Início » Jogos » Esse tal de Wii Mini não faz o menor sentido

Esse tal de Wii Mini não faz o menor sentido

Avatar Por

Estamos nos aproximando do Natal. Esta época do ano sinaliza a intensificação dos meus esforços de acompanhar notícias e resenhas de gadgets, para poder pedir para a família os melhores presentes. Estou de olho em um novo leitor de e-book no momento, e por isso devo ter consumido o equivalente a 50 monografias sobre o aparelho nas últimas duas semanas.

Numa dessas peregrinações em busca de informações sobre features e preços, entrei no site da Best Buy canadense e esbarrei na seguinte imagem:

Soltei um "Ahn?!" em voz alta ao ver a imagem. Como assim, "Wii Mini"? Que papo é esse? Estaria eu presenciando um dos já míticos "retail leaks", ou seja, vazamento de informação sigilosa de lançamento de produtos tecnológicos graças ao estagiário que cuida do site do site de uma grande loja de eletrônicos?

O link levava a uma página com outros produtos da Nintendo; não havia nada relacionado à pré-venda do tal novo Wii. Isso me fez acreditar mais ainda que estava presenciando um vazamento acidental. Sai googleando diversas combinações de "wii mini best buy leak" e inúmeros blogs (que haviam sido atualizados poucos momentos antes com a notícia) confirmaram: a Best Buy deu com a língua nos dentes antes da hora e anunciou o Wii Mini antes da Nintendo, que se viu obrigada a confirmar o anúncio (talvez a contragosto?).

Vazamentos não são incomuns na indústria tecnológica. Volta e meia um panfleto, caixa ou memorando esclarecendo protocolo de lançamento caem nas proverbiais "mãos erradas" e chega até nós. Como exemplo recente, temos um usuário do fórum NeoGAF que postou imagens de um pacote de jogos da Rockstar que inclui GTA: Episodes from Liberty City, LA Noir e Red Dead Redemption (desde os tempos do Orange Box eu não via tanto jogo sensacional na mesma caixa, aliás).

O incomum neste caso é que a história ficou ainda mais estranha após a confirmação da Nintendo. O Wii Mini, que será inexplicavelmente exclusivo ao Canadá, não terá funções online e não rodará jogos de Game Cube. Ele custará 99 dólares o, que é uma redução quase insignificante do preço do console "padrão" (que já parece ter saído das prateleiras de todas as lojas canadenses onde pesquisei, tendo sido substituído por um bundle que junta o Wii com New Super Mario Brothers e a trilha sonora de Mario Galaxy).

Lançamento de console exclusivo a um país só não é inédito vindo da Nintendo. Em 1998 os japoneses puderam comprar o Game Boy Light que, como o nome indica, tinha backlight. O Game Boy Light marcou a primeira vez em que senti inveja plena dos gamers japoneses.

Acontece que o Canadá não é historicamente um país significativo pro mercado gamer. Há aqui as mesmas sensibilidades que nos Estados Unidos (apego por jogos de esporte, FPSs, multiplayer online, ou seja: aquele perfil de gamer bem norte-americano mesmo). Entretanto, tem população literamente dez vezes menor que a dos EUA.

Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão

Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão

Eu realmente não entendi a estratégia da Nintendo. Primeiro, porque a essa altura do campeonato toda e qualquer pessoa interessada em obter um Nintendo Wii já deve tê-lo feito. Não deve haver muitos esperando para comprar o console em 2012. Segundo, porque lançar um Wii Mini tão próximo do lançamento do Wii U é uma receita pra confusão do consumidor.

A minha teoria de estimação no momento é que a Nintendo bolou esse Wii Mini pra liquidar componentes do Wii (que ela talvez tivesse sobrando no estoque) num console relativamente mais barato de produzir. Só que a logística da produção do novo Wii Mini, por menor que seja, me soa como um esforço meio fútil considerando que estamos falando de um console de 6 anos de idade e que não envelheceu muito bem.

E não esqueçam que a presença do Wii U numa prateleira bem do lado deve distrair bastante o hipotético comprador de um Wii Mini, também. Por que lançar esse troço após a chegada do Wii U é o que eu realmente não entendo.

Não é nem a primeira vez que a Nintendo lança uma versão menor de um console de validade vencida cujo sucessor já havia dado as caras, aliás. Em 2005, e com o DS já dominando o mercado de consoles de bolso, a Nintendo lançou o Game Boy Micro, que era uma versão mais portátil do Game Boy Advance. Precisava disso?

Se a história tende a se repetir, tomem nota: o Game Boy Micro foi descontinuado relativamente cedo. Fontes não confirmadas que pesquisei disseram 2008, mas eu tenho certeza absoluta que quando adquiri o meu em 2007, ele já não estava mais sendo produzido há algum tempo. O console foi considerado um dos grandes fracassos da Big N em tempos recentes.

Estaria o Wii Mini indo pelo mesmo caminho? De qualquer forma, a vantagem de tentar essas artimanhas com consoles já com o pé na cova é que há muito pouco a se perder.