A ESET descobriu uma nova ameaça virtual que está se espalhando através de mensagens recebidas no Skype. Segundo a empresa de segurança, o worm está sendo distribuído desde a tarde de segunda-feira (20) e atingiu mais de 300 mil pessoas no mundo todo, 80 mil delas apenas na América Latina.

O worm, identificado como Win32\Kryptik.BBKB, está se espalhando com velocidade acima da média. Ele se propaga “por meio do uso de textos relacionados a fotos no Skype”. Essas mensagens contêm links encurtados com o goo.gl, que apontam para serviços de armazenamento de arquivos, como o 4shared.

Para analisar a quantidade de pessoas afetadas, a ESET verificou as estatísticas fornecidas pelo próprio encurtador do Google, além de consultar os dados de um sistema próprio, o LiveGrid, afirmando que “67% das ameaças identificadas estão na América Latina, o que confirma a região como foco dessa campanha dos cibercriminosos”.

Mesmo quem não usa o Skype regularmente pode ser infectado: o gerente de educação e serviços da ESET América Latina, Sebastián Bortnik, diz que o Win32\Kryptik.BBKB tem grandes chances ser uma variante de uma praga que também está se espalhando pelo Google Talk. Além disso, a versão original da ameaça teria começado a ser distribuída em março.

A ESET não informou exatamente o que o worm faz quando infecta o sistema. A recomendação é não clicar em links estranhos recebidos pelo Skype, mesmo que eles sejam enviados por alguém “conhecido”. Esse tipo de worm já foi bastante popular na época do velho MSN, e é difícil acreditar que tantas pessoas ainda sejam infectadas.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Rodrigues
ta mas o que esse worm faz afinal de contas, "as fotos ficaram ótimas" é clássica heim hahahah
Alisson Melo
Exatamente Rafael. É por isso que seria quase que impossível acessar o diretório do Root sem uma senha. O Root vem travado exatamente por medida de segurança. Se eu, por curiosidade desbloquear o root, criando uma nova senha, sempre será pedido ela na hora de fazer alguma coisa que exija esse tipo de privilégio. Lembrando que o Wine é apenas uma máquina virtual, não tem ligação direta com o sistema, digamos assim.
#Recruta
Só eu ri do "As fotos da festa ficaram ótimas!"?
marcus rerre
nem uso skype!
Rafael Machado de Souza
perai, quando o problema ocorre no windows é culpa do usuario, mas quando ocorre no android ou iOS é culpa do sistema operacional?
Rafael Machado de Souza
mas e o root? esqueceu que o usuario padrão só possui permissão de gravação na pasta do usuario?
Sam_Rodrigo
Eu acho que a questão aqui nem é por ser Windows/Microsoft/Skype ou Linux ou outra plataforma... a questão são as pessoas caírem nos mesmos erros, sempre. Quantas vezes já não vimos isso, quantos alertas "Não cliquem em links estranhos...." nós já não ouvimos por aí? Mas parece que não aprendem. Sempre cometem o mesmo erro. Fala sério! Enquanto tiver usuários incautos para caírem nessas armadilhas, haverá a proliferação dessas "pragas".
Bruno Nogueira
Pessoas e computadores estão tão interligados que se tornaram um só :P
Lekynus Sama
mas no linux, é necessario autorização, mesmo com o wine instalado, não da para executar automaticamente no linux. o usuario teria que permitir
Franz Corsini
Não só, o sw em si pode passar o controle para o código malicioso ser executado. Depende de muita coisa eu dei um simples exemplo tosco. Existem diversas formas de se fazer um código ser executado a partir de um processo em execução.
Rafael Machado de Souza
sim, mas ele fica restrito ao Wine. dã!
Guilherme Andrade
Coitado de quem caiu nessa.. :/
ricardo
Bastante rudimentar.
Franz Corsini
Um vírus não necessariamente tem a extensão .exe. O arquivo pode ser executado(.exe,.com,dlls, etc..., são associados com o wine se instalado) quando você clica pela mensagem, assim seu pc pode ser infectado. Algumas dicas de como isso é possível você encontra aqui - http://computervirus.uw.hu/ch07lev1sec6.html
Henrique Dourado
bem lembrado
Exibir mais comentários