Início » Celular » Android 4.2 Jelly Bean é uma atualização mais simples

Android 4.2 Jelly Bean é uma atualização mais simples

Experimentamos o último sabor do Android no Galaxy Nexus.

Por
6 anos e meio atrás

Android 4.2: um novo sabor do Jelly Bean

Pouco mais de quatro meses após anunciar o Android 4.1, o Google chega com mais uma atualização relevante no Android. O nome continua o mesmo: nada de Key Lime Pie, a versão 4.2 ainda se chama Jelly Bean. Mas não é por isso que você deve ignorar esta atualização: vários recursos novos e melhorias em aplicativos nativos devem melhorar a sua experiência de uso. Nos próximos parágrafos você descobre quais são essas novidades.

Tela de bloqueio

A primeira mudança que você perceberá após instalar o Android 4.2 está na tela de bloqueio. Antes ela servia basicamente para ver as horas e não fornecia mais nenhuma informação muito útil. Agora a tela de bloqueio é capaz de exibir widgets. Isso significa que você poderá consultar rapidamente seus emails, compromissos ou mensagens de texto, sem precisar desbloquear o celular.

Para visualizar os vários widgets, basta deslizar a tela para os lados. Cada tela exibe apenas um widget, que pode estar no modo compacto (ocupa só a parte superior da tela) ou no modo expandido (ocupa toda a tela). Por enquanto só existem quatro widgets (Gmail, Google Agenda, Mensagens e Relógio digital), mas o Google afirma que é possível adaptar facilmente um widget para rodar na tela de bloqueio, logo, essa lista deve aumentar à medida que os desenvolvedores atualizarem seus aplicativos.

O comportamento do botão de desbloqueio mudou em relação ao Android 4.1. Antes ele poderia ser deslizado em três direções: para cima (iniciava o Google Now), para o lado esquerdo (abria a câmera) ou para o lado direito (desbloqueava a tela). Agora o botão desbloqueia a tela em qualquer direção. O Google Now está acessível por um pequeno botão na barra inferior e a câmera pode ser vista deslizando a tela de bloqueio para a direita.

Painel de configurações rápidas: útil, mas limitado

Painel de configurações rápidas

A central de notificações continua a mesma, mas há um pequeno botão no canto superior direito que abre um painel de configurações rápidas. Esse painel também pode ser acessado deslizando dois dedos para baixo.

O painel exibe informações sobre o estado do aparelho e permite configurar o brilho da tela, ativar o Bluetooth ou ver o horário do próximo alarme, por exemplo. Mas ele funciona um pouco diferente da barrinha que os fabricantes incluem em suas personalizações.

Tocar no ícone de Wi-Fi abre uma lista com as redes sem fio, em vez de simplesmente ativar ou desativar a conexão. O mesmo acontece com o ícone de Bluetooth, que abre uma tela com os dispositivos próximos a você. O Google poderia oferecer uma opção para modificar esses comportamentos padrões.

Câmera, Photo Sphere e Galeria

O aplicativo de câmera tem uma interface nova. Agora não é mais necessário abrir o menu lateral para ativar o flash ou mexer no balanço de branco da câmera, por exemplo. Basta tocar e segurar com o dedo na tela: um menu em formato de disco aparecerá e permitirá que você altere as configurações rapidamente. Bem mais prático.

Novo menu de configurações da câmera

A maior novidade da câmera é o Photo Sphere, que gera fotos panorâmicas navegáveis em 360º — o Android já conseguia fazer imagens panorâmicas, mas apenas na direção horizontal ou vertical, assim como a maioria dos smartphones. O Photo Sphere é praticamente um Street View que cabe dentro do seu bolso e funciona de maneira semelhante ao Photosynth, da Microsoft.

Photo Sphere é legalzinho, mas as fotos podem não ficar muito boas

Tirar fotos com o Photo Sphere é bem fácil: basta apertar o botão para começar a captura e mover lentamente a câmera para os lados — o aplicativo irá tirar fotos automaticamente. Os algoritmos do Photo Sphere se encarregam de corrigir imperfeições e ângulos. Infelizmente, o resultado é decepcionante: frequentemente, objetos aparecem duplicados, partes da imagem ficam distorcidas e construções aparecem cortadas. Poderia ser melhor.

Filtros, bordas, ferramentas e vários ajustes na galeria do Android 4.2

A galeria do Android 4.2 inclui um botão que dá acesso aos efeitos de imagem — você pode adicionar filtros a sua foto (como no Instagram), além de adicionar bordas, recortar a imagem ou fazer pequenas edições, como alterar a nitidez ou ajustar o contraste.

Relógio, cronômetro e contador regressivo

Aposto que você estranhou quando mexeu um smartphone com Android pela primeira vez e não encontrou um cronômetro, função que até o Nokia tijolão tinha. Esse problema finalmente foi resolvido, após mais de cinco anos de desenvolvimento: o Android 4.2 agora tem cronômetro e contador regressivo no aplicativo Relógio. E eles ficaram lindos.

Além de exibir a hora local, também é possível configurar o aplicativo Relógio para mostrar horários de várias cidades do mundo — você pode adicionar quantos fusos horários quiser. A interface do alarme ganhou uma interface totalmente renovada e ficou bem agradável.

