Windows 7

Windows 7 foi lançado em julho de 2009 pela Microsoft. Sucessor do Windows Vista, ele herda uma série de recursos da versão anterior do sistema, como o visual Aero e a barra lateral (Windows Sidebar). Internet Explorer 7 é o navegador padrão e o Windows Media Player 12 é o software incluso para reprodução de filmes e músicas. Entre os aplicativos novos para W7 estão o Windows Calendar, auxiliar de agenda da Microsoft; Windows Mail, para envio e recebimento de mensagens; e Windows Movie Maker, para edição de filmes no computador de casa.

windows-7-starter-lista-inclusoesAtendendo a pedidos de usuários, a Microsoft anunciou hoje mudanças no Windows 7 Starter Editions. Se antes a empresa prometia proibir que donos de netbooks instalassem o novo sistema operacional em suas máquinas, a política agora é outra: poderão sim, mas algumas restrições deverão ser observadas.

Principal mudança é o fim no número de aplicativos que poderiam ser utilizados simultaneamente. Quem comprou o Vista Starter Edition, por exemplo, só podia utilizar três aplicativos ao mesmo. No caso do Windows 7 Starter, a empresa removeu essa restrição. Para felicidade geral dos usuários.

A empresa apontou que os fabricantes de computadores poderão escolher qual sistema instalar na máquina, mas também disse que as edições Starter e Home Basic serão vendidas somente em 32-bit e com várias funcionalidades não inclusas. A lista de itens removidos do Windows 7 Starter Edition inclui Aero Glass, reprodução de DVDs e o suporte ao Modo XP.

De todas as ferramentas removidas, creio que a que vai fazer mais falta é o suporte a vários monitores. Não está claro se isso inclui projetores, mas se incluir, vai jogar um balde de água fria nos planos de professores que já usam netbooks em suas aulas, aproveitando-se de salas multimídia ou de projeção.

O Windows 7 começará a ser vendido mundialmente em 22 de outubro. [Neowin]

Windows 7 a US$30 para os estudantes americanos

Windows 7 a US$30 para os estudantes americanos

Sim, a Microsoft realmente quer garantir o sucesso do Windows 7. E uma das maneiras é ter uma grande base de usuários instalada nas instituições de ensino. É por isso que, numa oferta válida até  o dia 3 de janeiro de 2010, a gigante de Redmond oferecerá o Windows 7 a estudantes pelo reduzido valor de US$30. Segundo a Microsoft, isso é “maneiro demais pra deixar passar”.

A oferta é válida apenas para estudantes matriculados em escolas e universidades americanas autorizadas, e ofertas similares estão disponíveis na Grã-Bretanha, Austrália, Canadá, França, Alemanha, Coréia e México. Ela se aplica às versões Home Premium e Professional do sistema operacional, e os estudantes estão autorizados a comprar uma cópia de cada pela loja online da Microsoft. O sistema, inclusive, não será enviado em mídia física aos estudantes, e sim baixado por eles na versão de sua escolha: 32 ou 64 bits.

O valor de US$30 é bem menor que os preços normais: uma cópia do  Windows 7 Home Premium custaria US$120 para quem já possui uma licença do Vista, e US$200 para os demais; uma cópia do Windows 7 Professional, analogamente,  custaria US$200 (upgrade) ou US$300 (normal). Coincidentemente, o valor de US$30 é também o preço do principal concorrente do Windows 7, o recém-lançado Mac OSX Snow Leopard.

O Windows 7 tem seu lançamento previsto para o dia 22 de Outubro. [AppleInsider]

A Wedge Partners, empresa de pesquisas baseada no Colorado, publicou um relatório no qual afirma acreditar que a Apple lançará novas versões dos iMacs e dos MacBooks. Seria questão de semanas até que os novos equipamentos fossem anunciados.

Para o iMac, o desktop tudo-em-um vendido pela Apple, a Wedge Partners prevê um redesign que dará ao computador uma aparência “mais fina”, com “design orgânico provavelmente com extremidades arredondadas ou lisas”. O curioso dessa previsão da empresa é que os iMacs atuais já tem os cantos arredondados, como você pode ver na imagem abaixo.

