Bing

Bing é o segundo maior site de busca da Internet. Foi lançado em junho de 2009 pela Microsoft para substituir o Live Search. Todos os dias uma nova imagem de fundo é exibida na home do buscador, geralmente fotos com paisagens ou animais. Para comemorar determinados eventos, como o dia do lançamento do Windows 8 Consumer Preview, a Microsoft pode utilizar vídeos como plano de fundo para navegadores com suporte aos recursos do HTML5.

Azul do Live Search vs. Azul do Bing (#0044CC).

Azul do Live Search vs. Azul do Bing (#0033CC).

Fazer com que um produto seja aceitado pode ser muito complicado. Os ramos de administração e marketing tentam responder esse problema, e recentemente a pesquisa do comportamento do consumidor tem se intensificado, a fim de que mais seja vendido com maior facilidade.

Questões éticas à parte, o que importa é que a Microsoft conseguiu que sua plataforma de busca aumentasse as receitas em US$ 80 milhões. Como? Simplesmente mudando o azul que é apresentado nos resultados da busca, de uma tonalidade mais clara para outra um pouco mais escura.

O aumento na receita aconteceu desde que o Live Search deu lugar ao Bing como ferramenta oficial de buscas da empresa de Bill Gates. A versão antiga tinha links num azul mais claro e menos vivo. Já a versão atual apela para um azul que chega bem próximo daquele utilizado – há séculos, diga-se de passagem – pelo Google, sendo mais escuro e com maior contraste.

[via Business Insider, Beyond Binary]

O Yahoo já foi maior

Dados da empresa de pesquisa ComScore mostram que, apesar dos esforços da Microsoft, o Bing tem feito pouco para ameaçar a soberania do Google no concorrido mercado das buscas pela rede. Pelo contrário, o grande prejudicado com sua presença tem sido seu amigo de fé e irmão camarada Yahoo, que assiste seus usuários lentamente irem embora.

Os números mostram que no último mês de fevereiro a participação do Google nas buscas foi de “apenas” 65,4% (-0,1% em relação a janeiro), contra 16,8% (-0,2%) do Yahoo e 11,5% (+0,2) do Bing.

Leia mais:

Apesar de parecerem variações modestas, os dados ficam mais claros quando comparados com os dos ano passado: em fevereiro de 2009 o Google tinha 63,3% do bolo, contra 20,6% do Yahoo e 8,2% do MSN – o Bing só foi lançado em julho de 2009.

Bom lembrar que no começo deste ano a Microsoft e o Yahoo selaram um acordo de cooperação em que o Bing passaria a dar vida ao sistema de buscas de seu parceiro, que por sua vez se limitaria a selar acordos comerciais.

Na semana passada foram feitas as apresentações do TED, evento no qual pensadores importantes (e outros nem tanto assim) expõem suas ideias sobre tecnologia, design, meio ambiente e entretenimento, entre outros assuntos. Blaise Agüera y Arcas, arquiteto da Microsoft que trabalha no desenvolvimento do Bing Maps, foi um dos convidados. Ele apresentou fascinantes implementações que o serviço de mapas da MS pode ganhar em breve, incluindo a tão falada realidade aumentada.

Confira no vídeo abaixo.

A partir dos 02 minutos e 20 segundos, Arcas demonstra uma nova tecnologia que permite que o usuário “voe” até uma determinada localidade e movimente a câmera de forma bastante suave, diminuindo a diferença de iluminação e qualidade entre as diversas imagens que compõem as vistas panorâmicas em 360º. A equipe do Bing Maps trabalhou em parceria com o Flickr numa integração entre o serviço de mapas da Microsoft e as fotos publicadas no Flickr que contêm informações de localização geográfica. Assim, o Bing sobrepõe fotos de usuários do Flickr sobre panorâmicas feitas por carros desenhados com a finalidade de fazer esse tipo de captura.

Aparentemente o Bing Maps também vai poder mostrar imagens feitas não por carros como o do Street View, que são limitadas às ruas e vias das cidades, mas também de ambientes internos, por meio de uma mochila que promete fazer essa digitalização. Em 04:00, Arcas começa a demonstrar essa tecnologia, que ainda vai permitir transmissão de vídeos em tempo real (através da rede 4G). Conforme o operador da câmera se movimentava, o espaço no mapa a partir de onde o vídeo era gerado se movimentava junto. A impressão que se tem é de estar andando junto com o cameraman.

