Início » Celular » Tim Cook: "Nunca tivemos o objetivo de fazer um iPhone de baixo custo"

Tim Cook: "Nunca tivemos o objetivo de fazer um iPhone de baixo custo"

Até que ele falou bastante em uma entrevista sobre os novos celulares

Avatar Por

Lançamentos da Apple geralmente são marcados por muito mistério antes do evento e muito silêncio depois dele. Dessa vez foi diferente: executivos da Apple conversaram tranquilamente com a mídia para falar das novidades nos iPhones e no iOS 7. O CEO Tim Cook foi à Businessweek, da agência Bloomberg, para comentar que nunca foi objetivo dele produzir um celular "de baixo custo".

Ele disse que a principal intenção da Apple é "vender ótimos celulares e fornecer uma ótima experiência." É bem verdade, mas isso já existia com o iPhone 5 do ano passado. Segundo Cook, eles descobriram uma forma de fazer o mesmo por um valor menor. Nos EUA, o iPhone 5c custa 99 dólares no contrato de dois anos, enquanto o iPhone 5s sai por 199 dólares. Entretanto, os preços ficam a partir de 549 dólares pelo 5c quando falamos dos aparelhos desbloqueados e sem contrato. Esse deve ser o preço de referência para venda no Brasil.

Tim Cook da Apple

Tim Cook com cara de poucos amigos. Provavelmente estava pensando no Android

Justamente sobre esse mercado doido de celulares, Cook afirmou que existem na verdade dois mercados: "Sempre há um parte porcaria do mercado. Nós não estamos nesse negócio". Ele complementou dizendo que vai competir "como um louco" pelos consumidores interessados em celulares "que fazem muito para/por eles". Ao mesmo tempo, o sucessor de Steve Jobs disse com todas as letras que não perde o sono pensando na outra parcela do mercado. "Felizmente, ambos os mercados são tão grandes, e há tantas pessoas que se importam e desejam uma boa experiência para seus telefones e tablets, que a Apple pode ter um negócio verdadeiramente bom." Faz sentido, ainda que as ações da empresa tenham se desvalorizado numa velocidade impressionante desde que os novos iPhone 5-alguma-coisa foram apresentados.

Cook falou brevemente sobre o arquirrival Android. Nas palavras dele, o mundo atual é muito mais baseado no modelo de dois sistemas operacionais dominantes do que antes (desculpe, Microsoft/Nokia e BlackBerry). Mas o CEO faz o ataque dele: "Quando você presta atenção em coisas como satisfação do cliente ou uso, você vê o enorme abismo entre o Android e o iOS".

Ainda que ele esteja certo, vale lembrar que o mercado americano está longe de ser o maior do mundo. Há centenas de milhões de possíveis donos de celulares na China interessados em algo barato. Como a Apple vai responder a essa demanda? Mistério.

Capa da "Businessweek" com o trio da maçã

Capa da "Businessweek" com o trio da maçã

A reportagem da Businessweek também traz o chefe de design galã britânico Jonathan Ive e o responsável pela divisão de software da empresa, Craig Federighi. Eles são a dupla encarregada de inventar a próxima geração da plataforma móvel da Apple, que está disponível para download desde a semana passada sob a alcunha de iOS 7. "Eu acho que nós nunca falamos de nossos cargos. Nós falamos sobre como podemos aplicar com eficiência a colaboração que sempre existiu", segundo Federighi.

Em dado momento, entra Jony Ive em cena para dizer o seguinte: "Colaboração de sucesso, na sua mente, poderia significar que a sua opinião é a mais valiosa e se torna o rumo prevalecente. Isso não é colaboração." Não há como ter certeza, mas tudo leva a crer que ele falava de Scott Forstall, o cara por trás do iOS que foi convidado a se retirar da Apple após uma divisão interna.

O texto da revista americana não foi o único publicado no fim de semana com base em conversas com executivos da empresa. O curioso é que, neste período em que cubro tecnologia, nunca tinha visto a Apple tão aberta para receber os forasteiros da imprensa. A companhia está se comportando como… uma empresa normal, como a Samsung e a Nokia. Não como a toda poderosa e em certo ponto egocêntrica empresa liderada pelo então CEO Steve Jobs.

