Início » Computador » Samsung Chromebook, o primeiro fabricado no Brasil

Samsung Chromebook, o primeiro fabricado no Brasil

Notebook da Samsung com Chrome OS é lançado no Brasil por R$ 1.099

Por
5 anos e meio atrás

samsung-chromebook-abre

A Samsung lançou hoje seu primeiro Chromebook no Brasil, mais de um ano após o anúncio nos Estados Unidos, que aconteceu em outubro de 2012. Com preço sugerido de 1.099 reais, chip ARM e sistema operacional Chrome OS, ele é uma espécie de híbrido de notebook com tablet, mas sem tela sensível ao toque. Apesar de não ser o primeiro Chromebook do Brasil, este é o primeiro Chromebook fabricado no país. E nós fomos dar uma olhada nele.

Por causa da espessura finíssima de 1,75 cm e da escolha das cores da carcaça e do teclado, o Samsung Chromebook até se parece com um certo notebook de uma empresa concorrente. Mas isso só olhando de longe mesmo: basta chegar perto para perceber que o público-alvo e a proposta são totalmente diferentes.

Parece, mas não é

Parece, mas não é

A carcaça é bonita e está além do que esperamos para um notebook dessa faixa de preço, apesar de ser feita de plástico pintado e não alumínio. Com 1,1 kg, ele tem peso equivalente ao de um tablet comum de 10 polegadas com teclado externo, então pode ser uma opção a se considerar para quem precisa levar uma máquina básica para todo canto e digita bastante.

As portas USB e HDMI ficam na traseira

As portas USB e HDMI ficam na traseira

E junto com a entrada para a fonte de alimentação

E junto com a entrada para a fonte de alimentação

No modelo com 3G, é aí que você coloca o SIM card

No modelo com 3G, é aí que você coloca o SIM card

Esta porta serve tanto para entrada como para saída de áudio

Esta porta serve tanto para entrada como para saída de áudio

Apesar de poder ser usado offline, é verdade que você ficará um pouco limitado se não tiver acesso à internet. Por isso, é até estranho a Samsung não ter lançado a versão com 3G no Brasil; a empresa diz estar conversando com operadoras, mas preferiu não dar nenhuma previsão de quando o modelo chegará às lojas. Ele não tem porta Ethernet, logo, a solução será compartilhar a conexão do smartphone se não houver Wi-Fi por perto.

O Chrome OS, que antes era basicamente um Chrome rodando em tela cheia, evoluiu nos últimos meses e ganhou uma barra de tarefas, que fez o sistema operacional lembrar bastante o Windows 7. Os aplicativos, que podem ser baixados da Chrome Web Store, podem ser fixados nessa barra. Alguns funcionam offline, outros exigem conexão à internet, caso de uma cópia paraguaia de Angry Birds.

samsung-chromebook-chrome-os

Filtros, yay!

Filtros, yay!

Muitos aplicativos do Google

Muitos aplicativos do Google

Trata-se de um notebook feito para usar a nuvem. Há até alguns aplicativos básicos, como uma calculadora e um programa que mostra imagens da webcam (com filtros!), mas os principais recursos são baseados principalmente nos serviços do Google. Quer editar um documento ou planilha? Google Docs. Ver emails? Gmail. Guardar arquivos? Google Drive. Para compensar o pequeno espaço de 16 GB, o usuário ganha 100 GB adicionais no Google Drive por dois anos.

Como não há praticamente nada além do Chrome, o processador ARM dual-core de 1,7 GHz da Samsung em conjunto com os 2 GB de RAM dão conta do recado muito bem. O chip Exynos não precisa de ventoinha para ser resfriado, o que deixou a máquina bem silenciosa. Os únicos buracos visíveis no corpo do Samsung Chromebook estão próximos aos apoios na parte inferior, por onde saem o som dos dois alto-falantes.

Por baixo do Samsung Chromebook

Por baixo do Samsung Chromebook

Aparentemente, o Chromebook produzido no Brasil também será vendido na Rússia (ou em algum país com alfabeto diferente)

Aparentemente, o Chromebook produzido no Brasil também será vendido na Rússia (ou em algum país com alfabeto diferente)

A única grande decepção ficou por conta da tela. O sol forte de São Paulo não ajudou muito, mas a tela é pouco brilhante mesmo com o brilho no máximo, o que dificulta enxergar o conteúdo se você estiver ao ar livre. Por outro lado, a definição da tela de 11,6 polegadas com resolução de 1366×768 pixels é mais que suficiente para ler textos sem notar pixels individuais a uma distância de uso normal.

Com a presença do amigo Sol, nem o brilho máximo dá conta do recado

Com a presença do amigo Sol, nem o brilho máximo dá conta do recado

O teclado foi adaptado para o ABNT2, com a cedilha. Foi um pouco decepcionante saber que a barra e o ponto de interrogação ficam nas teclas Q e W, sendo necessário pressionar Alt Gr para acessá-las, mas isso virou praticamente padrão da indústria brasileira, então não dá para reclamar muito. No entanto, eu ainda apoio a decisão de diminuir um pouquinho o Shift direito para adicionar uma tecla dedicada para esses dois importantes caracteres.

Teclado ABNT2, sem tecla dedicada para a barra e o ponto de interrogação

Teclado ABNT2, sem tecla dedicada para a barra e o ponto de interrogação

Para quem é o Chromebook? É difícil responder. Se você gosta de joguinhos de tablets, comprar um Chromebook pode não ser uma boa ideia, já que a Chrome Web Store ainda é deficiente nesse ponto. Se você faz tarefas mais complexas e precisa de um processador de texto ou editor de imagens mais avançados, também pode se decepcionar (embora seja possível fazer uma gambiarra para instalar Ubuntu no Samsung Chromebook).

Agora, caso seu uso seja principalmente de internet, como redes sociais, arquivos armazenados na nuvem e serviços de streaming de músicas e filmes, pode ser que o Samsung Chromebook seja uma boa máquina para carregar para todo lugar, especialmente se você não se der muito bem com os teclados virtuais dos tablets, ou não quer gastar dinheiro com um notebook tão leve e fino quanto.

Um tablet com esse hardware em conjunto com um teclado externo custaria o mesmo preço ou até mais caro que os 1.099 reais cobrados pela Samsung. Então, apesar de não estar nada barato (a mesma máquina custa apenas 249 dólares nos Estados Unidos), não é como se o Samsung Chromebook fosse o pior custo-benefício do Brasil. Ainda mais considerando que está cada vez mais difícil encontrar notebooks com preço acessível nas prateleiras das lojas.

No Brasil, o Samsung Chromebook está sendo vendido a partir de hoje nas lojas físicas da Samsung e em algumas lojas online. Por ser um notebook diferenciado, que até o momento não roda Windows nem com gambiarras (considerando que ele possui um processador ARM), colocá-lo nas lojas ao lado de notebooks comuns poderia confundir e frustrar o consumidor, por isso a distribuição do Samsung Chromebook está mais limitada.