Início » Mobile » Sony Xperia ZQ, o topo de linha da Sony com tela Full HD

Sony Xperia ZQ, o topo de linha da Sony com tela Full HD

Android da Sony suporta 4G brasileiro e custa R$ 2.049.
Xperia ZQ tem tela 1080p de 5 polegadas e câmera de 13 megapixels.

Por
5 anos atrás
sony-xperia-zq-abre

No final de abril, a Sony lançou no Brasil um novo smartphone topo de linha para concorrer com os melhores do mercado. É o Xperia ZQ, um aparelho compatível com o 4G brasileiro que traz hardware poderoso, tela de 5 polegadas de altíssima definição e câmera de 13 megapixels, com um novo sensor de imagem que promete capturar fotos excelentes em qualquer condição de iluminação.

Será que a fabricante japonesa conseguiu produzir um bom smartphone para competir com aparelhos como o Galaxy S4 e o iPhone 5? A câmera realmente tira boas fotos? Com tantos pixels para exibir, como fica a duração da bateria? E o desempenho, é bom? Usei o Xperia ZQ como smartphone principal por mais de uma semana e nos próximos parágrafos você confere as respostas!

Design

O Xperia ZQ é um smartphone muito bonito. Nota-se facilmente os caprichos da Sony na construção do aparelho, como as faixas metálicas das laterais, o botão Power de alumínio, o aro em volta da lente da câmera, que também serve para protegê-la contra riscos, e a textura na traseira, bastante agradável ao toque. Até o LED de notificação ganhou tratamento especial: em vez de ser apenas uma bolinha colorida, a luz se espalha para os lados, formando um efeito bem bacana.

sony-xperia-zq-led

De acordo com a Sony, 75% da parte frontal do Xperia ZQ é formada pela tela, porcentagem acima da média do mercado. Isso ajuda a manter o aparelho compacto: mesmo com visor de 5 polegadas, o Xperia ZQ ainda não parece um trambolhão na mão, e as dimensões são muito parecidas com as do Galaxy Nexus, que tem tela de 4,65 polegadas. Ele é um pouco menos comprido que o Galaxy S4, que conta com tela de mesmo tamanho.

Aparentemente, para manter o aparelho compacto, a Sony tomou uma decisão não muito comum: a câmera frontal, usada como espelho ou em videoconferências, está localizada na parte inferior, não no topo, como nos outros celulares. E isso causa bastante estranheza no começo: você terá que segurá-lo numa altura acima da usual, para que a sua carinha linda apareça por completo.

Nas laterais, além do botão para ligar a tela e do controle de volume, há um botão dedicado para a câmera, algo que nem sempre aparece nos smartphones topo de linha com Android. O botão funciona mesmo quando o aparelho está com a tela bloqueada, o que ajuda a capturar fotos rapidamente, antes que o momento já tenha passado. O conector para fone de ouvido fica na parte superior e a entrada para cabo USB está localizada na lateral esquerda.

A bateria de 2.370 mAh não é removível. Para colocar um cartão microSD de até 32 GB ou inserir o microSIM, será necessário abrir uma pequena tampa na parte inferior traseira. Os slots do Xperia ZQ estão bem posicionados, dispensando a necessidade de usar algum acessório para remover o chip. No mesmo local, há um botão para forçar a reinicialização do aparelho em caso de travamento grave.

sony-xperia-zq-microsim

A Sony parece ter dado uma boa atenção ao design, e parece que o trabalho rendeu bons resultados. Claro, o Xperia ZQ não possui traseira de vidro ou proteção contra água como o irmão Xperia Z, que não chegou oficialmente ao Brasil, mas isso não tira o brilho do smartphone. Design é algo muito pessoal, mas considero o Xperia ZQ bem mais atraente que o Galaxy S4, que não passa a sensação de ser um smartphone topo de linha.

