Início » Celular » SlidePad, o dois-em-um da LG para o mercado brasileiro

SlidePad, o dois-em-um da LG para o mercado brasileiro

Lucas Braga Por

slidepad-aberto-lateral

A LG nunca se deu muito bem no mercado dos tablets, mas agora aproveitou o Windows 8 e criou um produto dois-em-um que combina notebook e tablet. Se trata do SlidePad, produzido especificamente para o mercado brasileiro. O produto tem um formato curioso: basta apertar um botão e o teclado se abre automaticamente, transformando o set todo em uma espécie de ultrabook.

Passamos um mês testando o híbrido. Veja o que ele tem de especial além do design.

Design e tela

O formato do SlidePad é bem curioso e desperta a atenção. Ao apertar uma tecla, some o conhecido formato de tablet e surge um notebook bem curioso. Atualmente, é muito mais comum encontrar ultrabooks conversíveis com telas que giram e o próprio ultrabook vira um tablet. Com o SlidePad, é mais certo falar que se trata de um tablet que vira um notebook.

Ele pesa 1 kg, mas a tela IPS LED de 11,6 polegadas ajuda a distribuir o peso e o SlidePad não parece ser tão pesado assim na mão. Podemos dizer que ele não é fino, mas também não é espesso: seus 15 mm de espessura deixam o aparelho mais gordo que outros tablets, porém é algo completamente compreensível quando considerado que existe um teclado QWERTY físico disponível a qualquer momento.

O formato esquisito nos deixa a dúvida: será que isso é resistente? O SlidePad aparenta ser bem frágil, e com certa razão. As partes móveis ficam quase que completamente expostas e são bem finas. Mais do que isso, o cabo flat é visível a olho nu toda vez que você abre ou fecha a tela, e isso dá uma certa agonia e medo de tudo parar de funcionar. Essa sensação de fragilidade só aumentou quando um parafuso que prende a tela simplesmente soltou e caiu dentro do SlidePad. Acho que isso já é suficiente para responder a pergunta do início do parágrafo.

O mecanismo de abertura do SlidePad deixa o cabo flat exposto. Isso não é nem um pouco legal.

O mecanismo de abertura do SlidePad deixa o cabo flat exposto. Isso não é nem um pouco legal.

Usá-lo com muito cuidado é um requisito obrigatório para qualquer pessoa que manusear um SlidePad. Principalmente ao fechar a tela: não é possível fechá-lo segurando apenas as bordas laterais. É necessário segurar com a sua mão aberta no meio da tela e, nas primeiras vezes que fiz isso, tinha a sensação de que ia quebrar a tela no meio. É uma simples questão de jeito, com o tempo você se acostuma. Outra coisa sobre o formato é que usá-lo no colo com o teclado aberto não é uma experiência muito agradável: a tela fica mexendo e tampando algumas teclas. O ideal é que você o coloque em alguma mesa ou outra superfície plana para desfrutar do teclado.

Com o padrão QWERTY, o teclado ABNT2 é muito bom e as teclas são bem espaçadas e macias – estou acostumado com o teclado do MacBook Pro e posso dizer que o tamanho das teclas é bem similar. O que pode incomodar alguns é que para inserir uma interrogação ou uma barra ao digitar, é necessário apertar Alt GR + Q ou W. Além disso, as teclas F1 a F12 foram suprimidas e estão juntas com os numerais, e isso resultou na existência da tecla Esc antes da tecla das aspas. Mas layout de teclado é um exercício de costume, e a mudança da posição de algumas teclas é completamente aceitável especialmente para um dispositivo tão portátil como o SlidePad.

slidepad-teclado

Apesar de possuir um teclado, o SlidePad não possui um mouse: o dispositivo de ponteiro foi completamente substituído pela sua tela sensível ao toque com suporte a até 5 dedos simultâneos. Confesso que me impressionei sobre como o Windows 8 está bem preparado para esse tipo de telas, e os toques correspondem muito bem ao que você quer clicar. Se você está preocupado a respeito do botão direito do mouse, acalme-se: é perfeitamente possível fazer a ação com um clique um pouco mais longo. E se você é teimoso e quer utilizar um mouse tradicional, não tem problema: a conectividade do SlidePad permite que você faça isso.

Conectividade e Acessórios

Na lateral esquerda do SlidePad se encontra um slot para cartão microSD, os botões liga/desliga e um botão para travar a rotação da tela. Do outro lado, o botão para abrir o teclado. A conectividade do tablet se concentra na parte superior: por lá, são encontradas uma saída para fone de ouvido, uma porta microUSB, uma porta USB (fêmea), uma saída HDMI e o conector de energia, além de um botão de Reset. Por fim, o SlidePad também apresenta Bluetooth 4.0 e Wi-Fi b/g/n. Uma pena é a falta de suporte a redes de 5 GHz.

