Início » Gadgets » Novo Kindle Paperwhite melhora o que era bom

Novo Kindle Paperwhite melhora o que era bom

Leitor de ebooks da Amazon custa de 479 a 699 reais no Brasil.
Kindle Paperwhite tem iluminação embutida e tela e-ink para ler confortavelmente.

Paulo Higa Por

Nos últimos meses, a Amazon lançou no Brasil a segunda geração do Kindle Paperwhite. Em dezembro de 2013, o modelo Wi-Fi chegou ao país custando 479 reais. Seis meses depois, foi a vez do modelo com conexão 3G grátis, por 699 reais. Trazendo mudanças sutis na iluminação da tela, no processamento e no software, ele não é uma revolução, mas melhora algumas características da geração anterior, que agradou a muita gente.

O novo Kindle Paperwhite é um bom leitor de ebooks? Quais as mudanças em relação ao modelo anterior? Vale a pena fazer um upgrade? Compensa pagar 220 reais a mais pelo 3G? Usei as duas versões durante várias semanas e você confere minhas impressões a seguir.

Igual, só que diferente

No novo Kindle Paperwhite, a Amazon melhorou três fatores: tela, desempenho e software. O corpo do leitor de ebooks permaneceu praticamente o mesmo: olhando rapidamente, é impossível notar que se trata de uma nova geração. A única diferença está na traseira, que deixou de trazer a marca Kindle para incorporar o logotipo da Amazon em baixo relevo.

kindle-paperwhite-antigo-novo-r

A traseira, apesar de possuir um agradável toque emborrachado, tem o problema de acumular marcas de dedo com facilidade. Após alguns minutos de uso, as manchas na traseira e o movimento de esfregar o dispositivo na camiseta serão inevitáveis. Uma das maneiras de evitar isso é comprando uma capa. A oficial é feita de couro e tecido e tem o recurso útil de ligar e desligar a tela ao abrir e fechar a capa, graças a um ímã. No entanto, por 169 reais, é difícil recomendar sua compra.

kindle-paperwhite-2-abre-r

Que bela tela!

A tela de e-ink continua com a mesma resolução de 1024x758 pixels (não foi erro de digitação, é 758 mesmo), o que resulta em uma definição de 212 pixels por polegada. Embora alguns concorrentes possuam telas com definição maior, o display do Kindle Paperwhite não deixa a desejar em nenhum momento. As fontes são bem definidas, mesmo no tamanho mínimo. Como a iluminação não é direcionada diretamente para a sua cara, leituras longas tendem a ser mais confortáveis que em um tablet.

Apesar de a definição continuar a mesma, houve pequenas melhorias na tecnologia da tela. Tenho um Kindle Paperwhite antigo há mais de um ano e, ao ligar o display do novo modelo, as diferenças foram perceptíveis: o visor está levemente mais claro, a iluminação está mais uniforme na parte inferior e os pretos estão um pouquinho mais pretos. A Amazon diz que o toque ficou 19% mais preciso, mas eu não notei nenhuma diferença.

kindle-paperwhite-2-inferior-r

Um pouco mais rápido

Com o processador de 800 MHz sendo substituído por um de 1 GHz, a velocidade também ficou melhor. Não é como se você precisasse de um desempenho monstruoso em um leitor de ebooks, mas ações como trocar páginas, abrir livros e navegar no sistema estão visivelmente mais rápidas.

As respostas ao toque e a fluidez do sistema, dentro das limitações de um painel e-ink, é ótima. O desempenho é significativamente melhor que o do Kobo Aura HD, e-reader de 659 reais que sofria com travadinhas irritantes e era notavelmente mais lento, mesmo em relação ao primeiro Kindle Paperwhite, que tinha hardware inferior.

Novos truques de software

O sistema ganhou refinamentos muito bem-vindos. O Kindle Page Flip permite folhear todas as páginas do livro rapidamente deslizando uma barra, sem perder a posição de página que você está lendo – uma pré-visualização das páginas é exibida em uma camada sobreposta. As notas de rodapé também passaram a ser mostradas em uma camada sobreposta, diferente do modelo anterior, em que o usuário normalmente era direcionado ao fim do capítulo, o que às vezes me deixava perdido.

