Dell Mini 3iX: Claro e caro.

Dell Mini 3iX: Claro e caro.

Cumprindo a promessa feita em seu lançamento na China, o Dell Mini 3iX começou a ser vendido no Brasil sob as asas da Claro ainda em 2009. O modelo inclusive já pode ser encontrado em algumas lojas da operadora da cidade de São Paulo, como reporta o colega de Tecnoblog Henrique Martin.

De acordo com as informações fornecidas pela operadora o aparelho em tela de 3,5 polegadas sensível ao toque, roda uma versão customizada do sistema operacional Android com apps para o Twitter  e Facebook de série, tem 3G, WiFi, Bluetooth e suporta cartões de memória MicroSD de até 32 GB de capacidade.

A Claro afirma que vende o smartphone com exclusividade no país por R$ 899,00 num plano com 300 minutos de conversação e 250 MB de transferência de dados que custa R$ 225,80 por mês em São Paulo – longe de ser exatamente uma pechincha, mas no mesmo plano o tão falado iPhone sai por R$ 1.317.

Pré pago, o preço do Mini 3iX gira em torno dos R$ 2 mil, mais que a maioria dos netbooks que existem por aí.

A Toshiba anunciou a disponibilidade de novos chips de memória flash NAND embarcada com capacidade de 64GB. Em termos mais simples, foram anunciados versões dos chips de memória usados nos iPhone e iPod Touch com o dobro da capacidade atual.

Vamos tentar entender melhor como o iPod Touch conseguiria ter 128GB de memória quando o chip lançado é de 64GB. Acontece que, mesmo sendo bem mais fino, o iPod Touch tem mais “espaço livre” e comporta dois chips de memória, à medida que o iPhone apenas comporta um.

É claro que a disponibilidade do chip não significa que surgirão iPhones de 64GB da noite para o dia. A Apple, é claro, tem sua própria estratégia de produtos e, se seguir o “calendário padrão” que tem adotado, devemos ver os iPhones com mais memória apenas no inverno brasileiro, e os novos iPods somente em setembro. Mas, obviamente, quem faz esse calendário é a Apple, e ela pode mudá-lo quando bem entender. [Wired]

1

Pesquisa feita pelo banco Morgan Stanley (aquele mesmo que foi um dos pivôs da crise mundial que estourou ano passado) divugada nesta quarta-feira mostra que o uso que os donos de iPhone usam seu aparelhos de maneira ligeiramente diferente do resto dos outros mortais.

Enquanto os usuários de celulares comuns perdem 40 minutos por dia com seus aparelhos, os donos do super-mega-ultra-ubber smartphone da Apple passam em média uma hora por dia brincando com o modelo, entretidos principalmente com e-mail, navegação pela web, música ou jogos. Por essas e outras justamente as chamadas de voz correspondem por apenas 45% do uso de um iPhone, contra 70% dos celulares normais. O envio de SMS pelo modelo também é sensivelmente menor: 14% contra 15%.

Os dados também mostram que a tendência da web móvel parece ser um caminho sem volta, e aponta que cerca de 20% dos acessos à rede em 2012 serão feitos a partir de telefones celulares, tablets, e-reader ou outros dispositivos de mão, mas joga a responsabilidade desse crescimento na dupla iPhone/iPod Touch: “o lançamento da plataforma móvel da Apple, há dois anos e meio, foi responsável por acender a faísca na web via celular da mesma maneira que o Windows 3.0 inaugurou a era da computação pessoal em 1990 e o Netscape popularizou a internet em 1995″, diz o relatório. Atualmente a dupla iPhone e iPod Touch geram 65% das visitas das páginas web feitas a partir de aparelhos de bolso.

