HP

HP é uma empresa norte-americana que atua no setor de tecnologia da informação, desenvolvendo softwares, eletrônicos e provendo serviços de consultoria. Foi fundada em 1939 em uma garagem na cidade de Palo Alto, Califórnia. Emprega mais de 300 mil funcionários nos países em que está presente, segundo dados de 2011. Sua sigla significa Hewlett-Packard, uma referência aos sobrenomes dos dois fundadores, William Hewlett e Dave Packard. Atualmente é a maior fabricante de PCs do mundo, com uma receita de US$ 127 bilhões em 2011.

Quando a HP comprou a Palm, ficou bem claro que em breve veríamos o webOS (sistema para celulares que possui um kernel linux com alguns componentes proprietários) rodando em um tablet ou até mesmo em um netbook. Até aí nada de mais, já que não é nenhum segredo que o webOS roda bem em um ambiente x86.

Só que até então ninguém havia tentado rodar o sistema em um equipamento de verdade. Até dias atrás, quando um usuário do fórum PreCentral fez o mais básico dos testes: Pegou a instalação do webOS que estava em um emulador, jogou os arquivos direto no disco rígido de um notebook, e… deu o boot na máquina.
Leia mais

A linha de montagem da empresa taiwanesa Foxconn na cidade chinesa de Shenzen registrou mais uma morte, provavelmente por suicídio, no último sábado, dia 15. Um jovem de 21 anos, que não teve sua identidade revelada, foi encontrado morto “com vários cortes de faca” depois de se jogar da janela de seu dormitório, que ficava no sétimo andar do alojamento da companhia. De acordo com o jornal britânico The Gardian, esta foi a sétima morte na empresa apenas este ano e a nona dos últimos 12 meses. Há uma semana uma outra funcionária de 24 da empresa também já havia cometido suicídio.

Responsável pela montagem de produtos da Sony, HP e Apple, com especial destaque para o iPhone, a Foxconn manifestou publicamente sua “tristeza” com a morte de seus funcionários, com idades entre 18 e 24 anos, e as atribuiu principalmente “à questões relacionadas a problemas familiares, românticos ou solidão”. Atualmente a empresa conta com 800 mil empregados no país e 300 mil apenas na planta de Shenzen. Leia mais

WebOS: casa nova

O anúncio da morte do HP Slate aparentemente não matou os planos da gigante norte-americana em ter um tablet em sua linha de produtos até o final do ano. Segundo o site Examiner.com, já no segundo semestre de 2010 um novo produto, por enquanto conhecido como HP Hurricane, deverá chegar às prateleiras trazendo como grande novidade o WebOS, sistema operacional para dispositivos móveis lançado em janeiro de 2009 que veio de brinde na recente compra da Palm, que aconteceu no início de abril.

Com a duríssima missão de fazer sucesso num mercado atualmente monopolizado pelo iPad, as armas do Hurricane para conquistar clientes serão a maior flexibilidade de sua plataforma e a velocidade de seu sistema, característica que era considerada o grande calcanhar de Aquiles do natimorto Slate.
Leia mais

HP Slate, afundando no mar de incertezas

A primeira vítima do sucesso do iPad foi o tão misterioso não-oficializado Courier. A Microsoft não quis se dar ao trabalho de colocar no mercado um gadget que não faria tanto sucesso quanto o tablet da Apple, mesmo sem saber se isso seria verdade ou não. O sentimento de derrota emanado do anúncio pode ter afetado o HP Slate, a provável próxima vítima do sucesso do iPad.

Por enquanto não há confirmação oficial da empresa do cancelamento do projeto, mas quando o CEO da HP, Todd Bradley, foi questionado sobre o futuro do tablet, ele respondeu que “Nós não fizemos nenhum anúncio de desenvolvimento”. A especulação é de que ele seria reprojetado para receber o WebOS, sistema operacional adquirido essa semana pela empresa com a compra da Palm, e que o desenvolvimento atrasaria o lançamento do produto em, no mínimo, um ano. Originalmente, o tablet teria sido projetado para rodar o Windows 7 e seria liberado para venda ainda em 2010.

