Início » Telecomunicações » Fim de validade dos créditos fará com que telefonia fique mais cara, dizem operadoras

Fim de validade dos créditos fará com que telefonia fique mais cara, dizem operadoras

Lucas Braga Por

O SindiTelebrasil, sindicato que representa as operadoras de telefonia fixa e móvel no Brasil, informou que a proibição da validade de créditos em linhas pré-pagas terá um efeito colateral que ninguém gosta: no bolso. É isso que ameaçam as operadoras de celular se a decisão tomada pela a 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região não for revertida.

Existem inúmeras alegações para que isso aconteça. A principal delas é que cada linha celular possui um custo para a operadora. Todo ano, lá pra meados de março, as operadoras são obrigadas a pagar um imposto chamado Fistel. Ele custa R$ 13,42 por cada linha celular ativa e compreendem a Taxa de Fiscalização de Instalação e a Taxa de Fiscalização de Funcionamento. Poucos meses antes da cobrança do Fistel, as operadoras aproveitam para fazer a limpeza de base e cancelam linhas inativas.

Alô alô vocês sabem quem sou eu?

Alô alô vocês sabem quem sou eu?

Com a isenção da validade dos créditos, essas linhas nunca seriam canceladas. Seria um prejuízo imenso para as operadoras que um sujeito comprasse um chip, recarregar apenas R$ 10 e utilizasse-o apenas para receber chamadas para o resto da vida – acredite, existem muitas pessoas que fazem isso. Atualmente, o Brasil possui 265,7 milhões de linhas celulares ativas (dado de junho).

A ameaça é de que o SindiTelebrasil institua uma "taxa de disponibilidade", que as operadoras cobrariam diariamente para manter seu celular disponível para fazer e receber ligações. É o conhecido airtime, algo comum em outros países como os EUA – sendo que lá os créditos também tem validade. Em troca, os deputados ofereceram a isenção do Fistel para linhas pré-pagas: o governo deixaria de arrecadar quase R$ 15 bilhões por ano com essa abertura. Mesmo com a isenção do Fistel, é de se esperar que as operadoras não gostem nem um pouco dessa medida – seriam milhões em créditos que elas deixariam de vender.

Por fim, o Sinditelebrasil defende que o não cancelamento de linhas provocaria uma inflação nos números de telefone. Nós já estamos colhendo os frutos de linhas inativas com a chegada do nono dígito, que estarão disponíveis em todas as regiões do Brasil até 2016.

De certa forma, é possível imaginar que o aumento nas tarifas de serviços pré-pagos deixem planos pós-pagos e Controle ainda mais atraentes. Dessa forma, isso poderia convencer a base pré-paga a migrar para a base pós-paga. O sonho de todas as operadoras, uma vez que o gasto com telefonia do cliente iria aumentar.

De qualquer forma, as operadoras já afirmaram que irão recorrer da decisão tomada na semana passada. Aguarde novidades para os próximos capítulos.

Com informações: Teletime

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João José
essa formula ta aproximada, na verdade são 9 casas decimais com 10 possibilidades cada vezes o número de áreas começando do 11 até 99
então é
88 * (10^9 - 1) possibilidades
zoiuduu .
por que a conta é 9x9x9^9 , se acrescentou so mais um número não deveria ser so 10x?
João José
Isso eh bom pra todo mundo, isenção do imposto E fim da validade dos créditos, desde que façam o seguinte: para que a linha fique ativa eh preciso que o chip fique em um celular e que o celular fique ligado na rede, assim quem desativou o

Eu mesmo não coloco créditos a anos no chip da TIM, mas ele fica sempre online, a TIM cancela só se ficarem offline.....