Tela

Com tamanho de 5 polegadas e resolução de 1920×1080 pixels, a tela do Xperia ZQ impressiona pela altíssima definição: são nada menos que 441 pixels por polegada. Mesmo forçando os olhos, é impossível enxergar pontos individuais.

sony-xperia-zq-tela

As cores da tela são vivas, mas sem tanta saturação quanto nas AMOLED, usadas principalmente por Motorola e Samsung. O preto é bastante profundo, dentro dos limites tecnológicos de um visor LCD. E a visualização sob a luz do sol é mais que satisfatória: dá para ler perfeitamente o que está escrito na tela, especialmente se o brilho estiver no máximo.

No entanto, se a tela TFT LCD surpreende pela excelente definição de imagem, ela decepciona igualmente em um fator muito importante: o ângulo de visão. Basta inclinar o aparelho para notar instantaneamente as alterações nos tons de cores e a redução drástica no contraste – textos brancos em fundos coloridos ficam praticamente ilegíveis.

sony-xperia-zq-tela-frente sony-xperia-zq-tela-lado

É claro que ninguém vai usar um smartphone “de lado” ou algo do tipo, mas o problema do baixo ângulo de visão fica bastante perceptível quando o Xperia ZQ está sobre a mesa; dependendo da imagem que você estiver usando como plano de fundo da tela de bloqueio, fica difícil até visualizar as horas.

Dessa forma, apesar dos números impressionantes de resolução e definição dizerem o contrário, a tela do Xperia ZQ não é tão boa quanto deveria. O aparelho certamente merecia uma tela com qualidade melhor, especialmente considerando que outros smartphones da mesma categoria, como o Galaxy S4 e o iPhone 5, que usam telas Super AMOLED e IPS LCD, respectivamente, não sofrem do mesmo problema.

Interface e aplicativos

O Android 4.1.2 do Xperia ZQ lembra pouco o sistema concebido originalmente pelo Google. Tudo foi modificado pela fabricante japonesa, com a inclusão de algumas funcionalidades importantes e outras de utilidade duvidosa. A Sony também não economizou na hora de embutir aplicativos: são quase 50 na primeira inicialização.

sony-xperia-zq-frente-superior

Na central de notificações, há uma barra superior para ativar ou desativar conexões, como Bluetooth, Wi-Fi e 3G, bem como um botão para deixar o aparelho no modo silencioso. O menu de aplicativos possui várias opções de ordenação: além da tradicional ordem alfabética, dá para listar os softwares por “Mais usados”, “Classificação pessoal” ou “Instalados recentemente”. E, para quem possui muitos aplicativos instalados, há um botão de busca que facilita na hora de encontrá-los.

No menu multitarefa, que mostra os aplicativos abertos, há uma barra inferior com mini aplicativos da Sony. Por padrão, há calculadora, contador, notas e gravador de som, mas você pode instalar outros a partir da Play Store. Eles funcionam como aplicativos flutuantes: enquanto você estiver escrevendo um email, dá para fazer cálculos.

Entre os aplicativos interessantes, há um de controle remoto, que usa infravermelho para enviar comandos para uma TV, aparelho de som, reprodutor de DVD, projetor e outros eletrônicos. Apesar de ser desenvolvido pela Sony, ele funciona com inúmeros fabricantes – consegui controlar uma TV da LG sem nenhuma dificuldade.

Também há um aplicativo de backup pré-instalado, que é fácil de usar e funciona bem. Dá para fazer uma cópia de segurança dos dados de aplicativos do sistema, bem como dos que você baixou no Google Play, e também é possível fazer backup dos arquivos de mídia salvos no cartão de memória, como músicas, fotos e filmes.

