Início » Celular » As novidades do iOS 6 Beta

As novidades do iOS 6 Beta

Integração com o Facebook, novo sistema de mapas e Siri mais inteligente postos à prova em um iPhone 4S.

Avatar Por
7 anos e meio atrás

A Apple mostrou ontem quais recursos planeja implementar na versão 6 do iOS, o sistema usado em dispositivos móveis da empresa. E para que os desenvolvedores pudessem adaptar seus aplicativos à atualização, a empresa da maçã disponibilizou uma versão beta do iOS 6 voltado especificamente para eles. Eu tive acesso a essa versão, instalei no iPhone 4S e brinquei um pouco. Abaixo você confere minhas primeiras impressões sobre o sistema.

Configuração inicial

Desde o iOS 5 a Apple já oferece a opção de configurar um dispositivo com o sistema sem a necessidade de conectá-lo a um computador, e no iOS 6 isso continua obviamente. Mas um passo da configuração inicial sofre uma pequena alteração: agora é possível usar duas Apple IDs em um dispositivo, sendo uma para o iCloud e outra para as lojas de aplicativos e músicas.

Possibilidade de dois Apple IDs em um só aparelho

Não é uma mudança tão significativa, mas é a Apple admitindo que sabe que seus usuários têm mais de uma Apple ID para os serviços diferentes da empresa. Essa também pode ser uma indicação que a mesclagem de Apple IDs pode ser uma futura novidade do sistema, mas não torça muito por enquanto.

Mapas: adiós Google

Já esperávamos que o Google fosse chutado do aplicativo oficial da mapas do iOS, e isso realmente aconteceu. Agora o sistema usa recursos da conhecida fabricante de GPS TomTom (e diversas outras empresas, como você pode ver aqui) para mostrar o nosso planeta. Outro recurso da TomTom que foi implementado é a exibição de rotas curva-a-curva, que mostram itinerários em direção a um lugar específico.

Por enquanto não há muitas áreas disponíveis no Brasil. Obviamente, por se tratar de um sistema em teste a Apple não deve ter se preocupado em implementar o suporte a todos os países por enquanto e na disponibilização final dele é altamente provável que já esteja. Mas o residente no Brasil que escolher usá-lo vai ser agraciado com imagens pixeladas e poucas informações.

Outra novidade é o uso de mapas em 3D, algo que o Google já havia anunciado alguns dias antes para Android e os aplicativos móveis para iOS. Relatos de amigos desenvolvedores testando o aplicativo em outros iDevices me dizem que essa funcionalidade não está disponível no iPod Touch.

Aplicativos nativos redesenhados

App de música: tá bonito.

O iOS 6 trouxe uma bela atualização de interface em diversos aplicativos padrão. O mais notório deles, ao menos para mim, foi o player de música, que ficou um pouco mais claro e teve seus controles reposicionados. Ao tocar um podcast, existe uma nova opção de avançar 15 segundos também. Antes só havia uma opção de retroceder 30, se não me engano.

As lojas de aplicativo e de música também receberam merecidos facelift na sua navegação e funcionalidade: ao comprar um aplicativo, você não é expulso da loja, ele continua a baixar e você pode continuar navegando. Algo similar foi implementado na loja de música: ao ativar o preview de uma canção, você pode continuar navegando na loja enquanto ela toca.

Lojas repaginadas

Outros aplicativos que ganharam uma nova interface foram o de Tempo, a interface de discagem do telefone e até a câmera, que ficou um pouco mais clara - talvez inspirado no Android? O Safari continua com a mesma cara de sempre, mas agora mostra opções de compartilhamento no formato de ícones no lugar de uma lista com ações.

Integração com o Facebook

Fazendo companhia ao Twitter, o Facebook é a nova rede social que foi espalhada por completo na nova versão do iOS. Mas diferente da rede social de 140 caracteres, só é possível inserir uma conta por vez no dispositivo - o que não é de se espantar, já que um aparelho iOS foi feito para ser usado por uma pessoa só na visão da Apple.