Com o 9 digito não vai ter problema com novos números, são 9*8* (9?) que dá mais de 27 bilhoes de numeros em todo brasil.
Abimael Borges
Engraçado usarem os EUA como exemplo. :) Se tem um lugar onde a telefonia tem um preço justo é lá. Voce paga por um serviço completo ou se quiser, serviço fatiado e paga um valor unico e sem limites de uso. Ou seja, paga 25 dolares e pode mandar texto a vontade, inclusive para outro país e pode ligar a vontade para qualquer operadora de qualquer lugar dos EUA o mes inteiro.. Assim é o pré pago deles... O outro pré pago é o que vendem pra gente q nao quer ser identificada e vai na loja e compra aparelho com linha e pode sair falando sem ser identificado como dono da linha. Esse sim tem validade, validade de funcionar enquanto os creditos durarem e depois pode jogar o fone no lixo pq nao serve pra nada.... Nao da pra comparar la e aqui.. Alem disso, 25 dolares laé absolutametne nada para eles... Ganham isso e 1 hora de trabalho.
Jun
Vai nessa.
Tiago Bueno
ate hoje ainda continua com validade!!!!
Thiago Mocci
Eu sou favorável a validade dos créditos. Afinal, todas as linhas ativas geram imposto anualmente, pago pela operadora. E quem paga por esse custo somos nós, consumidores que usamos e pagamos mensalmente, seja pós, controle ou pré que recarrega sempre.

Se continuar existindo cobrança de imposto anual por linha ativa, prefiro que tenha validade sim. Eu que pago mensal não posso ser penalizado e pagar pela linha da Dona Maria que recarrega a cada 3 ou 4 meses.
Aline C
Estou indignada com essa palhaçada, se a própria agência reguladora decide que as operadoras podem congelar meus créditos até eu dar mais dinheiro para eles, a pergunta é: para onde vou correr?? *indignação
Antonio Carlos
blablabla essas operadoras só sabem chorar e sabemos que não foi isso que aconteceu pelo contrário existem muito mais promoções em vigor
Francinildo Gomes da Silva
O dinheiro é do consumidor e usará quando quiser. Princípio da autonomia de vontade.
Otavio Silva
Que ridículo nós já somos maltratados pelas companhias telefônicas e eles ainda querem roubar nossos créditos??
Merchant RE
Isso é papo de empresas q querem lucrar, lucrar e lucrar. se n "vender" n qr dzer q vai ter prejuizo, apenas n vao "vender".

qr dizer q uma pessoa entao n tem direito de ter uma linha pra mt mais receber ligação do q realizar?

eu mesmo tenho 2 chips. um uso normalmente e o outro uso mais pra receber justamente pq é oq outras pessoas usam pra me ligar pelos bonus. ai pq n posso botar x reais e ficar mt mais recebendo ligação do q fazendo? qm ta me ligando ta usando e "dando lucro" á operadora. onde ta o prejuizo nisso?
tem q ver oq é um numero "inativo". uma linha q recebe ligaçoes n é inativo! tendo assim todo o direito de manter essa linha dessa forma sem pressão de ta botando e GASTANDO creditos!

e mesmo q seja realmente preciso aumentar algum custo se n tier mais validade, ainda assim vai ser menos prejuizo pra qm tem q ta botando credito so p n perder a linha, e esses creditos sempre expirando pq n dá tempo de usa-los, justamente pq usa pouco, e justamente pq tem PRAZO VALIDADE.

o prazo de validade tem q acabar! se pagamos X por algo, temos direito de usa-lo qnd bem entendermos sem pressão!!

qm tem uma linha totalmente intiva, sem fazer nem receber ligação, ai sim é mt justo q se perca essa linha após 3 meses de inatividade.
Juarez Alves
ja estou a um tempao com essa operadora as veses nem chego a a usar meus bonos e meus creditos
somen num passe de magica derrepente ouso a mensagem vc vai ficar sem falar recarregue agora