Câmera

Um dos grandes destaques do Xperia ZQ é a câmera. O sensor de imagem Exmor RS, de 13 megapixels, é o mais novo da Sony para dispositivos móveis. No material de divulgação, a empresa afirma que ele “captura fotos extremamente detalhadas com pouco ruído, mesmo em condições de iluminação desafiadoras”. Também é possível “reproduzir objetos em cores mais vívidas e capturar imagens noturnas e rostos com claridade excepcional”.

sony-xperia-zq-camera

Entretanto, ela não se destaca na prática. As imagens não possuem tanta nitidez ou riqueza de detalhes, algo que fica bem evidente quando apontamos o aparelho para a copa de uma árvore. Com o zoom em 100%, é possível notar pequenas aberrações cromáticas em janelas e antenas no topo de prédios. Durante a noite, a imagem sai bastante iluminada, mas pouco detalhada – carros acabam se transformando em borrões brancos.

As fotos são decentes, dentro dos limites de um sensor para celular, e devem satisfazer os usuários não tão exigentes, que desejam compartilhá-las nas redes sociais ou até fazer pequenas impressões. Para o resto, talvez haja opções melhores na mesma faixa de preço, como o Nokia Lumia 920, que possui uma câmera reconhecidamente boa.

Um dos diferenciais da câmera é o modo de disparo contínuo: é possível tirar até 10 fotos por segundo de maneira ilimitada, até a memória do aparelho acabar. Em pouco tempo, é possível capturar mais de mil imagens, que ficam organizadas num álbum separado.

sony-xperia-zq-embacar

O Xperia ZQ grava vídeos em 1080p a 30 quadros por segundo. Segundo a Sony, este é o primeiro smartphone capaz de filmar em HDR, o que aumenta o contraste dos vídeos – os concorrentes faziam apenas fotos estáticas em HDR. É difícil perceber alguma diferença com o HDR ativado ou não, mas tanto a imagem quanto o áudio possuem qualidade satisfatória. O estabilizador de imagens não é perfeito, então, se você não tiver mão firme, vídeos tremidos serão bastante comuns.

Multimídia

sony-xperia-zq-video sony-xperia-zq-walkman

Os aplicativos nativos do Android, como o Play Music e o Play Filmes, estão pré-instalados, mas a Sony também colocou seus próprios players de mídia no Xperia ZQ. E eles são bons: a interface é bonita e as funcionalidades adicionais são interessantes.

O Walkman é o player de música. O aplicativo possui integração com o banco de dados da Gracenote, então é possível preencher automaticamente as tags da sua biblioteca com o toque de um botão. Ele também detecta o ritmo das músicas para colocá-las em categorias como Noite, Relaxar, Animado e Suave, num recurso chamado SensMe. E dá para encontrar a letra da música ou informações sobre o artista através de um menu rápido.

No equalizador do Walkman, é possível ativar efeitos como o Surround, usar o Clear Phase para melhorar a qualidade de som do alto-falante e o habilitar o xLOUD para intensificar o volume. Esses recursos funcionam bem, e o som externo possui excelente qualidade de áudio, logo, o Xperia ZQ não deve decepcionar na hora de assistir a vídeos ou tocar músicas para todo mundo ouvir.

O player de vídeos é simples e não faz nada muito além de reproduzir filmes, sem suporte a legendas. Ele deve ser útil para quem assiste a episódios de séries no celular: transfira vários vídeos para o celular, e o player se encarrega de detectar a temporada, o número do episódio e o nome da série com base no nome do arquivo. Como os vídeos ficam organizados, é muito mais fácil encontrá-los depois.

E sim, o Xperia ZQ possui rádio FM!

Conectividade e acessórios

sony-xperia-zq-caixa

A caixa do Xperia ZQ é um pouco maior que a média do mercado. Ela inclui, além do smartphone, uma série de papeis com instruções de uso e alertas de segurança, um cabo microUSB e um poderoso carregador de 1.500 mA, que foi capaz de elevar a carga da bateria de 25% para 100% em apenas 1h34min.

sony-xperia-zq-carregador

O fone de ouvido incluso no pacote é o MH-EX300AP da Sony que, apesar de não possuir muitos controles físicos (há apenas um botão para atender a chamada), tem ótima qualidade. Os graves são fortes e o áudio é limpo e claro, então ele deve agradar bastante a quem ouve rock, metal e ritmos mais pesados. O isolamento também é bom, e há mais dois pares de borrachinhas de tamanhos diferentes dentro da caixa.