Folheie o livro sem sair da página em que você está

Folheie o livro sem sair da página em que você está

Ao tocar e segurar uma palavra, é exibida a definição do termo com base no dicionário interno armazenado no Kindle, o que é ótimo quando se está lendo um livro com uma linguagem mais complicada ou em outro idioma (tem até dicionário de chinês). No novo Kindle Paperwhite, a janela de definição possui uma aba da Wikipédia, que ajuda bastante na hora de procurar termos que não estão no dicionário, como nomes de empresas. Se o termo não for encontrado no dicionário, o e-reader automaticamente fará a busca na enciclopédia.

Palavras que não estão no dicionário não são problema

Palavras que não estão no dicionário não são problema

Para melhorar o recurso de dicionário, a Amazon incluiu uma função chamada Construtor de vocabulário, acessível através do menu do canto superior direito da tela. Ao pesquisar a definição de uma palavra, o vocábulo é automaticamente registrado para ser acessado posteriormente. Isso é bem bacana como ferramenta de estudo: além de exibir Flashcards, o Construtor de vocabulário também guarda a frase em que você marcou a expressão, então você sabe em que contexto ela pode ser usada.

Construtor de vocabulário registra as palavras pesquisadas no dicionário

Construtor de vocabulário registra as palavras pesquisadas no dicionário

O ecossistema em torno do Kindle merece destaque. Além de adicionar textos copiando arquivos por meio do cabo USB ou comprando-os na Amazon, é possível fazer isso enviando um email para um endereço @kindle.com com o arquivo em anexo. A extensão para Chrome permite enviar páginas da web convertidas para o Kindle, ótima para ler textos grandes. Ultimamente, eu tenho lido muito mais análises gigantes e artigos técnicos do que livros.

Até a bateria acabar, você já encontrou uma tomada

A bateria tem ótima autonomia. Eu não consegui fazer testes profundos, mas não fui capaz de zerar a carga nas três semanas em que usei o Kindle Paperwhite Wi-Fi, então prefiro confiar nos números da Amazon: a duração da bateria é de até oito semanas, com brilho configurado na posição 10 (vai de 0 a 24), meia hora de uso por dia e Wi-Fi desligado.

No Kindle Paperwhite de primeira geração, fui capaz de ler um livro por cerca de duas horas adicionais depois de o sistema avisar que a bateria estava chegando ao fim. Então, é pouco provável que você seja pego de surpresa por falta de energia enquanto estiver usando o e-reader. Até a bateria acabar de fato, você certamente já encontrou uma tomada.

Aqui, vale destacar uma informação: a caixa do Kindle Paperwhite traz apenas o cabo USB, que pode ser usado para recarregar o e-reader em qualquer computador. O adaptador de tomada é vendido separadamente pela Amazon por 79 reais, o que não é exatamente um preço interessante. Particularmente, uso o carregador do meu smartphone no Kindle para não "gastar" uma porta USB.

As amarras do Kindle

O Kindle Paperwhite suporta, além de documentos de texto, imagens convertidas e PDF, ebooks nos formatos AZW, Mobi e PRC. A ausência mais notável é o suporte aos arquivos ePUB, o formato mais popular do mercado. Se você comprar um ebook na Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Gato Sabido ou qualquer outra loja que não seja a Amazon, é muito provável que o arquivo venha em ePUB.

É bem verdade que é possível converter facilmente arquivos ePUB para Mobi pelo Calibre, mas essa conversão nem sempre é perfeita, ainda mais se o livro possuir formatação mais complexa, com fontes personalizadas e tabelas. Embora a loja da Amazon seja muito completa, dificultar a leitura de livros comprados em outras fontes é um ponto negativo, não apenas do Kindle Paperwhite, mas de toda a linha Kindle.