O país em que os smartphones são mais populares é o Japão, com 52% do mercado, enquanto na América Latina eles têm apenas 5% da fatia do bolo.

bing-iphoneA Microsoft acaba de lançar o Bing para iPhone. O aplicativo é bastante completo e além da busca – por voz e texto – inclui também o serviço de mapas do Bing e outras buscas específicas como imagens, filmes e notícias. Também, marca registrada do Bing, o fundo de tela do aplicativo apresenta pelo menos uma imagem bonita.

O Bing já existe para outras plataformas como o Windows Mobile e Blackberry. Também possui sua versão web mobile. Interessante sair um app para o iPhone da Apple, uma das grande “inimigas” da Microsoft.

Gostei da parte de configurações que permite escolher o sistema de medidas que você usar (métrico ou imperial), marcar o nível de segurança dos resultados de busca (moderado, restrito ou desligado para conteúdo ligado a sexo, por exemplo) e a opção de apagar o histórico de busca.

Ambas hoje (Apple e Microsoft) na verdade são mais “inimigas” do Google do que entre elas mesmo. E é sempre ótimo contar com alternativas ao Google Maps – por enquanto a busca do Google é insubstituível – que esse app do Bing oferece.

Este aplicativo não é o primeiro da gigante de Redmond para o iPhone. O primeiro foi o Seadragon, aplicativo para fotos. Também lançaram o Tag Reader e outros aplicativos menores. Como disse, o grande inimigo de ambas hoje é o Google. [Cnet]

kindle-iphoneO Kindle já havia chegado ao Brasil. Mas agora chega também a sua versão para iPhone, antes só disponível para usuários americanos ou os que tinham criado conta no iTunes dos EUA com um dos milhares de tutoriais que existem por aí. Na verdade o Kindle para iPhone está disponível agora para o mundo todo.

O software é gratuito na App Store e portanto não permite fazer compras dentro dele. Mas quando você quer comprar ou apenas olhar os livros disponíveis é direcionado para o Safari. Compra feita – comprei um e-book gratuito a título de testes – ao retornar ao aplicativo do Kindle ele sincroniza o livro automaticamente e fica disponível para leitura.

Depois disso tentei assinar o jornal Zero Hora e não deu certo. Segundo a Amazon jornais e revistas não estão disponíveis para iPhone.

Infelizmente nem todos os livros no formato Kindle estão disponíveis na nossa região (América Latina e Caribe). Um outro que havia achado não pude baixar pro iPhone devido a essa restrição de região. Agora é esperar por e-books em português (vai sonhando, vai!). [Wired Blog]

Eis o Google Phone, que deverá ser chamado de Nexus One. O clique é do blogueiro Cory O´Brien.

Eis o Google Phone, que deverá ser chamado de Nexus One. O clique é do blogueiro Cory O´Brien.

Diante da enxurrada de rumores e fotos que surgiram nos últimos dias (e nas últimas horas, pra ser honesto) a respeito de estar desenvolvendo um novo smartphone, o Google seguiu o velho dito popular que diz que “onde passa boi passa boiada” e confirmou em seu blog oficial de mobile que de fato está desenvolvendo “um novo dispositivo móvel”.

De acordo com o gigante da web, o novo aparelho deverá “combinar um novo hardware desenvolvido por um parceiro com uma nova versão do Android que deverá oferecer novos recursos e capacidades”.

Segundo uma matéria do Wall Street Journal publicada neste domingo a tal parceira que está desenvolvendo o hardware é ninguém mais ninguém menos que a HTC, que também foi a “autora” do G1, primeiro aparelho com o Android a chegar ao mercado, ainda em 2008. As informações disponíveis até o momento dão conta que o novo smartphone deverá atender pelo pomposo nome de Nexus One e que rodará a versão 2.1 do sistema operacional do robozinho, com a aparência devidamente customizada por sua empresa-mãe.

