Início » Celular » iPad Mini chama a atenção pela qualidade de construção

iPad Mini chama a atenção pela qualidade de construção

Brincamos com o tablet baixinho de 7,9 polegadas da Apple.
"Caro para um tablet, mas barato para um iPad."

Avatar Por

iPad Mini na mão (foto: João Brunelli / Tecnoblog)

É sempre difícil reconhecer um erro. Ainda mais quando tem ao seu redor um séquito de admiradores mais dispostos a aceitar incondicionalmente qualquer uma de suas ideias do que contestá-las. Em 2010, durante a apresentação realizada pela Apple para mostrar o iPad original, o então CEO, guru, co-fundador e quinto Beatle Steve Jobs foi enfático: “os tablets com telas pequenas são inviáveis”.

Esta afirmação foi tomada como verdade absoluta pelos entusiastas da marca e parte da mídia. Mas não pelo mercado, e logo começaram a pipocar tablets com telas menores, de outros fabricantes, nas prateleiras. Ainda que não desfrutassem uma fração da fama conquistada pelos produtos da maçã, agradaram parte dos consumidores e até que Apple podia viver com isso. Mas quando gigantes como Amazon e Google lançaram seus próprios tablets com telas menores, o nicho se tornou irresistível para a empresa da maçã.

E assim nasceu o iPad Mini, tablet com tela de 7,9 polegadas com 1024x768pixels e processador A5, mostrado com pompa no começo de outubro e homologado para chegar ao Brasil na semana passada.

Lateral do iPad Mini (foto: João Brunelli / Tecnoblog)

Lateral do iPad Mini

Como não poderia deixar de ser, a característica que mais chama a atenção no iPad Mini são suas dimensões. Além da óbvia tela menor, se destacam as formas mais enxutas conquistadas com as bordas laterais bem estreitas que de quebra permitem que o aparelho seja segurado com apenas uma mão. Mas o que impressiona são sua espessura e peso: com 7 mm e 308 gramas, é mais leve e fino do que qualquer outro tablet já testado por este que vos escreve.

Na inevitável comparação com o iPad 2, com quem virtualmente divide especificações, a vantagem é do Mini. Basicamente idêntico que seu mais velho debaixo do capô, o baixinho sai na frente por causa de seu menor peso, formas enxutas e (pelo menos lá fora) preço: vendido por US$ 329, tem melhor relação custo-benefício que o 2, que sai por US$ 399 para entregar uma tela 1,7 polegada maior em um aparelho com praticamente o dobro do peso (603 gramas). E ainda que isso seja um conceito relativo, o Mini é mais bonito que seu antecessor.

Frente ao iPad top (no caso deste comparativo, aquele de terceira geração – leia o review), fica claro que o Mini é um produto de entrada, mas não necessariamente inferior. O pequeno tem tela brilhante e de boa resolução. A ausência da Retina não faz qualquer falta neste ou em outros produtos da família. Ele roda o iOS 6 com fluidez exemplar, sem qualquer sinal de engasgos.

Nas mãos, o iPad Mini agrada por seu tamanho, peso e toque da tampa traseira de metal galvanizado. Ao contrário dos outros iPad, pode ser usado nas mãos por longos períodos sem necessidade de ser apoiado nas pernas ou sobre alguma superfície. Já a duração da bateria é de 10 horas, equivalente aos demais tablets da casa.

Conector Lightning do iPad Mini original (foto: João Brunelli / Tecnoblog)

Conector Lightning do iPad Mini original

Para quem nunca teve um iTreco como iPod, iPhone ou iPad, a adoção do conector Lightning em substituição ao clássico de 30 pinos é uma novidade bem-vinda. Não existe mais o clique físico para o conector, o que na prática significa que existe menos uma coisa para quebrar no cabo – e o modelo anterior não era conhecido exatamente por sua robustez.