nao fique sem falar isso e um roubo
Maria Das Graças Dos Santos
Achei ótimo a ideia da isenção do imposto Fistel. assim não haverá desculpas para as operadoras ficarem com nossos créditos. Todas as operadoras que que atuam na cidade onde eu moro já usurparam créditos meus, cancelando minhas linhas. Eu acho um abuso de poder, a gente pagar por algo e não poder utilizá-lo conforme a necessidade.
Paulo Fernando Zill Heuert
Aciona a Anatel... ligue 1331 e registre o ABUSO. A Claro vai liberar RAPIDINHO seus créditos!!
Doca Guaxupe
NA PRATICA A CLARO NAO TOMOU CONHECIMENTO DE JUSTIÇA NENHUMA, POIS TENHO CREDITO NA CLARO E NAO CONSIGO USA-LOS
Tony Rufino
Dispenso meus comentarios, Luiz Fernando disse tudo que iria dizer. Acho que pagamos muito pelo serviço que temos, ou melhor que nao temos .
Lucas Sandoval
Arthur Vicentini Arthur, livre mercado não significa 300 empresas no setor. Significa a não existência de empecilhos legais a entrada de concorrentes. Antes de investir capital privado, é claro que a empresa vai analisar todas essas questões para ver se vale a pena ou não entrar em um determinado país. Mas o fato é: cabe muito mais concorrência no Brasil.
marcello9988
As operadoras nunca perdem. Se realmente persistir o fim da validade dos créditos quem pagará o preço serão os usuários. Em alguns países da Europa que adotaram tal prática, há a chamada "tarifa de escape", uma taxa para usuários que não recarregam todo mês. Caso não haja recarga em 30 dias, o preço do minuto sobe vinte vezes mais até que uma próxima recarga seja feita para garantir as vantagens de ligar barato e o usuário começa a pagar para RECEBER chamadas. Portanto, temos que ter cuidado antes de modificar radicalmente o atual modelo brasileiro. Estejam certos de que as operadoras inventarão N maneiras de continuar lucrando. Também é ruim inflar artificialmente a base pré, pois as empresas de telefonia móvel PAGAM impostos sobre cada linha. O certo seria que, antes de cancelar uma linha sem uso, mas com crédito residual, a operadora devolvesse ao cpf da conta pré, seja em outra linha ou em espécie nas lojas ou depósito em conta. Quanto às linhas pré ativas, não se iludam. As operadoras não vão deixar barato. Um cliente poderá até não recarregar, mas vai ser taxado dez vezes mais do que o outro que faz recarga, gastando dessa forma o crédito fora da validade. Sairá a validade da recarga e entrará o tempo de utilização promocional. É só ver sites da Vodafone, TMN e outras européias para constatar que o fim da validade de créditos pode facilmente ser contornado através de tarifação altíssima. Sem falar que o preço do sim card pré pago subiria para valores acima de 50 reais, para desestimular o serviço. Ou seja, veremos um retrocesso.
Luiz Fernando da Silva
Ah, e claro que vão procurar uma maneira para compensar o que pode vir a dar "prejuízo"
Luiz Fernando da Silva
As operadoras tem mais é que se f*** mesmo. Primeiro prestam um serviço porco, segundo você contrata a internet deles e os mesmos te impõe limites ridículos, pagamos essas porcarias porque não tem outra coisa melhor. A antatel tem que pressionar para que essas prestadoras de serviços tenham uma coisa que não tem, qualidade!
Diego Delvalle Valmaceda
Como os números de celulares são vinculados a 1 numero de CPF na sua ativação, acredito que estipular um numero máximo de números de celulares para cada CPF seria uma forma simples de identificar e controlar os números ativos, assim como ocorre em muitos outros países, é o que evitaria que uma pessoa tenha muitas linhas em seu nome e as vezes algumas inativas.
gicapp
A TIM no RS é no modelo por dia... 0,25/dia só no dia que usa, depois é ilimitado o "intra rede", bem como fixo, SMS e internet (cada um respectivos 0,50/dia).
Alexandre Abreu
ÓTIMA idéia! Mas acho a linha não deveria ser cancelada por falta de recarga, mas SIMPLESMENTE por falta de uso (2 ou 3 meses, por exemplo).
Alexandre Abreu
Um ABSURDO as operadoras quererem aumentar o preço por causa dessa lei, pois na telefonia pré-paga NÃO EXISTE INADIMPLÊNCIA, pois elas RECEBEM ADIANTADO do cliente! E sendo que JÁ temos um dos mais CAROS serviços de telefonia do MUNDO: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u698223.shtml

Se não fosse tão cara, a maioria das pessoas não deixaria de telefonar e as operadoras ganhariam na QUANTIDADE de ligações, e não pelo preço ABUSIVO que cobram!

