Início » Internet » Google decidido a combater a pirataria em resultados de busca

Google decidido a combater a pirataria em resultados de busca

Buscador modifica algoritmo para privilegiar serviços de conteúdo reconhecidos.

Avatar Por

Resultados de busca do Google passam a considerar, a partir da próxima semana, também fatores relacionados a conteúdo ilegal. O buscador anunciou nessa sexta-feira que adicionou alterações ao algoritmo de pesquisa para que páginas reconhecidamente detentoras de pirataria apareçam em posições inferiores nas páginas de resultados. Este é o gigante da web tomando a frente na briga contra o conteúdo ilegal.

O Google diz que a modificação faz parte da tentativa de oferecer uma experiência melhor para os usuários. Conteúdos legais de áudio, vídeo e downloads fornecidos por empresas confiáveis devem aparecer na frente a partir de agora, para que os internautas tenham acesso primeiro àquilo que é comercializado e garante a sobrevivência dos artistas envolvidos.

O buscador exemplifica da seguinte maneira: músicas que receberam resenha do site da NPR (agência comunitária de notícias), programas de TV publicados no Hulu e rádios transmitidas pelo Spotify vão ascender nos resultados.

Enquanto premia os bons provedores de conteúdo, o Google penaliza sites delatados por conterem conteúdo pirata. Para tanto, vai considerar o número de notificações de copyright consideradas como válidas.

Vale lembrar que a atualização no algoritmo ocorrida no ano passado, quando o Panda entrou em ação, trouxe novos desafios para quem produz conteúdo para a internet – o Google sinalizou muito claramente que as páginas de conteúdo deveriam ser mais densas e completas para que aparecessem na frente nos almejados resultados de busca. Modificações e correções vieram depois que o Google Panda entrou em funcionamente, porém a premissa básica de valorizar o conteúdo denso continua inalterada.

De acordo com o Google, atualmente a companhia verifica por dia mais notificações de copyright do que no ano de 2009. Foram mais de 4,3 milhões de endereços (URLs) revisados somente nos últimos 30 dias. A companhia esclarece que manterá ferramentas para que os webmasters se defendam das notificações de copyright.

O presidente da MPAA, associação americana que defende os produtores de filmes, não perdeu tempo: manifestou-se a favor do anúncio do Google. “Ficaremos de olho no desenvolvimento [do recurso] – o mal está sempre nos detalhes – e esperamos que o Google tome os próximos passos para assegurar que seus serviços favoreçam criadores e negócios legítimos, não ladrões.”

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Joao Pedro Paulino

Enquanto isso todos os sites de animes e apps BR cairam....parabens GOOGLE ....tudo para as pessoas sairam pagando qualquer merda e encher teus cofre de dinheiro....

Luandersonn
Acho difícil usar OSX + IE9.
Maria
Engraçado ascender rádios transmitidas pelo Spotify, sendo que o programa está disponível em pouquíssimos países, e o Brasil não é nenhum deles!
Guimer
Engraçado pois o site Nº 1 com notificações de copyright é o Youtube
@TatoGomes
Sério que tem gente que acha que a pirataria vai acabar?
Gabriel
Não esqueçamos que o Google Play está distribuindo conteúdo além de software...
tchones
*virão!
Welington Souza
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Jean
Sou contra a pirataria. Por outro lado, essa atitude limita a liberdade dos usuários...
Marcos
Com essa o Google já era...Bing a vista (2)
Guilherme Amarino
Esse é o primeiro passo para o fim...
Marcos Almeida
Taí i resultado, e a história se repete, quando uma empresa ganha poder demais (leia-se domínio) acaba dando nisso, a liberdade da Internet é atacada. Combater pirataria não é responsabilidade do Google, como já disseram, foi por pressão (monetária) dos estúdios e gravadoras.
Marcus
Pesquise no google qual foi o gasto de produção desses filmes e a arrecadação com BILHETERIA... aliás, nas franquias da Marvel a mídia filme é a melhor. Me diverti bagaraí assistindo no cinema os dois primeiros Homem de Ferro e Os Vingadores, nenhum arrependimento por ter gasto bem mais do que gastaria nos Blurays e nenhum arrependimento por ter assistido várias vezes os Homem de Ferro como eu quis... ah, se assistir como eu quis vai impedir a pobrenária Paramount, que está à beira da falência, subsidiando ingressos, de produzir outro, dane-se, assisto os da Warner (que não são melhor que os quadrinhos, mas são igualmente divertidos).
Diego
Pirataria com menos destaque será mais ou menos como a salinha dos filmes pornôs em locadoras?
@CapJSheridan
O YouTube é do próprio Google, é um produto do Google e o Google é responsável pelo seu conteúdo, diferente das páginas que o Google indexa e não são do Google, não cabendo a ele controlar seu conteúdo Se o Pirate Bay, o MegaUpload ou qualquer outro site contém arquivos piratas, ele deve ser processado de acordo com as leis vigentes em seu país ou de acordo com as leis de direito internacional. Agora, se não há processo e nem há decisão judicial, como o Google pode tomar uma decisão em favor de uma das partes?
Exibir mais comentários