Imagens feitas por telescópio também poderão ser vistas por meio do Bing Maps. Ao olhar para cima em uma vista panorâmica, o usuário vai encontrar informações sobre constelações e demais dados astrológicos específicos daquela posição geográfica na qual se encontra.

Ainda não há informações sobre quando esses novos recursos estarão disponíveis para usuários. Por enquanto, somente a integração com Flickr pode ser visualizada, e apenas para as cidades de Seattle e San Francisco, nos Estados Unidos, e Vancouver, no Canadá.

[Com informações: Neowin]

Agências regulamentadoras dos Estados Unidos e Europa deram luz verde para o acordo que permitirá que o algoritmo do Microsoft Bing passe a dar vida ao sistema de busca do Yahoo, que por sua vez será responsável pela venda de espaços publicitários e de propagandas contextuais presentes nas páginas das duas empresas.

“Essa parceria permitirá que nossos clientes e usuários tenham experiências online cada vez mais relevantes”, afirmou a CEO da ex-gigante das buscas Carol Bartz, enquanto Steve Ballmer, presidente da Microsoft, diz que “a união permitirá que as duas companhias ofereçam melhores escolhas e inovação para seus consumidores e anunciantes”, em dois exemplos clássicos de frases que na realidade foram escritas por suas respectivas assessorias de imprensa.

Por hora o único sinal de tal inovação é o site SearchAlliance.com, que tem apenas notícias a respeito da tal fusão.

César Alierta: Telefônica em ação para que não usem sua rede

César Alierta, presidente mundial da Telefônica, afirmou durante uma conferência que sua companhia pretende começar a enviar faturas ao Google, Bing, Yahoo e outros mecanismos de busca pelo uso indevido de sua estrutura para indexar conteúdo da web.

“Os mecanismos de busca costumam usar nossa rede sem pagar nada, o que é bom pra eles e ruim para a gente. Obviamente que essa situação precisa mudar”, afirmou durante um evento empresarial organizado pela empresa Price Walterhouse Coopers. Para o executivo, as empresas que têm lucros com a web precisam dividir seus rendimentos com as operadoras responsáveis pela infra-estrutura da internet.

Especialistas apontam a possibilidade dos sistemas de busca simplesmente serem bloqueados caso de recusem a pagar o pedágio que pode ser imposto pelos espanhóis.

Atualmente operando em 25 países, incluindo o Brasil, a Telefônica é uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo, com aproximadamente 270 milhões de usuários em sua base de clientes. Suas estratégias de crescimento são voltadas sobretudo para Europa e América Latina. [EITB]

Jobs e Gates, juntos até na TV

Rivais de longa data, a história da Apple e da Microsoft já se cruzaram diversas vezes, e, aparentemente, o mesmo deve acontecer mais uma vez em breve.

Businessweek reporta que a próxima versão do iPhone OS – que, quem sabe, pode ser uma das novidades a serem apresentadas no misterioso evento do próximo dia 27 – poderá contar com o Bing como sistema de busca padrão no lugar do Google, mudança convenientemente promovida depois que a gigante da web começou a ampliar suas fronteiras de atuação.

Antiga aliada da empresa da maçã, o Google começou a ser visto como uma possível ameaça lá para os lados de Cupertino quando lançou a plataforma Android para bater de frente com o iPhone, e começou a incomodar a Microsoft depois do anúncio do Chrome OS, um teórico rival para o Windows no rentável mercado dos computadores de baixo custo.

Na prática, a mudança pouco mudará a vida do usuário do aparelho, já que, se ele quiser, poderá selecionar o Google como buscador padrão novamente. Em todo caso, nenhuma palavra foi dita a respeito da integração do smartphone com o Google Maps.

bing-iphoneA Microsoft acaba de lançar o Bing para iPhone. O aplicativo é bastante completo e além da busca – por voz e texto – inclui também o serviço de mapas do Bing e outras buscas específicas como imagens, filmes e notícias. Também, marca registrada do Bing, o fundo de tela do aplicativo apresenta pelo menos uma imagem bonita.

O Bing já existe para outras plataformas como o Windows Mobile e Blackberry. Também possui sua versão web mobile. Interessante sair um app para o iPhone da Apple, uma das grande “inimigas” da Microsoft.

Gostei da parte de configurações que permite escolher o sistema de medidas que você usar (métrico ou imperial), marcar o nível de segurança dos resultados de busca (moderado, restrito ou desligado para conteúdo ligado a sexo, por exemplo) e a opção de apagar o histórico de busca.

Ambas hoje (Apple e Microsoft) na verdade são mais “inimigas” do Google do que entre elas mesmo. E é sempre ótimo contar com alternativas ao Google Maps – por enquanto a busca do Google é insubstituível – que esse app do Bing oferece.

Este aplicativo não é o primeiro da gigante de Redmond para o iPhone. O primeiro foi o Seadragon, aplicativo para fotos. Também lançaram o Tag Reader e outros aplicativos menores. Como disse, o grande inimigo de ambas hoje é o Google. [Cnet]

bingDurante o início da madrugada de hoje (04) aqui no Brasil o Bing, mecanismo de busca da Microsoft, apresentou problemas de acesso e ficou for do ar para alguns ou dava resultados incompletos de busca para outros. O problema durou cerca de 45 minutos e foi reestabelecido ao redor da 1:00 da manhã de Brasília.

Em nota a Microsoft explicou que o problema foi causado por uma mudança na configuração do sistema em testes internos e pediu desculpas pelo ocorrido. Usou também o Twitter para manter seus usuários informados.

Esse problema aconteceu um dia após o Bing lançar algumas melhorias na sua busca, mais especificamente no serviço de mapas. Mas não é só o Bing que sofre com “outages“. O Google neste ano registrou alguns episódios graves de serviço indisponível o que causou grande furor por toda a web. [Cnet]

bing-maps-streetside

O Bing, mecanismo de busca da Microsoft que quer desbancar o Google, lançou uma nova versão do Bing Maps e incluiu no pacote o Streetside, similar ao concorrente Streetview do Google Maps. Ambos mostram fotos no nível da rua de várias cidades. O da gigante de Redmond, por enquanto, restringe-se às principais cidades dos EUA. O Bing Maps com Streetside está em beta e é necessário Silverlight para usá-lo. Se você não tem Silverlight ou não se importa com o Streetside, pode acessar o Bing Maps normal.

3D: Bird's Eye em ambientes naturais

3D: Bird's Eye em ambientes naturais

Outra funcionalidade nova do beta é o “velho conhecido” Bird’s Eye só que agora em uma versão melhorada. A melhora é na resolução e também nos moldes 3D de prédios que conseguiram fazer a partir das fotos. Em ambientes naturais essa melhora também é notada. Como exemplo o Bing divulgou a imagem de uma montanha que parece mesmo em 3D (imagem ao lado).

Também nesta mesma leva de novas funcionalidades o Bing Maps beta oferece uma galeria de aplicativos que eles chamaram de “mapplications”. O Twitter é um dos aplicativos que já está disponível e permite geolocalizar no mapa suas mensagens postadas no microblog. A verdade é que agora em breve o Bing Maps terá uma API para desenvolvedores que queiram criar mashups.

É interessante notar como a Microsoft, sempre defensora do desktop e softwares rodando neles, está abraçando em algumas de suas unidades de negócios a tal da computação na nuvem.

O novo Google Images: chega nessa quarta

O novo Google Images: chega nessa quarta

O Google acabou de anunciar em seu blog que “nas próximas 24 horas” uma nova versão de sua ferramenta de busca de imagens estará disponível para todos os usuários.

De acordo com as informações divulgadas até o momento, ao fazer uma busca a ferramenta irá exibir um resultado em destaque com outros que eles acreditam ser relacionados listados ao seu lado. Além disso, também será possível visualizar a imagem em tamanho real sem sair do site de buscas.

Nas últimas semanas, o sistema de busca do gigante da web passou por diversas atualizações e ganhou até mesmo um redesign, que deverá se tornar oficial em breve. Toda essa movimentação seria algum tipo de “efeito Bing”?