Teclado com escrita por gestos

Uma das capacidades bacanas do Android é permitir que você troque seu método de entrada — em vez de usar o teclado nativo do sistema, é possível instalar teclados mais eficientes, como o SwiftKey e o Swype. Mas agora esses aplicativos não serão mais tão necessários: o Android 4.2 possui um novo teclado que inclui uma tecnologia semelhante a do Swype.

Teclado estilo Swype agora é padrão no Android

No Android 4.2, você pode digitar pelo método tradicional (tocando tecla por tecla) ou deslizando o dedo pela tela (escrita por gestos). O novo teclado é bastante preciso e, talvez por vir nativamente no Android, roda muito bem — não há travadinhas ou lentidões ocasionais. Antes mesmo de você terminar de deslizar o dedo pela tela, o teclado sugere uma palavra (e muitas vezes acerta). Se a palavra estiver correta, tire o dedo da tela e ela aparecerá magicamente.

O dicionário do teclado do Android 4.2 parece ser bem eficiente, já que eu não tive muitos problemas com palavras não reconhecidas. Ele também inclui nomes de contatos da sua agenda — o teclado reconheceu facilmente os nomes “Thássius” e “Mobilon”, por exemplo.

Google Now mais inteligente

Muitas pessoas que ainda não tiveram a oportunidade de mexer em um aparelho com Android 4.1 ou superior não sabem exatamente o que é o Google Now — alguns dizem que ele é a “Siri do Google”, o que acaba criando confusão, então vale a pena esclarecer algumas dúvidas. Sim, o Google Now possui reconhecimento de voz e responde às suas perguntas (apenas em inglês), mas a parte que eu acho mais legal é justamente a que não diz nada.

A parte silenciosa do Google Now é um assistente pessoal que funciona surpreendentemente bem, em português e no Brasil. Ele mostra informações úteis de acordo com o que você faz nos serviços do Google, além de usar o GPS do smartphone para monitorar seu comportamento. Quer alguns exemplos?

  • Você está próximo a um ponto de ônibus? O Google Now exibe as linhas que passam por esse ponto e os horários estimados dos próximos ônibus. Em São Paulo, funciona muito bem.
  • Marcou um compromisso fora no Google Calendar? O Google Now mostra um pequeno mapa até o local e o horário que você deve sair de casa para não chegar atrasado, inclusive considerando o congestionamento no trajeto.
  • Pesquisou por um endereço no Google a partir do seu computador? Ele aparecerá no Google Now, junto com um mapa e o tempo estimado para chegar até o local.
  • Está viajando para outro país? O Google Now exibe informações sobre o fuso horário, a conversão da moeda, o clima e, em alguns casos, dados sobre o seu voo.

Google Now nem precisa falar para ser útil

Você não precisa fazer nada. O Google Now funciona automaticamente com base nos seus comportamentos, basta usar os serviços do Google naturalmente (e não ter medo de estar sendo monitorado o tempo todo). Após alguns dias ou semanas de uso, ele descobrirá onde fica sua residência ou local de trabalho. Quando seu expediente estiver acabando, ele mostrará um mapa informando quanto tempo levará para você chegar em casa. É bem útil.

No Android 4.2, o Google Now também é capaz de exibir informações sobre reservas em restaurantes, confirmação de reserva do hotel e informações sobre a sua compra, analisando suas mensagens do Gmail — mas esses recursos provavelmente não funcionarão no Brasil.

Daydreams são screensavers dinâmicos que você provavelmente não vai usar

Outras novidades

O Android 4.2 também possui outras novidades, sem tanto destaque quanto as anteriores. Uma delas é o Daydream, uma espécie de screensaver dinâmico que pode aparecer sempre que você conecta o aparelho no carregador ou numa dock. Cinco daydreams vêm com o Android: Relógio, Cores, Currents (aplicativo de notícias do Google), Porta-retrato e Tabela de fotos. Pode ser útil para transformar seu tablet num porta-retrato digital super caro.

O Google promete um Android mais fluído, mas eu não notei muita diferença — isso foi mais perceptível com a atualização do 4.0 para o 4.1, devido ao Project Butter. Também há melhorias de segurança: aplicativos instalados de fora da Play Store passam uma uma verificação antimalware e o envio de mensagens para “números premium” é bloqueado.

Vale a pena?

Diferentemente da atualização do Android 2.3 para o Android 4.0, que trouxe inúmeros recursos novos e deixou o Android muito melhor, o Android 4.2 é bem mais simples em termos de novidades. Ele certamente está melhor que o Android 4.1, mas não é uma atualização essencial, logo, não fique xingando muito no Twitter ou perdendo fios de cabelo caso o fabricante do seu aparelho não disponibilize a atualização.

Além de não trazer novidades que fazem os olhos brilharem, alguns recursos do novo Jelly Bean precisam de melhorias. O Photo Sphere ainda está bem ruim, gerando imagens imprecisas e distorcidas. O painel de configurações rápidas é bacana, mas soluções já implantadas pelos fabricantes (como o painel da Motorola, no RAZR i) parecem mais funcionais. Outras funcionalidades já estavam disponíveis em aplicativos de terceiros, que fazem muito bem a tarefa.

Se você possui um Nexus S ou Motorola Xoom, que ficarão parados no Android 4.1.2, não fique triste: você não perderá muita coisa. Quem possui um Galaxy Nexus com ROM padrão (também conhecido como takju) já está recebendo a atualização over the air — se ela ainda não apareceu por aí, deve chegar em breve. Até o momento, nenhum fabricante anunciou seus planos de atualização para o Android 4.2.