Quando comparado com tablets Android de tamanho similar, o iPad Mini chama a atenção pela qualidade de construção e bom acabamento, evidência que aquelas criancinhas chinesas estão fazendo um ótimo trabalho. Quando comparado com o Galaxy Tab, o Mini ganha pontos pela maior largura da tela e formas enxutas. Qualquer outra comparação entre esses modelos aqui levaria novamente àquele infinito debate do iOS x Android, que geralmente é vencido por aquele que desiste por último.

No frigir dos ovos, o iPad Mini é uma ótima resposta que a Apple dá à própria Apple a respeito da viabilidade dos tablets menores. É incrivelmente leve, agradável de usar e até mais bonito que seus irmãos mais velhos. Além disso, está exatamente onde a empresa da maçã quer que atue no mercado, tentando seduzir potenciais compradores de tablets Android premium ao mesmo tempo que está longe de ser o melhor que a empresa pode oferecer no segmento – tarefa essa que fica com o iPad top.

Mas como quase sempre, o inferno são os outros. No mercado norte-americano existem boas opções de Google e Amazon para o segmento dos tablets pequenos bom preços bem mais atraentes que os praticamos pela empresa da maçã. Google Nexus 7 e Amazon Kindle Fire custam a partir de US$ 199 e US$ 159, respectivamente. Enquanto isso, o iPad Mini custa seus US$ 329. Caro para um tablet, mas barato para um iPad.

Lado a lado com uma caneta Bic (foto: João Brunelli / Tecnoblog)

Lado a lado com uma caneta Bic

Por aqui, o iPad 2 de 16 GB está à venda por R$ 1.299 e o lógico é esperar que o iPad Mini custe bem menos que isso. A Apple fez um grande trabalho no desenvolvimento do tablet. Agora é esperar para ver se a subsidiária fará a lição de casa na hora de colocar o aparelho nas prateleiras.

