Wikipedia

Wikipedia é uma enciclopédia online colaborativa criada em janeiro de 2001 pelos norte-americanos Jimmy Wales e Larry Sanger. Em março de 2012, o serviço possuía 21 milhões de artigos em 284 idiomas diferentes, escritos por mais de 31 milhões de usuários. Apesar de concentrar seus esforços na versão online, sempre atualizada, a Wikipedia já foi publicada em CDs na versão alemã. Frequentemente a Fundação Wikimedia solicita doações aos seus usuários para manter os servidores funcionando; em 2011 foram US$ 20 milhões arrecadados.

Uma pesquisa promovida pelo jornal online First Monday revelou aquilo que todos nós já sabíamos: os estudantes preferem não revelar a seus professores que usaram a Wikipedia como fonte de pesquisa de trabalhos escolares. De acordo com a pesquisa, o participante de um dos grupos pesquisados chegou a dizer que usa a enciclopédia gratuita para ter uma ideia breve do assunto, ainda que seus professores recomendem o contrário.

Vamos aos números. 75% dos alunos usam pelo menos ocasionalmente Wikipedia para fazer pesquisas escolares; 30% admitiram que usam o serviço sempre; 13% fazem uso raramente (não sabem o que estão perdendo…); 3% afirmaram não usar a Wikipedia nunca, jamais, em hipótese alguma; e 3% dos estudantes – do ensino superior, veja bem – disseram que não sabiam se usavam a Wikipedia em suas pesquisas.

Curiosamente, 97% dos entrevistados disseram ter consciência de que a enciclopédia online não tem conteúdo mais confiável que o de outros websites.

Informação inicial. A pesquisa, que foi feita como parte de um projeto da Universidade Washington, ainda conclui que a Wikipedia é bastante usada, mas para fazer pesquisas superficiais ou que deem introdução a determinado tema, recorrendo depois a sites mais conceituados e mais aprofundados sobre o que estão procurando. 26% dos universitários responderam no questionário

[via Ars Technica]

O Google anunciou que doará US$ 2 milhões à Wikipedia, quantia que somada às doações feitas por outras companhias e usuários do site farão com que a enciclopédia livre deva fechar seu ano fiscal, que se encerra em junho, arrecadando US$ 10,6 milhões, aumento de 20% em relação a 2008.

Esse não deverá ser a maior mala de dinheiro a chegar à fundação de Jimmy Wales neste ano. Há seis meses Pierra Omadyar, fundador do Ebay, também destinou US$ 2 milhões para a Wikipedia, através de um de seus fundos de investimentos.

Toda essa quantia será usada para manter o site colaborativo funcionando sem precisar exibir anúncios em suas páginas, disponíveis em 270 idiomas. [Wikimedia]

Por favor, não escrevam os nomes de

Por favor, não escrevam os nomes de Wolfgang Werle e Manfred Lauber.

Em 1990 o ator alemão Walter Sedlmayr foi encontrado morto em seu apartamento em Munique. De acordo com a polícia local ele foi amarrado, esfaqueado no abdôme e espancado na cabeça com um martelo por Wolfgang Werle e Manfred Lauber, seus ex-sócios que, depois de passarem por uma longa estada na prisão, foram soltos em liberdade condicional em 2007 e 2008, respectivamente.

Como uma lei alemã da década de 70 prevê que os nomes de condenados pela justiça sejam protegidos depois que seu débito com a sociedade tenha sido pago, os nomes dos dois assassinos foram removidos do verbete da Wikipedia germânica a respeito do assunto. Fim da história?

Não, claro.

O caso, que tinha de tudo para ser esquecido voltou à tona depois que a dupla resolveu novamente juntar suas forças e processar a organização que controla a Wikipedia em todo mundo para que seus nomes sejam removidos dos artigos a respeito do acontecido em todos seus idiomas.

Em sua defesa, Alexander H. Stopp (que nome conveniente),  advogado de Werle e Lauber, chega a citar George Orwell, o autor do livro 1984, afirmando que “quem controla o passado também controla o futuro” e por isso pede que os nomes de seus clientes sejam retirados do site sob pena do site colaborativo ter que pagar uma multa diária equivalente a R$ 13 mil.