O blogueiro norte-americano Cory O’Brien teve contato com o brinquedo, emprestado por um amigo que trabalha do Google, na noite no último sábado e afirmou em seu twitter que ele é “como o iPhone, com direito a um espaço pouco maior de tela, scroll wheel, excelente touchscreen e Android”. Por hora seu único problema conhecido deverá ser o preço, estimado entre US$ 500 (R$ 850) e US$ 600 (R$ 1020). Se por aqui os valores parecem ser uma pechincha por lá isso representa mais ou menos o dobro do que a Apple pede por seu onipresente iPhone, mas com a vantagem de que o Nexus One deverá ser vendido apenas desbloqueado, e, portanto, sem subsídios das operadoras.

Em seu comunicado o Google afirma que até o momento vem “compartilhando o novo aparelho com seus empregados ao redor de todo o mundo”, com direito a uma bronca velada aos que vazaram informações para amigos ou imprensa: “Infelizmente, até o momento os testes são fechados apenas a nossos empregados, e por isso não podemos compartilhar dados e informações específicas”.

De qualquer maneira, novas informações não deverão demorar a surgir, já que o lançamento do Nexus One é previsto no próximo mês de janeiro.

Apesar da Oi ainda não ter iniciado as vendas do iPhone, algumas de suas lojas já receberam os primeiros lotes do aparelho – devidamente desbloqueado – junto de sua respectiva tabela de preços.

Numa revenda da Oi no Shopping D. Pedro, na cidade de Campinas, interior do estado de São Paulo, os valores pedidos pelo smartphone da Apple começam em R$ 2.099 para o 3G, R$ 2.549 para o intermediário 3GS 16 GB e R$ 2.949 para o 3GS top de linha com 32 GB de armazenamento.

Apesar de serem preços salgados se comparados à concorrência, ainda é preciso saber se a operadora oferecerá bônus ou descontos especiais a seus clientes.

As informações são do blogueiro da casa Juarez Lencioni Maccarini.

Depois de anunciar a aquisição da empresa de streaming de músicas pela web Lala no começo da semana, rumores levantados por alguns especialistas indicam que a Apple negocia a aquisição de uma startup especializada em ligações telefônicas pela internet chamada iCall – nome pra lá de adequado.

Os responsáveis pela iCall afirmam que atualmente “mais de 100 mil” usuários do iPhone são clientes de seu sistema de comunicação pela internet.

Segundo o site Sillicon Alley Insider a empresa da maçã teria oferecido entre US$ 50 e US$ 60 milhões pela pequena empresa, que não nega nem confirma a boataria, como de hábito nessas situações.

Mas o que será que Steve Jobs pretende fazer com essa nova aquisição? Entre os diversos rumores que pipocam pela web um deles afirma que a Apple está de olho no crescimento do Google, que além dos relativamente recentes Android e do Chrome OS, nos últimos anos comprou duas companhas de VoIP. Possuindo a nova tecnologia a Apple poderia entrar no novo mercado num tempo relativamente curto – quem sabe, numa próxima atualização do iPhone.

Outra teoria, mais pragmática, afirma que a Apple apenas está interessada em comprar a empresa porque ela detém o registro da marca iCall nos EUA.

A Oi divulgou hoje que começará a vender o iPhone no Brasil, nos modelos 3G e 3GS, a partir do dia 15 de dezembro. Seguindo a política da empresa, os aparelhos serão vendidos sem qualquer tipo de bloqueio ou multa para usar na operadora que lhe for mais conveniente. Veja o comunicado que a Oi emitiu sobre a venda do iPhone no Brasil:

iPhoneOi-thumb.jpg

[Atualização às 17h45] Fontes de Tecnoblog nos indicam que o valor do aparelho mais barato deve ser de R$ 2 mil, com os benefícios e bônus descritos no comunicado acima.