Na própria opção dos ajustes é possível criar uma conta no Facebook, em passos bem segmentados. E a integração da rede social também está presente em outros aplicativos como os Contatos, onde eles são exibidos em conjunto com o resto da lista mas é possível separar os grupos, Calendário, que vai mostrar eventos e aniversários dos seus amigos, Fotos e as lojas de aplicativos e música, onde é possível curtir certos itens que serão postados automaticamente no perfil.

Siri aprendeu mais idiomas, menos o português

O assistente virtual Siri agora tem mais funções do que antes. Ela consegue fazer reservas em restaurantes, citar itens no calendário, falar ranking de filmes, iniciar aplicativos, postar tweets, atualizar o status do Facebook, avisar de placares de jogos e outras coisas. E além disso, o assistente virtual terá um botão integrado em carros e também chega ao novo iPad, o primeiro dispositivo além do iPhone que receberá o assistente.

Siri: integrado ao Facebook e Twitter.

Aliado aos novos comandos, o assistente também ganhou suporte a uma leva de novos idiomas. Dentre eles estão o espanhol, mandarin, coreano, italiano e até chinês. Infelizmente não foi dessa vez que o Siri aprendeu o português. Quem sabe na próxima?

Controle total da privacidade do sistema em um só lugar

Uma coisa que os usuários do iOS 6 vão notar assim que atualizarem para o sistema é a grande quantidade de permissões que serão exibidas. Para acessar a localização do usuário os aplicativos já precisavam pedir permissão, mas agora o acesso aos contatos, rolo da câmera, calendário e lembretes também receberão a mesma restrição.

Os aplicativos que acessarem qualquer funcionalidade que precisa de permissão ficarão listados na sessão de privacidade e poderão ser desativadas individualmente.

Outros pequenos grandes detalhes

Como sempre a Apple foi atenta aos detalhes. Para atualizar as mensagens no aplicativo de e-mail, por exemplo, agora é possível apenas arrastar para baixo - ação que virou padrão em outros aplicativos. Os novos aplicativos recém-baixados agora recebem uma faixa azul no canto superior direito, escrito "novo" até serem abertos pela primeira vez. A área de notificações ganhou widgets que permitem postar no Twitter e no Facebook.

Faixa no ícone e atualização no mail.app: detalhes são tudo.

A sessão de ajustes também ficou extremamente condensada. Itens que antes tinham suas configurações separadas agora estão juntos, como Fotos e câmera, brilho e imagem de fundo e as duas lojas da Apple. E há uma nova opção chamada "Não perturbe", que desativa notificações e impedem que chamadas façam o aparelho tocar.

Assim como no iOS 5, foram implementados aqui certos programas que ainda serão mais interessantes para usuários americanos. É o caso do Passbook, o app que reúne cartões de embarque, cupons, cartões de fidelidade e outros tipos. A menos que as empresas no Brasil implementem soluções que usem esse aplicativo, dificilmente veremos ele ser útil por aqui.

Mais sobrevida ao 3GS

A meu ver o principal trunfo do iOS 6 não é trazer novas funcionalidades aos atuais dispositivos móveis da empresa. Isso já é algo que esperamos de uma fabricante, seja lá qual for o sistema adotado. A surpresa fica por conta do suporte ao iPhone 3GS, um celular lançado em meados de 2010 2009. Claro, ele não vai ganhar todas as funcionalidades que estarão presentes no iPhone, mas ainda assim vai ganhar uma sobrevida graças à atualização.

Ao mesmo tempo, é estranho ver o iPad de primeira geração - que tem componentes relativamente parecidos com o do iPhone 3GS - ficar fora do update. Ao que parece a Apple quer tornar apenas os seus dois últimos modelos de iPad mais interessantes ao mercado.

Como um todo, o iOS 6 beta tem se mostrado até bem estável para uma versão de testes do sistema. Ele será disponibilizado para todos os clientes na forma de uma atualização gratuita em setembro, mas até lá a Apple prometeu liberar atualizações incrementais aos desenvolvedores com correções de bugs e novas funcionalidades. Vamos publicar novos posts com as novidades assim que elas forem liberadas.

Colaborou: Thássius Veloso.

Mais sobre: , , ,