O contrário também é verdadeiro: se você comprar livros da Amazon e posteriormente quiser adquirir outro e-reader que não seja um Kindle, terá dificuldades para migrar sua biblioteca, uma vez que os ebooks vendidos pela loja de Jeff Bezos possuem proteção contra cópia – será necessário fazer uma gambiarra para remover o DRM dos arquivos.

No final das contas, essa dependência do ecossistema da Amazon acaba servindo para baratear o hardware, em um negócio bem parecido com o mercado de impressoras, aparelhos de barbear e afins: vende-se o produto principal por margens de lucro bem apertadas para, depois, lucrar mais com os suprimentos.

Gastar 220 reais a mais para ter 3G é uma boa ideia?

Só alguns meses depois de lançar o modelo Wi-Fi no Brasil, a Amazon trouxe o novo Kindle Paperwhite com 3G, pelo mesmo preço da geração anterior: 699 reais. São 220 reais a mais para ter conexão disponível em qualquer lugar, por tempo indeterminado. Não há entrada para chip, não é necessário pagar uma taxa adicional para nenhuma operadora e o 3G é fornecido por parceiros da Amazon em mais de 100 países, incluindo o Brasil.

kindle-paperwhite-3g-r

A conexão 3G do Kindle Paperwhite serve para consultar artigos na Wikipédia, manter anotações e marcações em ebooks sincronizadas com os servidores da Amazon e, claro, comprar novos livros com apenas um toque.

O Kindle Paperwhite possui um navegador web, mas você não conseguirá acessar seu blog de tecnologia preferido ou mesmo a caixa de entrada do seu email. Não apenas porque o browser é bastante limitado, mas porque a Amazon e suas parceiras bloqueiam páginas que não sejam a Amazon ou a Wikipédia. Ao tentar acessar outros sites, você será obrigado a se conectar em uma rede Wi-Fi.

kindle-paperwhite-3g-navegador-wifi-necessario-r

Portanto, o Kindle Paperwhite 3G é um modelo voltado para aquele leitor voraz de livros, que frequentemente está longe de casa e quer pagar a mais pela comodidade de ter conexão o tempo todo. Para a maioria das pessoas, até por causa do preço bem maior e das limitações do 3G, o modelo Wi-Fi é a opção com melhor custo-benefício.

Notas relevantes

  • Na primeira versão deste review, publicada em janeiro de 2014, as novidades de software do Kindle Paperwhite não estavam disponíveis para o modelo antigo. Algumas semanas depois, felizmente, a empresa liberou uma atualização com as funcionalidades novas. Ponto para a Amazon!
  • A iluminação do novo Kindle Paperwhite é mais amarelada em relação ao modelo antigo. Eu prefiro a iluminação mais fria do Kindle Paperwhite de primeira geração, mas isto não é um defeito.
  • Os novos Kobo possuem integração com o Pocket, um recurso que me faz muita falta no Kindle. Seria ótimo se a Amazon também fechasse uma parceria com o serviço. Readability e Instapaper podem enviar textos periodicamente para o Kindle, e há serviços de terceiros que fazem isso com o Pocket, mas não é a mesma coisa.
  • A Amazon não revela quais são suas parceiras no fornecimento do 3G do Kindle Paperwhite. No Brasil, há evidências de que a operadora é a Vivo, mas essa informação não foi confirmada pela Amazon quando questionada pelo Tecnoblog.

Vale a pena?

kindle-paperwhite-2-fecha-r

Apesar de possuir alguns problemas, como prender o usuário ao ecossistema da Amazon, o novo Kindle Paperwhite é um ótimo leitor de ebooks. O dispositivo possui ótima fluidez, tela com bom contraste e definição e recursos de software que tornam a experiência de leitura melhor que se fosse feita em um livro de papel, como o dicionário integrado, o tempo restante estimado para terminar um capítulo e as marcações que não sujam a folha.

