Há quatro anos, neste mesmo dia, a maior empresa exclusivamente de internet apresentava seu próprio navegador. Um aplicativo pensado do início ao fim para facilitar a vida do usuário. De quebra, trazer alguns cliques a mais nas publicidades exibidas com o buscador padrão, o Google. Hoje o Chrome completa quatro anos como um dos principais softwares de sua categoria. Quem diria que, em tão pouco tempo, o mercado mudaria tanto?

O Internet Explorer, líder absoluto da Microsoft de outrora, não tem mais aquela bela coroa. Não importa a companhia de mensuração: o IE perdeu mercado, muito mercado. E, dependendo da firma, dá para dizer que o browser da Microsoft perdeu o primeiro lugar. Aqui no Tecnoblog temos dados de usuários que mostram o Chrome na liderança. Em seguida vem o IE? Muito pelo contrário. Outro importante navegador figura na nossa lista de mais usados: o Firefox.

Claro que os leitores deste humilde site diferem do usuário médio de internet. Consumimos mais tecnologia, entendemos mais de informática e, por isso mesmo, a tendência é que façamos escolhas mais espertas — amparadas em mais informação disponível por aí. Curioso mesmo é quando chego no computador de minha avó e lá está o Chrome. Ou ligo a televisão e tem propaganda do Chrome antes da novela.

O Google continua intenso (na falta de um adjetivo melhor) na promoção do navegador próprio. Mostra uma mensagem quando alguém entra na capa da busca pelo Firefox dizendo que o acesso seria mais rápido se feito pelo Chrome. Ora, se o Google diz, por que iria contrariá-lo? Tem razão quem aponta essa agressividade como ponto fundamental para o crescimento do software.

Ainda assim, ele está aí. Com as atualizações pequenas e automáticas que não incomodam o internauta — ponto para o Google. Também tem a sincronização absoluta de todas as informações do usuário que estiver logado com uma conta do Google (da Microsoft que não seria, certo?). Outro ponto para o Google e para os usuários que querem as mesmas informações no computador de casa e no tablet (eu uso iPad; e uso Chrome no iPad). Sim, sim: outros navegadores já tinham o mesmo recurso. No Chrome ele está disponível para as massas. Pelo menos até a Microsoft adotar ideia similar.

E tem ainda o motor V8 para reprodução de JavaScript, um campeão de velocidade. Ou ainda os processos independentes no sistema operacional, criticado por uns e muito aclamado por outros. Dá até para bloquear a exibição de Flash nas páginas para, dependendo da necessidade, autorizar depois.

Conseguiram fazer um incrível navegador que atende muito bem à maioria dos internautas. Parabéns, Chrome, pelos quatro anos!