O mais curioso em tudo isso é a porta microUSB: ela não serve para ligar o SlidePad em outro computador e acessar a memória interna, nem para carregar o aparelho. Na verdade, a saída microUSB funciona com o a USB fêmea: é possível ligar dispositivos ali. Só que você não tem nenhum gadget com duas pontas microUSB, de forma que para usar aquela porta é necessário um cabo-adaptador, o que é um certo incômodo. Custava colocar outra porta USB fêmea?

slidepad-traseira-aberto

Possuir uma porta USB é algo extremamente interessante no quesito acessórios. Dá pra ligar muita coisa ali, como um pendrive ou HD externo e assistir um filme ou transferir arquivos.  Se você não gostar de utilizar a tela sensível ao toque mas gostou do tamanho do SlidePad, pode usar um mouse sem problema algum.

O fato de rodar Windows como um desktop e possuir uma porta USB torna o SlidePad compatível com praticamente qualquer impressora, algo difícil em tablets com Android e iOS por falta de padrões universais. Sabe o que também é legal? Como o produto não tem suporte a redes móveis, é possível usar a conexão do seu celular por USB e ainda por cima carregar a bateria dele. Na pior das hipóteses, é possível usar um modem USB e conseguir usar até 4G no SlidePad.

Na caixa, o aparelho vem apenas com seu carregador – que se difere muito com o que encontramos em notebooks, uma vez que ele é bem compacto – e um bonito estojo em couro.

capa-couro-slidepad

Aplicativos embutidos

Assim como qualquer computador de varejo, o SlidePad também vem com um monte de softwares de utilidade questionável. AccuWeather, Evernote Touch, Line, Music Maker Jam e Skype são os aplicativos Modern já embarcados no SlidePad. Já no ambiente desktop, é encontrado o Norton Internet Security e o LG SmartShare, aplicativo que compartilha conteúdo multimídia através do protocolo DLNA.

Ele também acompanha o Office 2013 pré-instalado e, para usá-lo, é necessário adquirir uma licença. Mediante um cadastro, é possível degustar o Office 365 por até 45 dias. Não há nenhum codec de vídeo adicional instalado no SlidePad, mas você pode instalar o VLC gratuitamente e reproduzir os arquivos de vídeo mais comuns.

Desempenho

O SlidePad não é um dispositivo agraciado com excelentes especificações. Ele traz um processador Intel Atom Z2760 com clock de 1.8 GHz, 2 GB de memória RAM e armazenamento em memória flash de 64 GB. Desses 64 GB, apenas cerca de 34 GB são disponíveis para o usuário, uma capacidade baixa para quem quer utilizá-lo para substituir um ultrabook. O problema não é apenas armazenamento: a memória interna de 64 GB é conectada ao SlidePad por meio de uma interface MMC, que é um tipo de cartão de memória. Isso resulta em baixas taxas de transferências, inferiores a até mesmo um HDD comum conectado em interface SATA II.

Apesar desses entraves, o SlidePad não é lento. Assistir filmes em alta definição é perfeitamente possível (acho que foi o que mais fiz enquanto estive com o aparelho) e o sistema só travou a ponto de reiniciar uma vez comigo – ironicamente, jogando Paciência do Windows 8. Navegar pela internet é muito bom, principalmente com o Internet Explorer, que está bem melhor adaptado a telas touch do que outros navegadores. Não é o objetivo do nosso review falar de números, mas confira alguns benchmarks sintéticos:

Bateria

No evento de apresentação do SlidePad, a LG prometeu a autonomia de até 12 horas de uso com o aparelho em modo avião. Fiquei bem cético em relação a autonomia anunciada e incrivelmente fui surpreendido positivamente. Sim, a bateria do SlidePad é essa Coca-Cola toda, de forma que consegui assistir três filmes em alta definição e ainda havia sobrado pouco menos da metade da bateria.

Em um modo de uso básico (o que eu costumo chamar que é o modo tablet), que significa utilizar o tablet por um total de 3 horas durante um dia com Wi-Fi ligado, algumas verificações em redes sociais, assistir dois vídeos no YouTube e ler notícias, eu consegui deixar o SlidePad por quase 3 dias longe da tomada. Em uma situação mais intensa e ininterrupta, usando-o como computador convencional, também com Wi-Fi ligado, navegação constante na internet, ouvindo músicas por streaming e assistindo um capítulo da novela no site da Globo, a bateria durou 8 horas e 45 minutos. Portanto, bateria não deve ser um problema para um dono de um SlidePad.

