Início » Telecomunicações » Anatel exige que operadoras de banda larga entreguem pelo menos 30% da velocidade contratada

Anatel exige que operadoras de banda larga entreguem pelo menos 30% da velocidade contratada

Medida faz parte do cronograma de melhoria da banda larga.
Velocidade média mensal deve ser de no mínimo 70% da contratada.

Lucas Braga Por

Atenção, internautas: a partir de hoje, as operadoras terão que se esforçar mais para garantir a qualidade da sua banda larga. De acordo com o cronograma da Anatel, medições de taxas de transmissão instantânea realizadas a partir do mês de novembro de 2013 terão que atingir pelo menos 30% da taxa de transmissão máxima contratada pelo cliente.

Além dos 30% referentes à velocidade instantânea, as operadoras de banda larga terão que entregar pelo menos 70% da taxa de transmissão média, que compreende testes feitos durante todo o mês. Até ontem, a obrigação das operadoras era de entregar pelo menos 20% da taxa de transmissão instantânea da velocidade contratada pelo cliente e pelo menos 60% da taxa de transmissão média.

Esse aumento faz parte das metas estabelecidas nos regulamentos de gestão da qualidade dos serviços de banda larga fixa e móvel, que entrou em vigor em dezembro de 2012. Antes, a única exigência quanto à velocidade era na taxa de transmissão instantânea, firmada em apenas 10%. O aumento será gradual, e o cronograma será encerrado em novembro de 2014, quando as operadoras serão obrigadas a cumprir pelo menos 40% da taxa de transmissão instantânea e 80% da taxa de transmissão média.

Whitebox fabricado pela TP-Link

Whitebox fabricado pela TP-Link

Essas regras valem tanto para download e para upload, e a agência fiscalizará todas as principais operadoras de banda larga por meio de ajuda voluntária. Clientes participantes do programa de medição banda larga receberam a Whitebox, que nada mais é do que um roteador com firmware modificado para realizar testes e enviá-los para a EAQ, a Entidade Aferidora de Qualidade. Na banda larga fixa, os testes não monitoram apenas a velocidade, e medem também a latência, jitter (variação de latência), perda de pacotes e disponibilidade (se a conexão cair, por exemplo, os dados são registrados e enviados para a entidade).

Quem quiser participar do programa de medição voluntária pode baixar os aplicativos para Android ou iOS, ou se inscrever e tentar a sorte para receber uma Whitebox. Se você tem um roteador TP-Link, confira neste artigo como instalar a firmware do SIMET Box, outro programa de medição que é realizado pelo NIC.br.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

