laser_dente_thumb

Um dos sonhos da humanidade é poder tratar dentes com cáries sem enfrentar o assustador “motorzinho” do dentista. Uma pesquisa conduzida pela Universidade de Harvard pode ser o primeiro passo para este aguardado objetivo: cientistas conseguiram fazer dentes se “regenerarem” parcialmente com uma sequência de aplicações de laser. Leia mais

laser-verde-thumb

Pesquisadores da Universidade de Taipei, de Taiwan, estão trabalhando em uma nova tecnologia de transmissão de dados baseada nos frugais apontadores lasers (aqueles usados com apresentações de PowerPoint). Testes iniciais em laboratório mostraram que um único feixe de laser foi capaz de atingir a espantosa velocidade de 500 megabits por segundo. E usando equipamentos que não são exatamente a última palavra da tecnologia. Leia mais

Na semana passada a Wicked Lasers anunciou a criação do laser comercial mais destrutivo da face da Terra. Ele queima praticamente tudo que vê pela frente, pode cegar pessoas e para adquiri-lo é preciso passar por uma burocracia digna da aquisição de uma espingarda. Ah, e a espingarda é provavelmente mais fraca do que esse laser e mais cara também, já que o Spyder III custa pouco mais de 400 reais, sem impostos.

Os leitores do Tecnoblog, espertos que só eles, não demoraram para mandar suas ideias de como utilizariam tal arma de destruição em massa no seu dia-a-dia ou no dia-a-dia de uma pessoa qualquer. Dentre as hipóteses (rapidamente compiladas pelo leitor Luciano Vieira), estavam algumas interessantes:
Leia mais

proibido_imprimir.gifUm estudo realizado pela Universidade de Tecnologia de Queensland na Australia, apontou a impressora laser como a mais nova vilã para a saúde humana. A pesquisa foi feita com 62 modelos de impressoras, e foi constatado que 17 delas são grandes emissoras de uma partícula, que é tão prejudicial à saúde humana quanto a inalação passiva da fumaça do cigarro.

Segundo a professora Lidia Morawska (responsável pelo estudo), “As partículas liberadas pelas impressoras são tão pequenas quanto as da fumaça do cigarro. Quando se infiltram nos pulmões, causam os mesmos tipos de danos”. A concentração dessas partículas em um escritório pode ser cinco vezes maior durante o dia, devido ao uso contínuo da impressora, e a emissão é ainda maior quando o toner é novo.

Não é possível saber ainda quais modelos emitem as partículas, mas por precaução, é aconselhável que as impressoras sejam colocadas em locais com circulação contínua de ar. Morawska sugere ainda, que os governos deveriam começar a tomar providências para controlar a emissão de partículas, assim como controla a emissão de gases poluentes em carros e fábricas.

via: G1