Início » Legislação » Kim Dotcom não está nem aí para os piratas

Kim Dotcom não está nem aí para os piratas

Criador do Mega tenta se distanciar da pirataria com serviço de armazenamento

Avatar Por
7 anos atrás

Criou-se toda uma fábula em torno do Mega, o novo serviço de armazenamento de conteúdo criado por Kim Dotcom, aquele moço que anteriormente respondia pelo Megaupload. Há de se destacar que Dotcom não tem qualquer interesse em voltar a presidir a pirataria no mundo. A empresa dele revelou há poucos dias que recebeu centenas de notificações para apagar conteúdo de propriedade de terceiros. E a equipe do Mega decidiu remover os conteúdos.

A contabilização vale para janeiro de 2013. Pelo menos 150 avisos de infração de copyright foram endereçados ao Mega, empresa de internet sediada na Nova Zelândia. Parte destes pedidos chega diretamente dos Estados Unidos, mesmo país que tenta a extradição de Dotcom para que responda por diversos (e supostos) crimes, todos ligados à exploração dos direitos autorais de outras pessoas.

Ele é o chefe: tem limo, helicóptero e mansão. Além de dinheiro, muito dinheiro

Ele é o chefe: tem limo, helicóptero e mansão. Além de dinheiro, muito dinheiro

“Não queremos que nossos serviços de armazenamento sejam utilizados para propósitos ilegais”, disse o advogado de Dotcom na América.

Curiosamente, é possível encontrar conteúdos protegidos por direitos autorais, como filmes recém-lançados, no Mega. Basta fazer uma pesquisa no Bing ou qualquer outro buscador para ter uma noção de como os links contendo pirataria se espalham rapidamente. O Mega cria uma chave de registro poderosa e inalterável que serve de base para a criptografia dos 50 GB que o serviço oferece gratuitamente. Porém, se o usuário compartilha esta chave ou mesmo os links para os arquivos, não há processo de encriptação que resista.

O Verge nota que Dotcom posiciona-se contra o download de músicas. Ao mesmo tempo, o criador do serviço e celebridade da internet afirma que as pessoas têm o direito de baixar filmes, uma vez que os estúdios fazem os espectadores esperarem por lançamentos em datas diferentes ao redor do mundo.

Pitaco meu: é realmente irritante descobrir que uma estreia nas salas de cinema nacionais fica em cartaz nos Estados Unidos e Europa desde dezembro do ano passado.

Há quem aposte na nostalgia de quem usa o Mega para armazenar arquivos quando temos opções interessantes como o Dropbox, SkyDrive (da Microsoft), iCloud (da Apple; citado aqui, mas com muitas limitações), Box e SugarSync, para nomear aqueles que lembro de cabeça.

Quer saber qual serviço de cloud usar? Nós te ajudamos nessa com um especial sobre armazenamento na nuvem.

Vale ler também: “E se roubassem o seu salário com um clique?” (escrito por mim, veja só).