Início » Legislação » Para diminuir pirataria, Sony e Disney fazem streaming de filmes que ainda estão em exibição nos cinemas

Para diminuir pirataria, Sony e Disney fazem streaming de filmes que ainda estão em exibição nos cinemas

Paulo Higa Por
6 anos atrás

walt-disney

Uma das maneiras de diminuir a pirataria é fornecer alternativas melhores que os piratas. É isso que Sony e Disney estão tentando fazer na Coreia do Sul. Sem grandes anúncios, as duas distribuidoras de filmes começaram a testar um novo modelo de negócios que consiste em liberar streaming de filmes que ainda estão em cartaz no cinema.

O Wall Street Journal afirma que Sony e Disney estão vendendo ingressos para assistir aos filmes indo a uma sala de cinema ou usando a conexão de casa. Django Livre, por exemplo, estava disponível por streaming apenas três semanas após a estreia em abril. O mesmo se repete com Detona Ralph e Valente, que começaram a ser distribuídos pela internet em quatro ou cinco semanas. Esses filmes ainda estão em exibição na Coreia do Sul.

A ideia pode ser seguida por outras empresas: o jornal diz que executivos de quatro estúdios de Hollywood estão acompanhando os testes. Mas não há garantias de que isso possa ser realmente ampliado. Segundo o The Verge, a Disney tentou fazer algo parecido em Portugal, com a animação Enrolados, mas não repetiu a experiência posteriormente.

Esta parece ser uma boa estratégia para reduzir os downloads ilegais de filmes no Brasil. Muitos pirateiam não porque não querem pagar, mas porque não têm opções. De acordo com o Ipea, mais de cinco mil cidades brasileiras (mais de 90%) não possuem salas de cinema. Um estudo de 2004 dizia que 35,90% dos municípios também não possuíam locadoras. E, bem, até os filmes saírem para aluguel digital, é provável que eles já estejam disponíveis há bastante tempo nos sites de torrents.

Mais sobre: ,