Para quem costuma fazer leituras longas e, principalmente, lê frequentemente durante a noite ou em locais com pouca iluminação, o novo Kindle Paperwhite é o e-reader com a melhor relação custo-benefício à venda hoje no mercado brasileiro. Por 479 reais, ele é um bom dispositivo para leitura, que não cansa a vista, não gera distrações e possui uma bateria bastante duradoura.

Para a maioria das pessoas, eu não recomendaria o gasto adicional de 220 reais com o modelo 3G. É legal ter conexão em todo lugar, mas as limitações impostas pela Amazon e suas parceiras não ajudam a tornar o recurso atraente. Hoje, o 3G do Kindle Paperwhite serve principalmente para comprar livros. Mas, antes de terminar de ler um livro, é provável que você já tenha encontrado uma conexão Wi-Fi por aí.

Se você possui um Kindle mais antigo, como o modelo mais básico, de 299 reais, o upgrade pode ser recomendado: o novo Kindle Paperwhite traz funcionalidades muito úteis, a iluminação integrada ajuda bastante e a tela é ótima.

Para quem possui um Kindle Paperwhite de primeira geração, esqueça: embora o novo modelo possua desempenho e tela levemente melhores, essas novidades não são suficientes para justificar o gasto. Na verdade, leitores de ebooks têm vida útil bem maior que os smartphones e tablets — portanto, é provável que seu e-reader ainda sobreviva por uns bons anos.

Especificações técnicas

  • Bateria: até oito semanas de duração.
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11 b/g/n e Micro USB.
  • Dimensões: 169 x 117 x 9,1 mm.
  • Formatos: AZW, AZW3, PDF, Mobi, PRC, imagens convertidas (JPEG, GIF, PNG e BMP) e texto (TXT, HTML, DOC e DOCX).
  • Memória interna: 2 GB (1,25 GB disponíveis para o usuário).
  • Memória externa: sem suporte a cartão microSD.
  • Peso: 206 gramas.
  • Processador: 1 GHz.
  • Tela: e-ink de 6 polegadas com resolução de 1024x758 pixels e iluminação integrada.

Publicado originalmente em 8 de janeiro de 2014. Atualizado em 21 de julho para incluir o teste da versão 3G.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Genesio Tezza

Meu kindle (basico) não serve pra nada. A tela não é tão branca quanto dizem e o preto não é tão preto quanto deveria. Conclusão: só dá pra ler sem cansar em ambientes muito claros.
Além disso, passados 2 anos a bateria está com uma autodescarga relativamente alta e comv menos de um mes tem que se carregar mesmo sem usar, para não perder a bateria de vez. Passou a ser uma apurrinhação.
Na verdade o projeto é pobre quando imaginaram um aparelho de 6", muito pequeno, que ainda perde mais de 10% em volta da página. Não recomendo pra ninguem, dinheiro jogado no lixo.

Genesio Tezza
Meu kindle (basico) não serve pra nada. A tela não é tão branca quanto dizem e o preto não é tão preto quanto deveria. Conclusão: só dá pra ler sem cansar em ambientes muito claros. Além disso, passados 2 anos a bateria está com uma autodescarga relativamente alta e comv menos de um mes tem que se carregar mesmo sem usar, para não perder a bateria de vez. Passou a ser uma apurrinhação. Na verdade o projeto é pobre quando imaginaram um aparelho de 6", muito pequeno, que ainda perde mais de 10% em volta da página. Não recomendo pra ninguem, dinheiro jogado no lixo.
Nathalya Santos

Comprei o Kindle Paperwhite 2 há um mês e posso dizer que foi uma das melhores compras que eu já fiz na vida. A leitura é muito confortável, ele é leve e incentiva bastante a leitura, porque se tornou algo mais prático. Sobre a bateria: foi o que mais me chamou atenção até agora. Quando eu recebi o Kindle (dia 04/12), a bateria chegou carregada pela metade. Completei a carga até 100% e comecei a usar, sem carregar outra vez. Todos os dias eu leio cerca de 2 a 3h, com a luz no 6 e hoje (05/01) a bateria está como se faltasse uns 25% para descarregar. Realmente dura muito. Vale a pena investir.

