Você já deve ter ouvido falar do Steam Greenlight, uma plataforma criada pela Valve em 2012 para encontrar novos estúdios e dar oportunidades para bons desenvolvedores de uma maneira mais democrática. Cada interessado deve registrar seu projeto na plataforma e contar com os votos do público – mediante uma triagem prévia feita pela Valve – para que ele seja aprovado e faça parte da biblioteca do Steam.

Pois bem, a última quarta-feira (28) foi um bom dia para os amigos desenvolvedores de jogos. O serviço da Valve lançou, em uma tacada só, uma lista com 100 títulos, entre jogos e aplicativos, aprovados no Greenlight. A melhor parte? Os colegas brasileiros da Behold Studios, do indie Chroma Squado pessoal da JoyMasher, de Oniken, e o estúdio 9heads, de Damnedtambém entraram na dança e conquistaram suas cadeiras no catálogo de jogos do Steam. Yay!

chromasquad

Não é fácil encontrar um lugarao sol da plataforma da Valve, e a situação fica mais difícil se você for um estúdio independente, porque, como o título sugere, não existe uma publicadora para intermediar as negociações de seleção dos jogos que serão veiculados no Steam.

Ao todo, já são 260 títulos aprovados no processo do Greenlight e muitos títulos brazucas ainda aguardam a aprovação no programa, como o já visto por aqui Out There Somewhere, do Miniboss.

Você pode dar uma ajuda aos compatriotas votando nos jogos em que vê potencial. Segue a listinha que separamos, com os projetos brasileiros presentes na plataforma:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Renan Sá
oque
Marcelo Costa
com certeza, Ronaldo! eu vejo muito dessa onda assumidamente retrô, que você cita, na música também. hoje, mesmo, vi um Staff Pick do Vimeo bem legal: http://vimeo.com/70705903
David Marquardt
Ronaldo Sampaio Nonato é um pouco dos dois, podiam usar outro estilo de arte mas não ia ser um Call of Duty da vida por falta de orçamento. De qualquer maneira é chorumento o que o Luan falou, devia voltar pro Tecmundo.
Ronaldo Sampaio Nonato
Rodrigo Zanotta você só se engana em achar que os estúdios brasileiros não tem capacidade pra isso. Vamos largar de ser sem noção, gente: os gráficos são 8 bits de propósito, existe uma onda saudosista no mundo todo, não é só no Brasil.
Rodrigo Zanotta
Luan De Melo Lisboa vai querer comparar gráficos de estudios independentes com engine de jogos com orçamentos milhonários? não viaja. Mesmo com dificuldade, tem equipe brasileira montando jogos de qualidade.
Eric Cerqueira
Luan De Melo Lisboa , Jã jogou Knights of Pen & Paper? Olha os gráficos e dê uma chance ao jogo, se você gosta principalmente de rpg de mesa vai pirar, o grande sucesso dos jogos indies é de fato a criatividade.
Claudio H.
Cara, esse Odallus é muito show, nostalgia total! E lembra a época em que os games eram difíceis, tinha que ter coordenação pra passar de fase, muito bacana. :D
Raul Theo
Luan De Melo Lisboa O Importante é a jogabilidade. :D principalmente para os jogos Indies.
Luan De Melo Lisboa
com esse gráfico lindo ai vai longe !
Guilherme Borges Cunha
Bom ver que o Brasil está ganhando espaço na área de desenvolvimento de jogos.