Início » Jogos » Equipe vencedora do torneio mundial de DotA 2 leva US$ 1,4 milhão para casa

Equipe vencedora do torneio mundial de DotA 2 leva US$ 1,4 milhão para casa

Premiações milionárias, reconhecimento do governo e atletas profissionais: os eSports estão ficando maduros

Avatar Por

Após uma semana corrida e sem paradas, o The International 2013, torneio promovido pela Valve a fim de definir um campeão para seu recém-lançado DotA 2, chegou ao fim neste domingo (11). A finalíssima aconteceu em Seattle, nos Estados Unidos, e precisou de 5 partidas para que a equipe Alliance, da Suécia, fechasse a conta por 3×2 em cima dos ucranianos Na’Vi.

Com bastante sintonia entre o grupo e uma disciplina invejável, a Alliance faturou o grande prêmio de US$ 1,4 milhões. Já os segundo colocados, da Na’Vi, tiveram de se contentar com o montante de US$ 600 mil, um singelo valor de consolação.

DotA 2 (abreviação para “Defense of the Ancients”) foi lançado em julho passado para Windows, Mac e Linux, após uma quase interminável fase beta. Na terceira edição de seu campeonato oficial – que, para o espanto de todos e esperança geral da nação, não teve nenhuma equipe de descendência asiática no pódio -, a Valve apostou pesado e ofereceu mais de US$ 2,8 milhões em sua premiação total.

Como é possível uma repercussão tão alta em torno de um jogo simples de computador? A recente explosão dos eSports explica.

Em um planeta de fanáticos por futebol, beisebol, basquete e até mesmo tênis de mesa, fica claro que um dos instintos mais fortes do ser humano é o da competição – logo, nada mais natural do que ele atingir os mais diversos nichos.

Fundado em 2002, o Major League Gaming (MLG) vem sendo um grande contribuidor para a ascensão dos jogos online. Com torneios de StarCraft 2, Halo e Call of Duty, o circuito se focou em revelar as equipes mais talentosas nestes jogos e, então, profissionalizá-las.

Em 2011, o jogo League of Legends também foi adicionado ao rol de eSports da liga profissional do MLG, colaborando tanto para o aumento da força do jogo, quando do torneio. O resultado disso? Há pouco mais de um mês, o governo americano reconheceu o título como um esporte oficial e seus jogadores profissionais como atletas, garantindo assim que estes consigam mais facilmente o visto para entrar no país em temporadas de campeonato. Nick Allen, gerente de eSports da Riot Games, a responsável pela febre League of Legends, falou mais sobre o assunto em entrevista ao site Gamespot, caso alguém queira se aprofundar mais.

O primeiro caso em que a medida foi aplicada e um atleta de eSports foi reconhecido no país aconteceu no último dia 7 de agosto, quando Danny ‘Shiphtur’ Le, canadense da equipe Team Coast, conseguiu a documentação necessária para poder exercer nos Estados Unidos o posto de jogador profissional de League of Legends, que lhe dá o direito também de receber oficialmente um salário por isso.

Crocante, não? Talvez seja o momento de repensar e avaliar se suas horas dedicadas a um jogo não poderiam render alguma coisa – alguns milhões de dólares, por exemplo.

