Início » Internet » Hugo Barra anuncia saída do Google para ajudar a expandir empresa chinesa

Hugo Barra anuncia saída do Google para ajudar a expandir empresa chinesa

Por
6 anos atrás

O VP do Android, Hugo Barra, anunciou hoje que vai deixar o Google e assumir o mesmo cargo na chinesa de tecnologia Xiaomi “nas próximas semanas”, fabricante de smartphones e aplicativos – ou seja, mesmo que indiretamente, Barra vai continuar trabalhando com Android, mas com outro foco.

O Android, por sua vez, fica com um buraco e uma grande incógnita no lugar de quem irá guiá-lo. Barra é o segundo executivo que abandona a equipe neste ano, depois de Andy Rubin, criador do sistema operacional.

O comunicado da saída de Barra na íntegra foi postado em sua página no Google+. A tradução abaixo é nossa:

Um novo capítulo no Android

Após quase cinco anos e meio no Google e quase três como membro da equipe Android – o grupo de pessoas mais incrível com o qual trabalhei em toda a minha vida – decidi iniciar um novo capítulo na minha vida.

Em algumas semanas, estarei me juntando à equipe da Xiaomi na China para ajudá-los a expandir seu incrível portfolio de produtos e negócios globalmente como Vice Presidente Global. Estou realmente ansioso por esse novo desafio e estou particularmente empolgado com a oportunidade de ajudar a guiar o ecossistema Android.

Tem sido uma jornada incrível e uma verdadeira honra ser parte da equipe Android no Google e gostaria de agradecer especialmente Andy Rubin, Hiroshi Lockheimer, Sundar Pichai e Vic Gundotra por seu apoio fenomenal e orientação ao longo dos anos.

Equipe Android, irei sentir sua falta!

O presidente da Xiaomi, Bin Lin (que é ex-funcionário do Google), postou no Facebook a confirmação da chegada de Barra à empresa e boas vindas a Barra. “Sendo VP do Android, Hugo tem um profundo entendimento do modelo de negócios único da Xiaomi”, se referindo ao sistema operacional utilizado nos smartphones da empresa e sua missão de “proteger” a internet aberta e a construção de aparelhos topo de linha que tenham preços acessíveis.

De onde veio a Xiaomi?

A Xiaomi é uma empresa relativamente nova: fundada em 2010, ela por enquanto atua apenas na China. Ela foi criada com a intenção de concorrer com a Apple – tanto que seu CEO, Lei Jun, até se veste parecido com Steve Jobs nos keynotes e ele mesmo não nega as comparações. Por isso, a Xiaomi tem sido chamada de “Apple do Oriente”.

Créditos: http://www.engenhariae.com.br/

E, pelo andar da carruagem, tem tudo para se tornar uma das maiores empresas do mundo. Seu desempenho na china é espantoso. A Xiaomi apresentou, desde sua fundação, um crescimento explosivo; atualmente, estima-se que valha cerca de 10 bilhões de dólares – empatado com a Lenovo. Suas vendas são tão expressivas na China que um de seus aparelhos, o topo de linha Mi 2S, superou o Galaxy S4 da Samsung no país. As expectativas de vendas para 2013 também já foram esticadas: de 15 milhões para 20 milhões.

E, como a internet é um celeiro de fofocas, está rolando um boato de que o verdadeiro motivo da saída de Barra do Google seja um quadrado amoroso que envolve o co-fundador do Google Sergey Brin, sua ex-mulher e funcionária número 18 do Google Anne Wojcicki e a gerente de marketing do Glass Amanda Rosenberg.

Mas vamos focar na informação oficial, que é o que importa: é bem possível que, num futuro nem um pouco distante, tenhamos mais uma empresa de smartphones concorrendo com as maiores do mundo. Vamos acompanhar.

Com informações: TechCrunch, The Sidney Morning Herald, All Things D

Mais sobre: , , ,