Início » Brasil » Semáforos com no-break para desafogar o trânsito de SP

Semáforos com no-break para desafogar o trânsito de SP

Projeto do prefeito Fernando Haddad custará cerca de 100 milhões de reais

Avatar Por

Tempestade se forma na região da Avenida Paulista

Dá por volta de 15h e começa a chover copiosamente em São Paulo. Acontece dessa mesma forma todo dia, com direito a todos os transtornos decorrentes da chuvas, dos quais os semáforos problemáticos se destacam. O prefeito da cidade, Fernando Haddad, admitiu na tarde de hoje que existe a possibilidade de instalar no-breaks nos semáforos.

O governo atual não poupou o antecessor em críticas com relação à rede semafórica na capital. Haddad disse que está tudo muito ruim, muito precário e muito problemático. Isso a gente já sabe faz tempo, mas ignoremos. Eis a parte mais importante: o projeto de renovação da rede de semáforos deverá custar aos cofres públicos na casa dos 100 milhões de reais. Haja dinheiro.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), órgão responsável por monitorar as vias da cidade, informa que estava a prevista a instalação de 200 no-breaks, dos quais somente 20 foram efetivamente para a rua. Assim realmente fica difícil ter uma cidade preparada para as chuvas que ocorrem diariamente e para as quais ninguém se preparou.

Chove, alaga, a energia elétrica cai. Quando retorna, os semáforos permanecem intermitentes com o alerta de luz amarela. Com isso e o temor de causar acidentes ou atropelar pessoas, os motoristas seguram na velocidade, o que causa os legendários congestionamentos no trânsito da cidade.

A instalação dos no-breaks faz parte do projeto mais amplo de revitalização da rede de semáforos. Ainda segundo o prefeito, o edital para contratação dos equipamentos não ocorreu até agora porque precisar passar primeiro pelo “escrutínio dos técnicos”. Pelo menos assim não compram milhares de unidades que daqui a uns anos cairão nos ostracismo.

semaforo-verde

Até agora, pelo que sabemos, foi a concessionária de energia elétrica AES Eletropaulo quem realizou a implementação dos no-breaks em sinais de trânsito (como chamamos no meu Rio de Janeiro). Falta saber de que autonomia, em termos de horas, estamos falando.

Fazia tempo que não falavam comigo sobre os no-breaks. Há muitos anos, no auge dos computadores montados em lojas de informática de bairro, era bem comum cotar o preço do equipamento com a fonte de energia movida a bateria. Creio que diminui a procura devido à dominação dos notebooks.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Helder Santana
Seria interessante o uso no-breaks provisórios por um curto prazo, e então investir em conexão elétrica subterrânea durante esse período (resolvendo de vez esse e mais uma dúzia de problemas). O No-break como única solução só vai gerar mais despesas com manutenção.
Eduardo Rocha
Bingo...
Danilo Soares
De nada adianta encontrar meios para evitar alagamentos. A água cai pra ser absorvida. A galera acha que tem como arrumar alternativa pra toda essa impermeabilização do solo. No way
Daniel Pita
Você resumiu o que muita gente (com o mínimo de conhecimento e bom senso) pensa e tem vontade de falar. Mas é muito comentário infundado ou de gente que não tem memória. Fazer o que? :p
Daniel Pita
Então vamos privatizar tudo! :D
lecomte
Em breve: petição online para o Mobilon colocar um gerador na redação do Tecnoblog.
ricardo
Eu explico: Os radares dão muito lucro, e têm por detrás uma empresa terceirizada que fatura alto às custas dos motoristas. Já os semáforos não servem para arrancar dinheiro de ninguém.
ricardo
Medida louvável, pois em um país tropical parece piada que as cidades sejam tão vulneráveis às chuvas. Porém, muitos outros investimentos ainda precisam ser feitos na área.
RamonGonz
boa!! como diria o Faustão "brincadeira bicho!!"
Marcão sparcos
Engraçado é que pode chover granizo ou até uma semana seguida, os Radares não deixam de funcionar, em compensação os semáforos, sempre dão problema...
Thássius Veloso
Aqui na redação a energia elétrica caiu duas vezes na tarde de ontem. Mas até que é um evento bem raro.
abikojr
O que sempre há de se considerar é a escassez de recursos. Mudar todo o sistema elétrico e hidráulico de SP para aguentar chuvas e alagamentos é um passo gigante. Mais complicado ainda com SP bem endividada como está. Já a implantação de semáforos inteligentes pode arrumar as coisas para o dia a dia, mas o estresse da chuva, que ocorre em boa parte do ano, não acabaria. Entre o meia boca e o caos, arruma-se o caos primeiro.
lucassandoval
O haddad não pode falar nada, pois ele foi um péssimo ministro da educação. Ele não consegue escrever cinco palavras sem errar quatro e meia. A energia elétrica brasileira é instável porque a geração e transmissão está nas mãos do governo. Sem contar o excesso de impostos sobre o setor que diminuem a capacidade de investimento. E quem leva a má fama são as distribuidoras....
Gabriel Rezende
Qual é a piragem de criticar só o PT na internet? Eu odeio o PT, mas não fico lendo Veja o dia inteiro para ignorar o PSDB e o DEM, que para mim são bem piores, basta ler algumas páginas do Privataria Tucana, haha. Mesmo assim não saio postando frases sem fonte nenhuma na internet e que não acrescentam nada, só raiva. (Talvez esse meu comentário seja assim :P )
Rick
Todos os prefeitos sabem dos problemas agora é incrível como quem é do PSDB, DEM e outros adoram criticar, mas o Kassab mesmo fez o que de bom? Lamentar das gestões anteriores é praxe de todos os prefeitos ou esqueceu das reclamações que o Serra e Kassab fizeram e no fim das contas melhoraram o que? Aumentaram o número de vias para os "Carros"? Reclame o quanto quizer, mas se a dupla Serra/Kassab tivesse feito todos os corredores de ônibus que começou na Gestão da Marta teriamos um transito melhor, mas nenhum prefeito conclui o que outro fez de bom e nem hão de melhorar agora dizer que todos são iguais por causa de um partido isso é coisa de gente com mentalidade pequena.
Exibir mais comentários