Um canal no YouTube vem causando polêmica. Lá há mais de 150 filmes brasileiros completos. Obras raras, como “Cabra marcado para morrer”, que, de acordo com O Globo, sequer foi lançado em DVD. Um verdadeiro acervo de conteúdo genuinamente nacional concentrado em um só canal. Há apenas um problema: os conteúdos ali não foram devidamente licenciados para exibição na internet. São ilegais.

Há mais de 229 horas de produção nacional escolhida por um filósofo e jornalista que escreve sobre cinema no blog A Casa de Vidro. Eduardo Carli, o autor, disse ao jornal carioca que não sabe até que ponto a pirataria interfere na vendagem de grandes produções como “Avatar” ou “Batman – O Cavaleiro das Trevas”. No canal dele também tem “Tropa de Elite 2”, um filme muito antecipado depois que o primeiro da franquia pipocou nos camelôs antes de chegar às salas de cinema. Ainda assim, foi um sucesso.

“Amarelo Manga”, “Carlota Joaquina: Princesa do Brasil” e “VIPs” entre os filmes listados

Outro ponto curioso do canal diz respeito à ausência de uploads. Sim, é isso mesmo: Carli não enviou nenhum dos vídeos para o site, propriedade do gigante Google. O canal “Filmes Brasileiros Completos” funciona como uma lista de reprodução. O autor garimpou e encontrou as produções completas no próprio YouTube. Fez a lista e publicou. Entretanto, ele diz que não foi responsável por qualquer dos conteúdos. Já estavam ali.

O Google respondeu o seguinte em nota, ainda segundo o jornal:

“O YouTube não é o responsável pelos vídeos publicados na internet, oferecendo apenas uma plataforma tecnológica sobre a qual milhões de pessoas criam e compartilham seus próprios conteúdos. O Google acredita que essa liberdade de expressão é um dos fatores que tornam a Internet tão rica e útil para a sociedade. Os casos de uso indevido dessa liberdade, como material com copyright, são punidos com a remoção dos conteúdos ilegais identificados e sinalizados pelo dono de seus direitos, mas o Google não exerce controle prévio sobre os conteúdos criados pelos usuários nem fará o papel de polícia ou de juiz em relação a eles.”

De fato, o site de vídeos não é responsável pelos vídeos publicados na internet. Entretanto, até onde a nossa legislação vai, parece que existe a dúvida sobre a responsabilidade do Google para conteúdos publicados em plataforma própria, o YouTube. A situação difere daquela em que a apresentadora Xuxa pedia para o buscador remover imagens do resultado de busca – ela perdeu e o Google não controla o que é publicado na internet; já no YouTube sim.

Content ID, uma tecnologia criada pelo YouTube, faz as vezes de “controle prévio” do conteúdo publicado. Identifica áudio e vídeo e os transforma numa espécie de impressão digital única que é checada a cada novo upload. Conteúdos de terceiros são rapidamente identificados, desde que a empresa detentora dos direitos autorais mantenha contato com o site de vídeos e seja adepta do Content ID.

Content ID detecta conteúdo de terceiros

Content ID detecta conteúdo de terceiros

Por exemplo, um simples vídeo de divulgação de Mists of Pandaria, a continuação de World of Warcraft, rendeu um aviso no canal do Tecnoblog no YouTube: “Corresponde ao conteúdo de terceiros”. Só não sabem que temos autorização da Blizzard para reproduzir o vídeo. Diferentemente, ao que tudo indica, daqueles filmes nacionais – e alguns internacionais, organizados em outro canal – que Carli agrupa no YouTube.