Se os rumores se tornarem verdade, o atraso pode fazer com que o iPad finalmente se estabeleça como dominante da área, apesar do preço meio salgado por causa da “taxa Apple”. Afinal, quais outras empresas têm os recursos (tanto financeiros quanto intelectuais) para criar um tablet ao menos equivalente ao da Apple senão duas gigantes como a Microsoft e HP?

[via Wired]

É isso mesmo que você está lendo. A salvação da Palm chegou na forma de uma empresa que começou como fabricante de impressoras. A HP anunciou hoje que pretende comprar a fabricante do Pre e Pixi pelo equivalente a 2,1 bilhões de reais. No começo do mês especulava-se que a HTC seria a companhia mais interessada, mas ao olhar os números da Palm ela desistiu.

O acordo de venda já foi aprovado pelo quadro de acionistas majoritários de ambas as companhias. Todd Bradley, vice-presidente executivo da HP disse que “o sistema operacional inovador da Palm é uma plataforma ideal para expandir a estratégia móvel da HP”, além de afirmar que a Palm “possui propriedade intelectual significante”.

A HP vai comprar todas as ações da Palm por US$ 5,70 cada, um valor 23% acima do preço atual de ações da empresa, US$ 4,63. A HP também pretende fazer uma coletiva de imprensa ainda hoje explicando mais sobre a compra.

[via CNET]

Um arquivo de modelagem CAD, um bloco de plástico e uma impressora HP Designjet 3D. Com esses ingredientes, agora é possível recriar no ambiente doméstico objetos que foram pensados a quilômetros de distância. A HP começa a vender em maio sua linha de impressoras 3D.

Vai funcionar da seguinte maneira: as Designjet 3D cortarão o plástico (o cartucho, por assim dizer) em finas camadas, parte a parte, até que o resultado seja a “impressão” final, previamente estabelecida por meio de programa de modelagem 3D.

A Designjet 3D normal não imprime colorido. Portanto, somente blocos de plástico  na cor marfim poderão ser usados em conjunto com ela. Já a Designjet Color 3D é um pouco mais sofisticada, oferecendo suporte a blocos de plástico de oito cores (um de cada vez, que fique claro).

De pequenas firmas a grandes empresas, passando por instituições de ensino, o mercado de atuação das Designjet será bastante amplo. O objetivo da HP é oferecer um instrumento para que companhias produzam seus protótipos de produtos (como o do iPhone 4G “encontrado” em um bar) de forma facilitada. Portanto, se você é um cientista doido inventor, a Designjet 3D pode ser para você.

Infelizmente a linha Designjet 3D estará disponível somente na Europa. O precinho inicial é de US$ 17 mil (a bagatela R$ 30 mil).

Com informações: Popsci.

O blog Conecti.ca conseguiu finalmente por as mãos no HP Slate, o tão aguardado tablet PC da HP que pelo menos um dos editores do Tecnoblog – não sou eu ;) – se dispôs a comprar. Embora prometa muito, o resultado foi aquém do esperado, com o gadget recebendo “Meh” como veredito.

Office, Google Chrome, Windows Home Premium… Aparentemente, o Slate tem tudo o que a gente gostaria que um tablet eficiente tivesse. Mas os benefícios ficam por aí. Devido à enorme quantidade de programas, o tablet é lento para carregar o Windows. O site conclui dizendo que o “HP Slate não é um concorrente ao iPad”.

Mas nem tudo é ruim no Slate. A câmera frontal dele, por exemplo, é apontada como um recurso interessante (ainda mais quando o Skype estiver instalado). Da mesma forma, o sistema de gerenciamento de conteúdo multimídia desenvolvido pela HP parece ser muito bom, embora os autores do post ainda procurem utilidade para ele. Por último, a tela é mais brilhante que a do iPad.

“Esse é o menor netbook completo que se pode encontrar”, concluem.

Para ver todas as imagens, acesse o post do Conecti.ca sobre o assunto.