A propósito, os lançamentos da Apple foram assunto de um episódio do TB Cast. Os participantes discutiram as cores e o design do iPhone 5c e explicaram alguns detalhes do iPhone 5s, como o processador de 64 bits e o leitor de impressões digitais. Dê play abaixo para ouvir.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

brazlocateli
Resumindo, você principalmente deixa de ter uma coisa por causa da forma como as pessoas agem sobre essa coisa. O engraçado é que eu vejo isso acontecer com qualquer outra marca, sempre temo usuário retardado. Eu prefiro comprar por mim, o que eu quero, pro meu uso, independente do outros, a opinião e o modo dos outros agirem é problema deles.
Anderson Da Silva Bandeira
É verdade, ficar resmungando, não vai a lugar nenhum, mas se não enlouquecêssemos quando é lançado um novo produto, era só esperar um pouco e os preços não seriam tão altos.
Chinnon Santos
Só acho que ninguém deve reclamar sobre preços, o negocio e trabalhar ( ou não... ) e ter dinheiro suficiente para ter os 'luxos' da vida, afinal, produtos da Apple nunca foi luxo para qualquer um... Fica resmungando por que esta caro e a empresa só que ficar rica não vai te levar a lugar algum...
YanGM
Alguma estranha força sobrenatural me diz que o "tou" foi de propósito.
André Terra
"Tou"
Eugenio Hertz Duarte Teles
pois eu sou capaz de contratar um "neguin de recado", mas não compro produto apple. não sou simpatizante da filosofia dos produtos dela, nem da empresa, menos ainda desse fanatismo absurdo de pessoas que compram um mero telefone e se sentem mais perto do ceu por conta disso. ah não, telefone não... um iphone é metade da sua vida, é a alma gêmea tecnológica. vira e mexe vejo gente se justificando de tudo que a apple faz de merda, pra dizer que é uma empresa boazinha, isso, aquilo mais. porra, se querem pagar 2 meses e meio de salário pra comprar um telefone, comprem, se apertem, e vivam a fantasia da cabeça de vocês. EU TOU É FORA !!!!!!
Gabriel Barros
O que ele quis dizer é que o 5C é de baixo custo para a Apple, pois é mais barato de produzir e é vendido pelo mesmo do iPhone 5. Assim, eles teriam um baixo custo de produção e maior lucro em cima de cada aparelho vendido. Não é questão de usabilidade, até por que o hardware é a mesma coisa. O baixo custo do iPhone 5C é custo de produção. No final a única que ganha alguma coisa é a Apple.
trovalds
Mas daí entra a questão da usabilidade: do que adianta um smartphone de baixo custo seja lá com qual SO for e ter uma experiência frustrante, seja com lentidão, seja com travamentos, etc. E de mais a mais a Apple NUNCA foi uma empresa focada em produtos baratos e sim em (tentar se) reinventar a cada lançamento. Antes do iPhone, smartphone era um luxo para poucos ou pra quem tivesse coragem de encarar os horrorosos BlackBerry's da época. A Apple foi lá, reinventou o smartphone e depois disso nunca mais o mercado foi o mesmo. O que aconteceu foi que o Google também viu nesse mercado uma oportunidade de negócios crescente e ao invés de lançar um "aparelho Google" juntou um consórcio, criou o Android e de tempos em tempos acorda com um fabricante para lançar um "modelo de referência" para ancorar o SO.
Mike Metralha
De todas as matérias que lembro ter lido sobre a Apple, esta é a primeira vez em que ela não aparece tão "arrogante". Bem interessante. Como foi dito, parece uma empresa normal. rs
Raphael Rios Chaia
Corrigindo o Sr. Cook: "Nunca tivemos o objetivo de fazer um iPhone de baixo custo PARA O CONSUMIDOR". É claro que o custo de produção do 5C é menor que o do 5. Vender o mesmo hardware, com custo reduzido, pelo mesmo preço: jogada de gênio.