Nathy
Comprei o Kindle Paperwhite 2 há um mês e posso dizer que foi uma das melhores compras que eu já fiz na vida. A leitura é muito confortável, ele é leve e incentiva bastante a leitura, porque se tornou algo mais prático. Sobre a bateria: foi o que mais me chamou atenção até agora. Quando eu recebi o Kindle (dia 04/12), a bateria chegou carregada pela metade. Completei a carga até 100% e comecei a usar, sem carregar outra vez. Todos os dias eu leio cerca de 2 a 3h, com a luz no 6 e hoje (05/01) a bateria está como se faltasse uns 25% para descarregar. Realmente dura muito. Vale a pena investir.
Vinícius Pontes

Cadê o botão de like?

Vinícius Pontes
Cadê o botão de like?
Renato Martinez

Estava pensando em investir no kindle paperwhite, mas tenho uma dúvida: há alguma perspectiva de, em alguns meses, sair uma nova versão que seja colorida? Porque para mim, este é um ponto ainda negativo, pois no aplicativo kindle no ipad consigo destacar com cores diferentes, o que é útil para uma "gradação" dos destaques... Há como fazer algo semelhante no paperwhite, mesmo sem recorrer a cores diferentes (p. ex., diferentes formatos de destaques)?

Renato Martinez
Estava pensando em investir no kindle paperwhite, mas tenho uma dúvida: há alguma perspectiva de, em alguns meses, sair uma nova versão que seja colorida? Porque para mim, este é um ponto ainda negativo, pois no aplicativo kindle no ipad consigo destacar com cores diferentes, o que é útil para uma "gradação" dos destaques... Há como fazer algo semelhante no paperwhite, mesmo sem recorrer a cores diferentes (p. ex., diferentes formatos de destaques)?
Dri Krüger

Acabei de ler o que faltava para pagar o boleto da compra que fiz numa promoção do ponto frio ontem. Peguei um paperwhite por 399 ganhando muitos pontos no multiplus. Adorei o review. Agora é pagar e esperar!!

Dri Krüger
Acabei de ler o que faltava para pagar o boleto da compra que fiz numa promoção do ponto frio ontem. Peguei um paperwhite por 399 ganhando muitos pontos no multiplus. Adorei o review. Agora é pagar e esperar!!
Arnaldo Gutwilen

Eu troquei o meu kindle pelo Kindle Paperwhite e não tenho nada a reclamar, muito pelo contrário.

