A Apple está apostando cada vez mais no uso de energia renovável em suas operações. Prova recente disso é o anúncio que a companhia apresentou nesta semana sobre a construção de uma unidade de produção de energia solar que alimentará o seu próximo datacenter.

Tanto o centro de dados quanto a “fazenda” de energia solar ficarão em Reno, estado de Nevada, nos Estados Unidos. De acordo com a Apple, o local se mostra especialmente atraente à construção destas unidades porque é bastante suscetível à captação de luz solar, além de ser uma boa fonte de energia geotérmica – a princípio, esta última será utilizada de maneira complementar até que a produção de energia solar esteja em plena capacidade.

Uma vez concluída, a planta do local, que terá pouco mais de 55 hectares (ou cerca de 135 acres), deverá produzir 43,5 milhões de quilowatts-hora por ano de energia limpa, quantidade que seria suficiente para neutralizar 6,4 mil veículos nas ruas por ano. Pelo menos é o que Apple diz. Outro benefício é a geração de cerca de 1 mil postos de trabalho, diretos e indiretos.

Parque de energia solar da Apple em Maiden - a unidade de Reno deverá ser assim

Parque de energia solar da Apple em Maiden – a unidade de Reno deverá ser assim

O projeto tomou forma graças às parcerias fechadas por Tim Cook e sua turma. Uma delas é com a empresa SunPower, que ficará responsável por fornecer painéis solares complementados por espelhos especiais que elevam a captação de raios solares em até sete vezes.

Outra é com a fornecedora de eletricidade NV Energy, que além de contribuir com a construção e o gerenciamento da unidade em si, permitirá que a energia limpa produzida no local seja utilizada também na rede elétrica da região.

Vale ressaltar que esta não é a primeira incursão da Apple no assunto: de acordo com a companhia, todos os seus datacenters são 100% alimentados por energia renovável – de origem solar, eólica, geotérmica, entre outras – desde março deste ano. O vídeo abaixo, por exemplo, mostra a matriz de energia solar que alimenta o datacenter da empresa em Maiden:

E a Apple quer ir além: a intenção da companhia é fazer com que, em um futuro não muito distante, todas as suas instalações sejam alimentadas por energia renovável, incluindo prédios administrativos. Alguém duvida que ela chegará lá?

Com informações: The Register, GigaOM.

Atualizado às 08h37.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

portela.thiago
Tão responsável e exemplar ambientalmente. Nem parece aquela empresa que terceriza sua produção com mão de obra chinesa quase escrava. A Foxconn manda lembranças...
xismailsix
Quando li a matéria, tomei um grande susto: são 43,5 milhões de quilowatts-hora por ano e não 43,5 milhões de quilowatts por hora como dito na matéria. Só a título de comparação, a usina de Itaipu gerou em 2012 um total de 98,2 bilhões kW.h durante o ano (recorde mundial).
Emerson Alecrim
Não sei quanto ao uso de processadores de baixo consumo, mas o datacenter da Apple em Maiden utiliza um reservatório de água para resfriamento, além de recursos como iluminação via LED e telhado de cor branca para melhor a captação de luz solar. Esta página fala um pouquinho sobre isso: http://www.apple.com/br/environment/renewable-energy/
trovalds
Acho bastante interessante. E ainda de quebra poderiam fazer resfriamento dos datacenters com algum modelo parecido com o do Google, que usa água de rios e/ou constrói (ou construiu) datacenters em lugares gélidos para não ter que investir em resfriamento propriamente dito. Só não sei afirmar se os modelos do google são eficientes e não impactantes do ponto de vista ecológico. Mas com certeza uma parte da energia produzida por esses painéis solares é usada em resfriamento. Aliás, uma pergunta: a Apple está usando algum modelo de datacenter a base de processadores de baixíssimo consumo para diminuir a dissipação térmica?