Início » Internet » Google não admite crime, mas topa pagar milhões em multa

Google não admite crime, mas topa pagar milhões em multa

Buscador inclui cookie para rastrear usuários do Safari.

Avatar Por

Custará ao Google a nada simbólica quantia de US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 45,3 milhões) para reparar uma complicada situação detectada pelo FTC, órgão americano cuja prerrogativa é proteger os consumidores (off e online). O buscador adicionou cookies para usuários de Safari no Mac OS, iPhone e iPad, mesmo depois de dizer que não utilizaria este recurso tão comum para direcionar propaganda contextualizada.

O FTC diz que se trata da maior multa civil já paga por uma companhia americana. O órgão determinou que o Google não cumpriu a palavra de restringir o uso dos tais cookies em “variados meses” de 2011 e de 2012. Com os cookies, o Google consegue identificar melhor os internautas e posicionar propaganda de carro para quem pesquisa por informações sobre automóveis, por exemplo.

Safari, o navegador dos Macs

De acordo com o órgão, o Google informou aos internautas que o Safari, o navegador nativo dos dispositivos da Apple, bloqueia por padrão cookies de terceiros e que essas pessoas serão excluídas no uso do recurso, utilizado pela rede de publicidade da DoubleClick, uma empresa que foi comprada pelo buscador. Além disso, o gigante da web faz parte de um grupo que determina, em seu código de conduta, algumas regras que proíbem o uso dos cookies nessas circunstâncias.

Parece que o Google usou uma brecha no navegador Safari para incluir o cookie do DoubleClick, que permitiria a adoção de outros cookies de terceiros em seguida.

Diz o Ars Technica que o Google concorda em pagar a multa, mas que não admite (!) ter cometido uma infração ao usar os cookies num ambiente em que isso não era permitido.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@LBKatan
Seu comentário até foi interessante, à primeira vista, mas ficou, na minha visão e opinião, completamente errado. A Internet, pra você, pelo que entendi, não é algo livre, "grátis", e sim um produto. É como se tudo que existisse na internet tivesse que ser pago. Nem todos os sites precisam ou usarão ads. Pode dar uma olhada lá na Wikipedia que você não encontrará ads. Aquilo é tudo de graça, tudo livre pra você ler a hora que quiser, sem limites, sem propagandas, etc. Claro que nem todos os sites têm o suporte que a Wikipedia recebe. Então, alguns deles, "precisam" de ads para sobreviver, como grandes blogs e portais. Mas nem todo mundo pensa assim. Eu, por exemplo, tenho um blog sem ads. Por ser pequeno e por não achar tão interessante a ideia de ganhar dinheiro com internet. Se meus leitores se sentem melhor sem os ads, é assim que vai ficar. Eu, particularmente, não tenho nada contra os ads, mas, num "mundo livre", acho que as pessoas podem ter o direito de não gostar. E tem bastante conteúdo para essas pessoas. Os bloqueadores de cookies servem para que uma pequena parcela dos que acessam o site, uns poucos dólares, fiquem livres de ter suas informações capturadas e distribuidas. Se um cara faz um site que FORÇA seu público alvo a alguma coisa (principalmente com essa ideia de "experiência limitada" que você propôs), ele pode não se dar tão bem, no final das contas, quanto se tivesse deixado o usuário ter suas próprias decisões e vontades e as respeitado. Isso é o que acho baseado em muita coisa que já vi, li e experimentei por aí.
Petter
Manda seu endereço que eu mando a fatura, é fácil dar uma de pagante quando tudo o que acessa e gratuito.
Edmilson
Eu no lugar de donos de sites passaria a usar metodos de identificar os navegadores que bloqueiam cookies, não quer propaganda direcionada? Ok então terá propaganda genérica piscando, os visitantes tem conteúdo gratuito e não custa nada ver algo interessante ali no canto, facilita até para lembrar de possíveis compras. Colocaria uma mensagem bem no começo "Para o total aproveitamento do conteúdo deste site se faz necessário que os cookies estejam ativos, caso contrário sua experiência será limitada" Algo com reloads automáticos e etc. Podemos escolher se queremos ou não ser rastreados e os sites podem escolher como querem que suas paginas apareçam para nos, pode mudar de site? Sim mas se todos o fizerem não tem para onde correr, e acho dificil um site sair deste grupo afinal não estão bloqueando usuários interessantes e possíveis pagantes mas sim um grupo que só quer sugar sem dar nada em troca.
Thiago Leite
Eu entendo empresas como a Microsoft e Apple que "só" querem o seu dinheiro. Mas o Google e o Facebook são empresas ~perigosas~, eles querem mais do que isso... eles querem a sua VIDA! hauhauaha... ( pior que é verdade :( )
@TatoGomes
Toda vez que vejo notícias desse tipo, lembro do Gmail Man... Aquele vídeo é sensacional! =D
Kessler
*por que
Kessler
Não sei porque usaram o termo "crime" no título, o próprio corpo e o site em inglês deixam bem claro que não há nada a ver com crime no processo todo.
Dymas
RISOS
tchones
E ainda tem quem defenda com unhas e dentes o Google...
Tiago Gabriel
Eu uso.
Tiago Gabriel
Então o Google só quer fazer uma doação, já que não tem culpa.
@mos_axz
Vou virar flanelinha de lá então =D
@mos_axz
Então porque não acessar só os sites onde você tem assinatura? A questão é que isso faria a web ficar extremamente restrita. Imagine se cada site te cobrasse o valor da exibição, quão mais caro sairia.
Andre
Se o conteúdo é bom, eu prefiro pagar. É só mandar a fatura. No demais, Adblock neles. Aliás, esse é o único motivo de eu usar o Chrome, que tem o melhor Adblock. Caso contrário, usaria só IE 10.
@daniloficial
isso é troco pro google
Exibir mais comentários