A Oracle venceu o processo que movia contra o Google por conta do uso não-autorizado do Java no desenvolvimento do Android. Quer dizer, venceu mais ou menos, porque o Google também ganhou. Mas se você é um pessimista, os dois perderam, tudo depende de um ponto de vista.

A corte responsável por julgar o processo movido em 2010 pela Oracle por quebra de direitos autorais no Android liberou um veredicto parcial na segunda-feira, em que afirma que o Google, sim, violou direitos autorais da API do Java na criação de seu sistema operacional para dispositivos móveis. Mas isso não significa que o gigante da web seja exatamente culpado no caso, já que os jurados não conseguiram determinar se o uso do Google se encaixa no Fair Use, nem que foram violados os direitos autorais da documentação do Java.

Cópia do código do Java no Android: na prática não decidiram nada.

Fair Use é um conceito da legislação norte-americana que permite o uso de material protegido por direitos autorais sob determinadas circunstâncias. No caso da violação do Java, uma das argumentações do Google é que foram usadas apenas nove linhas de código da Oracle em toda a criação do Android, e que eles já foram retirados da plataforma.

De acordo com o site AllThingsD, durante o julgamento a Oracle “falhou em provar que sofreu danos com a infração”, enquanto o Google sabia que teria que licenciar o Java da Oracle para ter compatibilidade com a plataforma.

Desta maneira, a Oracle sai do julgamento com uma vitória nas mãos, mas certamente terá que se contentar com uma indenização bem abaixo dos US$ 1 bilhão pedidos inicialmente. Analistas afirmam que dificilmente a empresa conseguirá mais do que “modestos” US$ 100 milhões.

Com informações: IT Pro.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Andressa Ramos Daud
Cara... HELLOOOO, é o que o processo diz, o que a Google argumentou e o que a Oracle não conseguiu desmentir. Agora você acha que sabe mais que a corte americana, especialistas da área, Oracle e Google juntas ?
Rennan Alves
Infelizmente eu também não sei. Mas devido a tamanha quantidade de requisições é provável que seja na inicialização do sistema (chamando os demais métodos e classes para carregar). Respondendo o amigo Edmilson abaixo, a mudança deu-se na versão 4.0 (ICS), dita como uma "revolução" no Android, uma vez que eles mudaram muita coisa no código (provavelmente tirando estas nove linhas) visando estabilidade e interface, infelizmente sacrificando o baixo consumo de hardware.
Edmilson
Não tenho grande noção de programação então acho que vocês possam me tirar uma dúvida: "foram usadas apenas nove linhas de código da Oracle em toda a criação do Android, e que eles já foram retirados da plataforma." Se elas eram tão importantes assim como foram retiradas sem prejudicar o sistema? fico imaginando oque elas faziam.
lucas
A briga da Oracle não foi pelas 9 linhas de código copiadas.. E sim pela cópia de toda especificação e design da API do Java. Nome de Classes, nome de Interfaces, nome de métodos, herança..
esan_br
Passa os 100 milhões pra mim e está tudo certo.
Gabriel
Não sabia que era um trecho de código tão requisitado, sabe qual o intuito dele? Se for o construtor do objeto "HashMap", por exemplo, não deixa de ser algo facilmente contornável.
Luandersonn
Até hoje fico na esperança de mudarem esse sistema, mas o capitalismo é forte demais.
@mabolbass
Em nove linhas se faz um filho hahaha.
Guilherme macedo
Usaram 9 linhas da Oracle.. Ou seja... Alguma função besta do sistema... o Sistema é todo java, mas apenas essas 9 linhas eram de alguém da Oracle que foi pra Google e quando mandaram ele fazer alguma coisa, ele pensou: "Rapaz... Na Oracle eu fazia essa função com apenas 9 linhas... Vou fazer!!" Não tem lógica a Oracle processar a Google por usar a linguagem java...É a mesma coisa que a Microsoft me processar por ter escrito um programa em C# usando algumas funções.
Rennan Alves
Bem, o estranho é que essas 9 linhas são as mais chamadas em tempo de execução (em torno de 2600 vezes em comparação às outras). Ou seja, podem ser só 9 linhas, mas todo desenvolvedor sabe que basta uma linha de código para fazer todo o sistema parar/começar a funcionar.
Guilherme Macedo C.
Usava só 9 linhas e hoje nem usa mais. Essas 9 linhas eram de versões antigas do Android.
Guilherme Macedo C.
Nenhum. Uma coisa é fazer programas em Java, outra é usar partes do Java que não são abertas para compor outros programas.
Guilherme Macedo C.
Patente do FAT da Microsoft estão entre as mais absurdas do mercado hoje. Se houvesse uma estrutura alternativa, ainda vai, mas não há. É usar de forma inapropriada patentes.
Guilherme Macedo C.
100 milhões por 9 linhas de código que nem estão mais no Android.
Guilherme Macedo C.
O "tudo que já existe" é o problema. Hoje patentes genéricas e muito amplas estão em vigor. Vc mesmo em casa fazendo uma linhas de código pode quebrar alguma obscura patente de alguma empresa.
Exibir mais comentários