Início » Web » Instagram muda termos de serviço e quer usar suas fotos para ganhar dinheiro

Instagram muda termos de serviço e quer usar suas fotos para ganhar dinheiro

Facebook, o dono do aplicativo, poderá ceder as fotos de usuários para campanhas publicitárias sem pagar nada por isso

Por
5 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Um aviso bem discreto apareceu essa semana para usuários do Instagram no aplicativo móvel da empresa. Ele dizia que a política de privacidade e termos de serviço seriam alterados em breve e que seus membros deveriam lê-los. Um post no blog oficial detalhou um pouco mais da mudança, mas deixou de fora alguns itens importantes – que foram descobertos pela mídia. Um dos itens, talvez o que causou mais revolta entre os usuários, é que as fotos podem ser comercializadas sem autorização do usuário.

Integração com o Facebook já era esperada

Já esperávamos, desde a compra pelo Facebook, que as duas empresas unificassem as informações de todos os seus usuários. Algo que simplificaria a vida dos administradores de ambos os sites e ajudaria em outras coisas. Segundo o post no blog do Instagram, a união de dados vai ajudar a empresa a combater SPAM.

O aviso publicado: hora de pular fora.

O texto diz que a política de privacidade nova vai “ajudar o Instagram a funcionar mais como parte do Facebook […] isso significa que podemos fazer coisas como detectar problemas de disponibilidade mais rapidamente”. Além disso, um ponto destacado tanto nos novos termos de serviço quanto na política de privacidade é a melhoria da luta contra o SPAM.

Como exatamente essa integração será feita e quais são os benefícios, além da luta contra SPAM, não sabemos. E nem o Facebook ou Instagram fizeram questão de detalhar muito.

As fotos são suas, mas o Facebook pode fazer dinheiro com elas

Essa é a grande polêmica envolvendo os termos de serviço: a possibilidade de venda de fotos. Você ainda é dono das imagens que publica no seu perfil do Instagram, mas com a mudança dos termos de serviço, o Facebook pode pegar qualquer imagem que seus usuários disponibilizam e comercializá-las sem ter que repassar um centavo do lucro para eles.

Quem levantou a questão foi Kurt Opsahl, um dos advogados da EFF, ou Fundação da Fronteira Eletrônica, importante órgão americano que luta a favor dos usuários na era digital. Ele diz que, sob os novos termos de serviço, uma empresa pode requisitar ao Facebook algumas fotos do Instagram tiradas nas proximidades dela, pagar por essas fotos, usá-las em propagandas e não repassar nada para quem as capturou.

Esses termos, segundo Opsahl, entram em conflito até com leis americanas de direitos privacidade pessoal – que impedem, por exemplo, que imagens de crianças de até 13 anos de sejam usadas em propaganda e anúncios sem autorização dos pais.

Mudar para o modo privado não adianta muito

Existem dois tipos de perfis no Instagram: o público e o privado. O segundo tipo é o único em que suas fotos ficam escondidas para o público. Em teoria, mudando para esse tipo de perfil, o Facebook não poderia fazer nada com suas fotos, certos? Nem tanto.

A nova política de privacidade diz que, se por ventura o Facebook tornar as fotos privadas públicas, ele não poderá ser processado. A política diz exatamente que “nós não seremos responsabilizados por nenhum uso ou divulgação de conteúdo que o usuário disponibilizar”. Isso não quer dizer que o Instagram ou o Facebook vão necessariamente tornar as fotos públicas, mas diz que se isso acontecer, ninguém poderá processá-los.

Não gostou? Exclua sua conta e leve suas fotos com você

Os novos termos de serviço entram em efeito a partir do dia 16 de janeiro. Até lá, quem não concordar com os novos documentos deve parar de usar o Instagram por completo – ou seja, excluir sua conta. E isso é bem fácil: basta ir nesse link, escolher o motivo pelo qual sua conta está sendo excluída e requisitar a exclusão.

Mas quem tem um arquivo de fotos grande pode querer mantê-lo longe das garras do Facebook. Nesse caso, sites como o Instaport.me e Copygram que geram um arquivo de todas as imagens de um usuário e disponibiliza para download. Há também o Free Instagram Downloader, programa para Windows que baixa todas as fotos de um perfil público.

Se você não quiser ter o trabalho de baixar todas as fotos para enviá-las para um servidor de novo depois, existe também um site chamado OpenPhoto. Trata-se de um aplicativo que permite que você importe todas as fotos do Instagram direto para uma conta do Dropbox, Box.com, Dreamhost ou Amazon S3.

Para onde levar suas fotos?

Pessoalmente, recomendo o Flickr. Uma atualização recente no aplicativo para iOS e Android trouxe o suporte a filtros de imagens parecidos com o que o Instagram usa. E a quantidade de usuários lá é tão grande que é possível que seus amigos do Instagram já tenham passado pelo Flickr antes. Ou, se quiserem, podem criar uma conta facilmente usando o Facebook ou Google. Mas a melhor vantagem é poder subir todas as fotos baixadas do Instagram de uma só vez, assim seu arquivo permanece intacto – exceto pelas curtidas e comentários.

Mas existem diversos outros serviços tão (ou até mesmo mais) hipsters quanto o Instagram. Como por exemplo Hipster, Hipstamatic, Molo.me e Pixlr-o-matic, todos com pelo menos aplicativos para a plataforma Android. Nem todos os serviços permitem a importação de várias fotos baixadas como o Flickr, o que é uma pena.


Com informações: CNET, BBC News.

Mais sobre: ,