Atualização às 16h57: O MH-EX300AP, fone de ouvido que acompanha o Xperia ZQ que chegou até nos e foi apresentado à imprensa em abril num evento em São Paulo, foi substituído pelo MH750. O MH-EX300AP chegou a aparecer nos materais de divulgação e na página oficial da Sony. A conclusão foi atualizada e o ponto positivo foi removido.

sony-xperia-zq-fone

O Xperia ZQ é um dos poucos smartphones com suporte ao 4G brasileiro. Migrei recentemente para um plano 4G da Claro e tive a oportunidade de testá-lo na nova rede em São Paulo. Nos poucos locais onde já existe conexão LTE disponível, as velocidades variaram de 10 a 23 Mb/s de download e 5 a 20 Mb/s de upload, algo impressionante para uma conexão móvel, ainda que muito abaixo dos 80 Mb/s que as operadoras exibem em demonstrações para a imprensa.

No 4G, tudo é bastante rápido. A latência baixíssima para servidores nacionais, que fica em torno de 30 ms, deixa o carregamento de páginas praticamente instantâneo. O compartilhamento de fotos e vídeos também é muito rápido; na verdade, a velocidade de upload do meu 4G muitas vezes ultrapassa a velocidade de download que tenho na conexão a cabo em casa, de 10 Mb/s.

sony-xperia-zq-lte

O maior problema talvez seja o enorme consumo de bateria: com o 4G ativado, é fácil consumir 10% da carga em poucos minutos no Xperia ZQ. Além disso, com velocidades mais altas, talvez você se assuste com o grande consumo de dados – provavelmente, 2 GB por mês seja o mínimo aceitável para uma velocidade tão grande.

Hardware e desempenho

Com processador quad-core Qualcomm Snapdragon S4 Pro de 1,5 GHz e 2 GB de RAM, o desempenho do Xperia ZQ é muito bom. Engasgos nas animações são muito raros e alternar entre os vários aplicativos abertos é uma tarefa instantânea. Até o Chrome e o teclado SwiftKey, que costumam dar várias travadinhas irritantes em smartphones Android, rodam muito bem no aparelho da Sony.

A GPU é a Adreno 320, a mesma do Galaxy S4, do Nexus 4 e do Optimus G, então ele roda muito bem os jogos mais pesados, com gráficos detalhados e taxa de quadros satisfatória. O processador é da geração passada, mas isso não impede o smartphone da Sony de fazer bonito, tanto no uso diário quanto em benchmarks, com resultados próximos ao Galaxy S4, que já possui o Snapdragon 600.

Para os aficionados em benchmarks, aqui estão os números:

benchmark-galaxy-s4-xperia-zq-nexus-4

Bateria

sony-xperia-zq-bateria

A bateria de 2.370 mAh não impressiona na ficha de especificações, mas ela é suficiente para manter o smartphone ligado até o final do dia, especialmente com um pequeno truque que a Sony incluiu no software: o modo Stamina.

Todo mundo sabe que o 3G é um dos maiores responsáveis pelo consumo de bateria. O modo Stamina tenta atacar justamente nesse ponto: quando ativado, os aplicativos abertos serão suspensos e não poderão acessar conexões móveis enquanto a tela estiver desligada. Ligue a tela e tudo volta a funcionar normalmente. É possível escolher quais aplicativos podem ultrapassar o modo Stamina; no meu caso, permiti que o Cerberus e o WhatsApp pudessem acessar a rede mesmo com a tela apagada.