O Mac já tem cantos arredondados. (Apple)

O iMac já tem cantos arredondados. (Apple)

A empresa de pesquisas não quis fazer apostas sobre como seria o novo design dos MacBooks da Apple: limitou-se a dizer que será “limitado”. Não há como saber se a empresa se refere ao MacBook (o branquinho) ou os MacBooks Pro (feitos de alumínio), uma vez que ambos recebem o mesmo nome, embora tenham designs bastante distintos. Mas cabe lembrar que a linha Pro passou por um redesign no ano passado, quando a Apple adotou processo de fabricação da carcaça semelhante ao do MacBook Air.

No relatório a Wedge Partners disse que acredita numa queda de preços dos computadores vendidos pela Apple, com o objetivo de combater os PCs que serão vendidos com sistema operacional Windows 7, com lançamento previsto para outubro.

Também em outubro é quando a Apple normalmente faz a apresentação da linha de produtos para o ano seguinte. [AppleInsider]

Além de ter Genius Mixes e nova interface para a iTunes Store, o iTunes 9 tem mais uma vantagem para aqueles ealy adopters que já utilizam o Windows 7, próxima versão do sistema operacional da Microsoft que só será disponibilizada para o grande público em 22/outubro.

Controle fácil de reprodução de mídia no iTunes 9 e WMP.

Controle fácil de reprodução de mídia no iTunes 9 e WMP.

Antes do aplicativo ser atualizado, somente o Windows Media Player (salvi engano) permitia que o usuário do computador controlasse a execução das músicas diretamente a partir do ícone presente na barra de tarefas. Com a chegada do iTunes, isso muda, uma vez que será possível ter os comandos de retroceder, pausar e avançar a um clique de distância.

Parece que é uma mudança insignificante, mas para quem usa o iTunes aberto durante todo o dia, não ter que clicar no ícone do aplicativo, esperá-lo abrir e então poder controlar a reprodução naquele momento é de uma ajuda incrível. Essa mudança também prova que a Apple está sim de olho nas novas oportunidades que o Windows 7 possibilita.

Faz dois anos desde que a Microsoft lançou a versão “mais recente” do Windows Mobile, o Windows Mobile 6.1. Desde então a atenção que a empresa dá ao sistema operacional voltado para celulares inteligentes parece ser mínimo. O próprio David Weeks, gerente de produto do Windows Mobile, admite isso: “nós estamos dois anos defasados”.

Mas não pense que a maior empresa de software do mundo desistiu frente à briga com Apple, RIM e Palm. Segundo o mesmo David Weeks, atualmente o Windows Mobile 6.5 é a segunda prioridade da companhia. Logo atrás do Windows 7, evidentemente.

David Weeks fez uma rápida análise do mercado de telefonia, no qual ele enxerga RIM e Microsoft como as principais empresas para atender o segmento de negócios. Já a Apple, com seu iPhone OS, e o Google, principal desenvolvedor do Android, são os líderes do segmento de telefones voltados para o consumidor médio.  Segundo Weeks, o movimento inverso se iniciou: a Apple sai em busca de clientes corporativos, e as empresas que antes atendiam a clientes corporativos também querem atender os usuários domésticos.

O executivo vê na Nokia o principal perdedor nessa corrida, “cuja participação nesse mercado caiu de 68% para 43%”. Mas cabe lembrar que a Nokia ainda é a maior fabricante de dispositivos móveis do mundo. No Brasil, ela abocanha 41,5% do mercado de celulares, sendo líder absoluta; em segundo lugar está a Sony-Ericsson, com apenas 12,4% de market share.

Windows Mobile 6.5: foco em donos do iPhone que usam vários dispositivos.

Windows Phone: foco em donos de iPhone que usam outros dispositivos.

