Início » Celular » Windows Phone e o problemático envio de emails

Windows Phone e o problemático envio de emails

Mensagens truncadas e com codificação errada são uma constante.

Avatar Por
7 anos e meio atrás

Estamos nos encaminhado para o final do Abrindo Janelas, este canal especial relatando toda a nossa experiência com o Windows Phone. Se houve mais reclamações do que elogios, pode ter certeza que essa relação desproporcional vem do nosso próprio uso de celular com Windows no cotidiano. Hoje eu quero tratar do cliente de email embutido no sistema da Microsoft. Outros artigos ainda virão.

À primeira vista tudo funciona nos conformes. Adicionar uma conta de email é muitíssimo fácil e a plataforma automaticamente entende contas do Live (fornecido pela Microsoft), Gmail/Google Apps, Yahoo Mail e Nokia Mail.

Como o Windows Phone deve necessariamente estar atrelado a um endereço do Live, de cara temos uma conta Hotmail ou similar pronta para enviar emails. Essa realidade é controlada em todas as frentes pela MS. Não há do que reclamar. E considere também que o Hotmail é o serviço de email com maior número de usuários cadastrados: a maioria do público não terá problemas.

Dito isso, explico o meu uso particular do cliente de email. É por meio dele que falo com a maioria das pessoas e empresas, recebo mensagens de cunho pessoal e profissional, agendo entrevistas e fico por dentro das novidades do Twitter. Para isso utilizo uma conta de Gmail e uma conta profissional fornecido pelo Google Apps — basicamente, um Gmail com domínio diferente. Nessa minha realidade o Windows Phone vem falhando miseravelmente.

Os problemas são de ordem variada. Apagar uma mensagem faz com que ela suma da caixa de entrada, mas permaneça como não lida no servidor. Quando encaminho uma mensagem, o remetente original simplesmente desaparece e quem recebeu o encaminhamento não tem como responder para o primeiro interlocutor.

Estes são alguns problemas contornáveis. O pior deles, a meu ver, diz respeito ao envio de mensagens truncadas. Seja uma nova mensagem, uma resposta para algo que lhe mandaram ou um encaminhamento, a mensagem escrita por ti chega quebrada ao destinatário. Os acentos ficam irreconhecíveis e, de brinde, o Windows Phone ainda manda um cabeçalho totalmente dispensável para o contato antes de exibir a mensagem bagunçada.

Fica assim:

Email truncado: enviado de um Lumia 800 com Windows Phone 7.5 Mango

Imagine mandar um email para um cliente importante respondendo alguma questão mais importante ainda para depois descobrir que a mensagem foi truncada. Desesperador num mundo em que as comunicações se dão por email com tanta frequência — e há quem diga que ele está morrendo.

Eu fui até a sede da Microsoft Brasil em São Paulo conversar sobre o assunto com Décio Farias, gerente de produto para Windows Phone, e Mário Abreu, especialista de tecnologia de Windows Phone. A explicação que tenho é de que o sistema se comporta seguindo os ajustes feitos pelo usuário no servidor de email. No caso, aquilo que está nas configurações do Google. A Microsoft garante o funcionamento perfeito com os produtos que ela mesma disponibiliza: Outlook, Exchange ActiveSync e aquilo que roda na plataforma do Hotmail. Tecnicamente falando, Gmail não é da alçada deles.

Discordo da visão da visão da companhia. Quando decidem desenvolver um produto para consumidor final, que não tem um técnico à disposição para realizar ajustes conforme a necessidade, o mínimo a se fazer é acertar as coisas para que funcionem nos serviços mais utilizados. Não há dúvidas de que os emails do Google são amplamente utilizados na grande rede, certo?

Diz a Microsoft que o consumidor deve configurar o serviço de email porque o Windows Phone segue as instruções presentes ali. Essa é a resposta oficial: não se responsabilizam. O comportamento é diferente da superfechada Apple, que ao longo dos anos foi modificando a integração do iOS com o Gmail e o Google Apps para funcionar da melhor maneira possível. As melhorias continuam no iOS 6 em vias de ser lançado. O Windows Phone teve mais tempo para se adequar a essa realidade. Ainda assim, a posição da MS é outra.

Unicode para mensagens: não funcionou

Mário Abreu sugeriu alterar o ajuste de codificação do email no Google para o Unicode (UTF-8) em todas as mensagens de saída. Existia a possibilidade de corrigir o envio de mensagens com essa simples alteração. No entanto, não verifiquei nenhuma melhoria quando há mensagens mais longas. Para aquelas curtas, respondendo mensagens brevemente, geralmente o Windows Phone não quebra a codificação porque o conteúdo vai inteiro de uma só vez. Quando o email tem conteúdo mais extenso acontece de o WP enviar aos poucos. Assim ocorre o fenômeno das mensagens truncadas.

Mover para a lixeira: não funcionou

Mover para a lixeira: não funcionou

Outra sugestão: definir para “Mover a mensagem para a Lixeira” nos ajustes do Google para quando uma mensagem for marcada como excluída. Fiz o teste e não funcionou. O Gmail mantém a mensagem como não lida, porém a retira da caixa de entrada. Vai parar no “All Mail”, ocupando espaço.

Segundo Abreu, o Google não criou uma especificação que permita implementar o recurso de arquivar mensagens. Tudo o que o telefone faz depende do servidor, e por vezes o servidor do Google não está ajustado da maneira certa para o comportamento que o consumidor espera. “O servidor dita as regras”, complementa Abreu.

Outro comportamento estranho do Windows Phone com email do Google fica por conta do agrupamento de mensagens em threads. Recurso antigo que o Google trouxe para o grande público, como você sabe, em tese ele deveria funcionar do mesmo jeito. Na prática, depois de mandar e receber muitos emails, percebi que o WP utiliza somente o assunto da mensagem para recuperar a thread com a conversação completa. Experimente mandar emails sem assunto: caso a resposta do contato venha, vai aparecer em uma conversa com trocentas mensagens relacionadas.

Diz a Microsoft que não se trata de um problema, mas uma maneira de lidar com os dados da mensagem de maneira diferente daquela empregada por outro player. Parece-me que o Google utiliza várias informações além do assunto para criar as threads. Concluo que o funcionamento pode até ser diferente e que não seja um problema propriamente dito, mas há espaço para melhorar o cliente de email.

Quem opta pelo Windows Phone precisa saber destes pequenos detalhes do email nativo antes de ir à loja e comprar o dispositivo. Em especial que usa muito o email no trabalho com a tecnologia do Google envolvida. Não estou dizendo que o problema aconteça em 100% do tempo. Mas acontece quando não deveria acontecer jamais. Com uma frequência perturbadora, devo acrescentar.

Gostaria de saber o que os leitores adeptos do Windows Phone têm a contar sobre a experiência de email no sistema da Microsoft. Também têm enfrentado esse problema? Os comentários estão abertos.

Atualizado às 18h40.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários.