A Apple é conhecida por não ser muito amigável com os concorrentes, especialmente quando patentes estão no meio de uma disputa judicial. Fabricantes de smartphones Android são frequentemente ameaçados de terem suas vendas barradas em vários países por apresentarem detalhes parecidos com os do iPhone. Com a mais nova patente do design do MacBook Air, os próximos a sofrerem com o bicho da maçã podem ser os fabricantes de ultrabooks.

A patente foi publicada nesta terça-feira (5) e cobre o design do notebook ultrafino lançado pela Apple em janeiro de 2008. O documento mostra exatamente 16 figuras ilustrando as principais características do MacBook Air, entre elas o conhecido formato com espessura maior na parte traseira e menor na parte frontal, além dos pés na base que evitam arranhões na parte inferior do produto.

Olha, um MacB... digo, Asus Zenbook.

O documento é bastante genérico, não contendo nenhum texto adicional além das descrições com quatro ou cinco palavras sobre as figuras. Apesar da Apple ter marcado com linhas pontilhadas os detalhes menos importantes do MacBook Air, como os pés na base e a disposição das portas laterais, muitos fabricantes de ultrabooks terão que pensar duas vezes para não utilizarem linhas e curvas que possam infringir a patente da Apple.

Você pode fabricar um ultrabook, desde que ele não seja parecido com esses desenhos.

Ultrabooks de concorrentes, como HP Envy Spectre e Asus Zenbook, possuem linhas bem parecidas com os desenhos ilustrados na patente, o que pode ser um grande problema, especialmente porque a Apple já utilizou suas propriedades intelectuais para travar batalhas judiciais contra concorrentes, especialmente no mercado de smartphones e tablets com a linha Galaxy, da Samsung.

Aparentemente, a patente é válida mesmo citando notebooks com design semelhante lançado antes do MacBook Air, como o Sony Vaio X505, vendido em 2004 pelo absurdo preço de US$ 2.999. De qualquer forma, nós já estamos escrevendo as notícias sobre os processos da Apple contra Intel, HP, Samsung, Asus e outros fabricantes de ultrabooks para adiantar trabalho.

Com informações: The Verge.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Ruy Lobo
Tem que processar mesmo. É muita cara de pau copiar um produto de sucesso. Por que não fizeram antes? Basta olhar o Asus Zenbook da foto pra ver que, se não for ilegal, é, no mínimo, imoral! A incompetência é tanta, que no dia em que a Samsung deixou de copiar o iPhone, fez um bicho feio pra ..... A HTC faz produtos belos, vide HTC Ultimate, por exemplo, sem precisar copiar ninguém.
@iJeanCarlos
Está corretíssima em patentear o design do MacBook Air,já que o alvo das "copiadoras" agora é tentar fazer um ultrabook igual ao MBA. Que sejam criativas e parem com essa mediocridade de esperar a Apple lançar algo para depois copiar.
@iJeanCarlos
Está corretíssima em patentear o design do MacBook Air,já que o alvo das "copiadoras" agora é tentar fazer um ultrabook igual ao MBA. Que sejam criativas e parem com essa mediocridade de esperar a Apple lançar algo para depois copiar.
CDelm_
E olha que eles tinham razão...
Matheus
é bem por aí....
Matheus
Chega a ser ridículo de absurdo....
@kadugaspar
O mais ridículo é dar poder para a Apple processar modelos lançados antes do MacBook Air. Quase assumindo que o conceito não foi desenvolvido pela Apple.
Hoodjiah
Só uma correção. No Brasil, esse tipo de proteção específica não é chamada de patente,e sim de desenho industrial (que diz respeito apenas à forma ornamental do objeto em questão). As patentes visam proteger, grosso modo, saltos tecnológicos (invenções) ou mudanças de forma que resultem em melhoria funcional (modelos de utilidade). Neste caso, a proteção pleiteada diz respeito apenas ao desenho da máquina (desenho industrial). Nos Estados Unidos, porém, esse tipo de proteção é chamado de 'design patent'. Mas, reitero, no Brasil, esse tipo de proteção é chamado de desenho industrial.
Rafael
Entendi. E concordo.
Gabriel
Sim, eu concordo, mas isso é um reflexo da superioridade do marketing e design da Apple para o mercado leigo em geral. Por mais que algumas vendas sejam perdidas pela confusão dos leigos, fica claro que a Apple tem uma vantagem competitiva bem maior que a Samsung nesse mercado. A partir do momento que você se propõe a tomar muitas referências da empresa líder, você está se colocando abaixo dela em capacidade. Não há porque a Apple se preocupar muito com essas "cópias". A HTC, Nokia, Motorola e Sony tem mostrados designs com personalidade e qualidade em seus smartphones e mesmo a criticada Samsung trouxe isso com o Galaxy SIII. Nesse mercado, a Apple já não é a resposta para tudo. Em notebooks, acho que os concorrentes estão bem aquém. Defender esses ultrabooks, é torcer pela mediocridade para não aceitar que a Apple que mais inova nesse mercado: design unibody, trackpad sem botão, gestos, "popularizou" notebooks ultrafinos e a bateria é muito acima da média desde sempre. Em resumo, MacBooks serão copiados mas esses nunca terão a mesma importância enquanto forem cópias. Mehor que todos copiem a Apple do que concorrênicia forte como ocorre no mercado de smartphones.
@rbicalho
Ahahahah. Excelente. Não sei como ninguém tentou uma patente em cima da roda, da curva e do segmento de reta.
@adrikei
Patenteia que dobra também!
Rafael
Em partes eu concordo com a patente. Certa vez eu lí (acho que foi aqui mesmo, no TB) sobre a Apple estar processando a Samsung por um produto ter características semelhantes ao iPhone. A justificativa era clara e fazia sentido: "O cliente, leigo, pode vir a se confundir e achar que é 'tudo a mesma coisa' por serem parecidos demais". Claro que fica a cargo do consumidor pesquisar e ver que são produtos totalmente diferentes (ou não), porém, se você for até uma FNAC da vida em um final de semana qualquer e prestar atenção nos consumidores, você dará toda razão à Apple.
Eumesmo
Prior art...
ricardo
Eu sei, apenas estava fazendo uma piada sobre a obsessão da Apple com suas patentes. Depois, como o artigo diz, essa patente se apropria de padrões vistos em modelos de outros fabricantes anteriores ao MAcBook Air, ou seja, algumas ideias que a empresa patenteia não foram fruto de "pesquisa", mas de cópia mesmo.
Exibir mais comentários