E o Stamina funciona de verdade: pelo menos no meu caso, a diferença foi brutal. Com o mesmo estilo de uso (duas horas de música no Rdio, uma hora de navegação por HSPA+/LTE e notificações sempre ligadas), saindo de casa às 9h, cheguei às 21h com 61% de bateria (Stamina ativado) e 37% de bateria (Stamina desativado).

O aparelho obteve desempenho mediano nos nossos testes de bateria, que envolvem execução de arquivos multimídia, navegação na web, ligação telefônica e jogos. A tabela completa e uma descrição detalhada da metodologia do teste podem ser conferidos neste link.

Com uso intenso, o gasto de bateria foi de 74%, ou seja, em três horas, o nível de bateria caiu de 100% para 26%. Com uso moderado, o gasto foi de 41%. Comparando com os aparelhos que já testamos, ele foi pior que o Motorola RAZR HD (57% e 39% em uso intenso e moderado, respectivamente) e o Samsung Galaxy S4 (46% e 25%), mas melhor que o LG Nexus 4 (81% e 57%).

O teste de bateria não é influenciado pelo modo Stamina, logo, com uso normal no dia a dia e tela desligada em boa parte do tempo, o Xperia ZQ não deve decepcionar seus proprietários.

Pontos negativos

  • Câmera promete muito e entrega pouco;
  • Tela com baixo ângulo de visão.

Pontos positivos

  • Alto desempenho;
  • Aplicativos da Sony com interface agradável;
  • Boa construção e design elegante;
  • Fones de ouvido de excelente qualidade;
  • Suporte ao 4G brasileiro.

Conclusão

sony-xperia-zq-fecha

Com preço sugerido de R$ 2.049, o Xperia ZQ tem a difícil missão de competir com o badalado Samsung Galaxy S4, que custa 450 reais mais caro, e o LG Optimus G, que chegou ao Brasil alguns meses atrasado. Em outras plataformas, temos também o Nokia Lumia 920 e o iPhone 5, ambos na faixa dos 2 mil reais.

O desempenho do Xperia ZQ é excelente, apesar do processador não ser o mais atual. E o suporte ao 4G brasileiro é um ponto a favor, especialmente para quem mora em cidades com LTE disponível e pode bancar um plano com a nova conexão.

O Sony Xperia ZQ, então, é uma ótima compra se você tiver plena consciência dos pontos negativos dele: a câmera não impressiona, especialmente em condições de baixa iluminação, e a tela tem ângulo de visão bastante limitado em comparação com a concorrência – em relação a esse último ponto, recomendo brincar com o aparelho por alguns minutos numa loja física para ver se esse problema é relevante para você.

O aparelho da Sony tem tudo o que esperamos de um smartphone caro. O Galaxy S4 é superior em muitos pontos, mas isso vem acompanhado de um preço 22% maior. Considerando a relação custo-benefício, o Xperia ZQ pode ser a melhor escolha para muitas pessoas. E, bem, o japonês é mais bonito e estiloso que o coreano.

Especificações técnicas

  • Bateria: 2.370 mAh.
  • Câmera: 2 megapixels (frontal) e 13 megapixels (traseira).
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi, GPS, Bluetooth 4.0, NFC e USB 2.0.
  • Dimensões: 131,6 x 69,3 x 9,8 mm.
  • Kit contém: Sony Xperia ZQ, fone de ouvido (3,5 mm), borrachinhas adicionais, carregador, cabo USB e manuais de instrução.
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 32 GB.
  • Memória interna: 16 GB (11,73 GB disponíveis para o usuário).
  • Memória RAM: 2 GB.
  • Peso: 151 gramas.
  • Plataforma: Android 4.1.2 (Jelly Bean).
  • Processador: Qualcomm Snapdragon S4 Pro quad-core de 1,5 GHz.
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, proximidade, barômetro e bússola.
  • Tela: TFT LCD de 5,0 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels e proteção contra arranhões.