Início » Telecomunicações » Números da telefonia móvel brasileira: mais de 270 milhões de linhas, sendo quase 80% pré-pagas

Números da telefonia móvel brasileira: mais de 270 milhões de linhas, sendo quase 80% pré-pagas

Por
5 anos e meio atrás

Assim como faz todos os meses, a Anatel liberou nesta terça-feira (31) dados atualizados do mercado brasileiro de telefonia móvel. Os números, referentes ao mês de novembro de 2013, são impressionantes: com 198 milhões de habitantes, o Brasil terminou o período com mais de 270 milhões de linhas de celulares ativas. Trata-se de uma densidade de 136,24 acessos por 100 habitantes.

A unidade da federação com a maior teledensidade é o Distrito Federal, com 221,42 linhas a cada 100 habitantes e mais de 6 milhões de acessos. Na outra ponta da tabela está Maranhão, com teledensidade de apenas 96,97 acessos móveis a cada 100 habitantes. Já a região com a maior quantidade de linhas de celulares ativas é Sudeste, com quase 120 milhões. Só o estado de São Paulo contribui com mais da metade do valor, onde houve 65 milhões de acessos móveis.

sede-anatel-hero

Os planos pré-pagos continuam dominando o mercado: das 270,5 milhões de linhas ativas, 212 milhões (78,37%) eram pré-pagas e apenas 58,5 milhões (21,63%) eram pós-pagas, o que faz sentido quando vemos as promoções que as operadoras costumam oferecer para os clientes pré-pagos, geralmente bem mais tentadoras.

Em relação à fatia de mercado das operadoras brasileiras, nada novo entre as quatro grandes. A Vivo continua líder, com 28,71%, seguido por TIM (26,99%), Claro (25,23%) e Oi (18,55%). A Nextel aparece na lista com apenas 0,09%, mas é importante lembrar que os números refletem apenas acessos por Serviço Móvel Pessoal (SMP), enquanto o serviço de rádio da empresa é considerado um Serviço Móvel Especializado (SME).

De acordo com a Anatel, os acessos em redes GSM continuam sendo a maioria, com 61,33% de participação, seguido por 3G (32,70%). Os dados mostram que houve apenas 923 mil acessos em LTE, abaixo das estimativas do governo. Em abril, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, havia previsto que a base de assinantes 4G ultrapassaria 4 milhões até o fim de 2013. Pouco tempo depois, a previsão foi reduzida para apenas 1 milhão. Talvez nem isso seja atingido.

Todos os números podem ser encontrados no site da Anatel.

Mais sobre: , , , ,