Início » Internet » “Eles que deveriam nos pagar”, diz CEO da Netflix sobre operadoras de banda larga

“Eles que deveriam nos pagar”, diz CEO da Netflix sobre operadoras de banda larga

Por
7 anos atrás

O CEO da Netflix, Reed Hastings, disse na noite de quinta-feira (30) que as operadoras de banda larga deveriam repartir a receita das assinaturas mensais com os provedores de conteúdo, entre eles a Netflix. Hastings deu uma resposta às teles que, também na quinta-feira, manifestaram-se a favor do repasse dos valores obtidos por serviços como YouTube e Netflix para financiar a infraestrutura de internet. “Eles que deveriam nos pagar! Nós  levamos o conteúdo até os assinantes deles”, afirma Hastings.

Assunto polêmico, a neutralidade na rede faz parte da proposta de Marco Civil da Internet, o documento que funcionará como a Constituição para a grande rede. Segundo Hastings, é fundamental que a neutralidade se mantenha. Entretanto, o executivo, que fundou a Netflix há 15 anos, admite que discussões acerca da neutralidade acontecem não só no Brasil, como também nos Estados Unidos e países da Europa.

Hastings também falou ao Tecnoblog sobre a nova legislação da Ancine (Agência Nacional de Cinema), que pretende cobrar mais dos serviços de streaming como aquele que lidera. “Ainda é preciso esperar. Esse mercado está se desenvolvendo ainda. Precisamos da inovação que está por vir”, defende o executivo. Existe a informação de que a Netflix seria obrigada a pagar até R$ 21 milhões para transmitir aos assinantes filmes brasileiros em seu catálogo. “O que você acha disso?”, perguntou-me o executivo, complementando em seguida: “Eu acho que está muito caro.”

Reed Hastings, fundador e CEO da Netflix (imagem: reprodução / netflix.com)

Reed Hastings, fundador e CEO da Netflix

A Netflix chegou oficialmente ao Brasil no ano passado. Cobra R$ 14,90 mensalmente para acesso ilimitado a filmes e séries em variados dispositivos, entre eles o Xbox (depende de assinatura Gold fornecida pela Microsoft) e PlayStation. O serviço também tem aplicativos para Android e iOS (tanto iPhone como iPad). Há 1 milhão de assinantes da Netflix na América Latina. Hastings não respondeu qual é a importância do mercado brasileiro neste cenário. Ele projeta que Brasil e México serão países líderes em streaming de conteúdo. Quando? O executivo também não responde.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.