Já os advogados da enciclopédia livre são mais pragmáticos e lembram ao jornal New York Times que o texto do tópico “é protegido pela primeira emenda”, que entre outras coisas proíbe limites à liberdade de expressão.

Um dos questionamentos levantados pela Wikipedia é que o resultado de uma corte alemã não tem qualquer relevância para a organização, que “não opera ou tem bens no país”, desculpa muito parecida com a usada pelo Google na época que o Orkut provocava seus primeiros imblógios judiciais.

Agora só resta saber o que Stopp vai fazer quanto à publicidade negativa que seus clientes tiveram com essa história toda.

Imagine ter um sistema semelhante ao da Wikipedia, voltado para contribuição, em praticamente qualquer página da internet. Foi o que o Google anunciou hoje. O Google Sidewiki funciona como uma sidebar que permite que os visitantes adicionem novas informações ao site que estão visitando.

Uma vez que a barra de ferramentas com Google Sidewiki for instalada no computador, o usuário poderá optar por visualizar no canto esquerdo do navegador as informações que outros internautas adicionaram. Também poderá fazer suas próprias observações, desde que tenha uma conta do Google registrada.

“No desenvolvimento do Sidewiki, nós quisemos ter certeza de que você verá as entradas mais relevantes primeiro.”, escreveram engenheiros do Google no blog da companhia. A maneira encontrada por eles na exibição das contribuições foi criar um algoritmo que mostre as mais interessantes primeiro, levando em consideração o histórico do usuário e o número de vezes que a contribuição recebeu um “eu gosto” de outros internautas, entre outras coisas.

Google Sidewiki: precisa ter monitor com resolução maior para usar. (Clique para ampliar)

Google Sidewiki: precisa ter monitor com resolução maior para usar. (Clique para ampliar)

Inicialmente a barra de ferramentas do Google com Sidewiki estará disponível apenas para Internet Explorer 6 ou superior e Firefox 2 ou superior. Em outras palavras, nada de Sidewiki no Chrome, o navegador do próprio Google (que recentemente começou a testar extensões). Mas a empresa garante que quer estender o Sidewiki a outros navegadores em breve.

A Wikipedia pretende colocar no ar ainda nesse ano um novo sistema de classificação de informações baseado em cores. É isso mesmo, o WikiTrust vai dar uma cor para cada palavra de cada verbete da maior enciclopédia do mundo, com o objetivo de classificar essas informações dentre vários níveis de confiança.

WikiTrust em funcionamento. (Reprodução/Wired)

WikiTrust em funcionamento. (Reprodução/Wired)

Desenvolvido pelo Wiki Lab da Universidade da Califórnia, o WikiTrust será uma ferramenta opcional que levará em consideração a confiança que o sistema tem no autor daquele texto e também o tempo que o texto ficou na página (quanto mais antigo, mais confiável).

As cores vão variar de laranja, significando pouco confiável, até branco, que vai indicar que o texto em questão é muito confiável. Informações de fontes “questionáveis” vão entrar no sistema já com tons alaranjados mais fortes, enquanto que editores antigos da enciclopédia terão seus textos num laranja mais claro.

O sistema de reputação da Wikipedia irá dar notas que vão variar de zero a nove, com o objetivo de tentar definir o quão confiáveis as informações prestadas por essas pessoas são. Conforme um artigo for modificado por outros editores, as colaborações que permanecerem no ar garantirão a seus autores maior confiança.

Um dos problemas que críticos do WikiTrust veem é o consumo que esse novo sistema poderá ter no futuro. Ao processar cada palavra de cada artigo, uma enorme quantidade de processamento de dados será necessária. Também será preciso mais espaço para armazenamento desses dados que registrarão as reputações dos editores. [Wired]

wikipedialogoA Wikipedia foi criada por Jimmy Wales com o objetivo de ser aberta para edição de qualquer pessoa. Com certas restrições em casos de vandalismo contínuo ou em artigos de pessoas falecidas recentemente, ela manteve essa visão por um bom tempo. Mas segundo um artigo no The New York Times, uma nova camada de edição será imposta nas próximas semanas.

