Início » Software » Microsoft conta como fez o aplicativo de email do Windows 8

Microsoft conta como fez o aplicativo de email do Windows 8

Menos botões e menos recursos para atender usuários médios. Ficou bacana.

Por
6 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Ainda não estou totalmente convencido de que o Metro é a melhor aposta em termos de inovação visual para computadores pessoais. Em tablets pode até ser; em máquinas de trabalho não. Pelo menos o aplicativo de email (ou Mail, nome em inglês) parece que atende bem as necessidades do usuário que adota o software. Nessa semana a Microsoft publicou um artigo no qual enumera algumas das decisões a serem tomadas para fazer um cliente de email do zero e totalmente focado na experiência do usuário.

Esqueça o Live Mail porque este software foi para o limbo no Windows 8. De fábrica o Mail vai suprir as necessidades básicas de qualquer pessoa com uma conta de email. Aliás, com duas ou três contas de email. A Microsoft recolheu as estatísticas para uso de email e chegou à conclusão de que o internauta usual tem uma conta de email para assuntos pessoais, outra para coisas do trabalho e talvez uma terceira conta para receber avisos de descontos, cupons e toda essa bobagem que a gente insiste em assinar mesmo sabendo que nunca vai comprar nada.

Pastas praticamente não são usadas, diz a MS. Tudo bem que no trabalho cada mensagem que recebo entra em pelo menos uma pasta. Contas de email de pessoas “comuns” não funcionam assim, então não puseram tanto foco no recurso para gerenciar cinquenta ou mais pastas (palavras da companhia). Também detectaram que as pessoas normais recebem mais ou menos 180 mensagens de email por semana. Pode comparar com a sua caixa de entrada — aposto que você recebe mais. Usuários pesados de email, mostram as estatísticas, chegam a receber até 2.100 emails numa única semana.

Email no Windows 8

De posse desses dados, a maior fabricante de software do mundo (dizem alguns analistas; eu não sei ao certo) desenhou o aplicativo Mail que você vê acima. Simples, com poucos recursos, visual fluído e quase nada de botões.

De acordo com a companhia, optou-se pela interface com três paineis para mostrar as informações relevantes tirando proveito dos monitores widescreen. Um toque dos dedos permite pular de uma conta para a outra. No painel do meio aparecem os destinatários e o assunto da mensagem somente, com direito a uma foto ao lado da pessoa que a mandou. Para a gente reconhecer rapidamente os amigos, familiares e pessoas que importam para nós, diz a Microsoft.

Ler a mensagem é mais sossegado porque elas ficam compreendidas em uma largura de 640 pixels sempre que possível para evitar o cansaço dos olhos. Lá no topo aparece uma foto enorme do remetente, para que não haja dúvidas da procedência.

Escrever email

Mandar um email abre uma nova tela ainda mais simples. Dois paineis: à esquerda mostrando os dados do destinatário e à  direita mostrando o assunto da mensagem e o conteúdo. A Microsoft diz que optou por separar em duas seções distintas porque a exibição de teclado virtual tomaria boa parte da tela. Dessa maneira os elementos visuais ficam organizados, bem distribuídos e ainda funciona bem (essa é a promessa) em tablets.

Escrever email no iPad 2 / iOS 6

Eu não pude deixar de comparar com a interface do meu iPad 2 para escrever mensagens. Realmente, pelo que posso observar, há mais espaço e é mais cômodo digitar texto para um email no Windows 8. As informações parecem mais organizadas. No tablet da Apple tudo parece menor, um estímulo para que o usuário coloque o poder de síntese em funcionamento.

Repare que os botões virtuais no Windows 8 são bem poucos. No canto superior direito tem como escrever uma mensagem ou mandar a que está selecionada para a lixeira. Pouparam recursos para que o dono do dispositivo não se perdesse em meio a tantas opções. E quer saber? Essa economia faz bem. Simplifica as coisas.

Ainda falta a possibilidade de selecionar várias mensagens e usar o bom velho arrastar-e-soltar para coloca-las em uma determinada pasta. Não custa nada implementar esse recurso. E a compatibilidade com alguns serviços de email precisa ser modificada para que o sistema entenda quando é para excluir e quando é para “arquivar” um email.

Essas são as poucas broncas que eu tenho com o Mail da Microsoft. Ah, sim: ainda falta a opção de modificar a assinatura de email. Esse sim é de vital importância.