Início » Internet » Amazon brasileira está no ar com Kindle por R$ 299

Amazon brasileira está no ar com Kindle por R$ 299

Leitor de livros digitais será vendido nas próximas semanas

Paulo Higa Por

A espera acabou. Nesta madrugada, a Amazon finalmente iniciou suas operações no Brasil. A gigante do varejo americano começou a vender livros digitais no país, todos com preços em reais, que podem ser lidos no Kindle e nos aplicativos para as principais plataformas. No site brasileiro, a empresa também afirma que começará a vender o Kindle mais básico pelo preço de R$ 299.

A estreia da Amazon no Brasil era esperada para esta semana, quando a Exame publicou informações de que a empresa havia fechado acordos com editoras e começou a divulgar o domínio amazon.com.br para seus parceiros e distribuidores de conteúdo. Na terça-feira (4), o Blog do Jotacê encontrou imagens hospedadas na própria Amazon que exibiam fotos do Kindle em português e o logotipo da versão nacional.

Nesta fase inicial, a Amazon não está vendendo produtos físicos — provavelmente não será neste Natal que você comprará eletrônicos na lojinha de Jeff Bezos. Mas pelo menos há a promessa do Kindle: o e-reader será vendido “nas próximas semanas” por R$ 299 e os interessados podem fazer o cadastro neste link para receber a novidade em primeira mão. Na loja americana, o modelo era vendido por US$ 89 para os brasileiros, mas as taxas de importação deixavam o produto mais caro que na atual loja brasileira.

Kindle por R$ 299; vendas começam nas próximas semanas

Quem comprar livros na Amazon brasileira poderá lê-los no iPhone, iPod touch, iPad, Android, Windows 8, PC e Mac. Esta é uma das restrições da loja: não é possível ler os livros em e-readers concorrentes ou plataformas não suportadas. Se você não quiser gastar dinheiro, também há livros gratuitos, como obras de domínio público — tem Dom Casmuro, de Machado de Assis, por exemplo. O download dos aplicativos do Kindle pode ser feito na página da Amazon.

Coincidentemente, a Amazon abre sua loja virtual no mesmo dia em que o Google libera a venda de livros e filmes na Play Store brasileira e quando a Livraria Cultura começa a vender o Kobo Touch, leitor de livros digitais da canadense Kobo e concorrente do Kindle.

Atualizado às 01h15.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

meugadget
Oi, gente. Eu acabei de disponibilizar meu livro de contos na Amazon brasileira. A publicação foi feita através da Kindle Direct Publishing. Quem quiser baixar e ler, ele está disponível gratuitamente por tempo limitado. O link é esse: https://www.amazon.com.br/dp/B003N3UZY2
Guilherme Jales
Há uma semana eu disse que esperaria pelo Kindle em vez de comprar o Kobo. Não imaginava que a espera seria tão curta :P
Felipe Maricato Moura
E isso ai pessoal eu resisti heroicamente a livros digitais por ter o prazer de ver minha biblioteca pessoal sempre crescendo. Também para minha filha me ver sempre com um livro na mão. Mas com o kiddle a esse preço vou ter que me render de vez. Sinto até uma tristeza mas não há resistência eterna contra tecnologia que traz tantas vantagens quanto essa.
Kessler
até onde eu me lembro os e-readers entraram na lei de importação de livros Não, não entram.
Leonardo Caldas
O que eu não gostei do Kobo, pelo menos aquele sobre o qual o Exilado fez a resenha, é o tamanho da tela. Eu sou leitor voraz de quadrinhos, e faço muito conversões de arquivos para o formato cbz/cbr. Só que meu Kindle é o DX (9.7''), e fica confortável ler nele. Fico imaginando o desespero que não deve ser ler um quadrinho de formato originalmente americano convertido para um reader de 6''. Na verdade uma coisa que vem me irritando é perceber que os fabricantes vem diminuindo os tamanhos dos leitores... A Amazon mesmo, depois do DX, só fez diminui-lo. O tamanho de tela ideal pra mim seria o de uma folha de A4. Quanto aos formatos, também penso como você... o ideal é, sempre que a opção não-proprietária for mais vantajosa, usá-la. E nesse caso específico dos formatos de eBook, o epub é reconhecidamente o formato melhor e mais flexível!
Marcos Oliveira
E pra ler livros de domínio público, que geralmente estão em ePub (ou PDF, que dá pra converter), novamente é mais vantajoso o Kobo! Pelo menos é o que diz a análise que eu postei acima
Marcos Oliveira
Eu já uso o Calibre pra converter PDFs pra ePub e ler no Aldiko (Android). Mas tipo... Não gosto de coisa-que-compra-aqui-só-usa-aqui! Essa trava do Kindle me preocupa... Se amanhã eu descubro que prefiro o Kobo e quero migrar pra ele, lá se vão todos os meus livrinhos! Por enquanto, acho o Kobo mais vantajoso... Mais parecido com a cultura Windows-roda-tudo, que de certa forma se repete no Android (guardadas as devidas proporçoes).
Anderson Antonio Santos Costa
Melhor baixar os livros que estão em domínio público no Superdownloads do q nas lojas da Google e da Amazon...
Gabriel Bemfica
Alexandre, aonde tu pegou essa informação? Também tou seco pelo paperwhite.
Kessler
Tá, grátis não tem. Tem por 2 reais, que é o preço de "entrega" deles para fora dos EUA. Ocorria também na loja dos EUA, que os títulos eram um pouco mais caros para outros países por causa dos acordos para a distribuição via 3G.
Kessler
http://www.amazon.com.br/Dom-Casmurro-ebook/dp/B008DMOKT4/ref=sr_1_2?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1354815397&sr=1-2
Anderson Antonio Santos Costa
...postem o link...
Anderson Antonio Santos Costa
Eh...a loja da Amazon não tem "Dom Casmurro" e grandes obras do Machado de Assis como "Quincas Borba" ou "A Mão e a Luva" grátis...Se eu estiver errado
Kessler
O problema é o mesmo que ocorre em distribuição de jogos digital: as editoras não querem irritar os varejistas colocando preços muito mais baixos que as cópias físicas. Infelizmente assim realmente não vale a pena comprar: livros você acha promoções, sebos, etc. Sai muito mais barato.
Kessler
Esse aí nunca importou alguma coisa e pagou 92% (!!) em impostos.
Exibir mais comentários