VERGONHA!
Walter Hugo Nishida Xavier da Silva
Falar que airtime é uma cobrança comum em outros países é forçar a barra né, champs?
Celular pré-pago nos States (não tenho conhecimento na Europa ou Ásia) pode ser comprado por $15 em qualquer lojinha, desbloqueado em alguns minutos, e geralmente possuem duas opções de cobrança, uma que é cobrada uma taxa de utilização por dia (e depois os minutos são mais baratos) e outras onde é cobrado por ligação, nos mesmos moldes da TIM.
Não sei de onde o cara vem com a cara de pau de tentar mostrar que os serviços aqui no Brasil são UMA BENÇÃO, enquanto lá fora são exploradores.
Ou a reportagem tá comprada ou é muita falta de informação mesmo.
Vamos parar de defender operadoras e deixar elas se virarem para continuarem lucrativas, por favor?
Enquanto a gente continuar com esse pensamento de nego explorado, ficando com "dó" da abençoada operadora que nos dá a possibilidade surpreendente de termos acesso aos seus serviços, continuaremos como o povo mais idiota, explorado e comedor de bosta do mercado internacional.
Carro aqui é um lixo.
Eletrônico aqui é um lixo.
Serviços em gerais aqui são um lixo.

O que tem em comum nisso tudo? Você, consumidor brasileiro que acha que empresas nos prestam um favor, ao invés de ser a gente fazendo o favor de utilizar os serviços delas.
Pensem nisso.
rogerfsp
Até que enfim!

SE EU COMPREI E PAGUEI PELO CRÉDITO ELE É "MEEEEU"! Quando compro créditos, não estou comprando bananas. Bananas estragam com o tempo. Sempre achei RIDÍCULA esta estória de crédito com validade. LIGADOR, é o bullying que as operadoras fazem na TV. Quem aceita e paga crédito com validade, está sendo lesado e está aceitando!

Se eles pagam imposto por isto ou por aquilo, problema deles. Eles não tem que repassar isto para o consumidor NUNCA.
Diogo Paiva
Acho que os créditos tem que ter validade sim. Se você tem alguma coisa, nada mais justo do que pagar por ela. Agora, os preços de ligação no Brasil é que são absurdos! E isso sim deveria ser debatido.
Por exemplo, estive nos EUA a pouco tempo e meu chefe me emprestou um celuar americano que ele tem da operadora Virgin Mobile. O celular é pré-pago e, como lá também tem validade (só que um pouco diferente daqui), ele gosta de emprestar para poder renovar a linha.
O que me impressionou foram os custos de ligação. Aqui vai, e podem chorar:
$0.02 para ligações pra qualquer fixo no país
$0.20 para ligações pra qualquer celular no país (não importa a operadora)
E o mais assustador, para ligações pro Brasil, acrescente $0.20 em cada preço assim, ou seja: $0.22 para fixo no Brasil e $0.40 para celular.

Em Reais:
R$0.05 para fixo; R$0.47 para celular; R$0.52 para fixo no Brasil; R$0.94 para celular no Brasil

Ou seja, a ligação internacional para celular custa menos que uma local por aqui...