Com informações: Polygon, LA Times

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Murilo Barbosa
Tava pensando nisso hoje mesmo!
Robson Da Silva
Parabéns a Valve, o campeonato foi muito bem organizado. Mesmo estando difícil ver os jogos no dia do campeonato porque os servidores não aguentaram. Os jogos foram lindos, as equipes Navi e Aliance deram show. Enquanto isso Dota 2 só está crescendo.
@AntonioVeras
O cara ficar esse tempo sentado sem ter uma trombose é uma proeza. kkkk
@AntonioVeras
Opa. Foi só reclamar. [LATINO] Torneio Latino - 17 e 18 de Agosto - Prêmio total de U$ 650,00 http://foro.axeso5.com/hon_brasil/torneios_clas_e_eventos/torneios_oficiais/latino_torneio_latino_17_e_18_de_agosto_google_page_rankingemio_total_de_u_650_00_a_300118/ kkkkkkkkkkkkkkk
@AntonioVeras
Enquanto isso, em Heroes of Newwerth... Cri, cri, cri.
Gaba
Pra mim, esporte é usar seu físico pra fazer algum tipo de proeza... e não, você não me convenceu!
Filipe Mele
Vale lembrar que mais de US$ 1 milhão do valor do prêmio foram os próprios jogadores ( não os profissionais ) que forneceram . O prêmio inicial seria de US% 1.6 milhões ( dados pela Valve ) Cerca de 2 meses antes do começo do TI3 ( The International 3 ), a Valve lançou na loja do DotA 2 um item chamado '' The Compedium '' , que custava US$ 9,99 ou R$ 17,99 . A cada compra desse item, US$ 2,50 eram adicionados ao prêmio total . Foram lançadas algumas metas a serem compridas ( chegar a US$ 1.8 milhões, US$ 2 milhões e assim por diante ), no último dia o prêmio já estava em US$ 2,875 milhões, e a cada meta comprida os donos do Compedium ganhavam algo . Ou seja, a base de jogadores e fãs adicionou cerca de US$ 1.2 milhões ao prêmio total .
diego oliveira
O TI3 ( The Internetional 2013) foi um grande show, com narradores, comentaristas, entrevistas com o publico e atletas e tudo mais que um grande evento de esporte possa ter. Tudo isso transmitido online por diversos sites de Streaming. Diversas pessoas em todo o mundo se reuniram em bares/lan houses para assistirem a grande final juntas, no site do TI3 vc podia cadastrar sua "reunião" e deixar visivel para quem não queria ver a final sozinho. Parabéns a Valve e ao site ArenaGamingTV, que transmitiu todo o evento com narradores e comentarias brasileiros. Espero que o eSports cresca cada vez mais.
Walter Hugo Nishida Xavier da Silva
League of Legends pagou US$ 1mi para os campeões da Segunda temporada, se não me engano.
Leonardo Alves Araujo
Na verdade um time da Malásia ficou em 3º lugar (Orange), ou seja teve uma equipe asiática no pódio.
Forbidden_404
E outra coisa, jogadores profissionais de LoL já recebem visto de trabalho nos Estados Unidos e a Riot tem como objetivo tornar League of Legends um esporte olímpico e isso não é nada difícil de se ocorrer quando se fala do jogo mais jogado no mundo
Forbidden_404
Poderia dizer a mesma coisa sobre Futebol ou qualquer outro esporte, do jeito que você fala, parece que o que eles tão fazendo é lazer, quando na verdade eles tem horários de treino, empresas que patrocinam e exigem bom desempenho dos jogadores e milhares de haters jogando pra cima qualquer mínimo erro que um player faça. E ao contrário do que esses outros esportes, que os jogadores tem contratos mais sólidos, normalmente jogadores de esport que não estão correspondendo ao que a empresa pede sáo retirados na mesma hora.
Forbidden_404
Essa final foi digna de torneio internacional mesmo e a Valve vem dando um show com o in-game spectator mode do DotA 2, a Riot precisa se inspirar neles pra fazer algo decente, por que o jeito que tá agora não chega nem perto do que a Valve fez... E infelizmente Na'Vi perdeu, jogou muito a última partida mas não soube lidar com a comp de Split Push da Alliance e mesmo o Dendi ter virado um monstro nas team-fights e o XBOCT ter pego duas kills logo no começo depois de sofrer um tower dive incrpivel, o que ganha o jogo é destruir o throne mesmo.
trovalds
Quando você dedica 8h/dia no mínimo a algo e ganha pra isso pode se chamar de eSport (ou de profissão mesmo). Mas aqui no BR, graças às mentalidades pequenas, os profissionais da jogatina tem que sair do país se quiserem treinar sério e ter chance em campeonatos do porte desse que a VALVE promoveu. Aliás nos esportes "de verdade" os atletas olímpicos e mundiais brasileiros de ponta (que tem chances de concorrer a pódio) na maioria das vezes são todos treinados fora do BR, salvo raríssimas exceções como os esportes coletivos. MAS eu queria ganhar quase US$ 300.000,00 pra ficar sentado na frente do computador ao invés de ralar 10, 12h/dia e ganhar nem R$ 2.000,00 por mês.
Rafael Machado de Souza
noob do jeito que sou é mais preferivel continuar a me dedicar a musica.
Exibir mais comentários