Início » Jogos » Produtora de Assassin's Creed IV fala da evolução da franquia e do novo protagonista: "ele é muito gato"

Produtora de Assassin's Creed IV fala da evolução da franquia e do novo protagonista: "ele é muito gato"

Avatar Por

Hoje será lançado em diversos mercados pelo mundo o sexto game da franquia Assassin's Creed, AC IV: Black Flag. No Brasil, o jogo chega só em novembro (segundo a Ubisoft, está na alfândega aguardando liberação há 15 dias; a previsão é de que chegue em 15 de novembro às lojas) mas aproveitamos a presença da produtora Ambre Lizurey na BGS nesta semana para conversar sobre o título.

Quem jogou Assassin's Creed 3 já sabe que a jornada de um dos personagens mais importantes, Desmond Miles, terminou. No entanto, o jogo precisa de alguém nos dias atuais que tenha a memória genética para buscar seja lá o que os Templários e os Assassinos buscarão no passado em Black Flag. E, desta vez, o Subject 18 será o próprio jogador.

Com isso, as cenas que se passam na Abstergo Entertainment - não mais na Abstergo Industries; agora, os "experimentos" são feitos em outro braço da empresa - serão em primeira pessoa e será possível sair do Animus a qualquer momento para dar uma volta no prédio. O jogador também terá que fazer algumas missões ali.

Ah, sim: Assassin's Creed IV: Black Flag terá menus e dublagem em português - deixamos com vocês a avaliação.

Evolução

Em relação aos games anteriores, Ambre falou que há sensíveis mudanças na parte gráfica. O sistema de clima ficou mais refinado com a adição de dias nublados e chuva; a vegetação, utilizada em AC3 para se esconder, melhorou neste: só se vê o movimento das folhas quando Edward está nela; e a água, que sempre representa um desafio para os game designers para deixá-la o mais perfeita possível, também foi aprimorada.

Inclusive, a evolução da representação da água e de como os personagens interagem com ela ao longo da franquia pode ser vista como amostra da evolução: no primeiro jogo, Altair morria ao dar um mergulho; Ezio sabia nadar; Connor e Edward navegam.

Ambre diz que AC4  trará as partes mais empolgantes de todos os Assassin's Creed com algumas melhorias; por exemplo, as missões de assassinato do primeiro estão neste e, ao mirar na cabeça de alguém, ele morre na hora.

Falando em headshot, há um fato histórico por trás das pistolas que Edward carrega (assim como há embasamento histórico em tudo na série): "tivemos um expert de armas que nos visitou em Montreal e nos falou que, neste período de tempo, só se carregava uma bala e, portanto, só se tinha um tiro. Quando você estava no meio de uma batalha, era preciso parar tudo e recarregar. Então, os caras tinham várias armas para garantir que, ao atirar em alguém, ainda teriam mais tiros". Edward começa com duas pistolas, mas pode chegar a carregar até quatro conforme upgrades sejam feitos ao longo do jogo.

Edward: o novo Ezio?

Assassins-Creed-IV-Edward-Kenways-Face

Edward Kenway, o pirata loiro e bonitão que será o protagonista de AC4 e é o avô de Connor, de AC3, não se parece tanto com o neto. Enquanto Connor é mais frio e fechado, como Altair era em AC1, Edward é mais carismático, assim como Ezio, de AC2 (e Brotherhood e Revelations).

"Queríamos que Edward começasse como esse cara imaturo, que queria fama e tal - é meio como o Ezio no começo. Então, amadurece ao longo do tempo e aprende que há mais na vida do que ser rico e famoso. No fim, conhece os Assassinos e se torna um", descreve Ambre.

Além disso, há a necessidade indiscutível de ter um protagonista envolvente, e Ambre, meio envergonhada, também falou que "para as meninas, Edward é muito gato" - acho todo mundo concorda, né? Ela ainda mencionou que até as personalidades são baseadas no período histórico, então criá-las um processo bem mais complicado do que parece.

O que vem por aí

Parece meio precipitado perguntar sobre o próximo Assassin's Creed, sendo que este ainda nem foi lançado no Brasil, mas não é nenhuma mentira que, se houver um próximo jogo, ele já deve estar sendo desenvolvido. No entanto, Ambre não confirma e nem nega. Em vez disso, prefere lembrar que a série se expandiu para um universo bem maior para segurar a ansiedade: "temos HQs, livros, um filme que vai sair... Temos um futuro para a marca, é o que posso dizer".

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gabriel de Souza
Cara, achei o encerramento da história fraco, foi meio sem graça e ainda me deixou com muitas dúvida. O jogo acabou tão derrepente que fiquei sem reação por alguns segundos enquanto via os créditos subindo.
Ivo Machado
Eu já zerei e não gostei, achei a história fraca comparada aos anteriores e o protagonista nem tão carismático assim. Mas o jogo traz boas informações acerca do universo da franquia.