Arnaldo Gutwilen
Eu troquei o meu kindle pelo Kindle Paperwhite e não tenho nada a reclamar, muito pelo contrário.
julioeduardo
Eu já tive um kindle básico mas não gostei do tamanho da tela. Meus olhos brilharam ao ver o Kobo Aura HD mas o preço é muito salgado para um e-reader. Por 659 reais é mais negócio juntar mais uns 100,150 e comprar um tablet tipo lg g pad, podendo mudar os aplicativos de leitura para fundo preto com fonte branca(o que reduz alguma coisa em relação a cansaço de leitura). Ainda estou aguardando um pouco o kobo diminuir antes de partir pro tablet mas eles não ajudam... Em relação aos kindles, como já disse, o tamanho das telas não ajuda e ainda existe essa questão de não suportar epub. Ainda fica minha esperança também de ver um geração bem mais evoluída que a atual dos e-readers. Talvez um dispositivo maior com mesma tecnologia de tela e possibilite a fácil leitura de qualquer texto de livros, revistas e jornais. Pelo que vejo ninguém além de amazon e kobo pretende investir nisso.
Paulo Higa
Possível é, mas fica muito lento. Eu já fui mais além e coloquei um PDF de 150 MB — o Kindle começou a travar, e trocar de páginas era um sofrimento. Para qualquer tipo de PDF, seja pequeno ou grande, a melhor opção ainda é um tablet.
Paulo Higa
Possível é, mas fica muito lento. Eu já fui mais além e coloquei um PDF de 150 MB — o Kindle começou a travar, e trocar de páginas era um sofrimento. Para qualquer tipo de PDF, seja pequeno ou grande, a melhor opção ainda é um tablet.
Eric Viana
Pessoal, quem tem um Kindle PaperWhite de primeira geração ou mesmo esse e pode fazer um relato sobre a experiência no uso com PDF´s grandes (imagens inseridas e afins). Ainda fico com o pé atrás para comprar um pois não consegui testar a abertura de arquivos PDF com 30, 50 ou mais megas de tamanho. É possível? É viável?
Railan Barbosa
Excelente review. Eu comprei há dois dias um Kobo Glo e estou extremamente satisfeito. Quem compra um Paperwhite tmb só deve ter elogios. Nem consigo imaginar pq não comprei um e-reader antes.
marcelo.d.martins
Acredito que não, revistas são outros formatos. Além disso, as imagens não ficariam tão boas. O Kindle serve mais para livros.
marcelo.d.martins
Emerson, tenho um kobo aurea HD e um Kindle paperwhite 1ª geração, o primeiro aparelho a comprar foi o Kindle Paperwhite, fiquei maravilhado. Ele é leve, fácil de transportar e de ler, tem um sistema de leitura que você lê através do computador, tablet ou smartphone e sincroniza com o Kindle, pronto, quando você abrir um outro dispositivo, pede para sincronizar e abre tudo como se estivesse na última leitura. Sensacional!!!. Tenho um smartphone samsung galaxy note 2, que tem uma telinha razoável, assim mando aumentar a letra e quando estou na fila do banco, da receita federal, no metrô, enfim esperando alguma coisa, eu entro no software do kindle e leio a vontade, depois sincronizo e pronto, quando pego o Kindle eu recomeço de onde parei. O Kobo para mim já foi uma imensa desilusão, pois somente sincroniza livros adquiridos na Kobo ou na Livraria Cultura, e, diga-se de passagem, muito mal sincronizado. O Kobo é muito mais pesado (fisicamente e o software), é difícil de encontrar livros, uma tela que tenta parecer com um blog e a gente não consegue muita coisa. Coloquei um cartão de 32 gb e não uso nada, pois muitos livros deixam tudo confuso. Mas a resolução é incrível, muito boa mesmo, assim fica para a leitura de cabeceira ou quando leio um livro adquirido na Livraria Cultura ou Kobo, pois a conversão fica muito falha.
ffeijo1
Glauber isso acontece porque vc está colocando os arquivos pelo cabo, eu envio pelo email da kindle e todos os arquivos ficam armazenados na nuvem.
André Luiz F. Santos
A Ponto Frio está com uma promoção, o preço está em R$ 399,00. Encontrei esse review e não tive dúvidas em fazer a compra. Agora é esperar o novo brinquedinho. :p
Tiago Nunes Da Costa
Lucas Kellermann
fabianoladislau