PCs da HP: vendendo feito água

PCs da HP: vendendo feito água

A empresa de pesquisa americana Gartner liberou ontem dados sobre a venda de PCs no primeiro trimestre desse ano. Os dados são animadores, considerando que a indústria foi uma das mais atingidas pela crise econômica mundial no ano passado. Segundo a Gartner, em relação ao primeiro trimestre de 2009, foram vendidos mais de 88 mil unidades de computadores, representando um crescimento de 27%. A estimativa era de 22%.

A fabricante que mais vendeu PCs continua sendo a HP, com mais de 15 mil PCs vendidos, seguido da Acer, Dell e Lenovo com, respectivamente, 12, 10 e 6 mil unidades vendidas. Na lanterninha, a ASUS e Toshiba venderam por volta de 6 mil cada uma. A soma total de venda das demais fabricantes no mercado foi 30 mil.

Em relação ao ano passado, no entanto, a ASUS foi a empresa que mais teve crescimento de vendas, praticamente dobrando o número de unidades. Seguido dela, a Lenovo e Acer ocupam o segundo e terceiro lugar com, respectivamente, 59 e 54% de aumento. Já a Dell e HP mantiveram suas vendas estáveis, crescendo por volta de 20% cada uma.

O relatório completo pode ser conferido nesse link.

[via Slashgear / Imagem sob licença CC de cpchannel]

Lembra-se do Slate. Ele foi a grande sensação da CES 2010 ao ser citado pela Microsoft como um dos produtos que rodariam Windows 7 em tablet PC. Infelizmente nem a MS nem a HP souberam aproveitar o buzz gerado pela presença do dispositivo no evento, sem indícios de quando seria lançado ou aos menos como funcionaria.

Hoje a HP mudou um pouco esse posicionamento ao publicar no YouTube um vídeo de demonstração do produto. Dê uma olhada:

Reparou, por volta dos 12 segundos, a presença do player de mídia da Apple no Slate? Pois é, parece que o aplicativo estará presente no dispositivo da HP, com direito a entrada USB para sincronização direta entre o software e o iPhone, iPod Touch ou outro gadget de música da maçã.

“Nós acreditamos que o consumo de conteúdo é apenas parte da experiência ideal em dispositivos móveis”, escreveu Phil McKinney, vice-presidente da HP, em post sobre o vídeo. “Nós sabemos que você espera capturar e compartilhar conteúdo digital nos seus dispositivos móveis. E o HP Slate se sobressai nisso”.

O vídeo por enquanto não mostra o Slate “de verdade”. É a computação gráfica usada ao extremo para demonstrar compartilhamento de fotos, transmissão de vídeos por meio do Skype, e por aí vai. Portanto, muita coisa pode mudar até o Slate ser lançado. Não sabemos quando…

Outro aspecto interessante do Slate é poder ligá-lo na televisão de LCD, provavelmente Full HD. Bastante tentador.

Ao subir no palco da CES 2010 no início do ano, o CEO da Microsoft, Steve Ballmer, apresentou algumas das inovações criadas pela Microsoft, além de mostrar alguns dispositivos ao público. Dentre eles estava o tablet da HP, que já estava sendo especulado bem antes de ser aparecer na mesa durante a apresentação. Ballmer exibiu o gadget, mas não deu preço, uma data definida para o seu lançamento ou detalhou suas especificações.

HP Slate, cheio de manchas

Entretanto essas informações foram extraídas, aparentemente, de um executivo da HP pelo site espanhol de tecnologia Clipset. Segundo eles, o HP Slate seria vendido por 400 euros (R$ 971) e estaria disponível para compra a partir de junho. Ele vai contar com um processador Atom, rodar Windows 7 (com suporte ao Adobe Flash), terá leitor de cartão de memória, conectividade USB, uma webcam traseira. Ainda não há confirmação do braço americano da HP, ou de qualquer outro.

O lançamento também estaria parcialmente definido, embora a falta de datas exatas ainda seja o caso. Ele deverá ser lançado em junho e passará a ser vendido em setembro na Europa. Não há previsão para a disponibilidade nos demais mercados. [Slashgear]