Início » Computador » Mini-computador da Intel tem tamanho de um SD Card

Mini-computador da Intel tem tamanho de um SD Card

Edison possui processador Quark com "qualidade Pentium"

Por
6 anos atrás

A Intel revelou um computador que tem o tamanho de um SD Card. De acordo com a companhia, o aparelho chamado Edison possui o desempenho similar ao de qualquer PC da linha Pentium. Com uma diferença: o computador foi criado com um SoC (System on a Chip) Quark de 22 nanômetros. É tão pequeno que daria para colocá-lo dentro da sua câmera digital sem maiores problemas. Até o formato lembra os cartões de memória.

Intel apresenta Edison durante evento pré-CES (foto: divulgação / Intel)

Intel apresenta Edison durante evento pré-CES

Só que, diferentemente da maioria das câmeras (uma pena), o gadget já vem com conectividade tanto por Wi-Fi quanto por Bluetooth. Pelo que nós soubemos até agora, trata-se de uma placa com processador dual-core rodando na frequência de 400 MHz, com direito a execução de Linux (não descobri qual distribuição). A Intel disse que tem até uma loja de aplicativos específica para o mini-computador.

A demonstração feita no palco do evento pré-CES foi de uma enfermeira 2.0. O bebê vestia uma roupinha especial com uma série de sensores verificando, por exemplo, a temperatura do corpo da criança. Os dados capturados pelos sensores apareciam em uma caneca de café. Conforme o bebê ficava mais ou menos confortável, as luzes piscavam de maneira diferente – luz vermelha significa alerta máximo.

O computador Edison claramente foi desenvolvido pensando nos programadores que pensam em criar gadgets vestíveis como um smartwatch ou algo similar. Você sabe, a criatividade humana não tem limites. A Intel sabe disso e criou uma máquina tão pequenina que pode ser usada em praticamente qualquer cenário. Não tem muito poder de processamento, mas esse nem sequer é o propósito de muitos dos wearables que estão aparecendo por aí.

O mini-PC com processador SoC Quark é mais uma prova de que a Internet das Coisas está se tornando uma realidade. Mais do que se preocupar com o aumento do desempenho, parece que os engenheiros da indústria estão interessados em saber para que os computadores são requisitados atualmente. Ponto pra eles.