Parabéns pelo artigo, Paulo! Adquiri meu Kindle antes de ontem e estou ansioso pela sua chegada. A matéria é bem detalhada e muito informativa. Parabéns mais uma vez pelo excelente trabalho!
Emerson Duarte
Tiago e Felipe, tenho a mesma dúvida... tenho um Galaxy tab 3 de 7" com os apps do Kindle e do Kobo instalados, mas ando puxando a asa para um e-reader, mas me pergunto, será que vale a pena? A experiência de leitura realmente vale o investimento... além de ter que carregar 2 aparelhos... não sei...
Manolouco Mano Louco
EU TENHO UM E ADOREI O MEU É 3G
Rodrigo Varjão
Eu consigo ler as versões digitais de revistas como exame, você/sa no Kindle?
jbma
Caros tiago.espindola e Felipe Morandin, Com relação ao uso de tablet para leitura de livros, avalio que o caráter multimída do "gadget" e da iluminação projetada podem, de um lado, desviar a atenção durante a leitura e, de outro, causar cansaço. Além disso, a questão da duração da bateria é outro fator que limita o uso externo ou longe de uma tomada. No meu caso, que tenho os dois, leio jornais e revistas no tablet, deixando para o leitor digital os livros, de leitura mais atenta e demorada. Quanto ao "review", gostei tanto que fui convencido a comprar o "gadget". Não por ser perdulário, mas porque o o que eu já tinha era muuuito disputado em casa por mais três. Ainda não posso passar impressões sobre o novo Kindle porque ele não chegou. Mas posso afirmar que a versão anterior é formidável, para quem já usou outros modelos sem retroiluminação (Kindle e Kobo).
Felipe Morandin
Eu tenho, mais ou menos, a mesma dúvida. Tenho um Nexus 7 e uso muito ele para ler livros e HQs (leio mais livro que HQ) e já pensei muito em comprar um Kindle mas não sei se é uma boa ficar carregando os 2 aparelhos ou se, algum deles, vai meio que perder o uso
Marcos Paulo
Ando bastante interessado no Paperwhite. Agora que a nova geração já está no mercado é inevitável não ficar ainda mais atentado á ter um...
Tiago Nunes Da Costa
Interessante que o principal objetivo da Amazon não é fazer o usuário desejar o upgrade da plataforma (exceto no caso de pular de um Kindle sem iluminação para um com iluminação), é apenas aprimorar a experiência do usuário para o que mais importa: A leitura. E assim manter a vanguarda em tecnologia, garantindo que teremos suporte em nossos equipamentos atuais. Tenho meu Kindle Paperwhite há 1 ano e estou plenamente satisfeito com ele. O tamanho, a definição, a luz, tudo isso é excelente. A única coisa que incomoda um pouco é que gosto de mantê-lo carregado e isso deixa ele meio lerdinho, mas nada que prejudique a leitura corrente, apenas o acesso aos demais livros, busca, etc... E a capa original, recomendo efusivamente. Sofria com o terror de estragá-lo ao carregar, deixar cair, colocar na mochila etc. Depois da capa, até debaixo dos pés dos meus filhos ele já foi parar, e com total segurança.
tiago.espindola
Excelente review! Com bastante clareza, ilustrou o que o aparelho é e não é. Parabens! Sempre tive iPad, e atualmente possuo um iPad Mini. Adoro ler usando este Mini, mas sinto certo cansaço após muito tempo de leitura. Mas gostaria de saber se valeria mesmo a pena comprar um Kindle, e ainda por cima carregar mais gadget.
Kim Pegorini
tenho um kindle paperwhite de primeira geração e sou completamente apaixonado por ele, não sinto necessidade alguma de trocar por enquanto, acho que ele guenta mais uns dois ou três anos.. e não sinto falta alguma de ler nos livros físicos (de verdade)... aliás, mês passado peguei um livro físico (590 páginas) e fiquei irritado com o peso do trabuco :/
fkyzoe
Rafael, saiba que, no Kindle simples, se você precisar usar o teclado (para escrever nota no texto ou mesmo buscar conteúdo), vai parecer que você tá digitando password de Mega Drive: mexe com o cursor, seleciona a letra, mexe de novo no cursor, seleciona outra letra... é um porre!
fkyzoe