De acordo com o jornal, alterações em artigos de pessoas ainda em vida só serão publicadas depois que editores com longa experiência aprovarem as edições. Até a aprovação, usuários que acessarem o artigo continuarão vendo a versão sem edição. Essa nova característica está sendo chamada de ‘flagged revisions‘ (ou revisões sinalizadas, em tradução livre).

Essa nova característica já está habilitada na versão alemã da Wikipedia desde o ano passado e será ativada no mês que vem na versão em inglês, que já conta com mais de 3 milhões de verbetes. Michael Snow, chairman da Wikimedia Foundation, diz que isso foi necessário porque “havia uma época em que a comunidade perdoava fatos imprecisos ou forjados, mas agora há menos tolerância para esse tipo de problema”.

Wales afirma que, por enquanto, é “apenas um teste” e que está interessado em saber quanto tempo irá levar para uma edição ser aprovada. Não há previsão de quando as flagged revisions serão implementadas nas outras línguas da enciclopédia aberta. [Mashable]

wikipedia-slow-motion

Wikipedia: é devagar, é devagar...

A Wikipedia iniciou suas operações em janeiro de 2001. Atualmente é considerada a maior enciclopédia do mundo, com previsão de chegar a 3 milhões de artigos publicados em inglês já na semana que vem. Foram necessários cinco anos para chegar ao primeiro milhão, mas o segundo foi atingido em apenas 17 meses. Já o terceiro milhão leva quase dois anos para chegar.

Estatísticas mostram que o crescimento da enciclopédia colaborativa não é mais o mesmo. O número de usuários ativos cresceu 61% (para 500 mil) se comparado com o de 2008, mas o crescimento não se compara ao do passado. Se em julho de 2007 eram publicados 2.200 artigos por dia, atualmente os artigos são pouco mais que a metade disso: 1.100 por dia. Uma queda e tanto. Pelo menos a base de editores altamente ativos se mantém estável.

Ed H. Chi, do centro de pesquisas Parc (sim, aquele que já pertenceu à Xerox), disse ao Guardian que o modo de funcionamento da Wikipedia mudou. Chi afirmou ao Guardian que anteriormente a enciclopédia recebia contribuições de praticamente qualquer um, mas que hoje em dia um grupo seleto de editores é responsável pelas decisões finais sobre quais informações entram ou saem de um artigo.

O jornal cita duas gangues dois grupos que tentam manter o controle da Wikipedia. Há o grupo dos apagadores (deletionists em inglês), que querem artigos muito bem escritos e sobre assuntos de grande importância. Do outro lado temos os “inclusores” (inclusionists), que acham que quanto mais informação estiver disponível, melhor.

Já ouvi falar de uma briga semelhante à dos apagadores e “inclusores”, mas na Wikipedia em português. Nessa versão localizada do site, dizem as más línguas, o controle sobre versões de artigos estaria totalmente na mão de usuários portugueses. Eles, então, manteriam os artigos de acordo com o português escrito em Portugal. [Guardian]

A Wikipedia pretende fazer um redesign em breve, mas os usuários cadastrados da maior enciclopédia do mundo já podem visualizar algumas das mudanças, que estão em fase de testes (o famoso beta). O objetivo, como da maioria dos redesigns, é tornar a navegação pelo site e o acesso a informações mais intuitivos.

Editor de artigos da Wikipedia com nova barra de funções. (Reprodução/Mashable)

Editor de artigos da Wikipedia com nova barra de funções. (Reprodução/Mashable)

Para testar a interface renovada, você precisará ter uma conta na Wikipedia (ou criar uma).  Até porque é na área de edição de artigo que as coisas começam a ficar mais interessantes: a barra de ferramentas dessa área foi completamente redesenhada. Possibilidade de inserir caracteres especiais ou então definir o tipo de título (entre os mais de três disponíveis), por exemplo, é de grande ajuda para quem não conhece o código-fonte que a Wikipedia utiliza.