Vejamos o que acontece a partir de agora. Alguns vídeos foram excluídos da playlist.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Emerson Wintaker
Sinceramente não sei como ficará isso. Ontem mesmo eu tava garimpando filmes completos no youtube e achei de tudo! Só pra citar exemploS: Rambo 2, Homem Aranha, Batamam, entre outras infinidades. E também há todos os clássicos da Disney como Branca de Neve, O cão e a raposa, etc. Agora, o que irá acontecer? Todos esses filmes serão removidos de uma hora pra outra? As produtoras farão acordo para ganharem com a publicidade em cima das obras? Não sei... Mas o que sei é que com todos esses filmes a disposição eu estou me tornando muito mal acostumado, pq só encaixo o cabo HDMI do note na TV de 29 e tenho a disposição uma verdadeira locadora online e de graça o tempo todo. Prático e viciante.
Calebe
"Vídeos que nem foram lançados em DVD"!!! Ta ok, já que é obra brasileira rara, por que não disponibilizar para os brasileiros assistirem? Poderia ali, uma empresa como a Petrobras patrocinar o canal (pagando o proprietário do filme verdadeiro) para que o povo assista (e nem precisa ser pelo Youtube)!!!!
Alex
pois é, ele teve uma sacada inteligente. ele não violou nenhum direito autoral simplesmente porque os vídeos não são dele. é de terceiros, ele apenas copiou o link do filme já existente. se alguém violou algo, esse alguém não é ele e sim o que subiu o vídeo, ou os vídeos.
diogod
Se enxerga, o mundo mudou! Sua comparação não faz o menor sentido.
Marcos
E não é apenas esse canal que tem filmes completos. Tem um outro também que tem vários filmes completos ( O Dólar Furado é um deles ) http://www.youtube.com/user/anacletoreis2?feature=watch
Valdete Lima
Estou muito feliz de encontrar este site. Acabei de assistir ao documentário Lake of Fire. Muito bom! Eu morei nos EUA por muito tempo e cheguei lá exatamente em 93 quando os ataques às clínicas de aborto aconteceram. Excelente conteúdo, o tecnoblog. Já entrou para os meus favoritos. Parabéns!
Tiago Gabriel
Vou procurar filmes do Mazarope!!!
ricardo
É direito dos produtores reclamar a autoria, mas enquanto eles não o fazem, que mal há em disponibilizar esses filmes, que nunca têm espaço na mídia tradicional? São raridades, filmes que não estão mais no cinema e nem vendem mais cópias em DVD.
Rafael Feuro
O cara que acha que paga pelo que quer e não paga pelo que não quer deveria ter uma loja, comércio ou afim e ser assaltado toda semana. Numfode, muita hipocrisia.
@Atyla56
Não sou à favor da pirataria, não sou à favor de pegar as coisas de graça... Devemos sim, valorizar o trabalho das pessoas envolvidas no projeto cinematográfico (no caso). Assim como um Médico não faz um trabalho grátis, ele usa sua inteligência para o bem, mas quer dinheiro, é uma recompença, fez por onde... Porém, e dou ênfase ao PORÉM, tem filmes muito antigos, clássicos que já não se encontra em mídias (talvez, e talvez, muito raramente se acha um VHS que convenhamos, nada prático). Então por quê não ter o direito de ver estas obras clássicas? Quantos avós/avôs não vão se deliciar vendo o que passou em sua época? (Ok, minha avó compraria se achasse pelo menos em dvd...). Neste caso eu acho legal disponibilizar o download. Eu por exemplo já peguei alguns destes filmes e salvei no meu HD. Errado? Quem sabe... Mas fazer o quê? Se não sai pelo menos um dvd...
@iDavidFreitas
Meu voto! AFFF
Marcos Almeida
Cara, pensei o mesmo.Se quem detêm os direitos reclamar , então o Google que tire, caso contrário deixa quieto... E nem adianta vir um "moralista" barato encher o saco, eu sei exatamente o que é certo e errado.
Ryo
Tem coisa que nem se encontra mais, deixem isso lá, parem de divulgar! Que achado!
Kessler
Então faça o próprio conteúdo e distribua assim, ora. Muito fácil querer dizer como os outros devem distribuir suas propriedades intelectuais. Ninguém é obrigado a assinar contrato com gravadoras, fazer filmes com atores caros. Tanto não são como muitos realmente não o fazem.
Guilherme Macedo C.
Mas só ganha dinheiro vídeos originais, cujo autor é o próprio dono da conta e outros requisitos.
Exibir mais comentários