Com o lançamento do Windows Mobile 6.5, planejado para 6 de outubro, a Microsoft planeja uma nova ofensiva. O alvo principal será o iPhone, embora David Weeks diga que não. Através de pesquisa, a MS descobriu que donos do smart da Apple normalmente possuem um segundo dispositivo. Já a Microsoft pretende oferecer, no Windows Mobile 6.5, uma plataforma completa que integre ferramentas de trabalho (leia-se Microsoft Exchange) com contatos pessoais e endereço de email particular.

Mesmo dizendo que a Microsoft não está correndo atrás da Apple, o executivo alfinetou a empresa: “Windows Phone [futuro aparelho com Windows Mobile 6.5] pode rodar até 31 aplicativos simultaneamente. O iPhone pode rodar só um”. Resta saber se o Windows Mobile 6.5 vai “rodar até 31 aplicativos” devagar quase parando, como em versões anteriores. [Times Online]

msfesta

No mundo do Linux, a expressão Install Party (festa de instalação, em tradução livre) é bem conhecida. Trata-se de um evento em que várias pessoas trazem seus computadores (sejam eles desktops ou notebooks) para que sejam instalados neles alguma das distribuições Linux disponíveis. Os organizadores das Install Parties dão apoio, tirando dúvidas sobre o sistema e ajudando na instalação. Nessa semana, a Microsoft mostrou querer um pedaço dessa festa.

Através de uma propaganda usando o site House Party, a fabricante do Windows incita seus usuários a se cadastrarem para “fazer parte da história do Windows”, além de serem os “anfitriões da festa de lançamento do Windows 7″. Se forem selecionados, os organizadores receberão um Windows 7 Ultimate autografado por Steve Ballmer e um ‘pacote de festa’ com um tema escolhido (PhotoPalooza, Media Mania e outros dois igualmente estranhos), além de participarem do um sorteio de um PC no valor de 750 dólares.

Essa “festa”, no entanto, está aberta apenas para residentes nos EUA. Elas acontecerão de 22 a 29 de outubro e o vencedor do PC será anunciado dia 30. Concordo com David Coursey, da PC World, quando ele diz que essa propaganda parece pedir uma festa para ajudar seus amigos a se livrarem do Vista o mais rápido possível. [PCWorld]

Asus Eeepc: Bom, né?

Asus Eeepc: Bom, né?

A empresa de pesquisas DisplaySearch, pertencente ao respeitado NPD Group, descobriu que as vendas dos netbooks cresceu ao dobro da velocidade das vendas de notebooks convencionais. Durante o período entre inverno e primavera no Hemisfério Norte, os computadores compactos tiveram crescimento de 44%, equivalente a 38 milhões de máquinas vendidas. Enquanto isso, as vendas de notebooks cresceram “apenas” 22% (vale lembrar que o mundo está saindo de uma crise econômica).

Parte desse crescimento elevado é atribuído aos mercados latino-americano e asiático, onde os netbooks são encontrados por preços bastante competitivos em relação aos netbooks convencionais. Sendo mais baratos, acabam sendo a opção de pessoas que não dispõem de muito dinheiro para comprar o computador.

Esse mercado poderia ganhar um crescimento ainda maior caso a Microsoft decidisse vender licenças do Windows 7, com lançamento previsto para outubro/2009, a preços similares às do Windows XP. No entanto, a empresa parece não ser muito simpática à ideia de manter o preço do XP no Windows 7 para o mercado de netbooks. [Electronista/Foto: shinji_otaku]

Processador Core i7

Processador Core i7

A MSI anunciou hoje algo bastante aguardado pela indústria de notebooks: a empresa planeja lançar, já no próximo mês, aparelhos utilizando processador Intel Core i7. Por enquanto, serão modelos de 15,4 e 17 polegadas, que provavelmente estarão preparados para o sistema operacional Windows 7, que tem lançamento em 22 de outubro.

Esse processador já era esperado para notebooks, mas somente nas máquinas voltadas para os gamers. Os Core i7 costumam ter um enorme consumo de energia para entregar a alta performance que jogos mais atuais exigem, além de ser considerado produto premium, custando mais caro que outros processadores.