[Atualização às 18h13] A Oi divulgou o preço do  iPhone para a região que abrange os estados do nordeste e  Rio de Janeiro. Segundo informações da Macworld Brasil, o iPhone 3G de 8GB será vendido por R$ 1.999, e o 3GS, tanto o de 16GB como o de 32GB, seria vendido por R$ 2.399 (o que é bastante estranho e só podemos supor que se trate de um engano). Do preço do aparelho escolhido seria descontado o bônus dos assinantes de planos da Oi, nos valores de R$ 400 a R$ 2.000, dependendo do plano escolhido.

[Atualização às 23:00] Um dos redatores do Tecnoblog esteve na loja da Oi no shopping Dom Pedro, em Campinas. De acordo com a gerente da loja, os iPhones já estão no estoque, mas não serão vendidos enquanto a propaganda nacional da Oi relacionada ao smartphone não começar e o treinamento dos funcionários não for feito.

Essa mesma gerente informou os preços dos iPhones quando as vendas iniciarem. São eles:

  • R$ 2.099 pelo iPhone 3G;
  • R$ 2.549 pelo iPhone 3GS 16GB;
  • R$ 2.949 pelo iPhone 3GS 32GB.
foodbrasil

FoodBrasil: lançado este mês e já no top 10 da App Store brasileira

Uma das coisas que mais acontece o tempo todo é escolher um lugar para ir comer. E na maioria das vezes estamos na rua, em algum lugar qualquer, e precisamos de uma dica urgente. Como fazer? Existem vários programas para iPhone que podem ajudá-lo na tarefa. Vou listar alguns abaixo, todas gratuitas. Se você tiver outras dicas, fale nos comentários!

FoodBrasil

Guia lançado este mês, o FoodBrasil abrange por enquanto 5 cidades: São Paulo, Porto Alegre, Gramado, Florianópolis e Curitiba. O site da FoodBrasil abrange outras 11 cidades mas elas ainda não estão na base de dados do iPhone.

O programa é interessante e tem informações completas, desde formas de pagamento até horários de funcionamento, além de mapa do local via Google Maps. É possível filtrar por bairro, tipo de cozinha, especialidade e os que tem nos arredores. (download na App Store)

Guia Época SP

O Guia da revista Época SP tem um sistema interessante de filtro, bem fácil de usar. Para quem tem iPhone e já usou a função de alarme, vai entender como funciona o filtro deste aplicativo. Você é apresentado com opções que rolam pela página como no aplicativo de relógio/ alarme do iPhone.

Tem também informações completas mas o mapa só mostra o restaurante que você escolheu e não os das imediações como no Food Brasil. Não tem opção de saber o que tem nos arredores, você precisa saber em que lugar está. Além disso o Guia Época só tem a versão para a cidade de São Paulo. (download na App Store)

FourSquare

O FourSquare é um sistema de recomendação de lugares baseados na multidão. Bastante interessante, ainda não tive oportunidade de testar mais a fundo, mas pelo que vi é extremamente poderoso. Alguns exageram dizendo que trata-se do sucessor do Twitter como o grande aplicativo das massas. As recomendações dos usuários servem para tudo, inclusive restaurantes. É possível deixar seu comentário sobre os lugares, chamar amigos para se juntar a você, etc. Como é baseado na multidão talvez a grande funcionalidade mesmo seja checar se aquele lugar que você escolheu via outro app é realmente bom! (download na App Store)

AroundMe

O AroudMe foi um dos primeiros aplicativos que usou a API de localização do iPhone para determinar o local que você está e lhe fornecer informações úteis a partir daí. Ele tem uma base grande de lugares para comer (além de outros estabelecimentos) e indica aproximadamente a que distância você está deles. Bastante completo, abrange várias cidades do mundo. (download na App Store)

VcVai

O VcVai surgiu como um webapp para convidar amigos para eventos, sociais, etc. Evoluiu para um aplicativo para iPhone tem informações sobre vários estabelecimentos principalmente na região de São Paulo e algumas cidades do interior, além do Rio de Janeiro. Indica também a distância aproximada dos estabelecimentos do ponto onde você está. (download na App Store)