Deveriam encontrar uma solução para isso no Brasil, e não ficar discutindo sobre validade de créditos. Senão, em pouco tempo a nossa rede estaria entupida de telefones linhas sem uso...
Arthur Vicentini
Entrada irrestrita de concorrentes? Mas o espectro de radiofrequência brasileiro tem espaço?
Não estou considerando operadoras virtuais, mas operadoras que têm suas próprias redes. - Por exemplo: no Reino Unido existem quatro operadoras móveis: O2 (do grupo Telefónica), Vodafone, EE (joint-venture entre Deutsche Telekom e Orange) e 3 (de Li Ka-Shing, um dos primeiros grandes investidores do Facebook). Na Espanha, também: Movistar (Telefónica), Vodafone, Orange e Yoigo (do grupo sueco TeliaSonera).
almeidanatanaelde
Outro problema é que ainda somos reféns das operadoras, o custo é alto manter mais de um chip, há alguma vantagem dentro da mesma operadora, mas é muito caro fazer ligação para outra operadora, acho que isso é um dos motivos que usamos o pré pago só pra receber ligações.A tarifa pra outra operadora celular deveria ser semelhante a promoção da ligação pra telefone fixo.
Andrei Oliveira
>Acreditar cegamente em informação de sindicato.
Gabriel Costa
Fica complicado querer validade eterna de créditos com impostos altos por linha. Cortem o imposto e deixem o livre mercado
Wallace Lima Dutra
Reduzir a carga tributária é a primeira coisa a ser feita, com certeza (e nisso tanto os consumidores quanto as operadoras concordam). Reduzir os lucros das operadoras seria também interessante, já que o mercado é bem amplo (em números absolutos, mais de uma linha por habitante). Agora, entrada irrestrita não vai acontecer - só verificarmos o leilão do 4G (com os mesmos players + uma nova companhia), e basta ver o exemplo da AEIOU/Unicel (vale uma pesquisa rápida na internet).
Agora, sempre há um mimimi das teles, seja quanto a assinatura, seja quanto a validade dos créditos - um absurdo!
gicapp
Eu acho que os créditos deveriam ser associados ao CPF e não à linha. Assim, se o indivíduo que não faz recarga por X tempo, perde o número, mas se ele for até a mesma operadora poderá pegar um número novo com seus créditos...
Raphael Rios Chaia
Então, podiam publicar minha resposta, né?

Eu entendi que é a telefonia que ficaria mais cara, só que realmente me expressei muito mal no que quis dizer, falha minha, reconheço. Ocorre que nem tinha cogitado essa ideia, afinal, o sistema pré-pago já é caro demais – o minuto passa de um real facilmente. Eu realmente pensei na possibilidade de as operadoras fazerem o repasse aos aparelhos, daí a minha malfadada crítica (mais uma vez, mea máxima culpa). Um aumento exponencial nos valores do serviço de telefonia pré-pago pode literalmente matar o sistema a longo prazo – as operadoras vão começar a criar empecilhos, custos, descontos, logo não haverá vantagem nenhuma no pré. Não da pra falar em livre iniciativa aqui: é algo que flerta com o truste.
Raphael Rios Chaia
Então, podiam publicar minha resposta, né?

Eu entendi que é a telefonia que ficaria mais cara, só que realmente me expressei muito mal no que quis dizer, falha minha, reconheço. Ocorre que nem tinha cogitado essa ideia, afinal, o sistema pré-pago já é caro demais - o minuto passa de um real facilmente. Eu realmente pensei na possibilidade de as operadoras fazerem o repasse aos aparelhos, daí a minha malfadada crítica (mais uma vez, mea máxima culpa). Um aumento exponencial nos valores do serviço de telefonia pré-pago pode literalmente matar o sistema a longo prazo - as operadoras vão começar a criar empecilhos, custos, descontos, logo não haverá vantagem nenhuma no pré. Não da pra falar em livre iniciativa aqui: é algo que flerta com o truste.
Thiago Lemos
Eles podiam simplesmente exigir uma recarga (de valor mínimo) obrigatória a cada X meses, para manter a linha ativa.

Dessa forma os créditos continuariam a ter validade, certo? Não. Me explico: apesar da exigência da recarga obrigatória, o cara poderia usar os R$13,00 comprados em 1 mês ou em X meses. Atualmente, quem recarrega o 13,00 tem, sei lá, 30 dias de validade. Quem recarrega R$100,00 tem 120 dias. Com o fim da validade, quem recarregou 13,00 poderia utilizar seus créditos dentro do mesmo prazo que quem recarregou 120,00.