A reportagem do CNET News entrou em contato com a Intel, que disse que a MSI fez o anúncio antes da hora. Segundo a Intel, a previsão de lançamento dos notebooks com Core i7 para setembro está errada. [CNET]

A Microsoft vai oferecer a edição Family Pack do Windows 7 em oito países da Europa. Com isso,  o Family Pack não ficará restrito a apenas dois países (a saber: Estados Unidos e Canadá). Também foi confirmado definitivamente pela empresa que o Windows E, edição do sistema operacional sem o Internet Explorer 8, não será disponibilizado para os europeus.

Windows 7 Family Pack: 3 licenças do Home Premium.

Windows 7 Family Pack: 3 licenças do Home Premium.

Brandon LeBlanc, integrante da equipe de desenvolvimento do Windows 7, disse em post no blog do sistema operacional que consumidores de Alemanha, Áustria, França, Países Baixos, Irlanda, Reino Unido, Suécia e Suíça poderão optar pela compra do Windows 7 Family Pack, que nos Estados Unidos custa US$ 149, com direito a três licenças do Windows 7 Home Premium, mas restrito a quem optar pelo upgrade de Windows Vista para Windows 7.

Segundo LeBlanc, o Windows 7 terá uma versão sem Windows Media Player no continente europeu, chamada de Windows 7 N. Embora a edição N do Windows Vista seja um fracasso (ninguém quer comprar um sistema operacional sem media player quando existe uma edição com o aplicativo pelo mesmo preço), a empresa insiste em lançar o sistema operacional na Europa sem o WMP para evitar acusações de truste ou monopólio da Comissão Europeia.

A pré-venda do Windows 7 nesses países será feita pelas lojas online locais da Microsoft e também por parceiros no varejo, com data prevista para início em 1º de setembro. Quase dois meses depois, em 22 de outubro o grande público poderá comprar o Windows 7.

Enquanto isso, ainda não temos nenhuma informação sobre preços e disponibilidade do Windows 7 no Brasil.

Logo-Firefox-3.5O presidente da Mozilla Foundation, fundação que mantém o desenvolvimento do Mozilla Firefox, resolveu falar o que pensa sobre a tela de escolha de navegador que a Microsoft propôs à Comissão Europeia, como forma de dar ao usuário a chance de optar por outro browser que não seja o Internet Explorer.

Mitchell Baker escreveu que, com a proposta da Microsoft, perdeu-se o objetivo mais importante na disputa da Comissão Europeia, que é a posição “singularmente privilegiada” do Internet Explorer no Windows. Baker listou alguns problemas que a forma atual da tela de escolha de navegador apresenta:

  • O Internet Explorer continua no sistema, inclusive com posicionamentos proeminentes na interface.
  • A escolha de outro navegador como padrão não faz com que esse navegador substitua o Internet Explorer. Mitchell Baker cita como exemplo o atalho para IE na área de trabalho, que permanece mesmo se o navegador escolhido seja outro.
  • Ainda sobre posições privilegiadas na interface do sistema operacional, Baker diz que no Windows 7, por exemplo, o Internet Explorer permanecerá na barra de tarefas mesmo que, digamos, o Firefox seja escolhido como browser principal.

Baker diz que nenhuma proposta que ele tenha visto muda os privilégios do Internet Explorer. Segundo o executivo, o quadro só muda caso o usuário opte por outro navegador e também descubra como “desligar” o Internet Explorer.

Para o presidente da Mozilla, outros navegadores têm desvantagem com relação ao Internet Explorer porque o aplicativo da Microsoft estará presente no Windows 7 de forma nativa. Caso o dono do computador escolha usar o Firefox, por exemplo, precisará baixar e rodar o instalador. Baker tem medo que usuários não consigam concluir essa tarefa, aparentemente fácil.

A Mozilla também não está completamente satisfeita com a forma como outros aplicativos da Microsoft manipulam links, geralmente enviando o usuário para o Internet Explorer, e também com o Windows Update, que poderá ser usado no futuro para habilitar o IE como navegador padrão sem o consentimento do internauta. Segundo Baker, o navegador “não deve usar o processo de atualização do Windows como uma oportunidade para perguntar se pode voltar a ser o navegador padrão”. [TechRadar]