Especificações técnicas

  • Processador: Intel Atom Z2760 de 1.8 GHz
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento: 64 GB de memória MMC, 34 GB disponíveis para o usuário
  • Tela: 11,6 polegadas sensível ao toque, suporte de até 5 pontos de toque
  • Conectividade: Bluetooth 4.0, Wi-Fi b/g/n, USB, microUSB, HDMI e slot para cartão microSD
  • Câmera: frontal, de 2 megapixels
  • Peso: 1 kg
  • Bateria: até 12 horas de uso em modo avião
  • Preço sugerido: R$ 2.499,00

Considerações finais

O fato de um tablet ter Windows 8 e um teclado físico muda muita coisa. Primeiro porque o aparelho roda um sistema completo de um computador, com processador Intel e todo o ambiente desktop que você já está acostumado. Isso abre um mar de possibilidades muito maior do que o que já estamos acostumados com um tablet Android ou iOS, principalmente quando você pode contar com o Microsoft Office, que é a suite de produtividade mais utilizada no mundo.

Entretanto, o SlidePad possui um hardware fraco e isso desqualifica quem quer utilizá-lo como único computador. Tarefas como edição de vídeo, por exemplo, são impossíveis com um processador Atom e seu chip de vídeo integrado. Talvez o maior dos problemas seja a baixa disponibilidade de armazenamento interno, impossibilitando que você mantenha todos os seus arquivos no próprio tablet.

