acessos. Nas buscas sobre esse assunto sempre aparece um outro site em primeiro, muito tradicional e conhecido, mas que não trata disso, tem apenas uma pequena matéria antiga por lá.
    Então também devo processar o Google?

    E a Rede Globo? Quando alguém pesquisa sobre TV Aberta Brasileira e não aparece o site da Rede Globo acima das outras ela deve processar o Google também?

    Isso abriria um caminho terrível para chover processos diariamente no Google, independente se está certo ou não, o que em pouco tempo acabaria com o serviço e qualquer liberdade na internet.

  • Gabriela

    Acho que o Buscapé exagerou. Ok, ele é o mais conhecido, não quer dizer o melhor. Sinceramente, evito usá-lo, pois da última vez, tentando comprar um HD externo, ele me indicou sites realmente duvidosos, com preços baixíssimos. No fim das contas, comprei num desses sites de informática confiáveis e paguei um pouco mais. E não foi por ELE que eu achei, foi direto do Google.
    Agora, vem cá: Eles já não aparecem no topo? Então, pronto! Agora, eles querem aparecer no TOPO, ter IMAGENS… Querem setinhas de neon apontando também?
    Realmente, o Google não pode fazer o que quer. Agora, a Wikipedia aparecia no topo dos resultados, houve mimimi e, quando quero pesquisar algo NELA, eu vou direto para o site, porque raramente aparece nas primeiras do google.
    E se o sistema do google é tão ruim assim (nunca usei), por que usar? O buscapé aparece primeiro, não é? Mimimi demais pro meu gosto!

  • Theus
    273c

    Bobagem. O Google possui o serviço (tanto de busca quanto o Shopping) e, “priorizar” pra mim é normal. Estranho seria aparecer um Yahoo! Shopping (nem sei se tem).

  • Almy Fróes
    126c

    Como disse o Flavio raimundo…. no lugar da Google, o buscapé faria diferente?

  • Bruno Guerreiro
    41c

    O Google vai resolver isso logo…
    Google, compre o Buscapé! lol

  • O Buscapé investiu demais na integração da sua plataforma com o algoritmo do Google e de menos na formatação de uma comunidade que cresça a partir de si própria.

    A única saída é ser superior como serviço, até que o Google Shopping (ou qualquer outro) mingue e saia de cena.

    É impossível para o Google não usar de seu poder para amplificar sua gama de serviços e isso, eventualmente, esbarra em sub-produtos agregados ao seu principal produto, tal qual o Buscapé.

    Há uma grande diferença entre chamar o criador daquilo que literalmente “monta” o seu serviço de monopolista; e superá-lo onde ele não tem qualquer força. Nesse caso, no hábito de uso de uma comunidade de usuários que reforça o serviço.

    O Google indexa. O usuário escolhe.
    O Buscapé sempre focou sua infra na indexação do Google a seu favor.

    Agora que o Google horizontalizou e eles não tem uma base sustentável de usuários fiel (sendo que o seu serviço baseia-se na oferta de conteúdo indexado… pelo Google), vão querer choramingar monopólio? Ma va fa…

    O Buscapé está brigando pela (utilização indiscriminada/compartilhada) de uma tecnologia que não lhe pertence, mas sim que é integrada à de outrem. Enquanto deveria era construir uma base sólida de usuários que dão forma ao seu produto/serviço e realmente os protegem de concorrentes (presentes/futuros, diretos/indiretos).

    Estou chorando porque ficaram se borrando de medo de ficar no sereno, agora que descobrirão que entre coding e usuário, a escolha “deveria ser” óbvia o bastante. E brigando assim, com este foco/direção, perderão.

    Certa, rápida e dolorosamente.

  • É galera do Buscapé, melhor começar a mandar currículos por aí…

  • ac
    1c

    Passei a usar o Google Shopping depois que li este post, ele é bacana, não é tão ruim como o Buscapé afirma.

Deixar comentário:

Leia | Política de Comentários.