Depois de noticiar que a Amazon iniciaria a operação brasileira com a venda de produtos físicos pequenos, o jornal Brasil Econômico informa em reportagem publicada nessa terça-feira que o gigante do varejo eletrônico adiou os planos de vir para o Brasil. Se a esperança é a última que morre, caro leitor, esteja certo de que está descansando até pelo menos junho do ano que vem. Agora a Amazon trabalha com este prazo máximo para adentrar no mercado brasileiro.

Jeff Bezos, fundador da Amazon, na capa da Fortune

O jornal diz que executivos da Amazon visitaram centros de distribuição em São Paulo. Entretanto, não conseguiram decidir a tempo qual deles atenderia as necessidades da Amazon. Cidades como Sorocaba, Guarulhos e Campinas foram cotadas para estabelecer o negócio. Eles procuravam um depósito em construção que ficasse pronto até o primeiro trimestre de 2013.

A mudança de planos dá mais tempo para a Amazon estruturar a operação nacional. Representantes da companhia recentemente conseguiram na justiça o direito de deter e explorar o domínio amazon.com.br, que pertencia à fabricante de computadores de mesmo nome. Ninguém comenta o caso até que o endereço passe para o nome da Amazon.

A Amazon pretendia, segundo informações do Brasil Econômico, vender 1,1 milhão de produtos no último trimestre de 2012, com intenção de saltar para 4,8 milhões de unidades já no próximo ano. CDs, DVDs e livros estavam nos planos iniciais da Amazon, bem como modelos do leitor de e-books Kindle.

Como dito anteriormente por este humilde editor, o Kindle pode ser o grande trunfo da companhia de internet. Reza a lenda que editoras têm negociado com a Amazon para licenciar conteúdo digital – mais do que necessário para quem quer montar um negócio de venda de livros eletrônicos.

Não faltam operações da Amazon ao redor do mundo. Fora Estados Unidos, marcam presença em oito países, entre eles a China, única nação do grupo de BRICs (Brasil, Rússia e Índia, além dos chineses).

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Givaldo Santos
Porque tenho que pagar o valor da mercadoria e o mesmo valor impostos...O brasil é um lixo e não serve nem pra reciclar.
Caio Everton
Que triste. Tava sonhando com Kindle e livrinhos baratos. :(
Otton Moura
Sim, o domínio amazon.com.br é (há muuuuuito tempo) de uma empresa de treinamento sediada aqui em Belém e não de um fabricante de computadores. Daí o fato de eu não entender o porque a Amazon ter ganho na justiça o direito de explorar o domínio amazon.com.br, já que o domínio foi registrado em 1995 por uma empresa chamada Amazon sediada aqui na Amazônia. Mas não sei detalhes da ação... então...
ricardo
Os grandes empresários faturam alto, principalmente aqueles que têm lobby com o governo. Em contrapartida, os empresários mais jovens lutam contra a burocracia e a carga tributária para conseguirem ao menos entrar no mercado. É uma política que detona o empreendedorismo local.
ricardo
Você anda vendo muita novela.
Pedro
O governo tem culpa sim, tanto no aspecto tributário quanto regulatório/administrativo/legistlativo (não podemos nos esquecer que as grandes empresas são justamente as maiores financiadoras de campanhas políticas). Porém é um equívoco achar que a culpa recai sempre, em última instância, no governo que temos. O povo brasileiro é reconhecido mundialmente por, de maneira generalizada, buscar sempre levar vantagem em tudo. O fenômeno do "Lucro Brasil" é real e não tem tanta relação com o governo que temos, mas sim com os costumes e a história da nossa sociedade. E aliás, sempre que se pretende colocar a culpa no governo, temos que lembrar que nossos governantes são meros representantes do povo - tanto no aspecto legal quanto no aspecto estatístico.
Rodrigo Moura
"o domínio amazon.com.br, que pertencia à fabricante de computadores de mesmo nome" To vendo errado ou esse site é de um centro de treinamento em Belém-PA?
bawlaw
Caio, isso é regulamentar.. mas com uma força brutal. regulamento que só pode haver as empresas X Y Z no meu mercado. de qualquer forma a culpa REcai novamente sobre o governo
Bawlaw
Ahh ta bom.. Teriam duzias de operadoras diferentes e seria uma batalha dura pelos clientes, estes, exigindo confiança, qualidade e preço justo. Caso a operadora nao Corresponde as espectativas os clientes migram. Hoje temos a incrivel opcao de 4 operadoras.. Todas elas iguais em termos de má qualidade e preços Muito pior ja foi.. O monopolio da telebrás. Existem alguns saudosistas que gostam daquele tempo em que uma linha telefonica custava o preço de um carro....
Caio
o problema não é estar regulamentado.o problema é o regulamento só valer pra quem o governo determinar que vale
Otton Moura
Espero que esta entrada não seja adiada novamente. Apesar de não entrar com todos os produtos, a concorrência agradece.
Guilherme Macedo C.
É regulado justamente pra evitar abuso. Se não houvesse regulamentação seria um "tudo pode". Seria muito pior.
Rafael
O problema é a forma como o texto aqui expôs o fato. Parece até que a amazon venceu o processo judicial. Na verdade, como você disse, terminou em acordo.
bawlaw
olhe por exemplo o setor de telefonia* que é altamente regulado pelo governo e seus empresários têm o maior lucro do mundo nesse setor... ja foi pior, era um monopólio estatal, mas ainda tem muito à melhorar..
bawlaw
tomado à força?? isso é uma negociação entre vendedor e comprador.. o cara nao foi forçado à vender nada.. agora.. pagando bem... que mal tem? o vendedor vende pelo preço que ele quiser.. tem gente especializada em trollagem de dominios. antes da apple entrar no brasil por exemplo, um cara comprou o dominio www.apple.com.br para que no futuro a apple tivesse que pagar para ele para ter o .br obs: Um domínio .com.br custa em média 30 reais anuais e é facílimo de comprar um.. e vai ficar cada vez mais facil daqui para frente.
Exibir mais comentários