Fusion Hybrid

Nessa semana a Ford apresentou a nova versão do seu sedan de luxo com tecnologia limpa, o Fusion Hybrid. Eu estava lá e conferi o que o carro mais econômico do Brasil pode oferecer aos seus possíveis compradores. Spoiler: tecnologia de ponta, segurança e um silêncio absoluto, além de uma economia incrível. Mas isso não é tudo e ainda estamos só no começo de um novo segmento.

Shhh! Silêncio!

O antigo modelo, de 2010, vendeu 270 unidades. Com as melhorias do modelo e o novo design, idêntico ao da versão comum, o carro ainda tem uma nova bateria de íons de lítio, igual a utilizada pelos celulares. Ela pesa 42 kg, sendo 23 kg mais leve do que a anterior.

A bateria ocupa parte do porta mala

A bateria ocupa parte do porta-malas

Nossa versão é a mesma comercializada no mercado norte-americano, e ambas são fabricadas no México. O lindo visual é o mesmo do modelo topo de linha com motor comum, o Titanium. Isso ajuda a atrair consumidores, já que você troca o motor, mas não o visual.

Como qualquer carro topo de linha hoje, ele conta com diversos sensores. Dirigir, estacionar e até ficar parado no trânsito se tornam mais fáceis e divertidas com o carro. (Voltaremos a falar da diversão mais tarde)

O carro é tão silencioso que conta com um LED verde no painel para você saber que o carro está ligado. Sério, você vai precisar. Dentro dele, com os vidros fechados e o ar condicionado ligado, você não ouve nada. Nenhuma trepidação. Isso se deve ao sistema antirruídos, com microfones no tetos que fazem frequência inversa ao som que incomodaria quem estivesse no carro.

Economizando combustível

O motor elétrico do Fusion Hybrid é abastecido pelo motor a combustão e também pela energia gerada pelos freios do carro, tal como o sistema KERS da Fórmula 1. Nos EUA já existe o modelo “Plug In” que permite a carga de bateria direto de tomadas normais. Segundo a Ford, isso não chega aqui por falta de estrutura.

No carro os dois motores funcionam juntos somando 190 cavalos. Porém, para chegar até 100 km/h ele utiliza só o motor elétrico e bate a marca em 9,3 segundos. Já numa retomada de 80 km/h para 120 km/h são necessários 6,3 segundos.

A transmissão e-CVT é quem entende e responde com a motorização correta para o momento. O motor de combustão é preferencial só para ultrapassagens e subidas, e logo depois é prontamente substituído pelo silencioso motor elétrico. Depois de um tempo, inclusive, o carro se acostuma ao seu modo de dirigir e sabe como tirar mais proveito do motor elétrico — habilidade chamada de EV+, que trabalha junto do Eco Plus, um piloto automático eficiente.

Por conta disso, a Ford afirma que ele é o carro mais econômico vendido no país, fazendo 16,8 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada. Em relação ao modelo do Fusion comum, a economia pode somar R$ 5 mil por ano.

Quando você desliga o Fusion Hybrid, ele mostra como é educado

Quando você desliga o Fusion Hybrid, ele mostra como é educado

Ele quer parecer um videogame

O carro é bastante interativo e, como foi bastante frisado, o Fusion Hybrid quer parecer um videogame. Para isso conta com três telas LCD. Duas ficam no painel, uma à esquerda e outra à direita do velocímetro. Essas duas formam o “Smart Gauge”.

As telas de 4,2 polegadas mostram, na esquerda, informações sobre sensores, consumo e viagem, tudo controlado pelos botões no carro. Na da direita existe o divertido “Ecoguide”. Conforme você dirige de maneira ecologicamente correta, um ramo de folhas verdes cresce pela tela. Caso você comece a gastar mais combustível, as folhas começam a secar e a sumir. O divertido fator jogo inserido nisso faz com que o motorista queira, cada vez mais, deixar o painel cheio de plantas. Não só pela beleza (do painel e do gesto), mas pela economia que isso proporcionará no fim das contas.

A terceira tela, que fica no centro do painel, tem 8 polegadas e é feita em parceria com a Sony. Lá é onde os comandos da central multimídia, GPS e informações sobre o carro aparecem. Você pode parear seu aparelho celular e controlá-lo por voz, graças ao sistema Sync, feito em conjunto com a Microsoft. O reconhecimento de voz acontece de maneira bem natural, inclusive para sintonizar estações de rádio. Há também, no console central, escondidos pelo encosto do braço, entradas USB, para cartão SD e até RCA A/V.

O carro, como todos os outros, tirou o acendedor de cigarros, mas deixou o espaço que se torna uma tomada 110 volts. Ou seja, tomada e tela para você jogar seu PlayStation durante as paradas da viagem! Ou algo menos exótico, claro.