OpenID54
piada ter que entregar 30%, consumidor é taxado como troxa com uma lei ridicula dessa, Brasil onde se paga 20 megas é se quiserem entregar so 5 não da em nada por esta dentro da %
Marcos Ferreira Pinto Basto
A Anatel exige que as operadoras de banda larga entreguem pelo menos 30% da velocidade contratada! Foi pr isso que durante esta semana, tive dois dias que banda larga não me permitia sequer navegar dentro dum site.
Marcos Ferreira Pinto Basto
No Brasil, pobre não tem direito a ter Banda Larga decente! Nem pagando exorbitâncias! Os políticos já viram que a internet desmascara suas pilantragens e os condena!
Marcos Ferreira Pinto Basto
A média da banda larga nacional é uma vergonha! Países bem mais pobres que o Brasil possuem Banda Larga com velocidade média de 05 Mbits/s!
Marcos Ferreira Pinto Basto
Ontem, dia 12/NOV/2013 recebi uma carta do Ouvidor do Minº das Comunicações que mais parecia um insulto a nossa inteligência. Autêntica falta de respeito pelo cidadão que reclama sobre o péssimo desempenho da Telefônica/Vivo. O Ouvidor mostrou que além de surdo, é cego pois não leu o que escrevi!
Marcos Ferreira Pinto Basto
Tenho a bamda larga da Telefônica/Vivo, o tal speedy há mais de 10 anos, com a velocidade contratada de 02 Mega bits por segundo, velocidade que nunca cumpriram, nem os tais 10% e depois com 20% continuaram fazendo o que queriam. Agora a ANATEL fala na obrigatoriedade de fornecerem banda larga com 30% da velocidade contratada, no mínimo. Nestes dias tenho verificado grandes quedas na velocidade, prejudicando até a navegação. São notícias para tentar camuflar a grande vigarice que reina nas teles.Já reclamei muito com a Telefônica/Vivo, ANATEL, Ministério das Comunicações e depois com a Presidência da República porque o Ministério do S Paulo Bernardo da Silva não resolveu nada e depois de receberem a reclamação que havia feito à PR, tiveram o desplante de me indicar onde deveria reclamar quando lhes mostrei que estava farto de reclamar com todos e não obtinha resposta. A Telefônica/Vivo exerce numerosas retaliações sobre minha linha telefônica, chegando a cortá-la seis vezes seguidas por mais de 24 horas. Na banda Larga é uma vergonha, chega a cair a velocidade para 15 KBits/s. Se o Ministério das Comunicações não faz nada para nos proteger das teles, vamos continuar piorando. Tem muita gente sofrendo verdadeiros desmandos, mas como não têm tempo, nem conhecimentos necessários para fazer uma reclamação bem elucidativa, deixam tudo como está ou mudam de operadora da banda larga quando está disponível no lugar onde moram. Tem muita coisa estranha se passando no reinado da banda larga e a D.Dima necessita saber disso urgentemente!
Mario Daniels
Deve garantir os 100%, conforme contrato e venda do serviço!
Francisco Antonio Da Conçeição Nonato
tomare que essa internet preste algum dia.
Yuri Costa
Prove. Mostra ae um esquema.
Andrio Prestes Jasper
Na verdade, não é bem assim que funciona. Basicamente, os planos de Internet se dividem em dois tipos: Dedicado e Compartilhado. Um acesso Dedicado te entrega 99% do que contratou, em 99% do tempo, sem nenhum bloqueio ou limitação. Contudo, o custo dele é mais alto. 1 Mega chega a custa R$ 200,00 no minimo. Um cliente Residencial não teria condições de pagar R$ 200,00 para ter 1 mega, ou teria? Logo, o link é compartilhado com mais de 1 pessoa, dividindo os custo entre todos. Dessa forma, 1 mega que custaria R$ 200,00... passa a custa R$ 35,00. Como estamos falando de um Serviço Compartilhado, pode acontecer de um unico usuario usar mais o serviço e prejudicar os demais. Então... Para tentar entregar a velocidade para todos os cliente com um minimo de qualidade, é acrescentada algumas limitações no serviço, tais como: Bloqueio de Portas, Franquia de Dados, etc. Com isso, a Operadora consegue segurar um pouco aquele usuário fominha (que usa além do normal), fazendo com os demais consigam usar o serviço com o minimo de qualidade. Em resumo, tudo se resolve com a contratação de um Link Dedicado. Basta contratar um que terá 100% do que contratou. Mas senão tem condições de pagar por um Link Dedicado, pode então contratar um Link Compartilhado (será mais barato, mas terá limitações)
@
Cara, isso é um absurdo! Vcs não acham? Como pode exigir no mínimo 30%? Obviamente um serviço que já é de péssima qualidade; com anuência e cumplicidade da ANATEL, não vai melhorar nunca mais. Penso que para a prestação de serviço melhorar a ANATEL deveria DETERMINAR que as operadoras só recebessem pela média percentual mensal da velocidade entregue aos consumidores, ou seja, se a operadora cobra R$100,00 para fornecer 50MB e o consumidor só recebesse 30% (média/mês) da velocidade contratada, ao final de um mês de serviço prestado o consumidor pagaria R$30,00. Justiça óbvia.
portela.thiago
Mas, a máfia é justamente as teles + o estado... A ANATEL, como órgão regulador do setor, é ridícula
Daniel Dias
Ronaldo Echevenguá exato, e acrescento que com o esmagamento de pequenos provedores temos muito menos concorrência no mercado :/
Yuri Costa
Quem disse que uma coisa impede a outra, miguxo? as empresas podem concorrer e ter o estado pra evitar marfias.
Dime Costa
Nada a ver, pode haver concorrencia junto com intervenção estatal para que as empresas não façam marfias como carteis.
Exibir mais comentários