Leandro Alonso, nosso developer, manda avisar que até temos uma extensão para Chrome. Baixe e instale aí para ficar sabendo sobre novos artigos assim que forem ao ar.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Thiago Torati Neves
Parabéns ao Google Chrome pelos seus 4 anos! mais as vezes o próprio Google Chrome irrita, por isso tenha a segunda Opção: Firefox!
Toloko
ASUEHAUEHUAHEUAHEHUHASe Momento LOL do dia
@mundodcr
Usa o 'Exploder' e reclama que a internet está lenta, tsc...
jrk
Valeu a pena? Agora vc não tem nenhuma barra de ferramentas. Mas mesmo assim o Chrome está consumindo toda a memória RAM.
Gabriel
Ironicamente, porque ele não abre os sites direito. Em 2009, ele já tinha todos os recursos da concorrência atual quase, mas sempre dava dor de cabeça para fazer a função primordial do navegador. Infelizmente, esse problema continua, nem o Google suporta o Opera.
@anderson_xn
Se o "produto" é tão espetacular assim porque ele não é o mais utilizado? Por que pelo menos então ele não faz sombra para o Chrome? Gosto é gosto. Gostar de uma coisa não quer dizer que ela seja a melhor.
YanGM
Por que ninguém usa?
Thiago
orkut browser
YanGM
3G com velocidades de 1G, é bom dizer.
@guilhermefs_
Chrome tem algumas coisas que me incomodam. Continuo com o Firefox. (estou na aula, por isso o IE.)
alberto
Você sabia... que o IE8 foi o primeiro a adotar processos independentes no SO, algo adotado meses depois pelo Chrome?
@LBKatan
AND WEEEEEEE HAAAAAVE A WINEEEEEER!!!!!
Luís Junior
Opera não é um bom navegador? o Chrome possui um Identificador RLZ (uma sequência codificada enviada juntamente com todas as consultas do Google ou uma vez a cada 24 horas), uma identificação única ("clientID") para identificar o usuário nos logs, instalação automática do Google Updater, etc... Aqui estão os contras do Google Chrome (os que consigo lembrar, pois são muitos), a maioria deles está presente também em outros navegadores: Guias e janelas MDI As guias do Opera são feitas em MDI, significa que além de serem guias elas podem ser redimensionadas, organizadas, minimizadas, etc, como se fossem sub-janelas das janelas do navegador, as do Chrome e dos outros navegadores são apenas guias. No Chrome as caixas de diálogo são modais: se uma janela JavaScript abre no Chrome como uma confirmação pedindo OK ou Cancelar por exemplo, você estará preso, não poderá trocar de aba ou clicar em qualquer outra coisa até responder uma das opções ou clicar no X da janelinha. As caixas de diálogo do Opera são não-modais permitindo que você faça o que quiser antes de responder. As pop-ups abrem em uma nova janela, no Opera elas abrem em uma nova guia. O Opera nunca abre coisas em nova janela a não ser que você dê essa instrução explicitamente: o que eu nunca faço. Os outros navegadores fazem um misto dos dois e deixam tudo complicado... Página de nova guia, ou Speed Dial: Não permite escolher os sites exatos que você quer colocar na página; Não permite um número de sites maior que 8; Não tem atalho de teclado Ctrl + # (Número do item de Speed Dial) para ir para a página (ao invés disso o atalho é usado para trocar para a aba aberta de número correspondente da esquerda para a direita). Não tem escolha de quanto em quanto tempo se deseja que os sites (e suas miniaturas) sejam atualizadas. Guias fechadas: Possui lista de guias fechadas mas só um determinado número das últimas (no meu caso quando testei foram 9); Para ter acesso à lista é preciso abrir uma nova guia, no Opera há um botão no fim da barra de guias; Navegação Privada Só pode ser feita abrindo uma nova janela privada, no Opera você pode ter guias privadas e não privadas em uma mesma janela. Sandbox Ao fechar uma guia ela é completamente retirada da memória RAM, reabrir esta guia ou o mesmo site em outra guia significa recarregar o site ao invés de reabri-lo diretamente da RAM, ou seja, não será tão rápido quanto no Opera ou outros navegadores que mantém os dados na RAM (RAM foi feita pra ser usada com coisas úteis como essa que aumentam a velocidade geral da navegação). O uso de guias independentes pode gastar mais RAM (nesse caso a RAM gasta tem um sentido que acho inútil). As falhas de segurança e travamentos que supostamente estão presentes em navegadores que não aplicam o sandbox poderiam ser consertados (e o são por esses outros navegadores) ao invés de se aplicar um sistema que mascara o real problema e no fim não impede travamentos e outras falhas de segurança / roubo de dados causados por outras partes do software. Além disso até um sistema de sandbox pode ser quebrado, Java e Flash rodam em sandbox e causam estragos assim mesmo! Navegação por atalhos / Usabilidade Não inclui gestos do mouse (e não venham me falar de extensões que façam isso, mesmo que tenham sido desenvolvidas pela própria Google, isso não me tira o trabalho de ter que instalá-las enquanto já existe um outro navegador pronto para ser usado e com muito menos contras como mostro nesse texto). Possui uma boa lista de atalhos de teclado mas o Opera tem mais (e ainda é personalizável). Permite adicionar e alterar mecanismos de busca mas não os mostra como opções para busca no menu de contexto de texto selecionado.
@rafaelganesh
WINDOWS 3.11? POOOOHAN
@claytonpoitevin
HAHAHAHAA MUITO BOM
Exibir mais comentários