GPS divide a tela quando o próximo passo está perto

GPS divide a tela quando o próximo passo está perto

Não é para todo mundo

O Fusion Hybrid é uma versão melhor do que a top, ou seja, ele não é barato. Mas ainda assim é mais barato que a versão anterior. Tudo por conta da redução de potência do motor tradicional, agora um 2.0, que faz com que tenha menor carga tributária, resultando no valor final de R$ 124.990,00, contra R$ 133.990,00 da versão de 2010.

Ele não é barato, a Ford sabe. O compradores esperados são, segundo a empresa, “formadores de opinião e early adopters” dispostos a entrar antes num mercado que, todos esperamos e queremos, torne-se padrão em até vinte anos.

A empresa diz que criando essa cultura no país, ela se tornará o modelo a ser seguido pelo pioneirismo – que a Ford entende bem, se a gente lembrar que eles criaram boa parte do que a indústria automobilística é hoje.

Mostrar a tecnologia verde num carro de luxo tende a criar uma procura maior por ela, quando chegar a carros mais baratos. Para evitar que a tecnologia vire “mico”, a empresa diz que treinou todos os técnicos de concessionária para evitar que algum desinformado passe a dizer que o carro é ruim, tal como os modelos 16 válvulas de anos atrás.

motor Fusion Hybrid

No futuro deveremos ter carros rodando sistemas operacionais que dispensarão motoristas. Veremos nossos filhos e netos nos perguntando o que era uma fita VHS, um disquete e se um motor que precisava de gasolina para andar não passa de lenda. Responderemos essas perguntas com tranquilidade em cidades com o ar bem mais puro. Assim esperamos.

No dia 6 de agosto fui com a Ford para Itu, interior de São Paulo, conferir o novo Fusion Hybrid e comprovar que em Itu, tudo é grande. Principalmente os insetos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marco Moura Filho

Troquei. Ficou ótimo

Marco Moura Filho
Troquei. Ficou ótimo
Paulão Cezar de Souza Jr.

Vocês trocaram o pneu do 2013 pelo 235/50 18 ?? Ficou bom ?

Paulão Cezar de Souza Jr.
Vocês trocaram o pneu do 2013 pelo 235/50 18 ?? Ficou bom ?
Thiaggo Ribeiro
Sr. João Paes; Como o leitor irá autenticar veracidade de uma matéria a qual realiza tais comparações das Máquinas Fusion cometendo um erro gravíssimo ao citar que a comparação diferencia-se à versão anterior de um Fusion 'COMUM'. Meu caro desde quando existe uma máquina dessa com itens comuns ? Por gentileza se expressar da forma devida, ou seja, os mesmos se diferenciam-se da versão anterior e não comum, pois não existe fabricação comum do mesmo, a não ser que o Sr. não os conheça.
PUSSYCATlovesGURGEL .
muito boa sua afirmação! hoje os carros são da marca que os fabricam , antes os carros eram de seus donos, a diferença surgiu quando inventaram as caixinhas pretas os seja os módulos computadorisados onde ninguem pode saber mecher naquilo ,antes era só regulagem daqui e dali pronto o carro virava uma fera pra mil anos , hoje se mecher no corpo de borboletas BUMMM o carro para e não vai , as marcas odeiam carros velhos antigos pois esta ali a solução para a liberdade do dono do carro, por isso o preço dos (sem centralina) está subindo, veja o exemplo da belina , o carro é do dono e não da ford ,entende? ok!
Marco Moura Filho
Amigo, vc comprou o 2013? Trocou o pneu pelo de perfil mais alto? ficou legal?
ticoticonofubadf
Eu não me arriscaria uma vez que quando começarem os problemas você terá que correr aos engenheiros treinados e somente eles mexerão no carro. Mas, vamos dizer que um carro deste depois de 5 ou 8 anos, uma vez que o segundo ou terceiro dono assuma, os problemas técnicos vão aposentando em vista da manutenção cara ou da dependência de engenheiros treinados para mexer e sem falar da substituição de peça CARA! Ou você acha que as peças para este carro seriam baratas? Quanto mais os carros ficam tecnológicos, mais descartáveis. Obrigado. Fico com meu Maverick que ainda acho peça.
Saulo Eduardo Fernandes Oliveira
Seria legal se a Ford conseguisse replicar o modelo de alimentação para os outros carros (Focus, Fiesta, Ecosport) ... mesmo que sem essa "gamificação" do painel.
Fernando Bispo
Show de bola
Paes
Quase 17.
Paes
Não, é um híbrido.
Kleber Guedes
...Digo, ha 3 meses, procurando um V6 AWD 2012 usado mas desisti! A ideia e ficar com os pneus originais e recolocar em 3 anos. Beto Parana pediu uns $1.500 so para elevar a suspencao em uns 1,5 cm.
Kleber Guedes
Voce por aqui Alexandre! Grande abraco, valeu! Estou a 3 meses sem carro
Alexandre Barcelos
Show! Parabéns pelo brinquedo novo. Bom é que as caixas de roda do Fusion são gigantes. Cabe muito pneu lá dentro, sem pegar nada em lugar nenhum. Abraço!
Exibir mais comentários