Agradecimento especial ao amigo Alexandre Bassora por ceder o aparelho para testes.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Juliane Mattos
Alguém ai sabe quando ele chegará ao brasil para venda?
Diego Augusto da Silva
Apple seguiu a receita de lançar Gadgets com qualidade questionáveis, para gradativamente melhorar com "novos" modelos. Assim desrespeitando o consumidor final que em sua maioria são grandes fans da empresa. Podemos ver isso comparando o iPhone 5 com o Galaxy S III.
Sauron
Gabriel, eu tenho um Nexus 7 e o uso principalmente para ler. Acabei de ler O Hobbit na preparação para ver o filme, e posso te afirmar que é ótimo pra leituras. O peso dele é bem mais leve que um livro, e a pegada firme da traseira é excelente pra não escorregar das mãos. O controle automático de luminosidade de acordo com a luz do ambiente é preciso e suave para os olhos, aliado com o ótimo ângulo de leitura e densidade do lcd tornam ele uma escolha "no brainer" ainda mais considerando o preço. Além disso eu leio todo o meu feed de RSS nele, usando o Currents ou o Flipboard, além de apps exclusivos de News, como o Appy Geek e News360. Com toda essa leitura, mesmo lendo umas 4-5 horas direto, nunca tive problemas com cansaço de vista.
Sauron
A ideia da Apple é justamente lançar um produto defasado tecnologicamente, para que depois o upgrade para a próxima geração seja justificável. Já tem rumor que o próximo mini virá com retina display, processador A6, 1gb de ram, mas sem melhorias na câmera de 5mp. Não é uma política nova, desde o lançamento do 4S que ela melhora alguns aspectos, preservando outros para futuro lançamentos.
Gaius Baltar
Cara, essa conversa já deu! É como vc dizer que prefere um SUV, quando estamos falando de motos! São produtos diferentes, para usos diferentes, preços diferentes.
Gaius Baltar
Nem sempre especificações superiores significam desempenho superio. Vou te falar a minha experiência: Testei um Nexus 7 durante um fim de semana (cortesia da operadora), quando do lançamento do equipamento aqui na Europa. Como já tenho um S3 com Jelly Bean não estranhei nada em termos de SO, que está fluido e rápido. Mas como já uso iPad há 2 anos estranhei a falta de aplicativos feitos realmente para tablets. A impressão que se tem é que os aplicativos dos smartphones foram esticados para a tela maior, e isso é especialmente notado (incrivelmente) nos próprios aplicativos da Google, com muito espaço desperdiçado.. Também senti falta do famoso "ecossistema" da Apple. Para quem nunca usou pode parecer frescura, mas tirar uma foto, baixar uma música ou um app e tê-lo quase imediatamente sincronizado em vários dispositivos é algo que passa a ser natural. Eu sei que há serviços que fazem isso de maneira parcial, como o Dropbox, o proprio Google Play, etc. Eu uso a maioria desses serviços no S3. A diferença dos produtos da Apple é que não é preciso se preocupar com p... nenhuma. Para quem adora brincar de configurar certamente é muito mais legal passar meia hora configurando os ajustes para ficarem exatamento do seu gosto. Para quem, como eu, já chega à casa dos 40, isso já não tem tanta graça. Mas isso é minha opinião de m... Ah! Mas a tela do Nexus é das coisas mais bonitas que já tive em mãos! Diria até que é mais bacana que a do iPad Retina. Diante de tudo isso pedi para testar o iPad Mini, o que foi muito mais complicado, devido à pouca disponibilidade de iTrecos para vendas, imagine para testes. Consegui um por 24 horas, mas deu para perceber que o preço maior (muito maior infelizmente) compensava. A largura da tela é ideal para leitura (objetivo principal da compra), o peso é menor. as câmaras são excelentes, o aparelho consegue com um hardware teoricamente inferior um desempenho bem melhor que o Nexus em termos de transições de tela e abertura de apps e, mais uma vez, o viciante "ecossistema" Apple. Acabei comprando o Mini, pois para o meu caso específico, cumpre melhor a função que o Nexus. Mas ambos são excelentes tablets e digo sem pestanejar que são mais jogo que um tablet de 9,7 ou 10".
Felippe Henrique
Quando penso que a Apple não pode lançar algo mais inutil que o iPad, a versão Mini do aparelho é lançada...
Rafael Souza
Gostei desse mini Ipad (só não do preço que terá aqui no brasil rs).quem sabe eu não adquira um. O Kindle Fire também é uma boa opção.
Victor Carmo
"o iPad 2 de 16 GB está à venda por R$ 1.299 e o lógico é esperar que o iPad Mini custe bem menos que isso." HAHAHA!
YanGM
E aquele outro que tem o logoff?
Gabriel
Entendi, o que mais me incomoda no e-reader é que sendo um Kindle você só pode comprar da Amazon e sem um Kindle você não pode comprar da Amazon. :D Queria um e-reader que suportasse o aplicativo do Kindle, mas acho que isso não deve existir (nunca achei pelo menos).
Denis Belo
Cara, se você quer um tablet apenas para ler livros, terá problemas, digo isso pois tenho um Xoom 2 ME e comprei um livro na Kindle Store, através do app para Android, e cansa muito rápido a vista, mesmo com o brilho no mínimo. Eu particularmente acho que para leitura, o mais recomendado é um e-reader mesmo, a tela e-Ink tem uma diferença gritante para uma leitura mais confortável e menos cansativa.
Thiago Leite
Nem leu, né?
Leandro rafael
http://clubeimportado.com/oferta_view.php?id=922&gclid=COCX0JS5gLQCFQq0nQodsQUA0Q Enfim, são várias opções e preços...basta procurar...O Nexus 7 no mercado livre gira em torno de 900 reais.
Leandro rafael
Da uma olhada nisso : http://www.caririnoticia.com.br/2012/12/chega-no-brasil-o-ipad-mini-da-apple-e-ja-pode-ser-comprado-em-manaus.html Preço : 1.099,00
Exibir mais comentários