Início » Gadgets » Financie isso: Spiri, o drone inteligente que dispensa controle

Financie isso: Spiri, o drone inteligente que dispensa controle

Avatar Por

photo-main

A essa altura do campeonato, você já deve saber o suficiente sobre drones para dispensar apresentações, certo? Então, vamos pular toda a descrição e ir direto ao ponto: o Spiri é um drone que foi feito para servir ao seu dono. Isto é, dá para programá-lo para que ele faça o que você quiser, sem precisar ficar de olho ou pilotando.

Explicando melhor, normalmente os drones exigem que alguém fique no solo controlando-os. No caso do Spiri, criado por uma empresa canadense, a ideia é que ele seja completamente autônomo.

Isso é possível porque ele é recheado de sensores, como acelerômetro, giroscópio, altímetro e magnetômetro, além de Wi-Fi, GPS, câmera e hélices protegidas por uma estrutura de fibra de carbono reforçada, para garantir que, no caso de erros de percurso, elas não sejam danificadas.

Já se ele cair na cabeça de alguém pode dar bastante dano, pois o peso é de 400 gramas. Falando de especificações, ele conta com dois processadores. O responsável pelos vôos é um ARM Cortex-M3 de 32 MHz. O outro, que o controla, é um ARM Cortex A-9 de 1 GHz dual core, 4 GB de armazenamento e suporte a nuvem.  A bateria dura 15 minutos de vôo.

Para definir o trajeto, é só programar utilizando os sensores que a empresa já colocou no aparelho. O Spiri é construído em Linux com ROS (sigla para Robot Operating System) e usa software aberto para permitir a criação de programas personalizados.

Mas quem não sabe programar também pode utilizar o Spiri. Primeiro, porque ele aceita comandos simples e intuitivos para determinar seus movimentos. Segundo, haverá uma loja de aplicativos própria, o que deve facilitar ainda mais. Caso tudo isso ainda seja complicado, o Spiri dispensa um controle remoto, mas é possível controlá-lo fisicamente com um.

E o que pode ser feito com ele, na prática? Como o Spiri não precisa de controles e usa plataforma aberta, você pode fazer praticamente qualquer coisa. Como o próprio site da campanha sugere, pode ser utilizado desde em missões complexas de resgate para chegar em lugares difíceis até em reportagens ou no dia a dia para, por exemplo, ajudar a cuidar do jardim ou espiar o vizinho (mas espera-se que você não faça isso).

A cota mais leve que garante o recebimento de um Spiri sai por US$ 520, que não é muito longe do preço de um drone simples. A campanha vai até o dia 12 de setembro e pretende arrecadar pelo menos US$ 125 mil. Até agora, US$ 39 mil já foram contabilizados, então ainda tem chão para chegar lá e você pode contribuir.

Por que é legal? Porque não é preciso ter nenhuma noção de pilotagem de qualquer coisa para fazer o Spiri voar por aí.

Por que é inovador? Além da ideia de popularizar o drone, cria todo um ecossistema em volta disso, com plataforma aberta e amigável aos desenvolvedores e uma loja de apps própria.

Por que é vanguarda? Porque a ideia é fazer com que o uso de drones chegue ao nosso cotidiano de maneira simples e indolor.

Vale o investimento? Depende. Talvez ter um drone particular não faça parte das suas prioridades agora, mas você pode apoiar o projeto de qualquer forma com valores menores e contribuir para que, num futuro próximo, esse tipo de gadget esteja mais acessível.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Carlos Alex
Cara, essa onda de drones tá ficando boa. Acho que vou fazer um pra mim :).
Orley Lima
omg... Taí a pessoa que tem medo do Kinect no Xone e do novo Google Now no Moto X... Se todos tivéssemos esse raciocínio não teríamos nada de tecnologia hoje...
Fer
Já tão automatizando... Eu financiaria se fosse um radar de drones com arma pra derruba-los, isso sim!
Edmilson Junior
Ainda aguardo o dia em que as baterias melhorem e a autonomia dos nossos gadgets seja algo decente. Quando a bateria suportar até uma hora de voo vai ser interessante, imagine ter isso dai rondando o terreno para monitorar e já programado para a cada x tempo ir a sua base recarregar. 15 minutos não dá nem tempo de ir e voltar.
Fernando Jorge Mota
15 minutos de vôo? 520 DÓLARES? Dispenso. (mesmo que fosse útil pra caramba)
Gabriell Costa
O mais legal é pilotar =/