Paulo, tem um recurso bem legal e prático que eles também colocaram: quando marcamos a página (bookmark, no canto superior direito), agora, mostra anexa uma lista de todos os marcadores pra também podermos navegar entre eles sem precisar mudar a tela. Ah, e não sei se já tinha na primeira geração, mas, depois de selecionado o texto, há a possibilidade de traduzir. Sobre a integração com o Pocket, seria bem legal, mas nada que o Send to Kindle não possa resolver com uns cliques a mais... Ah, e uma pergunta: qual a real utilidade dos serviços do Goodreader?? Mesmo usando o Facebook como intermediário, ainda não o usei pra nada...
broules
Rafael, a retro iluminação, ao contrário do que pensamos, não e só necessário para se ler aonde existe ausência total de iluminação. Até em locais aonde não existe luz projetada diretamente na tela do aparelho esse recurso é bem útil. Antes de comprar o meu, eu pensava que isso seria meio secundário, e que só usaria antes de dormir. Engano meu...Hoje em dia quase não desligo a iluminação do aparelho. Vale pagar um pouco a mais por isso.
glaubersilva
Eu tenho o Kindle 4, o mais simples e sem retro iluminação. Já testei o Paperwhite interior a esse do review e mesmo a iluminação dele sendo diferente da de um tablet ainda me incomodou um pouco. Acho que só vale a pena mesmo se você lê muito no escuro, antes de dormir por exemplo. A questão do ePUB é chata mesmo, mas hoje mais da metade dos livros que tenho no Kindle foram ePUB's convertidos pra MOBI pelo Calibre e não tive problema nenhum. O único ponto chato nisso é que esses livros que eu converti só aparecem no Kindle, nos aplicativos p/ PC e smart só aparece os que eu comprei.
Paulo Higa
Eu costumo ler antes de dormir, então prefiro o Paperwhite. Se não é o seu caso, o Kindle de R$ 299 já será mais que suficiente.
Rafael Leandro Jacomini
Muito bom review, mas e em relação ao Kindle Basic, o que você acha dele!? Ainda não tenho Kindle, vale a pena o basic ou melhor optar pelo paperwhite?
broules
Muito bom Review!! É sempre legal esse incentivo aos e-readers. Olha, já tive o Paperwhite e atualmente tenho o Kobo Glo. E quais as vantagens que um tem sobre o outro? - Sinceramente, são mais de cunho pessoal do que em relação as especs. E todos irão lhe atender perfeitamente bem. Eu optei pelo Kobo, que mesmo tendo um sistema menos maduro que o da Kindle, seu ecossistema aberto a diversos tipos de arquivo é sensacional. E em matéria de conforto para leitura, qualidade do produto, contrastes, fontes e etc... no dia-a-dia, não se nota grandes diferenças....A não ser que você seja um usuário hard e fique fazendo benchmarks entre os aparelhos. Portanto, é pesquisar para ver qual é o que vai lhe atender melhor, comprar o aprelho e ser feliz.
RamonGonz
Ótimo review. Talvez só tenha faltado citar a (ótima) "ferramenta" Send To Kindle que agiliza bastante o envio de conteúdo para o Kindle. Tenho essa nova versão do Paperwhite e gostei bastante. Recomendo.
Paulo Higa
Acho que o pessoal que tem Kobo pode falar melhor, mas eu achei o sistema do Kobo meio lento e travado (apesar de ter alguns recursos legais, como o Reading Life, que gera estatísticas de leitura, e a integração com o Pocket). Por isso, ainda prefiro o Kindle.
Paulo Higa
O Kobo Aura, uma espécie de Kobo Aura HD só que menor, foi lançado em setembro lá fora e chega ao Brasil este ano. Ele vai competir com o Kindle Paperwhite, mas, como está um pouquinho caro nos EUA (US$ 149, contra os US$ 119-139 do Paperwhite), não sei se o preço será muito atraente no Brasil.
trovalds
Já que não tem como editar, vai a pergunta em outro comentário: alguém sabe se o Kobo vai receber algum upgrade em breve?
trovalds
Bem elucidativo o review, mas infelizmente acompanhando o que a maioria dos outros reviews já evidenciou: não vale o upgrade pra quem tem o modelo de 1a. geração. Eu, como ainda não tenho nenhum, fico confuso em relação a um Kindle ou um Kobo (ou um outro concorrente). ePUBs não compatíveis no Kindle, DRM da Amazon impede leitura em outros ebooks... acabou que estou bastante interessado em adquirir um ebook mas acabo esbarrando nessa de que nenhum ebook é, digamos, 100% a ponto de não se ver vantagens no concorrente.