Atenção, leitores: o Brasil deve receber uma nova operadora. A partir do ano que vem, a Virgin Mobile desembarcará no nosso país e irá oferecer um novo serviço de telefonia móvel. A proposta da Virgin é ser uma operadora voltada ao público jovem. Assim, considerando o atual cenário da telefonia móvel brasileira, é de se esperar planos pré-pagos e controle, com ofertas em minutos e pacotes de dados.

A operadora já possui operações em 10 países: África do Sul, Austrália, Canadá, Chile, Estados Unidos, França, Índia, Inglaterra, Catar e Singapura. A operação no Chile é recente: a rede foi inaugurada há 6 semanas. O foco atual da operadora é a América Latina, que começou pelo Chile. O próximo país a receber a Virgin é a Colômbia e, em seguida, o Brasil.

Virgin Mobile: em breve, no Brasil

Entretanto, há um pequeno detalhe: saiba que a Virgin não terá suas próprias antenas, uma malha de fibras ópticas ou estações repetidoras. Ela será uma OMV, sigla de operadora móvel virtual.

O que é uma OMV?

Conhecidas no resto do mundo como MVNOs, as operadoras virtuais alugam a infraestrutura das operadoras já existentes para realizar suas operações. Normalmente, as operadoras virtuais atuam em nichos de mercado onde as outras telecoms não têm interesse em manter sua atuação. Apesar de não ter que se preocupar com redes e equipamentos, as operadoras virtuais precisam uma estrutura comercial e de atendimento, além de, é claro, estratégia.

No caso da Virgin, todas as suas operações são virtuais. Na Austrália, por exemplo, a infraestrutura física é da operadora Optus. Nos Estados Unidos, da Sprint. No Chile, a operadora madrinha é a Movistar, irmã da Vivo brasileira. Com isso, a probabilidade da Vivo ser a operadora responsável pela rede da Virgin é bem grande, apesar da telecom estar em negociação com todas as operadoras.

Com o atual cenário da telefonia móvel brasileira, é difícil encaixar uma operadora utilizando as infraestruturas atuais. Hoje em dia, a qualidade do serviço já não é das melhores, e colocar outra operadora no meio pode piorar a situação. Calma, não acontecerá um caos nas comunicações: a partir do momento em que as operadoras físicas abrem espaço para operadoras virtuais, há metas de qualidade a serem cumpridas, cobradas tanto pelas OMVs como pela Anatel.

Pioneira no Brasil

No Brasil, ainda não há nenhuma OMV em operação. Algumas empresas (Pão de Açúcar, Carrefour, Banco do Brasil, GVT, Abacomm e Spring Wireless) já posicionaram um certo interesse pelo modelo de negócio. Já há um contrato fechado: em fevereiro do ano passado, a seguradora Porto Seguro firmou uma parceria com a TIM para ser a primeira operadora virtual no país. Entretanto, pelo andar da situação, parece que é mais fácil a Virgin Mobile (que tem muita experiência no assunto) chegar antes.

Eu considero as OMVs como um excelente negócio: é bom para as operadoras físicas, que alugam a sua rede e não têm concorrência direta. É bom para as operadoras virtuais, que conseguem enxergar oportunidades onde os atuais players não enxergam. E é bom para os consumidores, que possuem mais uma opção de serviço. No exterior, o modelo de negócio é um sucesso: até redes de supermercados tem sua própria operadora.

E você? O que acha dessa ideia de operadoras virtuais?

Com informações: Teletime

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Piko Aplo
dari mohamed [email protected]
McFake
2014 já está acabando e até agora nem sinal dela...
Bruno Silveira
Resumindo, a infraestruta que ja é ruim no brasil.. vai ficar ainda pior e mais sobrecarregada...
Victor Hugo Cavalcante Torres
Eu queria saber se eu comprando um celular pela amazon sendo que na descrição tem dizendo que ele é da Virgin Mobile, quando ele chegar aqui e eu puser um chip Brasileiro, ele vai pegar tranquilo
@gabrel
Já é ruim com a infra das operadoras que já existem, imagina com essa virtual? Sem chance!
@renoirfaria
Jesus em? Que comentário mais...
Diogo
Nos Estados Unidos a Virgin Mobile funciona muito bem. Mas o mais atrativo mesmo são as tarifas. Para ligar para qualquer celular nos estados unidos, se paga $0.22/minuto o que daria hoje, mais ou menos, R$0.47. Já pra ligar pra telefones fixos em todo o país, $0.02/minuto o que daria R$0.04. E a melhor parte (para quem está viajando por lá): ligações para outros países possuem uma taxa extra, no caso do Brasil essa taxa é de $0.20 por minuto, ou seja uma ligação para celular no Brasil sairia por $0.42/minuto ou R$0.84. É claro que no atual cenário dos planos em vigência aqui no Brasil, ela terá que trabalhar para melhorar as tarifas se quiser pegar clientes de operadoras como a Oi e a TIM. Mas ainda assim, as tarifas deles são bem baixas em comparação com outras operadoras nos EUA, principalmente porque essas tarifas que passei são de telefones pré-pagos.
Fer
Nossa... To bem acordado... Serão*! XP
Fer
Que OMG o carramba... Seram tudo OHF (OHH F*CK)!
Fer
Ou dos com cérebro que ainda não encontraram a pessoa certa!
Fer
A questão é que NENHUMA operadora brasileira o faz!
Marcoscs
A preferida dos nerds.
Rafael
Tô sentindo que a OMV futuramente terá que mudar sua sigla para OMG....(Oh My God!)
Rukaza
Ta de brincadeira? Que diabo de área ociosa, que nada! Ultimamente a infraestrutura anda tão saturada que até a ligação anda engasgando! Quero ver só! A Virgin vai acabar é arrumando pra cabeça, porque além de cuidar da própria imagem, vai ter que fazer as brasileiras trabalharem! "Essa porra vai desanda é tudo véi! Eu vô é mete o pé antes que a merda espirre em mim..." - Famosa frase de um filme desconhecido.
Kessler
Sim, isso eu sei, mas a Nextel não usa só antenas de outras para as ligações?
Exibir mais comentários