Wikipedia: leitura de artigos teve pequenas mudanças. (Reprodução/Mashable)

Wikipedia: leitura de artigos teve pequenas mudanças. (Reprodução/Mashable)

As mudanças para quem lê o artigo ainda são poucas, por enquanto. Alguns botões foram movidos, assim como o campo de pesquisa, que deixou de ser na barra lateral para se concentrar no canto superior direito, acima do título do artigo. [Mashable]

Jackson WhaleCom o falecimento do grande astro do Pop Michael Jackson na tarde de ontem (25), vários sites ao redor do mundo sofreram problemas causados pelo grande nível de trafego gerado na rede com a propagação das noticias sobre sua morte.

Ainda durante a primeira hora da liberação da notícia o site da CNN já reportava 20 milhões de page views enquanto o site do LA Times, primeiro a noticiar a morte do astro do Pop, sofreu várias quedas no serviço. Mas não somente os sites de noticias foram afetados, o serviço de mensagens instantâneas da AOL (AIM) permaneceu fora do ar por aproximadamente 40 minutos. Ainda com a movimentação em massa por noticias relacionadas, o Google sofreu dificuldades de acesso causado pela grande quantidade de buscas, chegando a cogitar um ataque ao seu sistema, tendo usuários sido impedidos de completarem suas buscas por engano ao serem confundidos com bots devido a imensa quantidade de buscas pelo mesmo termo de pesquisa.

A Wikipédia também sofreu com o fato, mas esta não somente pelo aumento do tráfego de dados, a página sobre o cantor foi alvo de ataques de usuários que colocaram informações falsas sobre sua morte, entre elas a de que ele teria sido morto violentamente por seu irmão Tito, que o teria enforcado com o cabo de um microfone. Como não poderia deixar de ser, o site de micro-blogging Twitter, também sofreu com a gigantesca quantidade de mensagens enviadas no pequeno período de tempo gerando várias “Fail Whales”, a imagem mascote das falhas do serviço. Como tentativa de melhorar o serviço durante o momento de pico, os Trend Topics e a busca nativa foram desativados momentaneamente. Até a noite de ontem, praticamente todos os Trending Topics eram relacionados ao cantor.

O cantor, conhecido como “O rei do Pop” por seus fãs, tinha 50 anos e sofreu uma parada cardíaca na tarde de ontem em sua casa, sendo prontamente socorrido por uma equipe de paramédicos, porém já chegou morto ao hospital. [ CNN ]

Logo-Wikipedia-BallA Wikipedia planeja inaugurar em breve uma nova ferramenta que permitirá aos administradores e colaboradores do site inserir conteúdo audiovisual no corpo dos verbetes. A informação é do Technology Review, site ligado ao MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

Um novo botão, rotulado de “Adicionar Mídia” (Add Media), deve aparecer para os usuários registrados do site em dois ou três meses. A partir daí, será possível adicionar vídeos com informações relacionadas ao verbete em edição. Os vídeos deverão estar hospedados em repositórios de vídeo cuja licença seja gratuita.

Não será preciso instalar nenhum aplicativo de edição de vídeo, uma vez que a própria ferramenta que será disponibilizada pela Wikimedia Foundation permitirá que o editor do verbete escolha quais partes do material bruto serão gravadas na página do verbete, a partir de um processo de edição bastante simplificado.

Inicialmente serão três repositórios de vídeo: Internet Archive (com aproximadamente 200 mil vídeos), Metavid (que armazena vídeos do Congresso dos Estados Unidos) e também o Wikimedia Commons, serviço mantido pela Wikimedia Foundation que já possui mais de 4 milhões de arquivos de mídia.

A Wikipedia é considerada hoje a maior enciclopédia do mundo, com mais de 10 milhões de verbetes escritos em mais de 260 línguas. Todo o site é mantido através de doações de usuários, uma vez que o acesso é gratuito e não há anúncios nas páginas.