Início » Jogos » E a terceira (e última) revelação da Valve é… Steam Controller, o gamepad que vai interagir com as Steam Machines

E a terceira (e última) revelação da Valve é… Steam Controller, o gamepad que vai interagir com as Steam Machines

Por
6 anos atrás

É hoje! Finalmente, após uma semana cheia dos mistérios, a Valve revela seu terceiro segredo. Fazendo companhia ao SteamOS e ao Steam Machines, entra na dança o Steam Controller, um gamepad. O que, no contexto atual, faz bastante sentido, já que toda a parafernália anunciada pela companhia nessa semana é nada menos que um pseudo-console de videogame.

“Nós sabíamos como montar a interface, sabíamos como montar uma máquina e até mesmo um sistema operacional. Mas sempre sobrava o controle — nosso maior elo perdido. Nós percebemos cedo que nossas metas exigiam um novo tipo de tecnologia para controles — uma tecnologia que fosse capaz de fechar o buraco entre a sala de estar e o mesa do computador sem comprometer nada. Nós passamos então um ano experimentando novas formas de controlar e, agora, acreditamos que temos algo bom o suficiente para compartilhar e testar com vocês”, diz o site.

controller (1)

O Terceiro Segredo de GabeN possuirá trackpads clicáveis duplos, e, segundo a companhia, possui absorção muito maior do que a encontrada nos controles atuais. Ainda de acordo com o anúncio, a sensação do uso do controle “se aproxima ao patamar de um mouse de mesa” e não dá o tipo de resposta “visceral” de seus competidores no mercado – o que nos deixa muito curiosos. “Estilos de jogos que antes eram jogáveis apenas com teclado e mouse agora serão acessíveis do sofá. Estratégia em tempo real e em turnos. Jogos casuais centrados no cursor”, continua o comunicado.

Não espere um controle vibratório semelhante aos modelos da linha Dualshock, pois a Valve desenvolveu uma tecnologia própria até pra isso. A resposta háptica se dará por meio de dois imãs eletromagnéticos, que estarão ligados aos trackpads do controle. Ambos gerarão campos de força e vibração compatíveis com a velocidade, limite, textura e ações encontradas no jogo. Na descrição, lê-se que tal capacidade permitirá um controle mais preciso sobre frequência, amplitude e direção de movimento.

“É um canal de informação háptico de maior frequência do que existe em qualquer outro produto para consumidores que temos conhecimento. E feito um truque de boteco eles podem até tocar ondas sonoras e funcionar como caixas de som” – dá pra não amar essa menina Valve?

Dá pra ver, no meio do controle, uma tela. Essa tela, além de sensível ao toque, será de alta definição e muda de acordo com a necessidade do jogo, podendo virar um único botão ou apresentar menus, além de “modos que ainda não foram imaginados”, como diz o texto. Me parece algo semelhante ao gamepad do Wii U, mas em menor escala.

controller_schematic

Junto dos trackpads e da tela,  existem 16 botões físicos no controle, num esquema “ambidestro”, que torna a configuração para canhotos e destros muito mais simples (por que ninguém pensou nisso antes?).

O Steam Controller poderá ser utilizado em qualquer versão do Steam, não apenas no SteamOS, e pode dar lugar ao seu set de mouse e teclado, caso nem assim você se dê bem com gamepads.

Como todas as outras novidades da Valve até agora, o joystick foi “feito para ser hackeável”, ou seja, quem nasceu com um gene de professor Pardal também poderá modificá-lo. “Nós planejamos disponibilizar ferramentas que permitirão a participação dos usuários em todos os aspectos da experiência, desde o design industrial até a engenharia elétrica”, diz a Valve.

SteamOS e Steam Machines

O SteamOS foi anunciado na última segunda-feira, 23, e consiste em um sistema operacional próprio da Valve, baseado em Linux, que promete otimizar o processamento dos jogos lançados no Steam. O SteamOS pode ser instalado em qualquer hardware e deve ser lançado para testes em breve.

O que deixou muita gente perdida, no caso do sistema operacional, foi o fato da estrutura Linux não ser um padrão no desenvolvimento de jogos, ou seja, são poucos os títulos já encontrados no serviço da Valve que se dediquem a esse sistema. A solução que a empresa propôs para esse problema, até o momento, foi o streaming caseiro, em que o usuário roda o jogo em um computador com sistema operacional compatível, e transmite para uma outra máquina que rode o SteamOS.

Com a iminência de reclamações pela falta de praticidade do esquema, a Valve já anunciou que mais de três mil títulos já estão previstos para serem lançados no SteamOS.

A segunda parte das revelações ficou por conta do Steam Machines, hardwares customizáveis que rodarão o SteamOS. Segundo a produtora, as máquinas poderão ser utilizadas e adaptadas da forma que o usuário preferir. Rumores indicam que três categorias de computadores serão comercializadas, entre elas uma mais “light”, com hardware suficiente para reproduzir jogos, mas nada muito absurdo, e outra mais parruda, com um desempenho digno de um PC top de linha.

As inscrições para tentar fazer parte do teste beta do Steam Machines – e de seu controle, por tabela – já está aberta e continua até o dia 25 de outubro. Para participar, basta entrar na comunidade da Valve e seguir alguns passos como jogar qualquer título do Steam utilizando um gamepad no modo Big Picture.

Mais sobre: ,