Dessa forma, democratiza-se a compra de créditos: o valor escolhido é definido porque "eu uso mais ou eu uso menos" e não porque "meus créditos durarão mais".

Dado o prazo de X meses da recarga obrigatória, se a pessoa não recarregasse, os créditos ainda disponíveis continuariam válidos (pois não há mais validade de créditos). Porém, a partir dessa data a operadora poderia começar com as sanções que impõe atualmente quando o crédito expira: bloquear recebimento após 60 dias e, por fim, cancelar a linha após 90 dias. Teoricamente, só não poderia bloquear efetuar ligações, já que os créditos não podem expirar mais.

Não sei se deu pra entender muito bem, ou se funcionaria na prática, mas me pareceu uma saída viável.
Denis Belo
Como descobrir quem não leu a matéria.
qgustavor
No final os coitados somos nós, já que elas nunca vão deixar levar o prejuizo, sempre repassando ao consumidor.
Aliás, me enquadro na classe "tem celular só pra receber", mesmo se deixarem as coisas mais caras com o tanto de créditos que acumulei, e mesmo se ficar mais caro, fico um ano sem carregar. Problema é: limparem, zerarem, resetarem a minha conta.
Fausto Santos de Souza
Acho que os créditos realmente não deveriam ter "validade". Mas se o indivíduo ficar mais de 12 meses consecutivos sem fazer/receber chamadas, a linha deveria ser cancelada por falta de uso. Assim acho muito justo!
Lucas Sandoval
Wander Carvalho forma quartel porque o estado é intervencionista.
Raphael Rios Chaia
Sim, eu entendi isso, mas nem havia cogitado realmente algo absurdo nesse sentido: em alguns planos pre-pagos o minuto já custa mais de um real, aumentar ainda mais torna o sistema praticamente inviável para uso: o que reinaria seriam os "pais de santo" ou ainda os telefones multichip. A alternativa viável, talvez, seria embutir a diferença o aparelho, o que também não faria sentido.

De um jeito ou de outro, a lição que fica é que não importa o quanto você tente proteger o consumidor, o custo sempre será repassado pra ele no final.
Wander Carvalho
concordo com vc sobre o livre mercado,mas aqui parece que tudo vira cartel !
Ronne Márcio Piagem Milhomens
Eles estão tão preocupados com isso que aqui em Palmas, Tocantins eles distribuem chips... já ganhei vários, as vezes as operadoras fazem isso inclusive dando mais de um chip por pessoa... Aí pra justificar a ladroagem vão querer ficar com os créditos das pessoas menos favorecidas? isso é piada de mau gosto!
Lucas Braga
Então, a gente não tá discutindo sobre o aparelho celular, e sim sobre o serviço de telefonia celular. :P
Diogo Ramos Gutierre
No final os coitados são as operadoras de celular? Hahaha, ok.
Caio Curvelo
Tem certeza que leu o artigo?
Lucas Sandoval
Apenas uma drástica redução da carga tributária e a entrada irrestrita de concorrentes pode gerar o crédito pré-pago sem validade(mesmo assim, terá uma taxa pequena de tempos em tempos porque custa manter uma linha ativa). Mais governo não é a solução, muito pelo contrário: livre mercado.
Turdin
Faltou interpretação ai em fera?

O que irá ficar mais caro são as ligações, chamadas, entende?
Adriano Francisco Dos Santos
Se houver mesmo o corte do imposto, FISTEL, uma maneira da operadora não ter um custo elevado com numero inativos com creditos na linha seria parar com a festa do chip.
Quantas vezes não passei em estações de metro e via o povo da operadora aos berros chamando o povo para comprar chips. Parem de dar chips como se não houvesse uma amanhã que já ajudaria um pouco, eu acho.
Raphael Rios Chaia
A ameaça não faz o menor sentido: o preço de um celular pré hoje é praticamente o MESMO PREÇO da versão de fabrica, sem operadora. Por que raios o aparelho da operadora ficaria mais caro que o comprado, por exemplo, nos sites da Nokia ou da Apple?