Hoje a Apple organizou um evento na Califórnia para atualizar seus produtos. Após apresentar os números de venda, Tim Cook chamou Phil Schiller, VP Sênior de marketing global, para anunciar os novos Macs. O MacBook Pro com Retina Display de 13 polegadas finalmente mostrou sua cara; o Mac Mini ganhou pequenos upgrades de hardware; e os novos iMacs estão bem mais finos que os anteriores.

MacBook Pro de 13 polegadas com Retina Display

O MacBook Pro com tela Retina de 13 polegadas possui 1,9 centímetro de espessura e 1,59 kg. Como apontavam os rumores, a resolução da tela é de 2560x1600 pixels -- quatro vezes mais que o modelo normal. Em relação ao MacBook Pro anterior, há um contraste 29% melhor e os reflexos diminuíram 75%. Phil Schiller aproveitou para destacar que vários aplicativos da App Store já suportam a nova definição de tela.

Nas laterais, há duas portas Thunderbolt, leitor de cartão de memória, duas portas USB 3.0, saída de vídeo HDMI e conector MagSafe 2. Assim como no modelo de 15 polegadas, não há drive óptico. As funcionalidades básicas do MacBook Pro continuam: o modelo possui câmera FaceTime HD, trackpad multitouch e teclado retroiluminado.

O modelo mais simples possui processador dual-core Intel Core i5 de 2,5 GHz, 8 GB de RAM e 128 GB de memória flash, com preço sugerido de R$ 6.999. O modelo com o dobro de SSD custa R$ 8.299. Eles começam a ser vendidos hoje nos EUA.

Mac Mini com hardware mais potente

O novo Mac Mini, que também começa a ser vendido hoje nos EUA, continua com o mesmo design compacto, mas o modelo de entrada ganhou pequenos upgrades de hardware: agora vem com processador dual-core Intel Core i5 de 2,5 GHz, 4 GB de RAM e 500 GB de HD. Preço no Brasil? R$ 2.499. É um valor absurdamente mais alto que a geração anterior, que começava por R$ 1.799.

A versão Server custa R$ 4.199 (?) e possui processador quad-core Intel Core i7 de 2,3 GHz, 4 GB de RAM e dois HDs de 1 TB.

Apesar de ser o Mac mais acessível, o Mac Mini pode receber vários upgrades na hora da compra: a RAM chega a 16 GB e é possível adicionar até 1 TB de HD ou 256 GB de memória flash.

iMac novo está ainda mais fino

Fino. Essa é a primeira impressão ao ver o novo iMac, desktop all-in-one da Apple. Segundo Phil Schiller, o iMac é o modelo de desktop mais vendido dos EUA e a nova geração possui espessura na borda 80% menor que a anterior. O drive óptico, assim como nos MacBooks Pro com Retina Display e no Mac Mini, não está mais presente.

O iMac continua sendo vendido em dois tamanhos: um de 21,5 polegadas (1920x1080 pixels) e outro de 27 polegadas (2560x1440 pixels). Ambos contam com uma tecnologia chamada Fusion Drive, que nada mais é do que um recurso que guarda aplicativos na memória flash (de 128 GB) e arquivos pessoais no HD (de 1 TB ou 3 TB). Dessa forma, é possível ter mais espaço sem encarecer muito o custo do iMac.

O modelo de 21,5 polegadas começa com processador quad-core Intel Core i5 de 2,7 GHz, 8 GB de RAM, GeForce GT 640M e 1 TB de HD por R$ 6.199. Já o iMac com tela de 27 polegadas começa com processador quad-core Intel Core i5 de 2,9 GHz, 8 GB de RAM, GeForce GTX 660M e 1 TB de HD por R$ 8.499.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

marcosh72
Diamante não conduz eletricidade.
Paulo Neto
Ainda bem que comprei meu Mac antes dessa atualização. Com os 2500 cobrados agora, eu pude colocar 8GB de ram e pegar um magic mouse e teclado, além do 10.8.2! =D
Iuri L Machado
Linux é muito mais rápido que um OSX.
tchaguin
Sistema lento? kkkkkkkkkkk Você que está ainda no ruindows vista, ja usou o OS X?? Essa foi boa.. é cada um que aparece
tchaguin
Sistema lento? kkkkkkkkkkk Você que está ainda no ruindows vista ja usou o OS X?? Essa foi boa.. é cada um que aparece
Silvio Ney
Se fosse apenas por esse motivo, explique a maioria terem fábrica no Brasil e o preço continuar? se fosse apenas por isso os preços de muitos aparelhos estavam 60% mais baratos by Brazil. Mas que é verdade, é. Como exemplo dos automóveis, que o imposto é 60%, transportadora 40%, distribuidor do BR 100%, revendedora 100%.
Bruno Silva
Já fiz inúmeros hackintoshes, com máquinas muito parecidas, nunca roda 100%, sempre me sinto usuário Linux buscando soluções para problemas que não deveria existir, eu passo.
Guilherme Macedo C.
Não é a carga tributária, é o Lucro Brasil. O empresariado coloca o preço alto pq sabe que o pessoal compra de qualquer jeito e vai jogar a culpa exclusivamente no governo. Apple, mesmo com desoneração fiscal de computadores e tablets, nunca baixou o preço. O que era pra ser desconto pro consumidor virou lucro pra empresa.
Miguel Junior
Apple não vende produtos, vende a marca. E quanto as pessoas que comparam preços do EUA com o Brasil, isso é errado! Nossa economia é muito mais semelhante com a da Europa. E outra, aqui não há empresas de transporte confiáveis, estradas decentes, segurança, etc etc etc... isso tudo ajuda a 'encarecer' o produto. Não estou defendendo o preço alto, más oque pagamos aqui, não é somente imposto não, boa parte do preço superfaturado, senão a maioria, se deve ao lucro 'cobrado' das empresas.
Andre Souza
(http://blogdohackintosh.com/) <-- Roda de boinha.
Bruno Silva
Roda OSX sem problemas, se rodar, eu aceito.
jacques
Com o preço do mac mini antigo até pensei em pegar um quando conseguisse algum cupom ou promoção por uns 1400, mas agora que o preço sugerido é mais de 2300 reais simplesmente a ideia foi ralo abaixo, Seria tão legal ter dois pcs na mesma mesa, o i7 com windows pra jogos e encode de video e o mac pra uso diário no silencio.
Gabriel
Tenho um exemplo muito melhor: na última atualização dos MacBooks, todos da linha Air subiram R$1000,00 e a linha Pro manteve-se com o mesmo preço. Qual o sentido disso? Ridículo, o jeito é parar de comprar aqui.
Gilbertonis
Você está enganado, o problema somos nós que compramos tudo a preço de ouro se a prestação couber no orçamento. Esse papinho de multinacional não cola mais, o governo vem dando muitos incentivos fiscais e os preços não baixam, um exemplo é a Apple, produzindo produtos em São Paulo e os preços se mantiveram iguais ao que era antes, o unico jeito de mudar isso é boicotar essas empresas!
GuiHarrison
Curtir +1
Exibir mais comentários