Uma das maneiras mais eficazes de lidar com gente inconveniente no Twitter é bloqueando, certo? O Twitter sabe disso e pensou numa maneira de “refinar” essa função. Com o novo block, algumas coisas mudaram, mas, basicamente, ele tirava a pessoa do seu convívio, mas não você do dela. Isto é, ele não saberia que foi bloqueado, e você não receberia mais nenhum tuíte dele, seja em RTs, replies ou pela aba Connect ou Activity. Poderia encontrar algo na busca ou procurando diretamente a página do usuário.

O, digamos, curioso, é que o bloqueado poderia continuar te seguindo, se seu perfil for público, interagindo com seus tuítes e recebendo seus updates na timeline dele – bem cômodo para o caso de um amigo que é muito chato no Twitter, mas pegaria mal dar unfollow. Já se o perfil for trancado, o usuário te daria unfollow ao ser bloqueado.

twitter-block

O problema é que essas medidas não barravam os trolls. Afinal, mesmo que você não veja o rage direcionado à sua pessoa vindo de um determinado usuário, ele poderia continuar incitando outras pessoas a fazerem isso – quem já caiu nas graças de alguém com muitos seguidores e muito tempo livre sabe como isso pode acabar com seu dia.

Diante de uma chuva de reclamações, o Twitter resolveu voltar atrás. Ou seja, se você bloquear alguém, a pessoa saberá disso. Mas, segundo o comunicado, ainda não é o oficial para evitar o cyberbullying, já que as retaliações dos bloqueados ainda podem ocorrer. Mas a empresa se compromete a estudar uma maneira de fazer com que o block impeça esse tipo de comportamento. “Não queremos colocar novos recursos que façam com que nossos usuários se sintam menos seguros”, informa. “Fizemos o Twitter para ajudar você a criar e compartilhar ideias e informação instantaneamente, sem barreiras. Essa visão deve coexistir com a segurança dos usuários na plataforma”.

Ou seja, tá tudo mais ou menos bem agora: o problema ainda não foi resolvido, mas, pelo menos, não foi piorado. Mas é bom que o Twitter continue acompanhando as opiniões dos usuários, já que umas ideias que podem funcionar têm surgido no streaming, como mutar um usuário ou dar um unfollow forçado.

Com informações: Engadget

Comentários

Envie uma pergunta