Apesar de todos os contras, confesso que gostei muito do SlidePad. Ele é perfeito para utilização em viagens, a bateria dá conta do recado com muita folga e o teclado é muito confortável. Só que o preço de R$ 2.599,00 é salgado o bastante para pensar duas vezes na compra do gadget. Para quem depende muito de mobilidade se trata de um excelente investimento, mas não vale muito a pena para quem quer simplesmente um computador para usar em casa.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Ricardo Rocha
Preciso de ajuda para encontrat uma tela 11.6" para o slidepad lg modelo LG11T54.
Denilson André
comprei o meu em novembro (2014) por 1.290,00 sem juros e sem taxa de entrega na livraria saraiva, para situações simples ele serve muito.além de ser bem leve.
josemcamargo
Venho utilizado equipamentos (Notebooks) com processadores Intel Atom bem como AMD E350/E450 Fusion. São processadores para trabalhos que não demandam grande processamento, pacotes de escritórios, assistir vídeos, navegar na internet. Seria para o usuário normal. Comprei esse Notebook/Tablet da LG SlidePad por R$ 1.800,00 na internet e para o meu perfil de uso, o equipamento me atendr plenamente. Além de ser um tablet e de rodar todo o legado de aplicativos Windows bem como os novos aplicativos da Interface Moderna UI, já valeu a pena. Preço Justo. Acima de R$ 2.100,00 reais já começo a questionar o custo/benefício!
Adolfo Brás Sunderhus Filho
Nesse preço, achei caro com essa configuração... Mas, está começando a aparecer promoção com ele por 1900 reais... Esperando cair um pouco mais o preço... Se na BlackFriday ele estive por 1600 reais dá pra animar fácil...
Lucas Braga
É sério. Eu uso o Chrome (e ele é insubstituível pra mim por causa de algumas funções), mas usá-lo com tela touch é bem ruim. Não tem suporte a pinch zoom, a rolagem não é suave, dentre diversos outros probleminhas. Nessa situação, o IE incrivelmente ganha de lavada.
Ed Rodrigues
Legal esse netbook da LG. Se bem que tem netbooks com configuração melhor.
Jefferson William Rosa
MUITO RUIMMMMMM!!!!!!
Emanuel Schott
Só queria saber o que esse "tablet" tem de tão diferente dos netbooks pra justificar esse preço. SSD e tela touch não são suficientes pra aumentar quase R$2000 em relação aos pequenos esquecidos.
André Macêdo de Andrade
KKKKKKKKKKKKKK pior que esse processador é pior que um Pentium E5400 2.70 GHZ (LGA 775) eu ganhei 5 de Índice de Experiência nele contra 3.2 desse Tablet da LG,que eu vendi para meu vizinho com 4 Gigas DDR2 e Windows 8, que piada isso kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
Israellen Thamara
Parei de ler quando eu li procesador ATOM
Diego Borges Lima
Esse processador Atom Z2760 é para linha de Smartphone e Tablet, acredito que eles são mais lentos do que os Atom da linha mobile ( notebook e netbook). Se fosse para rodar Andoid até poderia ter um desempenho aceitável, agora windows 8 e para rodar aplicações mais pesadas vai ficar sofrível !!...Resumindo estão vendendo um netbook ( podendo ter um desempenho pior que um net) com preço de ultrabook, só mesmo o mercado Brasileiro para consumir este tipo de produto !!!
Evertton de Lima
Provavelmente, neste quesito a equipe do Tecnoblog analisou apenas o ambiente operacional Windows, mas mesmo neste, o Google Chrome é a melhor alternativa e, inclusive, possui um modo para dispositivos com entrada de toque.
William Nascimento
Não vale o preço.
Jodson Gomes
Com uma grana dessa dá pra comprar um ultrabook Dell core i5 e ainda sobrar dinheiro!!! Tá louco...
mlhz
que lixão.
Edson Fernandes
Simplesmente não vale a pena. Os argumentos de mobilidade e o Office não são suficientes pra investir esse valor. Acredito que ele deveria custar algo em torno de R$ 1.600,00 pra se tornar atrativo, já considerando os 300,00 do W8SL. Por 2800,00 indicamos um Ultrabook Samsung i7/4 Gb/500 Gb/14" que, além de tudo, garantirá tempo suficiente para o retorno do investimento, pois com certeza aceitará até o Windows '10', com um possível up de RAM.
Jose Campos
Amanda boa tarde...ele tem qtos gigas?
Thalles Mancha
Em hardware velho eu quero dizer as specs, que são datadas, obviamente o hardware é lançamento rs
Thalles Mancha
Não sei o que mais me constrangeu: o fato da LG tentar empurrar esse hardware velho e frágil por mais de 2 mil ou o autor assistindo a novela no site da Globo rs
Rodrigo Valladares
"Navegar pela internet é muito bom, principalmente com o Internet Explorer, que está bem melhor adaptado a telas touch do que outros navegadores." Erro
Rodrigo Ramos
sempre acham q o brasileiro é otário, né?
Emanuel Farias
Mais um da categoria "TontoBooks"!
Pablo Francisco Figueroa Iglesias
resolução da tela ?
portela.thiago
Não LG, esse aparelho não vale os R$2600,00 de investimento. Em hipótese nenhuma.
Lucas Braga
Pena que ele ainda não foi lançado oficialmente (só anunciado, deve chegar no final do ano). Seria um review bem legal!
Claudio H.
A idéia é interessante... mas esse produto ta muito fraquinho... cabo flat exposto, certa fragilidade, armazenamento lentíssimo (talvez não para o tablet, mas para o "desktop" sim), etc. Parece um produto que foi lançado pra ver o que o povo acha e aí aperfeiçoar a próxima versão. Mas como disseram aí em cima, talvez seja uma boa alternativa para uso corporativo por quem não se dá bem com tablets sem teclado físico.
Jeferson Silva
Dá pra fazer um review sobre o Samsung Ativ Q. Ele parece ser mais interessante, uma vez que é duplamente híbrido: Tablet-Ultrabook rodando Windows-Android ao mesmo tempo.
Yuri Carvalho
Só precisa de um driver de vídeo melhor, já que o atual não é compatível com o 8.1
Luiz Henrique Vitório
Pessoal, qual tablet/ultrabook com melhor custo benefício?
Luiz Henrique Vitório
Caro também.
Jhonny Willyans
Frágil, Caro, Pouco espaço de armazenamento e com pouco processamento por mais de 2 mil ? Sem contar ser incômodo em algumas posições ... é quase uma tekpix da vida... acho que a vantagem é possuir um SO que permita mais funcionalidades que o IOs e o Android, como foi dito a respeito de impressoras e dispositivos de dados.
Amanda Tavares
Sou mais meu Asus Transformer TF300TG. É Android, com teclado completo, mousepad, ou se eu quiser, desacoplo e vira só tablet. A bateria dura mais de doze horas de verdade, com tela ligada o tempo todo, porque eu já testei, já que tem bateria no tablet e no teclado. Android 4.2 pela Asus, quad core com entrada USB para ligar o que quiser e ainda é 3G... :D Pouco se fala dele aqui no Brasil...
Flavio Henrique
2600 por um hardware de netbook de 700 só porque tem um teclado? Isso explica a frase "produzido especificamente para o mercado brasileiro", só brasileiro mesmo pra aceita esse roubo...
Thiago Nalli Valentim
Para uso nos Negócios é uma boa. Principalmente vendedores externos que não tem muita habilidade dom Tablet tem o teclado para salva-los. Gostei da matéria. Parabens.
Lima Junior
Processador ATOM com chip de vídeo integrado por R$ 2.600,00 ????? não obrigado, chega de ser enganado por netbooks.